10 dos melhores locais históricos em Wiltshire

10 dos melhores locais históricos em Wiltshire


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

1. Catedral de Salisbury

A catedral anglicana no condado sudoeste de Wiltshire (a 13 km de Stonehenge) é um dos melhores exemplos da arquitetura gótica inglesa primitiva (estabelecida na Inglaterra com a conclusão da Catedral de Canterbury em 1175) e curiosamente é uma das três catedrais em A Inglaterra não tem um anel de sinos - Ely e Norwich são as outras duas.

Salisbury reivindica a torre da igreja mais alta do Reino Unido (123 m), seu maior claustro e sua maior catedral perto. É o lar do relógio mecânico mais antigo do mundo, datado de c.1386, e tem uma magnífica coleção de vitrais medievais, incluindo a Janela de Rosas.


10 locais históricos mais populares na Grã-Bretanha

A Torre de Londres é a atração imperdível para os visitantes da Grã-Bretanha

1. Torre de Londres

Uma das fortalezas mais famosas do mundo, a Torre de Londres é o lar das joias da coroa de valor inestimável. Construído como residência real e prisão há quase 1.000 anos, há algumas histórias fascinantes dentro de suas paredes.

A Catedral de St Paul e # 8217s também é um marco histórico imperdível. Crédito: Graham Lacdao

2. Catedral de São Paulo, Londres

A icônica Catedral de São Paulo testemunhou muitos eventos significativos na história da Grã-Bretanha, incluindo o funeral de estado de Sir Winston Churchill e o casamento do Príncipe Charles e a Princesa Diana. Uma visita oferece 1.200 anos de história, bem como a chance de subir os 237 degraus até o topo do espetacular Dome. No caminho para cima, você pode testemunhar a Whispering Gallery, onde um sussurro pode ser ouvido a 30 metros de distância, antes de admirar a vista deslumbrante do horizonte de Londres.

O Castelo de Edimburgo, um edifício histórico e uma grande atração turística, fica em Castle Rock, acima da cidade de Edimburgo. Crédito: VisitBritain / Andrew Pickett

3. Castelo de Edimburgo

A evidência histórica sugere que uma fortaleza existe no local do castelo desde cerca de 600 AD. O Castelo de Edimburgo é uma fortaleza histórica que domina o horizonte da cidade de Edimburgo, na Escócia, a partir de sua posição em Castle Rock.

O Castelo de Windsor é a residência oficial de Sua Majestade a Rainha

4. Castelo de Windsor, Berkshire

O Castelo de Windsor continua sendo um dos atuais retiros de fim de semana favoritos dos monarcas. Isto é o maior e mais antigo castelo ocupado do mundo e a residência oficial de Sua Majestade, a Rainha. Os visitantes podem visitar os State Apartments, que contêm pinturas de Rembrandt, Rubens e Gainsborough.

A vista das Casas do Parlamento da Torre Vitória. Crédito: VisitBritain / Andrew Pickett

5. Casas do Parlamento, Londres

O Palácio de Westminster é o ponto de encontro da Câmara dos Comuns e da Câmara dos Lordes, as duas casas do Parlamento do Reino Unido. Reconstruída no estilo gótico nacional entre 1834 e 1860 depois que um incêndio destruiu o palácio original em Westminster, as Casas do Parlamento estão abertas ao público.

Os Banhos Romanos são um Patrimônio Mundial em Bath, Somerset. Crédito: VisitBritain / Simon Winnall

6. Banhos romanos e sala de bombas, banho

O complexo dos Banhos Romanos é um local de interesse histórico na cidade de Bath. A casa é um sítio romano bem preservado para banho público. Situado abaixo do nível da rua em frente à Abadia de Bath, os visitantes dos Banhos Romanos podem visitar o local surpreendentemente grande, que inclui a Fonte Sagrada, o Templo e o Grande Banho, mas não têm permissão para entrar na água.

Stonehenge, um patrimônio mundial da UNESCO, é um anel pré-histórico de enormes pedras eretas dentro de uma terraplenagem nas planícies de Wiltshire. Crédito: VisitBritain / Andrew Pickett

7. Stonehenge, Wiltshire

Uma das maravilhas do mundo e o monumento pré-histórico mais conhecido da Europa, a construção de Stonehenge começou há 3.000 AC. Provavelmente foi usado originalmente como cemitério e, recentemente, tornou-se um local de peregrinação para neopagãos.

Castelo de Warwick, um castelo medieval no rio Avon. Crédito: VisitBritain / LeeBeel

8. Castelo de Warwick

Construído em 1068 por Guilherme, o Conquistador, o Castelo de Warwick foi usado como fortificação até o século 17, antes de ser convertido em uma casa de campo pela família Greville. Agora, ele oferece aos visitantes uma visão de seus mil anos de história de cair o queixo.

O local de nascimento do Bard em Henley Street, Stratford-upon-Avon Crédito: Roger G Howard

9. Local de nascimento de Shakespeare, Stratford-upon-Avon

O local de nascimento de Shakespeare é uma casa restaurada em enxaimel do século 16 situada em Henley Street, Stratford-upon-Avon, Warwickshire, Inglaterra, onde se acredita que William Shakespeare nasceu em 1564 e passou sua infância.

Historic Chatsworth House, uma casa senhorial com amplos jardins, no Peak District Crédito: VisitBritain / Tomo Brejc

10. Chatsworth House, Derbyshire

A magnífica residência dos duques de Devonshire, Chatsworth House fica na margem leste do rio Derwent, perto de Bakewell. Seus famosos jardins cobrem uma área de 105 acres e a casa de campo apareceu em várias adaptações para a televisão e filmes.

Artigos relacionados

Baixe a Revista BRITAIN para o seu celular hoje


10 principais locais para amantes de história

O Reino Unido está repleto de algumas das igrejas e monumentos mais bem preservados do mundo. Aqui estão nossos 10 principais sites para os amantes da história.

1 York Minster

York Minster é conhecida por seus tetos abobadados e vitrais medievais

Famosa por seu teto abobadado e requintados vitrais medievais, York Minster é a igreja mais importante do norte da Inglaterra.

Remontando como local de culto ao século VII, a igreja foi reconstruída e ampliada ao longo da sua longa vida, tendo a nave e a abóbada concluídas nos séculos XIII e XIV. O vitral é a joia da coroa da catedral & # 8217 e muito trabalho foi realizado para restaurar e conservar o vidro, incluindo a recentemente renovada Grande Janela Leste. Há também a oportunidade de visitar o imersivo Undercroft Museum, onde você pode descobrir mais sobre as conexões do Minster com o Viking York.

  • Imperdível Suba os 275 degraus até a op da Torre Central para ver a cidade
  • Onde ficarYork Caravan Park

2 Stonehenge

Stonehenge é o sítio pré-histórico mais conhecido da Europa

Este Patrimônio Mundial da UNESCO no coração de Wiltshire é o monumento pré-histórico mais conhecido da Europa. Hoje, a área é protegida pelo Patrimônio Inglês.

Aqueles que estiverem dirigindo pela A303 em direção ao sudoeste terão visto o círculo de pedras místicas da estrada e, se você parar para explorar, há um centro de visitantes com mais de 250 objetos arqueológicos e tesouros. Mas e o próprio círculo de pedra? As pedras foram erguidas no final do período Neolítico, por volta de 2500 aC, usando enormes sarsens (blocos de arenito). Só a famosa pedra do calcanhar pesa 30 toneladas. Hoje, seu fascínio e mistério permanecem, um ímã para druidas e turistas. Melhor evitar visitas no solstício de verão & # 8211 ele fica muito ocupado.

  • Imperdível As pedras ao pôr do sol têm um apelo mágico único
  • Onde ficarStonehenge Campsite e amp Glamping Pods

3 Parede de Adriano e # 8217s

A parede de Adriano e # 8217 datam da era romana

O imperador romano Adriano, que governou de 117 a 138 DC, pode ter caído na obscuridade no que diz respeito aos britânicos, exceto por uma coisa: a poderosa Muralha de Adriano, que se estende pelos condados de Cumbria e Northumberland. Esta barreira de 80 milhas construída em 122 DC para ajudar a proteger a fronteira norte do Império Romano, consistia em fortes e assentamentos, bem como a longa parede de pedra em si.

Surpreendentemente, grande parte da parede permanece até hoje, atraindo trekkers sérios e excursionistas para caminhar nesta bela parte do campo. Há muitas paredes para explorar. mas um bom lugar para começar é no Housesteads Roman Fort & amp Museum, perto da Haydon Bridge em Northumberland.

Aqui, os visitantes podem explorar a fortaleza e ter uma ideia de como deve ter sido ser um legionário se protegendo contra ataques do norte.

Soa familiar? Guerra dos Tronos os fãs reconhecerão isso como inspiração para o Wall na popular série de TV.

  • Imperdível Aprecie as vistas panorâmicas da paisagem do forte
  • Onde ficarHadrian & # 8217s Wall

4 Catedral de Durham

Um exemplo maravilhoso da mais bela arquitetura normanda, a catedral faz parte do Patrimônio Mundial da UNESCO, que consiste na Catedral de Durham e # 8217, o castelo e os edifícios localizados entre eles.

Construída entre 1093 e 1133, a catedral abriga os santuários de dois santos renomados, o Venerável Bede e São Cuthbert.

O escritor de viagens Bill Bryson descreveu Durham como & # 8220 a melhor catedral do planeta Terra & # 8221 e é fácil ver por que & # 8211 enormes pilares normandos, arcos românicos, vitrais impressionantes e os claustros requintados, uma locação de filme para Hogwarts em Harry Potter e a Pedra Filosofal & # 8217s. Esta igreja tem de tudo!

  • Imperdível Belos trabalhos em cantaria na nave e, claro, os evocativos claustros
  • Onde ficarDurham Grange C & ampMC Site

5 banhos romanos

Outro grande local romano, os Banhos, junto com a Muralha de Adriano e a parede de Adriano # 8217, são provavelmente os mais belos e bem preservados vestígios do Império Romano no Reino Unido.

O local é um spa termal, que ainda hoje flui, e os visitantes podem explorar os maravilhosos Banhos, ver as belas colunas e até mesmo experimentar um pouco da água quente do spa no restaurante Pump Room. A água contém 43 minerais e tem sido usada para fins curativos por 2.000 anos.

Embora você não possa mais nadar nos banhos antigos, para sentir o sabor da vida na Roma imperial, você pode ir ao Thermae Bath Spa, nas proximidades, que usa a mesma água e é seguro para o banho.

  • Imperdível Experimente a água do spa no restaurante Pump Room
  • Onde ficarParque de caravanas de Bath Chew Valley

6 A Ponte de Ferro

A Ponte de Ferro em Shropshire, um símbolo do início da Revolução Industrial

Para algo talvez menos conhecido e certamente mais moderno, siga para a primeira ponte de ferro do mundo & # 8217, que atravessa o rio Severn no coração de Shropshire e foi construída em 1779.

Um projeto de engenharia pioneiro, a Ponte de Ferro foi fundida por Abraham Darby III, cujo avô foi o primeiro a fundir ferro usando coque. A própria ponte é cercada pelo Ironbridge Gorge, Patrimônio Mundial da Humanidade, que foi designado pela UNESCO em 1986, em reconhecimento à contribuição única e incomparável da região para o nascimento da Revolução Industrial no século 18.

7 Titanic Belfast

Explore o estaleiro onde o malfadado Titanic foi construído

Embora você não possa visitar o próprio navio malfadado, localizado em algum lugar no fundo do Atlântico Norte, o The Titanic Experience oferece uma visão fantástica deste famoso navio, que foi construído na cidade.

Titanic Belfast compreende nove galerias interativas, com múltiplas dimensões para a exposição, reunindo efeitos especiais, passeios, reconstruções em escala real e outros recursos. Os visitantes podem explorar o estaleiro e viajar virtualmente para as profundezas do oceano. Há também uma oportunidade de ver o último navio White Star restante do mundo & # 8217s & # 8211 Titanic & # 8217s navio original de concurso & # 8211 SS Nomadic.

  • Imperdível Faça um passeio a pé para ver o local onde RMS Titanic foi lançado
  • Onde ficarDundonald Touring Caravan Park

8 Castelo Urquhart

Castelo Urquhart, nas margens do Loch Ness

Fale sobre atmosfera e história & # 8211 esta fortaleza medieval, situada nas margens do Loch Ness, combina um cenário deslumbrante com uma história significativa que remonta a mais de 1000 anos.

Há evidências de que o local original do castelo remonta aos pictos e que São Columba pode ter visitado a área durante o século VI.

No entanto, os restos do edifício que podem ser vistos agora datam do século 13, ele foi capturado em 1296 por Eduardo I da Inglaterra (conhecido como o Martelo dos Escoceses). Hoje, é em grande parte uma ruína, mas você ainda pode visitar o Salão Principal e ver as celas sombrias da prisão.

  • Imperdível Escale a Grant Tower para vistas espetaculares do lago
  • Onde ficarFazenda Borlum

9 Castelo de Caerphilly

Castelo de Caerphilly ao entardecer

Existem tantos castelos maravilhosos no País de Gales, é difícil escolher entre eles, mas Caerphilly é o maior e tem todas aquelas características românticas que associamos a um castelo & # 8216proper & # 8217 & # 8211 torres, ponte levadiça, torres e um fosso.

O castelo foi originalmente construído para o Lorde Marcher Gilbert de Clare no século 13, e foi restaurado pelo quarto Marquês de Bute no século 20. Os visitantes podem agora deleitar-se com o incrível trabalho de reconstrução e conservação, que incluiu a restauração de pontes, torres e portarias.

  • Imperdível A torre sudeste do castelo se inclina em um ângulo precário
  • Onde ficarTredegar House Country Park C & ampMC Club Site

10 Portsmouth Historic Dockyard

O Museu Mary Rose em Portsmouth é o lar do grande navio de guerra de Henrique VIII e # 8217

Você pode ser perdoado por fazer muitas & # 8216naval contemplando & # 8217 neste maravilhoso centro de visitantes, que abriga uma série de atrações, incluindo a experiência do visitante a bordo do famoso carro-chefe do Nelson & # 8217, HMS Victory.

Há também o Museu Mary Rose, lar do grande navio de Henrique VIII, que naufragou durante a Batalha de Solent em 1545 e foi erguido em 1982 por uma equipe de mergulhadores.

Por último, mas não menos importante, o Museu Nacional da Marinha Real e o Estaleiro Histórico de Portsmouth guardam importantes tesouros navais dos últimos 350 anos. A vasta gama de exposições aqui é verdadeiramente impressionante.

  • Imperdível O único e histórico Maria Rosa, levantado das profundezas do Solent
  • Onde ficarFishery Creek Touring Park

Se você gostou deste & # 8230 LEIA ESTES:

Se você gostou de ler este artigo, por que não Receba as últimas notícias, análises e recursos entregues diretamente em sua porta ou caixa de entrada todos os meses. T tirar proveito de nossa brilhante revista Practical Motorhome OFERTA DE ASSINANTES e INSCREVA-SE NO NOSSO BOLETIM para atualizações semanais regulares sobre todas as coisas relacionadas com autocaravana


8 locais históricos imperdíveis em Swindon

Se você já morou em Swindon toda a sua vida, ou se está apenas aqui para visitar, há muitos destinos imperdíveis em nossa cidade. Nós esboçamos alguns deles abaixo, mas apenas arranhando a superfície!

Lydiard Park

Nome: Lydiard Park

Onde: Lydiard Tregoze, Swindon, SN5 3PA. Clique aqui para visualizar no Google Maps

Cerca de: Combinando um enorme parque de 260 acres com uma linda casa senhorial, jardim murado e igreja, não podemos recomendar o Lydiard Park com bastante ênfase. Você pode fazer um tour pela casa, experimentar suas exposições fascinantes para toda a família e fazer uma pausa com um chá da tarde nos deslumbrantes Tea Rooms da Coach House.

Melhor dica: Pegue um piquenique e um cobertor e encontre um espaço no campo principal em frente à casa. Aprecie a paisagem e, quando terminar, caminhe pelo terreno e faça um tour pela casa!

Museu STEAM da Great Western Railway

Nome: Museu STEAM da Great Western Railway, ou simplesmente Museu STEAM.

Onde: Avenida Fire Fly, Swindon, SN2 2TA. Clique aqui para visualizar no Google Maps

Cerca de: Você não pode falar por muito tempo sobre a herança de Swindon sem mencionar as obras da ferrovia. A Swindon Railway Works foi inaugurada em janeiro de 1843 e em 1900 empregava mais de 12.000 pessoas! STEAM conta as incríveis histórias de homens e mulheres que lá trabalharam, além de ser a casa de algumas das próprias locomotivas e até de material publicitário vintage.

Melhor dica: Dê uma volta no simulador de condução de trem e sinta como era dirigir uma máquina a vapor!

Swindon Designer Outlet

Nome: Swindon Designer Outet

Onde: Kemble Drive, Swindon, SN2 2DY. Clique aqui para visualizar no Google Maps

Cerca de: Se você estiver no STEAM Museum, recomendamos uma viagem ao Swindon Designer Outlet. Um destino de compras que foi colocado de forma simpática dentro da Swindon Railway Works original. Além dos negócios de moda de grife disponíveis & ndash, tudo abaixo do RRP & ndash, a mistura de compras, restaurantes e interesse histórico significa que é & rsquos uma obrigação para esta lista!

Melhor dica: Se você tem filhos pequenos, dê uma volta no Hooter Express, uma mini locomotiva a vapor que dá voltas ao redor do centro! Do contrário, pare para almoçar em um dos muitos restaurantes fabulosos.

Cidade antiga

Nome: Cidade antiga

Onde: Uma grande área de Swindon saindo da Wood Street. Clique aqui para visualizar no Google Maps

Cerca de: Old Town é a parte original de Swindon. Antes do advento das ferrovias, formou-se o & # 39New Swindon & # 39 e, finalmente, subiu a colina e conectou os dois. Originalmente uma cidade mercantil, a área agora equilibra o antigo e o novo. Você encontrará espaços abertos impressionantes, bem como prósperas empresas independentes e edifícios históricos. Para obter mais informações, dê uma olhada em nosso Guia Total para a Cidade Velha.

Melhor dica: Dê um passeio relaxante no Lawns Park, com vista de Swindon, antes de desfrutar do restaurante italiano mais antigo de Swindon, o Mario & # 39s, e depois curtir a vida noturna.

Railway Village

Nome: Railway Village

Onde: Centro da cidade, Swindon. Clique aqui para visualizar no Google Maps

Cerca de: Na década de 1840, a GWR construiu um pequeno vilarejo perto de sua Estação Ferroviária para abrigar alguns de seus trabalhadores. As charmosas casas geminadas ainda estão de pé! Entre as casas está a Clínica do Fundo Médico GWR, que prescreveria odontologia e remédios aos trabalhadores em troca de uma pequena quantia do seu salário. É considerado o projeto para o NHS. Perto da Railway Village estão os banhos turcos de Milton Road e a antiga pousada, que agora é um centro comunitário.

Melhor dica: Melhor apreciado como parte de um passeio que também passa pelo Faringdon Road Park. Uma linda área aberta que já recebeu uma festa infantil que data de 1866.

Museu e Galeria de Arte de Swindon

Nome: Museu e Galeria de Arte de Swindon

Onde: Bath Road, Swindon, SN1 4BA. Clique aqui para visualizar no Google Maps

Cerca de: O Museu e Galeria de Arte de Swindon é o lar de muitos itens históricos fascinantes, bem como de algumas obras de arte inspiradoras. As coleções incluem a coleção de arte britânica moderna de Swindon, a arqueologia, a história social de Swindon, o mundo terrestre e natural e as coleções históricas de Victoria Hall. Eles regularmente realizam palestras e workshops sobre uma variedade de assuntos diferentes.

Melhor dica: Podemos ser um pouco tendenciosos, mas a coleção de História Social de Swindon ganha para nós!

Museu Richard Jefferies

Nome: Museu Richard Jefferies

Onde: Marlborough Road, Coate, Swindon SN3 6AA. Clique aqui para visualizar no Google Maps

Cerca de: Richard Jefferies foi um escritor sobre natureza que nasceu em uma casa de campo em Coate em 6 de novembro de 1848. Mais conhecido por seus escritos descrevendo a vida rural no interior da Inglaterra, ele usou o campo próximo como inspiração. O Chalé, que ainda hoje existe, alberga o Museu, que apresenta exposições e exemplos da sua obra ao longo da sua vida.

Melhor dica: Faça um tour por todo o antigo chalé, que contém manuscritos originais e um modelo de Jeffereis como um menino lendo em sua cama de dossel.

Ferrovia Swindon e Cricklade

Nome: Ferrovia Swindon e Cricklade

Onde: Estação de Blunsdon, Tadpole Lane, Blunsdon, Swindon, SN25 2DA. Clique aqui para ver o Google Maps

Cerca de: A linha de passageiros na ferrovia Swindon e Cricklade consiste em uma viagem de ida e volta de seis quilômetros de viagem real em uma máquina a vapor. Movimentando-se entre a estação de Blunsdon e Hayes Knoll e também inclui uma loja de souvenirs e espaços interno e externo para refrescos.

Melhor dica: Gosta de dirigir um loco da vida real? Experimente um dos cursos Steam ou Diesel Driver Experience!

Swindon Designer Outlet

Instalado nos edifícios listados de Grau II da Great Western Railway Works, o posto avançado Swindon Designer Outlet da McArthurGlen é um dos maiores outlets cobertos de designers da Europa. O Swindon Designer Outlet com certeza tem algo para você!

Kemble Drive, Swindon, Wiltshire, SN2 2DY

Lydiard Park

Lydiard Park é um dos favoritos para um dia em família em Swindon, Lydiard Park é uma propriedade histórica deslumbrante na extremidade oeste de Swindon.

Lydiard Tregoze, Swindon, SN5 3PA

Museu STEAM da Great Western Railway

O Museu STEAM da Great Western Railway conta a história de homens e mulheres que construíram, operaram e viajaram na Great Western Railway.

Fire Fly Ave, Swindon, SN2 2TA

Ferrovia Swindon e Cricklade

A Swindon & Cricklade Railway oferece uma viagem de ida e volta para passageiros de aproximadamente quatro milhas e meia dentro do interior de Wiltshire.


Os melhores lugares históricos da Europa

1) Muro de Berlim & ndash Berlim, Alemanha

Construído pela República Democrática Alemã em 1961, o Muro de Berlim dividiu Berlim em duas metades tanto física quanto ideologicamente até 1989, quando foi derrubado quando a Guerra Fria começou a derreter em todo o Leste Europeu.

Embora pouco tenha restado do Muro de Berlim hoje, o local é uma das maiores galerias ao ar livre do mundo, com 1,3 km. A seção restante da parede é conhecida como East Side Gallery por causa dos murais coloridos pintados nela por artistas locais.

2) Hagia Sophia e ndash Istambul, Turquia

A única cidade do mundo a se estender por dois continentes, não é de surpreender que Istambul seja o lar de vários dos locais históricos mais importantes da Europa.

Uma catedral de tirar o fôlego, considerada uma das maiores de seu tipo no mundo, a Hagia Sophia foi construída por volta de 537 DC. O ponto focal desta magnífica estrutura é seu grande telhado abobadado, considerado um dos melhores exemplos de arquitetura bizantina preservada.

Ao longo dos anos, a catedral também hospedou uma mesquita e foi a sede do Patriarca de Constantinopla até 1453. Hoje, a Hagia Sophia é a Turquia e o segundo museu mais popular, atraindo mais de 3 milhões de visitantes todos os anos.

3) Catedral de São Paulo e rsquos e ndash Mdina, Malta

Outrora a capital de Malta, a cidade medieval murada de Mdina (também conhecida como Malta e rsquos Silent City) tem uma história que remonta a 4.000 anos. Visitar Mdina é voltar no tempo, com suas ruas estreitas e sinuosas ladeadas por arquitetura medieval e barroca. Fãs de séries de TV populares, Guerra dos Tronos pode estar interessado em descobrir que algumas das primeiras cenas foram filmadas em Mdina.

Um dos destaques históricos mais populares de Mdina é a Catedral de São Paulo e Rsquos, que se diz ter sido construída no século 12 no local da villa que outrora abrigava Publius, o governador romano que deu as boas-vindas a São Paulo, o Apóstolo a Malta em 60 dC. A catedral original foi destruída por um terremoto no final do século 16 e foi reconstruída em um estilo barroco tradicional entre 1696 e 1705 pelo arquiteto maltês Lorenzo Gaf & agrave. Hoje, a Catedral de São Paulo é um monumento listado como Grau I e uma das atrações turísticas mais populares de Malta.

4) Castelo de Buda e ndash Budapeste, Hungria

Capital da Hungria, a cidade de Budapeste foi formada quando três outras cidades se uniram: Obuda, Buda e Pest. Hoje, Buda e Pest estão conectados pela Ponte Chain, que atravessa o rio Danúbio.

Budapeste é altamente considerada um dos lugares mais históricos para se visitar na Europa, ostentando vários locais históricos importantes e mais fontes termais do que em qualquer outro lugar do mundo.

Talvez a mais icônica de todas as atrações históricas de Budapeste seja o Castelo de Buda. Empoleirado no topo da Colina do Castelo, a melhor maneira de chegar ao Castelo de Buda é andar de funicular saindo da extremidade de Buda da Ponte das Correntes. Inicialmente concluído em 1265, o colossal palácio barroco do castelo e rsquos foi adicionado entre 1749 e 1769.

5) City Walls e ndash Dubrovnik, Croácia

Conhecida como a pérola do Adriático, Dubrovnik conserva monumentos góticos, barrocos e renascentistas, incluindo igrejas medievais, mosteiros e museus. Antes usado como proteção contra piratas, o porto agora é usado por pescadores locais.

Nenhuma visita a Dubrovnik estaria completa sem um tour pelas muralhas da cidade. Com quase 2.000 metros de comprimento e cerca de 25 metros de altura, essas paredes brancas e claras contrastam com o mar azul cintilante que as cerca.

Uma visita guiada às muralhas da cidade permitirá que você entenda como as muralhas foram construídas, enquanto você pode aproveitar as vantagens das vistas panorâmicas e oportunidades de fotos imperdíveis enquanto explora as várias torres de Walls & rsquo.

6) Basílica de São Marcos e rsquos e ndash Veneza, Itália

Um dos pontos turísticos mais populares da Itália, Veneza é o lar de uma seleção aparentemente interminável de atrações históricas abrangendo 118 ilhas, 177 canais e 417 pontes. Não é nenhuma surpresa que tanto a cidade quanto sua lagoa pertençam ao esquema do Patrimônio Mundial da UNESCO.

A igreja mais conhecida de Veneza e uma das igrejas mais facilmente reconhecíveis do mundo, a Basílica de São Marcos (Basilica di San Marco) era originalmente a capela particular Doge & rsquos (Líder da República de Veneza). No interior, a igreja é adornada com valiosas peças de arte bizantina capturadas por navios venezianos após a queda de Constantinopla. Maravilhe-se com os mosaicos de ouro que cobrem as cúpulas e paredes, sem mencionar o glorioso retábulo de ouro & ndash o Pala d & rsquoOro & ndash, dito ser composto de quase 2.000 gemas e pedras preciosas.

7) Auschwitz Birkenau & ndash Cracóvia, Polônia

O mais notório de todos os campos de concentração, uma visita a Auschwitz Birkenau em Cracóvia, Polônia, é uma experiência assustadora e emocionante, mas também é um dos lugares históricos mais interessantes da Europa para se visitar.

Este Patrimônio Mundial da UNESCO ainda abriga os sinais assustadores do genocídio nazista que ocorreu aqui durante o Holocausto, desde muros fortificados, arame farpado e quartéis até forcas, câmaras de gás e fornos crematórios.

8) O Coliseu e ndash Roma, Itália

Uma das sete maravilhas do mundo, o Coliseu ou Coliseu (anteriormente conhecido como Anfiteatro Flaviano) é um antigo anfiteatro romano que era o maior de seu tipo quando foi concluído por volta de 80 DC.

Com 80 entradas em arco, o Coliseu já recebia de 50.000 a 70.000 espectadores por vez, que se sentavam de acordo com a classificação. Os visitantes viriam para assistir a voos de gladiadores e simulações de caça.

Hoje, os turistas podem ver por si mesmos como os guinchos, rampas e alçapões do sistema teatral subterrâneo eram operados para exibir animais, gladiadores e máquinas de cenários para multidões animadas.

9) Stonehenge e ndash Inglaterra, Reino Unido

Um monumento pré-histórico com sede em Wiltshire, Inglaterra, o Stonehenge é um dos lugares mais misteriosos do mundo e, sem dúvida, um dos principais locais históricos a se visitar na Europa.

O Stonehenge consiste em anéis concêntricos e arranjos de ferradura de pedras verticais, cada uma com cerca de 13 metros de altura, 2,10 metros de largura e cerca de 25 toneladas de peso. O mistério de como exatamente essas pedras surgiram aqui confundiu os cientistas por milhares de anos.

Todos os anos, no solstício de verão (21 de junho), uma cerimônia especial acontece no Stonehenge, quando o sol nasce alinhado com a pedra do calcanhar que fica no centro das pedras em forma de ferradura que ficam dentro do anel de rochas.

10) Catacumbas de Paris, França

As Catacumbas de Paris foram construídas dentro dos túneis de antigas pedreiras de calcário e continham os restos mortais de mais de seis milhões de pessoas mortas durante a Revolução Francesa.

A fim de preservar a natureza delicada do local e por razões de segurança, apenas 200 visitantes podem entrar nas Catacumbas por vez. Portanto, certifique-se de planejar a sua visita com antecedência e procurar comparecer nos períodos mais calmos.

Onde estão seus lugares históricos favoritos na Europa? Compartilhe suas idéias na caixa de comentários abaixo.

Aqui estão algumas das minhas outras postagens que abrangem os destinos mencionados neste artigo:

Se você achou esta postagem útil, por que não fixá-la para que possa consultá-la no futuro?


Wiltshire histórico

Até o século atual, Amesbury dependia em grande parte da agricultura, mas agora sua população de cerca de 6.000 habitantes procura principalmente os estabelecimentos de defesa vizinhos ou Salisbury em busca de emprego. O núcleo da cidade e sua igreja da abadia medieval permanecem, embora a & # 8216 grande via pública & # 8217, que uma vez formou a High Street, tenha sido canalizada para um moderno desvio. A mansão da abadia, a abadia foi fundada em 979, é agora um lar de idosos, as casas do século 18 no centro da cidade são intercaladas com lojas modernas e conjuntos habitacionais invadiram os campos comuns. Amesbury pode não impressionar o visitante casual, ou mesmo o residente, com um senso de história como Salisbury (um lugar totalmente mais jovem), mas há muito no passado de Amesbury que merece ser lembrado.

Historicamente, o Dr. Joseph Priestley descobriu o oxigênio enquanto vivia em Calne de 1772-1779. Há um memorial a ele próximo ao lago dos Doutores, não muito longe da Igreja de Santa Maria e # 8217s.

Walter Goodall George (1858-1943) nasceu perto da Prefeitura de Calne e deteve o Recorde Mundial de milhas de 1886-1915. Um memorial a isso foi inaugurado por Sydney Wooderson, o próximo corredor britânico a alcançar o tempo mais rápido (em 1935) no centenário em 1986.

Calne também tem a escola pública St Mary & # 8217s Girls. Um centro de excelência em ensino que ocupa um lugar de destaque nas tabelas de classificação das escolas nacionais.

Calne é uma das poucas cidades onde você pode ficar no centro, olhar para cima e ver as colinas ao seu redor, na direção do Cavalo Branco.

Felizmente, um dos cargos de Sir Thomas & # 8217 era o de governador do Castelo de Hurst na costa de Hampshire e durante a armada espanhola um dos navios espanhóis encalhou lá. Lady Gorges perguntou à Rainha se ela poderia ficar com os destroços, e o pedido foi atendido. O que a Rainha não sabia era que o navio era um dos navios do tesouro espanhol carregado com prata.


5. Devizes

Fonte: Flickr Devizes

Mesmo em um condado repleto de atraentes cidades mercantis, Devizes ficará com você depois que você partir.

O centro está muito bem preservado, com mais de 500 edifícios listados.

Então você pode escolher muitos tópicos diferentes para aprender mais sobre a cidade e o passado de Wiltshire.

Uma delas é a Wadworth Brewery, ainda entregando cerveja por cavalo de shire depois de quase 150 anos e feliz em mostrar a você a cervejaria.

Depois, houve a engenharia industrial georgiana de Caen Hill, onde um lance de 16 eclusas conduz o tráfego do canal para cima ou para baixo da colina.

E o Wiltshire Museum é uma atração fabulosa que o deixará cara a cara com os tesouros da Idade do Bronze enterrados com os chefes em seus túmulos.


12 melhores lugares para visitar em Wiltshire

Aninhado no maravilhoso campo inglês, Wiltshire é um condado deslumbrante para explorar enquanto explora o Reino Unido. O melhor de tudo é que ele está perto da cidade romana de Bath ou até mesmo de Londres. Então, para ajudá-lo a encontrar os melhores lugares para visitar em Wiltshire, gostaria de compartilhar alguns dos nossos lugares favoritos que amamos.

Você vê, Wiltshire não é apenas totalmente deslumbrante, mas também tem alguns dos pontos históricos mais icônicos do mundo para ver. It’s the kind of place that’s filled to the brim with thousands of years of history, quirky spots and gorgeous towns and villages to boot.

Now, we’ve always found it easier to explore Wiltshire as part of a roadtrip. This way, you can get to some of the smaller, lesser-connected, spots that are totally idyllic. That being said, if you don’t drive you can easily hop on a train or bus to some of Wiltshire’s best places.

Take a look, below, at the best places in Wiltshire to visit. Have an amazing time exploring!

1.) Lacock

Just like Castle Combe, Lacock is one of the smaller (but totally gorgeous) villages you can’t miss in Wiltshire.

Over the centuries, Lacock hasn’t changed at all. It’s as if time has stood still and feels like you’ve gone right back to the 1600s!

As you wander Lacock. Pop to grab an afternoon tea at King Johns Hunting Lodge. Their tea garden is everything! Also, be sure to visit the Manger Barn and stop by Lacock Abbey, too.

As Lacock is so small, you don’t really need to worry about getting lost. So, let the streets take you around and wander till your heart’s content.

You can easily spend a short afternoon here. We love it.

2.) Marlborough

Nestled within North Wessex Downs in Wiltshire, Marlborough is a gorgeous little market town that’s lovely to visit. It’s the kind of town that’s perfect for a little afternoon stroll and well worth spending a few hours traversing the quaint streets.

After arriving, be sure to visit the historic Merchant’s House that dates all the way back from the 1600s. Today, you can take a gander inside the restored silk merchant’s abode and have a good nosey at what life would have been like.

Tucked away, it’s pretty easy to miss, so make sure to look out for it when walking High Street.

Afterwards, book a table at Rick Stein’s for a delicious evening treat. Yes, it can be pricier than most other spots in the town but the food is so good.

Oh, and don’t forget, you can easily visit the Neolithic ruins at West Kennet Long Barrow which’s pretty close by. It’s totally amazing to see something that’s thousands of years old.

Plus, if you fancy a stroll through the nearby woodland trails, head over to Savernake Forest.

3.) Salisbury

Salisbury is certainly up there as one of my favourite cities in England, especially with all its history. Trust me, once you arrive you’ll quickly see what I mean.

After arriving, the first port-of-call has to be Salisbury Cathedral. It’s easily one of the finest in all of England and towers over the city itself.

Not only that, one of the best-preserved copies of the Magna Carta, from 1215 is inside and you can see it! Although photos aren’t allowed of the Magna Carta itself, you can walk through and see the protected text that’s so epic to see. Plus, you might even spot the oldest working clock in the world (just off the nave area).

Looking for more? head across to some of Salisbury’s other iconic spots like Mompesson House, Museums, Arundells and Wilton House, too.

Finally, as you leave Salisbury, you’ll be able to hop over to see Old Sarum. It’s an Iron-age hillfort that’s been occupied for thousands of years.

4.) Castle Combe

Possibly my favourite spot in all of Wiltshire (shhh, don’t tell the others), Castle Combe is history and quaint little village to visit. Honestly, it looks like some that have fallen right out of a movie set!

With thousands of years of history, Castle Combe has long been established as a settlement that’s great to explore today. As you wander the main street, be sure to pop in the Castle Inn for a tipple and spot the medieval Market Cross (where traders once used).

Afterwards, take a gander at Castle Combe Church and spot the iconic Water Lane street. It’s so picturesque.

Fancy staying longer? Book a room at The Manor House. A gorgeous period property that’s so cosy and inviting. We love it.

5.) Avebury

Although pretty small and cosy, Avebury is a village that’s packed-full with history.

With the National Trust Museum (with lovely gardens), the iconic Avebury Manor before popping into the family-run cafes on the main street.

Don’t forget to explore the Stone Circle which dates back to the Neolithic times (between 2500 to 2000 BC). It’s considered to be the biggest in all the continent and sometimes forgotten in lieu of visiting Stonehenge.

Talking of Stonehenge, from Avebury you can also visit Silbury Hill (just outside the village). The chalk mound is part of the wider Stonehenge complex and a UNESCO-protected manmade mound that’s said to be the largest in the world.

6.) Stonehenge

Easily one of the best places in Wilshire to visit, Stonehenge is known the world over for its iconic history.

Dating back thousands of years, the stones are incredible to walk around and visit, especially on a sunny day. That being said, it can get pretty busy at certain times of the day. If you want to avoid the majority of the crowds visit first thing in the morning or just before closing time.

We always head across just before closing and you almost have the circle to yourself!

Finally, during certain days, Stonehenge operates tours within the stone circle itself. These operate before the site officially opens and need to be booked on the English Heritage website.

7.) Coate Water Country Park

Not too far from nearby Swindon (and technically not Wiltshire), Coate Water Country Park is one of the best spots to visit to chill.

It is a large country park perfect for a picnic and to walk around you can also find a play area for kids and the park offers some of the amazing views to sit and relax.

Take some time to walk around Coate Water which’s right on the fringes of Wiltshire and too easy to visit as you’re road tripping through England.

8.) Stourhead

Nestled within the gorgeous countryside, Stourhead is one of the best places in Wiltshire to visit in the western fringes of the county.

With a vast garden area to explore Stourhead garden is an idyllic 18th-century landscaped garden that’s just too good to miss.

As you wander the trails and paths, be sure to stop off at the Temple Of Apollo, see the Gothic Cottage and Grotto and explore the wider Pantheon, too.

Plus, you’ve got the gorgeous house to see, too!

Afterwards, if you’ve got time, pop over to King Alfred’s Tower (that’s technically just over the border in Somerset. It’s a great place for 360-degree views and was initially erected as part of the wider Stourhead Estate.

9.) Iford Manor Gardens

Not too far from the city of Bath, Ilford Manor Gardens is well worth a gander whilst driving from Bath to Salisbury.

Historically, this beautiful garden was built by the architect Harold Peto and is now open for us all to enjoy and explore. On a sunny day, it feels like you’re walking through the Tuscan countryside garden and it’s totally beautiful.

A visit to Iford Manor Gardens will likely take around 1-2 hours. This means it’s a perfect stopping point to stretch your legs.

10.) Cranborne Chase

Overlapping a few different counties, Cranborne Chase is totally easy to visit as you drive east towards Southampton.

Whilst in the area, be sure to explore the ruins of Old Wardour Castle that dates all the way back to the 1300s. It’s pretty epic to see and not too far from Shaftesbury (just across the border).

Also, it’s pretty easy to visit the Elizabethan mansion of Longleat House. It’s in the north of Cranborne Chase and totally iconic to visit. They even have their own drive-through safari park, too.

11.) Bradford-on-Avon

Right on the western fringes, Bradford-on-Avon is one of the best places in Wiltshire to visit for a half-day trip.

Once here, take a gander inside the cosy Bradford on Avon Museum. Yes, it’s small but size isn’t everything when it comes to museums. This place is packed full of exhibits to see.

Afterwards, head over to the medical Tithe Barn for a little wander. It’s considered one of the largest surviving medieval barns in all of England.

Also, for a fantastic lunch, book a table at The Bunch Of Grapes. It’s got a lovely menu of classic British favourites. Their sticky toffee pudding is everything.

12.) Cherhill White Horse

One of the oldest white horses in Wiltshire, the Cherhill White Horse is pretty iconic to see. Said to have been created in the 1700s, it’s one of the best places in Wiltshire to see some of the counties unique history.

It’s really easy to visit from the Calstone and Cherhill Downs and not too far from Lacock. This means it’s really easy to visit after spending some time in the village.


Avebury named second best World Heritage site by Which?

It came second to Mexico's Monte Alban, but outscored sites such as Peru's Machu Picchu and India's Taj Mahal.

The sites were judged on 25 criteria, including visitor experience, the preservation of the site and the holiday appeal of the local region.

Avebury's stone circle attracts more than 250,000 visitors each year.

Wiltshire Council's Stuart Wheeler said: "We have always known we have a wonderful piece of history on our doorstep and now we have official confirmation.

"Being placed second only to Mexico in providing visitors with the best heritage site experience in the world is a wonderful accolade."

The Which? report described the Unesco World Heritage site as "the best-preserved and most impressive complex of prehistoric sites in Europe".

The report states Avebury's key attraction is the "quiet, bucolic setting, the lack of crowds and the ability to wander freely".

Dr Nick Snashall, National Trust archaeologist at Avebury, said: "Our dedicated team of staff and volunteers work year round to ensure that it remains a source of inspiration and delight.

"So it's wonderful to see that the very special qualities of Avebury have been recognised in this way."

A Which? spokesperson said: "Avebury came an impressive second in our list of World Heritage sites with a score of 78%.

"Our experts found the idyllic rural setting, lack of crowds and freedom to wander freely through the historic site made for a rewarding visit."


Conteúdo

The county, in the 9th century written as Wiltunscir, later Wiltonshire, is named after the former county town of Wilton. [5]

Wiltshire is notable for its pre-Roman archaeology. The Mesolithic, Neolithic and Bronze Age people that occupied southern Britain built settlements on the hills and downland that cover Wiltshire. Stonehenge and Avebury are perhaps the most famous Neolithic sites in the UK.

In the 6th and 7th centuries Wiltshire was at the western edge of Saxon Britain, as Cranborne Chase and the Somerset Levels prevented the advance to the west. The Battle of Bedwyn was fought in 675 between Escuin, a West Saxon nobleman who had seized the throne of Queen Saxburga, and King Wulfhere of Mercia. [6] In 878 the Danes invaded the county. Following the Norman Conquest, large areas of the country came into the possession of the crown and the church.

At the time of the Domesday Survey the industry of Wiltshire was largely agricultural 390 mills are mentioned, and vineyards at Tollard and Lacock. In the succeeding centuries sheep-farming was vigorously pursued, and the Cistercian monastery of Stanley exported wool to the Florentine and Flemish markets in the 13th and 14th centuries.

In the 17th century English Civil War Wiltshire was largely Parliamentarian. The Battle of Roundway Down, a Royalist victory, was fought near Devizes.

In 1794 it was decided at a meeting at the Bear Inn in Devizes to raise a body of ten independent troops of Yeomanry for the county of Wiltshire, which formed the basis for what would become the Royal Wiltshire Yeomanry, who served with distinction both at home and abroad, during the Boer War, World War I and World War II. The Royal Wiltshire Yeomanry currently lives on as Y (RWY) Squadron, based in Swindon, and B (RWY) Squadron, based in Salisbury, of the Royal Wessex Yeomanry. [7]

Around 1800 the Kennet and Avon Canal was built through Wiltshire, providing a route for transporting cargoes from Bristol to London until the development of the Great Western Railway.

Information on the 261 civil parishes of Wiltshire is available on Wiltshire Council's Wiltshire Community History [8] website which has maps, demographic data, historic and modern pictures and short histories.

The local nickname for Wiltshire natives is "Moonrakers". This originated from a story of smugglers who managed to foil the local Excise men by hiding their alcohol, possibly French brandy in barrels or kegs, in a village pond. When confronted by the excise men they raked the surface to conceal the submerged contraband with ripples, and claimed that they were trying to rake in a large round cheese visible in the pond, really a reflection of the full moon. The officials took them for simple yokels or mad and left them alone, allowing them to continue with their illegal activities. Many villages claim the tale for their own village pond, but the story is most commonly linked with The Crammer in Devizes. [9] [10]

Two-thirds of Wiltshire, a mostly rural county, lies on chalk, a kind of soft, white, porous limestone that is resistant to erosion, giving it a high chalk downland landscape. This chalk is part of a system of chalk downlands throughout eastern and southern England formed by the rocks of the Chalk Group and stretching from the Dorset Downs in the west to Dover in the east. The largest area of chalk in Wiltshire is Salisbury Plain, which is used mainly for arable agriculture and by the British Army as training ranges. The highest point in the county is the Tan Hill–Milk Hill ridge in the Pewsey Vale, just to the north of Salisbury Plain, at 295 m (968 ft) above sea level.

The chalk uplands run northeast into West Berkshire in the Marlborough Downs ridge, and southwest into Dorset as Cranborne Chase. Cranborne Chase, which straddles the border, has, like Salisbury Plain, yielded much Stone Age and Bronze Age archaeology. The Marlborough Downs are part of the North Wessex Downs AONB (Area of Outstanding Natural Beauty), a 1,730 km 2 (670-square-mile) conservation area.

In the northwest of the county, on the border with South Gloucestershire and Bath and North East Somerset, the underlying rock is the resistant oolite limestone of the Cotswolds. Part of the Cotswolds AONB is also in Wiltshire, in the county's northwestern corner.

Between the areas of chalk and limestone downland are clay valleys and vales. The largest of these vales is the Avon Vale. The Avon cuts diagonally through the north of the county, flowing through Bradford-on-Avon and into Bath and Bristol. The Vale of Pewsey has been cut through the chalk into Greensand and Oxford Clay in the centre of the county. In the south west of the county is the Vale of Wardour. The southeast of the county lies on the sandy soils of the northernmost area of the New Forest.

Chalk is a porous rock, so the chalk hills have little surface water. The main settlements in the county are therefore situated at wet points. Notably, Salisbury is situated between the chalk of Salisbury Plain and marshy flood plains.

Green belt Edit

The county has a green belt mainly along its western fringes as a part of the extensive Avon Green Belt. It reaches as far as the outskirts of Rudloe/Corsham and Trowbridge, preventing urban sprawl particularly from the latter in the direction of Bradford-on-Avon, and affording further protection to surrounding villages and towns from Bath in Somerset.

Along with the rest of South West England, Wiltshire has a temperate climate which is generally wetter and milder than counties further east. [11] The annual mean temperature is approximately 10 °C (50.0 °F). Although there is a marked maritime influence, this is generally rather less pronounced, than it is for other south-western counties, which have a greater proximity to the sea. The summer months of July and August are the warmest with mean daily maxima of approximately 22 °C (71.6 °F). In winter mean minimum temperatures of 1 °C (33.8 °F) or 2 °C (35.6 °F) are usual and air frost normally occurs frequently. In the summer the Azores high pressure affects southwest England however, convective cloud sometimes forms inland, reducing the number of hours of sunshine. Annual sunshine rates are slightly less than the regional average of 1,600 hours. [11]

In December 1998 there were 20 days without sun recorded at Yeovilton (Somerset). Most of the rainfall in the southwest is caused by Atlantic depressions or by convection, though a proportion is caused orographically (uplift over hills). A greater proportion of rainfall is in autumn and winter, caused by the Atlantic depressions, which is when they are most active. Even so, any month can be the wettest or driest in a given year but the wettest is much more likely to be in the winter half-year (Oct-Mar) and the driest in the summer half-year (Apr-Sept). In summer, a greater proportion of the rainfall is caused by sun heating the ground leading to convection and to showers and thunderstorms, though it is often the northern half of the county that sees most of the showers with south-westerly winds, in summer, whereas in the south of the county, the proximity of a relatively cold English Channel, often inhibits the development of showers. In autumn and winter, however, the sea is often relatively warm, compared with the air passing over it and can often lead to a higher rainfall in the south of the county e.g. Salisbury recorded over 200mm of rain in Nov 2009 and January 2014. Average rainfall for the county is around 800 mm (31 in), drier parts averaging 700mm (28ins)and the wettest 900mm (around 35ins). About 8–15 days of snowfall is typical. November to March have the highest mean wind speeds, and June to August have the lightest winds. The predominant wind direction is from the southwest. [11]

This is a chart of trend of regional gross value added (GVA) of Wiltshire at current basic prices [12] with figures in millions of British Pounds Sterling.

Ano Regional gross value added [13] Agriculture [14] Industry [15] Services [16]
1995 4,354 217 1,393 2,743
2000 5,362 148 1,566 3,647
2003 6,463 164 1,548 4,751

The Wiltshire economy benefits from the "M4 corridor effect", which attracts business, and the attractiveness of its countryside, towns and villages. The northern part of the county is richer than the southern part, particularly since Swindon is home to national and international corporations such as Honda, Intel, Motorola, Patheon, Catalent (formerly known as Cardinal Health), Becton-Dickinson, WHSmith, Early Learning Centre and Nationwide, with Dyson located in nearby Malmesbury. Wiltshire's employment structure is distinctive in having a significantly higher number of people in various forms of manufacturing (especially electrical equipment and apparatus, food products, and beverages, furniture, rubber, pharmaceuticals, and plastic goods) than the national average.

In addition, there is higher-than-average employment in public administration and defence, due to the military establishments around the county, particularly around Amesbury and Corsham. There are sizeable British Army barracks at Tidworth, Bulford and Warminster, and the Royal School of Artillery is at Larkhill. Further north, RAF Lyneham was home to the RAF's Hercules C130 fleet until 2011 the MoD Lyneham site is now a centre for Army technical training. Wiltshire is also distinctive for the high proportion of its working-age population who are economically active (86.6% in 1999–2000) and its low unemployment rates. The gross domestic product (GDP) level in Wiltshire did not reach the UK average in 1998, and was only marginally above the rate for South West England. [17]

Wiltshire has thirty county secondary schools, publicly funded, of which the largest is Warminster Kingdown, and eleven independent secondaries, including Marlborough College, St Mary's Calne, Dauntsey's near Devizes, and Warminster School. The county schools are nearly all comprehensives, with the older pattern of education surviving only in Salisbury, which has two grammar schools (South Wilts Grammar School and Bishop Wordsworth's School) and three non-selective schools. All but two of the county secondary schools in the former districts of West Wiltshire and North Wiltshire have sixth forms, but only half of those in the rest of the county.

There are four further education colleges, which also provide some higher education: New College (Swindon) Wiltshire College (Chippenham, Trowbridge and Salisbury) Salisbury Sixth Form College [19] and Swindon College. Wiltshire is also home to a University Technical College, UTC Swindon, specialising in engineering. A second UTC, South Wiltshire UTC, was based in Salisbury but closed in August 2020.

Wiltshire is one of the few remaining English counties without a university or university college the closest university to the county town of Trowbridge is the University of Bath. However, Bath Spa University has a centre at Corsham Court in Corsham, and Oxford Brookes University maintains a minor campus in Swindon (almost 50 km from Oxford). Outline plans for a projected University of Swindon or University of Wiltshire were announced by the Borough of Swindon in November 2008, but the scheme remains uncommitted. Swindon therefore remains the UK's largest centre of population without its own university.

The county registered a population of 680,137 in the 2011 Census. Wiltshire (outside Swindon) has a low population density of 1.4 persons per hectare, when compared against 4.1 for England as a whole. [20] [21] [22]

Wiltshire Swindon Total
Usual resident population 470,981 209,156 680,137
Age 65 or over 18.1% 13.7% 16.8%
Density (persons per hectare) 1.4 9.1 2.0
Households 194,194 88,360 282,554

Historical population of Wiltshire county: [23]

1801 1851 1901 1951 2001
185,107 254,221 271,394 386,692 613,024

Europa Editar

Westminster Parliamentary Edit

At the 2019 general election, all seven Wiltshire constituencies (including the two Swindon constituencies) returned Conservative MPs.

Councils Edit

The ceremonial county of Wiltshire consists of two unitary authority areas, Wiltshire and Swindon, governed respectively by Wiltshire Council and Swindon Borough Council.

As a result of elections held in 2017, Wiltshire Council comprises 68 Conservatives, 20 Liberal Democrats, seven Independents and three Labour members.

Until the 2009 structural changes to local government in England, Wiltshire (apart from Swindon) was a two-level county, divided into four local government districts, Kennet, North Wiltshire, Salisbury and West Wiltshire, which existed alongside Wiltshire County Council, covering the same area and carrying out more strategic tasks, such as education and county roads. However, on 1 April 2009 these five local authorities were merged into a single unitary authority called Wiltshire Council. With the abolition of the District of Salisbury, a new Salisbury City Council was created at the same time to carry out several citywide functions and to hold the city's charter.

The county is represented in the Football League by Swindon Town, who play at the County Ground stadium near Swindon town centre. They joined the Football League on the creation of the Third Division in 1920, and have remained in the league ever since. Their most notable achievements include winning the Football League Cup in 1969 and the Anglo-Italian Cup in 1970, two successive promotions in 1986 and 1987 (taking them from the Fourth Division to the Second), promotion to the Premier League as Division One play-off winners in 1993 (as inaugural members), the Division Two title in 1996, and their promotion to League One in 2007 after finishing third in League Two.

Chippenham Town are the area's highest ranked non-league football club they currently play in the National League South after winning the Southern Premier League in 2016/17, with a league record points tally of 103. After Salisbury City went into liquidation in 2014, a new club, Salisbury, was formed and plays in the Southern Premier League.

Swindon Robins Speedway team, who compete in the top national division, the SGB Premiership, have been at their track at the Blunsdon Abbey Stadium near Swindon since 1949. Swindon Wildcats compete in the English Premier Ice Hockey League, the second tier of British ice hockey, and play their home games at Swindon's Link Centre.


Assista o vídeo: 10 melhores lugares da Inglaterra para visitar