Nas ruínas de berlin

Nas ruínas de berlin

  • Frankfurter Strasse (agora Karl-Marx-Allee) após a luta.

    ANÔNIMO

  • Berlim, remoção de entulho

    KHALDEÏ Evgueni (1917 - 1997)

  • Mulheres removem escombros da rua de Berlim

    ITTENBACH Max

Fechar

Título: Frankfurter Strasse (agora Karl-Marx-Allee) após a luta.

Autor: ANÔNIMO (-)

Data de criação : Maio de 1945

Data mostrada: Maio de 1945

Dimensões: Altura 0 - Largura 0

Técnica e outras indicações: fotografia

Local de armazenamento: Site do Bildarchiv Preussischer Kulturbesitz (Berlim)

Copyright do contato: © BPK, Berlim, dist. RMN - imagem Grand Palais / BPK

Referência da imagem: 15-511268

Frankfurter Strasse (agora Karl-Marx-Allee) após a luta.

© BPK, Berlim, dist. RMN - imagem Grand Palais / BPK

Fechar

Título: Berlim, remoção de entulho

Autor: KHALDEÏ Evgueni (1917 - 1997)

Data de criação : Julho de 1945

Data mostrada: Julho de 1945

Técnica e outras indicações: fotografia

Local de armazenamento: Site do Bildarchiv Preussischer Kulturbesitz (Berlim)

Copyright do contato: © BPK, Berlim, dist. RMN - Grand Palais / Voller Ernst / BPK © Todos os direitos reservados

Referência da imagem: 10-535923 / 1217

Berlim, remoção de entulho

© BPK, Berlim, dist. RMN - Grand Palais / Voller Ernst / BPK Todos os direitos reservados

Fechar

Título: Mulheres removem escombros da rua de Berlim

Autor: ITTENBACH Max (-)

Data de criação : 1949

Data mostrada: 1949

Técnica e outras indicações: fotografia

Local de armazenamento: Site do Bildarchiv Preussischer Kulturbesitz (Berlim)

Copyright do contato: © BPK, Berlim, dist. RMN - imagem Grand Palais / BPK

Referência da imagem: 12-579858 / It 01006

Mulheres removem escombros da rua de Berlim

© BPK, Berlim, dist. RMN - imagem Grand Palais / BPK

Data de publicação: novembro de 2015

Contexto histórico

Berlim depois da batalha

No final da Segunda Guerra Mundial, a cidade de Berlim foi devastada. Alvo de ataques aéreos ingleses desde 1940, alvo cada vez mais frequente das tropas aliadas à medida que o conflito avança, a capital do IIIe Reich foi marcado por vários episódios. Finalmente, em abril-maio ​​de 1945, a Batalha de Berlim, travada no solo por tropas do Exército Vermelho apoiadas pela artilharia e forças aéreas, reduziu completamente parte da cidade a cinzas e ruínas.

Estima-se que as incursões e os confrontos destruíram mais de 600.000 casas e edifícios, ou mais de um terço da cidade (incluindo o centro, 70% destruído), deixando escombros impressionantes em grande parte da cidade. Em Berlim, as perdas humanas são difíceis de estimar com precisão ao longo de toda a duração do conflito: só a batalha de Berlim teria causado quase sessenta mil mortes entre soldados, dezenas de milhares entre civis, para não falar de muitas prisões, os feridos e os sem-teto.

Símbolo do poder alemão agora reduzido a nada e sujeito aos vencedores, a cidade ocupada tornou-se uma fonte inesgotável de representações no pós-guerra (tanto imediatas quanto mais distantes). Como os três clichês Frankfurter Strasse depois da luta, Berlim, remoção de entulho e Mulheres removem escombros da rua de Berlim, filmes, reportagens ou fotografias que capturam em particular o quotidiano que se inventa numa paisagem urbana tão excepcional e a realidade nunca deixa de fascinar e questionar quem os olha.

Análise de imagem

Os escombros de uma cidade

As três fotografias aqui reunidas destacam a destruição provocada pelos bombardeios e a Batalha de Berlim, bem como as consequências imediatas desta na vida quotidiana.

Foto anônima provavelmente tirada por um soviético, Frankfurter Strasse depois da luta data de maio de 1945, logo após a ofensiva final liderada pelo Exército Vermelho. Você pode ver uma parte da maior avenida de Berlim (e do país), com 2,6 quilômetros de extensão e que vai da Alexanderplatz ao Frankfurter Tor através da o Strausberger Platz. Dois soldados soviéticos, vistos por trás em primeiro plano, observam uma das artérias centrais da cidade enquanto os prédios que fazem fronteira com ela foram completamente destruídos. Em alguns lugares, especialmente no centro da imagem, o pavimento destruído pelo bombardeio dá lugar a um abismo impressionante. Em outros pontos da estrada, ao lado de prédios em ruínas, um tanque (fundo, direita) e três pedestres (fundo, esquerda) ainda conseguem se locomover, dando uma aparência de vida a esta paisagem devastada.

Foi apenas dois meses após o fim da guerra, em julho, que Yevgeny Khaldei apreendeu Berlim, remoção de entulho. Famoso fotorreportador russo, ele acompanhou o progresso das tropas soviéticas na Alemanha, sua entrada em Berlim, mas também o dia a dia da capital durante as primeiras semanas de ocupação. A foto mostra uma cena que se tornou comum para os civis berlinenses: organizados em várias filas e munidos de algumas ferramentas (pás e baldes), estão ocupados limpando as ruínas. Homens, mulheres e crianças trabalham aqui na calmaria de um verdadeiro outeiro formado pelos escombros, tentando recuperar os tijolos que ainda estão inteiros (guardados em primeiro plano, no final da linha).

Se usar o mesmo padrão da imagem anterior, Mulheres removem escombros da rua de Berlim tem várias diferenças interessantes deste, no entanto. Não é o trabalho de um fotógrafo do campo dos vencedores, mas de um fotógrafo alemão, Max Ittenbach. Tirada em 1949 (os estigmas de 1945 ainda estão muito presentes na cidade nesta época), apresenta um grupo exclusivamente feminino que, quatro anos após o fim da guerra, continua o trabalho de limpeza. A remoção de entulho está, de fato, em um estágio mais avançado do que na tomada anterior: a estrada está bastante aberta, limpa e transitável. Se o jogo de escalas favorecido pelo fotógrafo ainda sugere claramente os danos sofridos, as montanhas de entulho (visíveis dos dois lados da estrada, contra os edifícios) já não parecem ser o resultado imediato dos bombardeios, mas sim o fruto deliberado. uma operação metódica de reagrupamento e programação antes da liberação final.

Interpretação

Die Trümmerfrauen : as mulheres das ruínas

Todas essas três fotos mostram a extensão óbvia dos danos na cidade, mas também uma evolução ao longo do tempo.

Na verdade, e em ordem cronológica, a primeira mostra, numa espécie de mise en abyme, Berlim sob o olhar dos soldados que a conquistaram. Eles observam a destruição, mas não participam da liberação necessária. São os civis, os vencidos, que devem se organizar para recuperar alguma aparência de vida e restabelecer uma cidade viável. Uma inevitável mobilização cujos efeitos se manifestam ao longo do tempo, entre 1945 e 1949: a mesma cena, a da remoção dos escombros, sugere primeiro um caos repentino e recente, depois uma ordem e um método bem desenvolvido, bastante eficaz.

De outra forma, Mulheres removem escombros da rua de Berlim permite-nos relembrar o papel particular da mulher neste episódio de reconstrução. Com tantos homens mortos, prisioneiros ou feridos durante a guerra, é precisamente estas últimas, rapidamente chamadas de mulheres das ruínas (ou mulheres dos escombros) que foram, nos primeiros dias, as responsáveis ​​pela reabilitação da cidade através da limpeza ruínas, construindo montanhas de entulho, restaurando o que pode ser restaurado. Deixadas à própria sorte na miséria da derrota e na ausência de poder político organizado, amplamente maltratadas pelas tropas soviéticas (mais de cem mil estupros), às vezes forçadas a se prostituir para sobreviver, essas mulheres se tornam uma razão inevitável para a “literatura das ruínas” bem como as numerosas imagens que falam deste episódio. Tomada de um ponto de vista alemão (como na fotografia de Ittenbach), a representação deste último beira quase um mito: a do papel feminino, quase matriarcal, na reparação pacífica, cura, apaziguamento e reconstrução. do que os homens destruíram. Símbolo de uma nova Alemanha não beligerante, mas resiliente, essas atrizes anônimas da história também evocam a miséria, a pobreza e as dificuldades de todos os civis de Berlim durante esse tempo.

  • Berlim
  • Alemanha
  • Guerra de 39-45
  • ruínas
  • cidade
  • exército soviético
  • aviação
  • fotografia
  • reportagem
  • ataque de bombardeio
  • destruição
  • mulheres

Bibliografia

ANÔNIMO, Uma Mulher em Berlim: Diário (22 de abril a 22 de junho de 1945), Paris, Gallimard, col. "Testemunhas", 2006. BISCHOF Werner, Depois da guerra, Paris, Nathan, col. “Photo square”, 1997.DAGERMAN Stig, Outono alemão, Le Paradou, Actes Sud, 1980. EVANS Richard J., O Terceiro Reich (1939-1945), Paris, Flammarion, col. "Ao longo da história", 2009, 3 vol.GROSSET Mark, Khaldei: um repórter fotográfico na União Soviética, Paris, Le Chêne, 2004.KERSHAW Ian, Fim: Alemanha (1944-1945), Paris, Le Seuil, col. "The Historical Universe", 2012.NAKHIMOVSKY Alexander, NAKHIMOVSKY Alice, Testemunho da História: As Fotografias de Yevgeny Khaidei, New York, Aperture, 1997.ROSSELINI Roberto, Alemanha ano zero, Filme italiano, 1948.

Para citar este artigo

Alexandre SUMPF, "Nas ruínas de Berlim"


Vídeo: Berlin