Narada SP-161 - História

Narada SP-161 - História

Narada
(SP-161: dp. 505; 1. 224 '; b. 27'; dr. 15'9 "; s. 12 k.)

Narada, um iate de madeira, foi construído por Ramsey e Ferguson, Leith, Seotland; lançado em 30 de maio de 1889; adquirido pela Marinha em 30 de junho de 1917 e comissionado em 12 de outubro de 1917, o tenente Charles Rodstrom no comando.

Durante todo o seu período de serviço, Narada trabalhou em New London, Connecticut, para trabalhos experimentais de sinalização de submarinos.

Após a conclusão do serviço, o Narada partiu para Nova York chegando em 13 de janeiro de 1919. Ela foi desativada no mesmo dia e retornou ao seu proprietário, o Sr. Henry D. Walters, Baltimore, Maryland em 4 de fevereiro.


یواس‌اس نارادا (اس‌پی -۱۶۱)

یواس‌اس نارادا (اس‌پی -۱۶۱) (به انگلیسی: USS Narada (SP-161)) یک کشتی بود که طول آن ۲۲۴ فوت (۶۸ متر) بود. این کشتی در سال ۱۸۸۹ ساخته شد.

یواس‌اس نارادا (اس‌پی -۱۶۱)
پیشینه
مالک
آغاز کار: ۳۰ مه ۱۸۸۹
تکمیل ساخت: ۱۸۸۹
به دست آورده شده: ۳۰ ژوئن ۱۹۱۷
اعزام: ۱۲ اکتبر ۱۹۱۷
مشخصات اصلی
گنجایش: 505 toneladas brutas
درازا: ۲۲۴ فوت (۶۸ متر)
پهنا: ۲۷ فوت (۸ ٫ ۲ متر)
آبخور: ۱۵ فوت ۹ اینچ (۴ ٫ ۸۰ متر)
سرعت: 12 nós

این یک مقالهٔ خرد کشتی یا قایق است. می‌توانید با گسترش آن به ویکی‌پدیا کمک کنید.


O filho da empregada doméstica

Enquanto insistia na necessidade de contemplar e expor as glórias de Bhagavan, Narada relembrou um de seus nascimentos anteriores como filho de empregada doméstica: "Em uma de minhas vidas anteriores, nasci de uma empregada doméstica que estava envolvida em uma família de ritualistas védicos. Fui designado para servir os iogues que se reuniam no local para cāturmāsya, retiro durante a estação chuvosa. Embora imparciais por natureza, eles foram muito gentis comigo, pois eu havia me empenhado sinceramente em seu serviço. Além disso, eu era autocontido e desprovido de frivolidade infantil. Eu também era obediente, reservado e não gostava de esportes ou jogos como as outras crianças. Tendo obtido seu consentimento, uma vez comi um pouco do que sobrou de sua refeição. Isso foi o suficiente para me libertar de todos os pecados do passado. Com minha mente assim purificada, senti-me muito inclinado a ouvir as glórias divinas do Senhor que os sábios sempre estavam empenhados em cantar. Gradualmente, desenvolvi uma atração irresistível pelo Divino. Minha mente tornou-se estável em sua devoção ao Senhor e pude perceber que meus corpos denso e sutil, nascidos da ignorância, eram sobreposições ao meu Eu real, o Atman. Assim, por ouvir continuamente as glórias do Senhor dessas grandes almas, ao longo da estação das chuvas e outono, surgiu em meu coração aquela devoção que destrói rajas e tamas. Quando eles estavam partindo, os sábios bondosos e compassivos me instruíram nas verdades espirituais transcendentais que são reveladas pelo próprio Senhor, pois embora fosse uma mera criança, eu era devotado, humilde, sincero, respeitoso, contido e obediente por natureza. Por meio desse conhecimento, pude perceber a influência de maya, o poder do Senhor e esse conhecimento leva a pessoa à bem-aventurança divina. Então eu também alcancei este estado e me tornei um dos pārsadas, associados imediatos do Senhor. '


A curiosidade de Vyasa foi despertada por esta história notável. Ele queria saber mais sobre o filho da empregada doméstica, e suas perguntas incluíam o seguinte: ‘Katham cedam-udasrāksīh kāle prāpte kalevaram no final, como você desistiu dessa sua estrutura mortal? '(1.6.3). Narada respondeu: 'Eu era o único filho da minha mãe. Embora ela fosse profundamente ligada a mim, sendo apenas uma mera empregada doméstica, ela dificilmente era capaz de cuidar de mim adequadamente. Todos os seres estão sob o controle da Providência, como fantoches nas mãos de um titereiro. Eu ainda era um mero menino quando minha pobre mãe foi fatalmente mordida por uma cobra venenosa enquanto ia ordenhar uma vaca. Tomando isso como uma bênção (disfarçada) para o meu bem-estar, saí de casa e comecei a caminhar para o norte, me rendendo à vontade divina. Passando por cidades, aldeias, fazendas e minas, por bosques, selvas e florestas e ao lado de lagos repletos de lótus, finalmente cheguei a uma floresta densa e ameaçadora. Com fome, sede e cansaço, me refrescava tomando banho e bebendo em um riacho da floresta. Sentado sob uma árvore pipal naquela floresta remota e desolada, comecei a meditar sobre o Ser Supremo imanente em si mesmo, conforme instruído pelos sábios. Enquanto meditava nos pés de lótus do Senhor, com a mente cheia de devoção e os olhos marejados de lágrimas devido à intensidade da aspiração, meu amado Senhor apareceu em meu coração. Ó Vyasa! Como posso expressar a alegria que experimentei! Com meu cabelo arrepiado em êxtase, eu estava perdida em um oceano de felicidade divina. Mas, ai de mim! A visão desapareceu e não pude mais ver aquela forma divina agradável que destrói toda a tristeza. Fiquei totalmente chateado por me levantar da cadeira com a mente angustiada. Tentei novamente mergulhar fundo em minha mente e procurar a forma divina, mas todos os esforços foram inúteis. Privado da visão do Senhor, fiquei cheio de frustração e angústia.


‘Só então, como se para amenizar minha dor, o Senhor falou comigo com uma voz doce e profunda:“ Meu menino! Não lamente, você não terá mais nenhuma visão de mim. Para aqueles que não estão estabelecidos na ioga, cujas mentes estão manchadas com a contaminação do mundanismo, permaneço invisível. Ó impecável! Você já teve minha rara visão uma vez, e conceda-a para aumentar seu anseio por mim. Com o aumento do anseio correto, meus devotos gradualmente desistem de todos os desejos alojados em suas mentes e se tornam puros e somente aqueles que são puros de coração podem ter minha visão constante. Por meio do serviço às almas puras - mesmo que tenha sido por pouco tempo - você desenvolveu uma devoção inabalável por mim. Você vai desistir desta sua estrutura mortal dentro de um curto período de tempo e terá o raro privilégio de ser um dos meus pārsadas. Além disso, sua devoção a mim nunca será diminuída e sua lembrança de mim não será afetada pela Criação ou Dissolução. ”


_ Aquela voz elísia sem forma que havia assumido uma forma espacial, por assim dizer, em meu coração deixou de ser ouvida. Eu inclinei minha cabeça em saudação àquele Ser Nobre. Repetindo os nomes auspiciosos do Senhor, o Ser Infnito, e lembrando-me de seus atos sagrados e misteriosos, fiquei satisfeito mentalmente - destituído de apego e vergonha, e livre de egoísmo e malícia. Esperando ansiosamente pelo tempo em que estaria diretamente associado ao Senhor, continuei vagando pelo mundo. Para mim, que era intensamente devotado ao Senhor, puro de coração e totalmente desapegado de todos os objetos mundanos, o momento da partida chegou repentinamente como um relâmpago. O corpo sagrado e puro de Deus, bhāgavatī tanu, feito de puro sattva e apto para o serviço do Senhor, foi gerado em mim mesmo quando meu corpo mortal, nascido dos cinco elementos, caiu no esgotamento de seu carma passado.


'No final do ciclo cósmico, quando toda a criação foi retirada para o estado causal e o Ser Supremo repousou nas águas causais, kārana salila, Eu também entrei em seu corpo divino junto com Brahma, sua respiração criativa. Depois de mil éons divinos, quando o Senhor novamente decidiu criar este mundo, nasci de seu alento vital junto com rishis como Marichi e Atri. Comprometido com o celibato, tenho vagado pelos três mundos sem impedimentos, pela graça do Senhor, entoando o nome divino “Hari”, tocando notas melodiosas nas cordas da veena que o próprio Senhor me deu. Quando canto suas glórias com o acompanhamento do alaúde celestial, o Senhor Supremo de fama cativante e pés santificadores aparece em meu coração, como se prontamente respondendo a um chamado por um nome. Esta é a história da minha morte e nascimento, que você queria saber. '[3]


Aprendemos com esta história que Narada descendeu diretamente de Brahma, o Criador. No início de cada ciclo cósmico, Narada aceita um corpo denso e, no momento da dissolução cósmica, ele se funde com o Senhor. Ele nunca perde a memória de seu nascimento e desaparecimento em cada ciclo. Sri Ramakrishna apontou que Narada é um nitya jiva, um ser sempre livre e eternamente perfeito. Sendo um associado direto do Senhor, ele é uma alma livre, nunca apanhada nas garras de maya. Tendo quebrado os grilhões do carma, ele foi além da escravidão do nascimento e da morte, bem como das outras misérias do mundo.


Apartamentos Narada - 25 W Highland Dr

Os Apartamentos Narada foram construídos em 1926. O edifício distingue-se pela sua extensa e ornamentada ornamentação em terracota.

Este prédio de 33 apartamentos se destaca por sua localização e pelo extraordinário uso de terracota, um dos mais elaborados da cidade. Ele está localizado na borda da colina no lado oeste de West Highland Drive, tornando-o muito visível do sul. O Narada foi projetado em 1925 por Charles A. Haynes para a Western Lime Company. Haynes praticou arquitetura em Seattle e Aberdeen com vários parceiros de 1907 até 1940. Ele projetou muitas residências, prédios de apartamentos e edifícios comerciais em ambas as cidades. Um dos exemplos locais mais conhecidos de seu trabalho é o antigo necrotério Butterworth na Pine Street na Melrose Avenue. (Note o Necrotério Butterworth tem uma localização em Queen Anne.) A década de 1920 foi um período de grande desenvolvimento em Seattle. A população da cidade aumentou dramaticamente nas duas décadas anteriores, e a prosperidade incentivou os incorporadores a atender à demanda reprimida por moradias. Os apartamentos, que variam de moradias básicas a unidades de luxo, foram um fator significativo para atender a essa necessidade e se tornaram um elemento significativo da paisagem urbana em muitos bairros de Seattle. O Narada é um bom exemplo da atenção de design dada a muitos desses edifícios, onde detalhes e materiais foram usados ​​para reduzir o impacto de grandes estruturas.

As unidades do Narada & # 8217s são grandes, com média de mais de 1.000 pés quadrados. Na década de 1920, uma suíte com vista de cinco quartos era alugada por US $ 150 ao mês, em uma época em que outros grandes apartamentos na área custavam de US $ 60 a US $ 75.

As características mais marcantes do Narada & # 8217s são os dois vãos de janela salientes, que se estendem do segundo ao quarto andar na fachada principal (norte). Eles são revestidos inteiramente em terracota com motivos geométricos. O revestimento é de tijolo vermelho com tons mais claros no primeiro andar. As janelas centrais são de caixilho duplo pendurado dez-sobre-um, flanqueado por caixilho seis-sobre-um. As quatro janelas entre os vãos são semelhantes, com peitoris de terracota e vergas segmentadas proeminentes. As janelas no primeiro e no quinto andar (superiores) são mais simples com soleiras de terracota apenas. Os cursos do cinturão de terracota estão localizados no topo do primeiro, quarto e quinto andares. Um curso mais amplo no meio do parapeito arca acima dos dois vãos de extremidade proeminentes com um medalhão de escudo no centro de cada arco. Arranjos de janela semelhantes com baías revestidas de terracota elaboradas são encontrados nas elevações oeste e sul. A entrada principal tem um portão de ferro forjado e é recuada sob um elaborado arco Tudor de terracota com ornamentos retorcidos e um desenho de escudo que combina com os do parapeito. O nível do porão é revestido de estuque e é visível a alguma distância na encosta, há uma entrada no lado oeste do Narada.


Sobre o que é o golpe do Narada? Descobrir

A Suprema Corte, na terça-feira, manteve a ordem do Tribunal Superior de Calcutá afirmando que o Bureau Central de Investigação (CBI) continuará com a investigação do golpe Narada contra o partido governante de Bengala.

É disso que se trata o golpe do Narada.

Quais são as fitas do Narada?

Narada Tapes refere-se a uma série de vídeos picantes filmados durante um período de dois anos que mostram vários ministros do governo de Bengala supostamente aceitando subornos. A investigação começou antes das eleições de Lok Sabha de 2014 e foi conduzida pelo Narada News (daí o nome) para descobrir a corrupção na administração de Bengala. O cérebro por trás da investigação foi o diretor-gerente da Narada Media Pvt. Ltd, Matthew Samuel, que também foi editor-chefe da Tehelka.

Quando as fitas foram lançadas?
As fitas foram lançadas pouco antes das eleições de 2016 para a Assembleia do Estado de Bengala Ocidental. Uma dúzia de ministros do Congresso Trinamool foram capturados pela câmera, supostamente aceitando subornos.
Como a investigação foi conduzida?
O Narada News formou uma empresa fictícia chamada ‘Impex Consultancy’ e abordou vários ministros TMC com pacotes de dinheiro. “Pagamos Rs 73 lakh em subornos”, afirmou Mathew Samuels.
Quem todos estavam supostamente envolvidos?
O Narada News então colocou um vídeo em seu site mencionando os nomes dos ministros, políticos e policiais que foram picados na operação:
1) M H Ahmed Mirza (oficial de polícia sênior)
2) Mukul Roy (ex-Ministro das Ferrovias da Índia e MP Rajya Sabha)
3) Subrata Mukherjee (Ministro de Bengala para Engenharia de Saúde Pública e ex-prefeito de Calcutá)
4) Sultan Ahmed (ex-ministro da União e MP)
5) Sugata Roy (ex-ministro da União)
6) Suvendhu Adhikari (presidente da ala jovem TMC)
7) Kakoli Ghosh Dastikar (líder TMC)
8) Prasoon Banerjee (MP)
9) Suvon Chatterjee (prefeito de Calcutá)
10) Madan Mitra (ex-Ministro dos Transportes)
11) Iqbal Ahmed (membro da Assembleia de Bengala Ocidental)
12) Farhad Hakim (Ministro do Desenvolvimento Urbano)

Qual foi o resultado da operação de picada?
Mesmo depois que o vídeo foi lançado, pouco antes das eleições de Bengala, TMC voltou ao poder com uma maioria esmagadora. Mamata Banerjee estragou as fitas chamando-as de "adulteradas" e de uma "campanha de difamação" lançada por seus oponentes.
Em 17 de março de 2017, no entanto, o Tribunal Superior de Calcutá ordenou que uma investigação preliminar fosse conduzida pelo Central Bureau of Investigation sobre as alegações. Também instruiu o CBI a arquivar um FIR (primeiro relatório de informação) contra todos os implicados na operação policial, se necessário.

Qual é o status atual da operação Narada?
O governo de Bengala abordou a Corte Apex para uma suspensão da ordem do HC de Calcutá. A Suprema Corte, entretanto, criticou pesadamente o governo de Mamata Banerjee e ordenou que a investigação continuasse, dando ao CBI um mês para conduzir investigações preliminares.
Se as alegações forem provadas corretas, o futuro do governo Mamata em Bengala pode estar em jogo.


Templo Narada

O Templo Narada está situado na cidade da Ilha Naradagadde de Raichur, às margens do Rio Krishna. Este templo é dedicado a Narada. De acordo com o folclore, este templo foi construído no local onde Narada fazia penitência.

Significado

Os devotos visitam este templo para buscar o cumprimento do seguinte: -

Shlokas

Daivi Hyesa Gunamayi Mama Maya Duratyaya Mameva Ye Prapadyante Mayametam Taranti Te

Significado - De acordo com este sloka, o maya celestial de Deus é muito complicado, mas aqueles que adoram a Deus serão capazes de superá-lo.

Balam Balavatam Caham Kamaragavivarjitam Dharmaviruddho Bhutesu Kamo'smi Bharatarsabha

Significado - De acordo com este sloka, Deus é a força isolada e indiferente do desejo virtuoso e controlador nos homens.

Ye Caiva Sattvika Bhava Rajasastamasasca Ye Matta Everti Tanviddhi Na Tvaham Tesu Temayi

Significado - De acordo com este sloka, embora a única fonte dos elementos satva, rajas e tamas (bons, obsessivos e sombrios) seja Deus, eles não estão presentes dentro do Deus ou da divindade.

Tribhirgunamayairbhavairebhih Sarvamidam Jagat Mohitam Nabhijanati Mamebhyah Paramavyayam

Significado - De acordo com este sloka, o mundo inteiro não reconhece o Deus eterno além deles, porque eles são consumidos pelos elementos de satva, rajas e tamas (bom, obsessivo e escuro).

Tempo em Naradagadde

NearBy Temple

Templo Venkateshwara
Templo Markandeshwara
Templo de Amareshwara
Templo Mahadeva
Templo Male-Shankara

Templo Relacionado

Templo Chitra Putra Nayanar / Templo Chitragupta
Templo Karas Dev
Guga Mandir
Guga Madi Mandir

Visitados Recentemente

Templo Narada

Vídeos do templo

Destinos espirituais

Por desejo
  • Filho
  • Carreira
  • Casamento
  • Características
  • Família
  • Educação
  • Dosha Relief
  • Outros
  • Harmonia
  • Saúde
  • Fortuna
  • Mostre mais
Por localização
  • Afeganistão
  • Dinamarca
  • Guiana
  • Alemanha
  • Japão
  • República Checa
  • Ilhas Fiji
  • França
  • Hong Kong
  • Quênia
  • Holanda
  • Mostre mais
Por interesse
Por raridade
  • Templo Sarangapani Kumbakonam
  • Templo Sri Muthumariamman
  • Templo Sundara Mahalakshmi
  • Templo Kothanda Ramar
  • Templo Shree Agneeswarar
  • Templo Chengannur Mahadeva
  • Templo Ezhutharinatheshwarar
  • Templo Banashankari
  • Templo Kasivisvesvara
  • Templo Sri Sivasubramanian Swamy
  • Templo Narasimhar
  • Templo Ramarokha
  • Mostre mais
Por categoria

Deixe-nos uma mensagem e responderemos o mais breve possível.

O nome deve ter pelo menos 3 caracteres Por favor, digite o nome Seu e-mail deve ter pelo menos 4 caracteres Por favor, digite o ID do e-mail Por favor, digite o ID do e-mail válido Por favor, digite o seu número de contato Por favor, digite a mensagem A mensagem deve ter pelo menos 3 caracteres Por favor, insira o captcha Por favor, insira um captcha válido


Nero realmente tocou violino enquanto Roma queimava?

Em julho de 64 d.C., um grande incêndio devastou Roma por seis dias, destruindo 70% da cidade e deixando metade de sua população desabrigada. De acordo com uma expressão bem conhecida, o imperador de Roma na época, o decadente e impopular Nero, & # x201Cfiddled enquanto Roma queimava. & # X201D A expressão tem um duplo significado: não apenas Nero tocava música enquanto seu povo sofria, mas ele foi um líder ineficaz em tempos de crise. & # xA0

Foi muito fácil culpar Nero, que tinha muitos inimigos e é lembrado como um dos líderes mais sádicos e cruéis da história, mas há alguns problemas com essa história.

Por um lado, o violino não existia na Roma Antiga. Os historiadores da música acreditam que a classe de instrumentos de viol (à qual pertence o violino) não foi desenvolvida até o século XI. Se Nero tocasse alguma coisa, provavelmente teria sido a cithara, um pesado instrumento de madeira com quatro a sete cordas & # x2014, mas ainda não há evidências sólidas de que ele tocou uma durante o Grande Incêndio. & # XA0

O historiador romano Tácito escreveu que houve rumores de que Nero cantou sobre a destruição de Roma enquanto observava a cidade queimar. No entanto, ele afirmou claramente que isso não foi confirmado por relatos de testemunhas oculares.

Quando o Grande Incêndio estourou, Nero estava em sua vila em Antium, a cerca de 35 milhas de Roma. Embora ele tenha retornado imediatamente e iniciado medidas de socorro, as pessoas ainda não confiavam nele. Alguns até acreditaram que ele havia ordenado que o fogo começasse, especialmente depois que ele usou o terreno limpo pelo fogo para construir seu Palácio Dourado e seus jardins de lazer ao redor. & # XA0


Narada Michael Walden

A carreira do baterista / compositor / produtor / vocalista Narada Michael Walden se estende por mais de três décadas e é repleta de prêmios de ouro, platina e multi-platina. Ele produziu e / ou (co) escreveu o número um & # 8230
Leia a biografia completa

Biografia do artista por Ed Hogan

A carreira do baterista / compositor / produtor / vocalista Narada Michael Walden se estende por mais de três décadas e é repleta de prêmios de ouro, platina e multi-platina. Ele produziu e / ou (co) escreveu sucessos número um de Whitney Houston, Mariah Carey ("Vision of Love"), Aretha Franklin ("Freeway of Love") e Lisa Fischer ("How Can I Ease the Pain"). Suas habilidades proficientes na bateria o tornaram um músico de primeira chamada tocando em incontáveis ​​sessões de gravação. Walden tocou em todos os tipos de sessões de rock, jazz, pop, R&B, a fusão, compartilhando a gravação e palco de concertos com nomes como John McLaughlin, a Mahavishnu Orchestra (um Narada de 21 anos substituiu a lenda da bateria Billy Cobham) e Jeff Beck (seu álbum Wired), para citar alguns. Sua própria carreira como artista é apresentada em Dança do Ecstasy de Rhino: O Melhor de Narada Michael Walden. O ecletismo de Walden está presente em suas gravações em vários graus.

Nos anos 80, ele se tornou um megaprodutor vencedor do Grammy: Produtor do Ano em 1987, Álbum do Ano da trilha sonora do filme de 1993 The Bodyguard (Narada Michael Walden, produtor) e o prêmio de Canção do Ano em 1985 por escrever "Freeway of Love" de Aretha Franklin. A música ajudou a Rainha do Soul a conseguir seu primeiro álbum de platina. Walden foi nomeado um dos dez maiores produtores com o maior número de sucessos pela revista Billboard. Narada produziu "Stay", dos Temptations, o primeiro álbum do grupo em 25 anos, de Phoenix Rising, indicado para platina e Grammy. Ele também produziu faixas para o álbum seguinte, Ear-Resistable, lançado pela Motown / Universal em 16 de maio de 2000.

Nascido em 23 de abril de 1952, em Kalamazoo, MI, Walden recebeu o nome de Narada do guru Sri Chinmoy. Após a formatura da faculdade, ele viajou para Miami, Flórida, tocando em várias bandas de rock. Assinando com a Atlantic Records, seu álbum de estreia, Garden of Love Light, incluiu o mid-tempo "Delightful", que alcançou 81 R&B na primavera de 1977. Seu próximo LP, I Cry I Smile, ostentava o doce "So Long" e o O LP transmitido por rádio acompanha a lânguida "I Need Your Love", a deliciosa "I Remember" e a charmosa "Better Man". Mesmo que essas faixas de primeira tenham sido tocadas em Chicago e outros mercados, além de "Better Man", nenhuma foi lançada como single. Em vez disso, a gravadora escolheu "Soulbird" e "Manago Bop", que funcionou bem como faixas de álbum, mas não como singles.

The Awakening provou ser seu álbum inovador, alcançando o número 15 no R&B na primavera de 1979 com a força do atrevido "I Don't Want Nobody Else (To Dance With You)". As faixas do LP que foram ao ar pelo rádio Awakening foram a arejada "Listen to Me" e a jubilosa abertura do álbum "Love Me Only" (também arranjada por Patrick Adams). Awakening também contou com a presença do baixista Keni Burke, ex-The Five Stairsteps e mais conhecido por seu próprio "Risin 'to the Top".

Seu segundo single de maior sucesso, "I Shoulda Loved Ya", alcançou a quarta posição no R&B no final de 1979. Estava em seu The Dance of Life (número nove R&B, no final de 1979), que incluía a suave balada "Why Did You Turn Me On . " "You're # 1" e "Summer Lady" estiveram em seu LP Confidence do verão de 1982. O cover de Walden de "Reach Out I'll Be There", dos Four Tops, "Reach Out", um grande sucesso de dança, foi listado em Looking at You, Looking at Me, que chegou ao topo na primavera de 1983. Mudando para Warner Bros., seu dueto com Patti Austin, a confecção pop da Motown, "Gimme Gimme Gimme", lançado como Narada Michael Walden com Patti Austin, alcançou a 39ª posição no R&B no início de 1985 e foi listado em seu álbum The Nature of Things. Seu single "Divine Emotions" na Reprise Records da Warner Bros. apareceu no filme de Michael J. Fox Bright Lights, Big City. O LP Divine Emotion incluiu o single melodioso "Wild Thing" e a faixa do LP suave e barulhenta transmitida pelo rádio "That's the Way That I Feel About Cha". Seu álbum Toshiba / EMI de 1995 foi intitulado Sending Love to Everyone.

No final de 1985, Walden abriu o Tarpan Studios, um estúdio de gravação de última geração localizado perto de São Francisco. O trabalho de Walden aparece em lançamentos de Stacy Lattisaw ("Let Be Your Angel"), Al Green (Seu coração está em boas mãos), Shanice Wilson ("I Love Your Smile", "I Hate to Be Lonely"), Ray Charles, Diana Ross, George Michael, Wild Orchid, Tevin Campbell, Angela Bofill, Diana Ross, MyTown, Steve Winwood, Phaze II, Regina Belle-Passion ("Baby Come to Me"), Andy Vargas, Debelah Morgan, Jai, Jermaine Stewart (" Não precisamos tirar nossas roupas "), Natalie Cole (" Bom estar de volta), Clarence Clemons, Puff Johnson, Eddie Murphy ("Coloque sua boca em mim") e Carl Carlton ("The Bad CC" ), entre muitos outros.

Outros lançamentos relacionados a Narada Michael Walden são Stacy Lattisaw e Johnny Gill (combinação perfeita), Lisa Fischer (tão intensa) e as trilhas sonoras de Beverly Hills Cop II, Perfect, Waiting to Exhale, License to Kill, The Bodyguard, Jason's Lyric , 9 1/2 semanas, Crooklyn, Free Willy e The Associate.


Massacre de Gulbarg e alegada cumplicidade

Em fevereiro de 2002, enquanto Modi servia como ministro-chefe de Gujarat, um trem foi atacado, supostamente por muçulmanos. Em retaliação, um ataque foi realizado no bairro muçulmano de Gulbarg. A violência se espalhou e Modi impôs um toque de recolher concedendo ordens de atirar para matar à polícia. Depois que a paz foi restaurada, o governo de Modi & # x2019s foi criticado pela dura repressão e ele foi acusado de permitir o assassinato de mais de 1.000 muçulmanos, juntamente com o estupro em massa e a mutilação de mulheres. Depois que duas investigações se contradizem, a Suprema Corte indiana concluiu que não havia provas de que a culpa era de Modi.

Narendra Modi foi reeleito ministro-chefe de Gujarat em 2007 e 2012. Por meio dessas campanhas, o hinduísmo linha-dura de Modi se suavizou e ele falou mais sobre o crescimento econômico, focando na & # xA0privatização & # xA0 e encorajando políticas para moldar a Índia como um epicentro de manufatura global. Ele foi creditado por trazer prosperidade e desenvolvimento para Gujarat, embora outros tenham dito que ele fez pouco para aliviar a pobreza e melhorar os padrões de vida. & # XA0


A História de um Grande Devoto Dhruva Maharaja por Satsvarupa dasa Goswami

Dhruva Maharaja nasceu como filho de um grande rei. O rei tinha duas esposas e gerou filhos com cada uma delas. Um dia, enquanto o meio-irmão de Dhruva estava brincando no colo do rei, Dhruva também queria brincar no colo de seu pai. Podemos imaginar o rei, cujo nome era Uttanapada, sentado no trono em um momento de lazer, em um estado de espírito afetuoso, com um dos meninos no colo. Seu filho Dhruva, de cinco anos, subiu no colo de seu pai, mas seu pai não o recebeu com nenhuma atenção ou carinho especial. Além disso, a madrasta de Dhruva se adiantou e castigou Dhruva. "Meu querido menino", disse ela, falando alto para que todos pudessem ouvir, "quotyou você não pode sentar no colo de seu pai. Embora você seja filho dele, você está desqualificado porque não nasceu em meu ventre. & Quot A madrasta de Dhruva era a esposa favorita do rei e, como o rei era mais ou menos dominado por ela, ele permitiu que ela falasse abertamente embora ela estivesse infligindo dor em seu filho pequeno. & # 39 & # 39Se você quiser se sentar no colo de seu pai & quot, ela continuou, humilhando o menino e explorando sua própria posição como favorita do rei & # 39 & quoty você deve primeiro adorar a Suprema Personalidade de Deus por penitências e austeridades, e então, em sua próxima vida, você poderá nascer do meu útero. Então talvez seja possível. ”Dhruva desatou a chorar e correu para casa, refugiando-se na mãe, a quem contou toda a história.

Essa história é do Quarto Canto do Srimad-Bhagavatam, o fruto amadurecido de todas as escrituras védicas, e o apresentamos exatamente como foi narrado há 5.000 anos.

& quotMeu querido menino & quot, disse a mãe de Dhruva & quot; o que posso fazer? Seu pai ama sua madrasta como sua favorita e nem mesmo me considera. O que a rainha disse era verdade. Você deve adorar a Suprema Personalidade de Deus, e então talvez seja possível para você sentar no trono. ”Dhruva era da classe dos guerreiros e, portanto, muito fogoso por natureza. Ele queria obter o reino que merecia como filho do rei, e não se contentaria em ser reduzido e insultado. "Quem devo ver?", perguntou ele. & quotO que devo fazer para obter o reino? & quot Em um estado de espírito apaixonado, o menino estava pronto para fazer qualquer coisa para conseguir o que queria, mas como ele era apenas um garotinho, ele teve que perguntar a sua mãe o que fazer. Sua mãe respondeu-lhe sabiamente: & quotVocê deve adorar a Suprema Personalidade de Deus. & Quot;

Visto que sua mãe e sua madrasta mencionaram Deus, a Pessoa Suprema, como o controlador de sua fortuna, Dhruva inteligentemente perguntou sobre Ele: "Onde está Deus?" Sua mãe respondeu que só sabia que pessoas santas iam à floresta para encontrá-lo. Assim, Dhruva imediatamente deixou a cidade de seu pai e foi para a floresta. Uma pessoa pode duvidar que um menino de cinco anos possa entrar na floresta sozinho, mas veremos que não temos competência para julgar uma personalidade como Dhruva. Sua saída de casa é apenas o começo de suas façanhas extraordinárias. Como veremos, não há ninguém na história que se compare a Dhruva em termos de fortaleza pessoal, especialmente na execução da vida espiritual.

Na floresta, Dhruva perguntou a todas as feras: “Vocês são Deus? Você é Deus? ”Ele atravessou a selva procurando da única maneira que entendia. Ele interrogou todas as criaturas da floresta. “Onde está Deus?” ele gritou. Embora ele não soubesse nada sobre disciplina espiritual, ele indagava de árvore em árvore e de animal em animal sobre onde Deus poderia ser encontrado. Como Dhruva tinha um grande desejo de encontrar o Supremo Absoluto, Narada Muni, o mestre espiritual eterno que viaja no espaço para todos os planetas em sua missão de entregar amor a Krsna, apareceu diante dele. De acordo com as escrituras védicas, quando alguém está sinceramente procurando por Deus, ou Krsna, Krsna envia a essa pessoa um mestre espiritual fidedigno para dar instruções sobre como alcançá-Lo. O Senhor Supremo está nos corações de todas as entidades vivas e Ele dirigiu Narada Muni de dentro para instruir Dhruva. Narada ficou surpreso ao ver como Dhruva foi corajoso em sua exigência de ver Deus. Ele se aproximou dele na floresta e disse: “Meu querido filho Dhruva, eu sei de sua situação. Mas você não deve levar a sério o insulto que seu pai fez. Você veio para a floresta para encontrar Deus, mas isso requer muito difícil e austero ioga o que é impossível para você realizar. Meu conselho é que você vá para casa e, quando crescer, tente seguir este difícil processo. & Quot

Dhruva não aceitou o conselho de Narada. "Fui insultado por minha madrasta", disse ele, "e vim para encontrar Deus para obter o reino que mereço." Narada instruiu Dhruva a não levar o insulto a sério, mas o menino respondeu: "Entendo que suas instruções são muito valioso e bom, mas não para mim. Estou muito perturbado e não muito inclinado espiritualmente. Estou preocupado com meu desejo material. Se você não pode me ajudar a conseguir o que quero, então não me diga para ir para casa, mas vá para casa você mesmo! ”Dhruva sentiu que se o sábio fosse lhe dar instruções que excluíam o desejo material, ele seria incapaz de ouvir eles. Da mesma forma, por curiosidade, muitas pessoas se aproximam da filosofia da consciência de Krsna, mas quando ouvem que Krsna declara: "Abandone todos os apegos materiais e apenas se entregue a Mim", elas sentem que é impossível porque não são capazes de renunciar aos prazeres materiais da vida. A instrução essencial desta história, entretanto, mostrará que aqueles que têm desejos materiais não estão impedidos de adorar a Suprema Personalidade de Deus. Pelo contrário, eles são encorajados, pois ao se aproximarem do Senhor, que pode conceder a realização de todos os desejos de seus corações, eles serão purificados e se tornarão elegíveis para receber a maior de todas as recompensas, o amor a Deus. Certamente, ninguém desanima de se aproximar de Krsna apenas porque seu pensamento é material. Deus é o supremo benfeitor de todos, e aquele que se aproxima do Senhor deve ser considerado piedoso porque se dirigiu a Deus para o que deseja.

Narada Muni, sendo um verdadeiro mestre espiritual, é naturalmente gentil e ansioso para ver todas as almas voltarem ao Supremo, portanto, ele misericordiosamente concordou em aceitar Dhruva para receber instruções sobre como encontrar Deus. Dhruva told Narada Muni, "I want a kingdom not only greater than my father's but greater even than that of Lord Brahma, the controller of the universe." By the transcendental standards of Narada, the boy should not have taken the family insult seriously, but Narada reasoned, "Nevertheless, let him approach the Supreme Person, regardless of the reason." Narada then told Dhruva how to absorb himself in devotional service to the all-powerful Supreme Personality of Godhead.

Dhruva's mother had said that saintly persons go to the forest for self-realization. What does this actually mean? What are the actual facts behind the talk of "yoga," "penance" and "austerity"? And when Dhruva Maharaja boldly declares to Narada that he wants to find God, what does it mean? Is God an ordinary person that we can talk to? Does Dhruva himself want to become God? In the end will we find out that there is no God or that God is impersonal or that everything is one? All such questions and doubts are cleared up by the explicit instructions which Narada Muni gave to his new disciple.

Hare Krsna Hare Krsna Krsna Krsna Hare Hare
Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare

Narada asked Dhruva to perform the process of yoga known as the eightfold path, which begins with the practice of sitting postures and breath control for the purpose of subduing the mind. Control of the mind is necessary for meditation on the transcendental form of the Personality of Godhead. o yoga process is described in the scripture Bhagavad-gita, where it is clearly stated that the goal ofyoga is to find Krsna. But Lord Krsna Himself, the supreme authority, also asserts therein that this process cannot be executed today because the difficult rules and regulations are not possible to follow in the present day and age. For today, the Vedic scriptures recommend that we chant the holy names of God (Hare Krsna, Hare Rama). Men in the present age have but a short life duration and very little genuine interest in spiritual life furthermore, even if they are interested, people today are not able to practice rigid spiritual discipline because they are constantly disturbed by the distractions of the present civilization. Because of the disadvantages of this age, it is not possible to control the mind by this yoga process, and therefore Arjuna, the great disciple of Lord Krsna, rejected the mechanical eightfold yoga system as too difficult. This is discussed at length in Lord Krsna's famous treatise on yoga, Bhagavad-gita (Chapter Six). One who wishes to inquire into the feasibility of yoga and the goal of yoga can consult that authoritative book. But whether long, long ago one practiced the mechanical yoga method or today one chants the holy name of God, the goal of yoga is the same to meditate on the Supreme Lord and reach the point of performing active service in love of Krsna. The only difference in the differentyoga methods is that the breathing and sitting exercises are preliminary to obtaining love of God, whereas chanting is immediate glorification of the beloved object, the Supreme Person, Krsna, the cause of all causes.

Narada Muni described the form of the Lord: "The Lord's face is perpetually very beautiful and pleasing in attitude. To the devotee who sees Him He appears to be never displeased. Every limb of the Lord is always youthful both His eyes and lips are pinkish like the rising sun, He is always prepared to give shelter to the surrendered soul, and one who is so fortunate as to look upon Him feels all satisfaction. He is the ocean of mercy. Wearing a garland of flowers, He is eternally manifest with four hands which hold the conchshell, wheel, club and lotus flower." In addition to meditation on the eternal, blissful form of the Lord, Narada also instructed Dhruva to chant the sacred mantra, pray to the Lord, and worship the Deity form of the Lord. As we shall see, Dhruva met with immediate success by taking to this process because he followed authorized instructions of Narada, who was authorized by the Supreme Lord to teach a way which would bring the disciple to the right conclusion. One must act very seriously on the order of the spiritual master, and then there is no anxiety about reaching perfection.

The practice of yoga (yoga means "linking with the Supreme Personality of Godhead") is actually a necessity for all living beings, whether one is a housewife, student, businessman or whatever. In this age we are not expected to go off and practice meditation in the jungle, yet we must find our eternal relationship with God. The primary business of the human being should be to accept a bona fide spiritual master and execute his instructions for attaining devotional service to God even while performing one's regular activities. It is not enough to contentedly say, "I have my own religion." One must engage all day long in acts of yoga or linking with Krsna if one hopes to fulfill the purpose of human life as distinct from the lives of lower animals like cats and dogs.

Dhruva Maharaja undertook severe penances in order to realize God. During the first month of his yoga practice, he ate only fruit and berries every third day and that only to keep body and soul together. In this way his worship of the Supreme Personality of Godhead began. In the second month Dhruva Maharaja ate only once every six days, and he ate only dry grass and leaves. Thus he continued his worship. In the third month he simply drank water once every nine days, and he remained completely in trance, worshiping the Supreme Personality of Godhead who is adored by selected verses. He had no thought but God.

We must understand that in comparison with Dhruva Maharaja we are insignificant in terms of practicing spiritual life. We cannot do anything difficult like the saintly Dhruva in order to reach self-realization. But, by the mercy of Lord Caitanya, in this present age we have been given all concessions possible. The International Society for Krishna Consciousness founded by His Divine Grace A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada is authorized to freely distribute this mercy. Srila Prabhupada is a pure devotee coming directly in line from Lord Caitanya, who is in the disciplic succession originating with Narada Muni, the very same spiritual master of Dhruva. Although we are not to imitate the process recommended long ago for Dhruva, we must not neglect the easy-to-execute practice of prescribed duties which is offered especially for persons in this age. If we fail to take up this easy and joyful practice, we will fail in the mission of life. It is the duty of all humanity to follow in the footsteps of Dhruva Maharaja as far as his determination to reach God is concerned. One obtains a human life only after evolving through thousands of species of lower animal life, and human life is also very quickly spent. If we do not develop God consciousness while in the human form, we will fall down again on the evolutionary scale, and we cannot expect to rise to human life again until passing many lifetimes in miserable lower forms of life. Most people are not serious about this fact of the transmigration of the eternal soul, for they think that they can be perfectly happy by leading a life of temporary bodily pleasure. This is madness. One is urged to study the Vedic scriptures and hear from a bona fide spiritual master to understand the real situation. A great spiritual master in this line from Narada Muni, Srila Bhaktivinoda Thakura, writes, "Wake up! Wake up, human beings! How long will you remain asleep on the lap of illusion? You have been given the rare opportunity of the human form of life. Now use it to realize God." The entire Vedic instruction is addressed to human beings to urge them to wake up and use the human form of life properly. One should use human life to develop love of God to the perfectional point, for thus at the time of death one can take a spiritual body and enter the eternal kingdom of God. For this reason only to develop love of God one is advised to practice austerity. God is the most pure, and we must become pure in order to enter His eternal abode. Austerity entails going through any difficulty in order to carry out the orders of the spiritual master for obtaining love of Krsna. Once one attains this love of Krsna he no longer cares for anything material. In fact, he doesn't even desire liberation to the kingdom of God but simply prays to be able to perform loving service to the Lord in whatever species of life he may be put, whether in heaven or hell.

In the fourth month of his yoga practice, Dhruva mastered the breathing excercise, and he would inhale air only every twelfth day. In the fifth month, still controlling his breathing, he concentrated his mind fully on the Supreme Person and stood on one leg like a motionless column. In the next month, Dhruva Maharaja became completely absorbed in trance upon Lord Visnu, Krsna. He suspended his breathing, closed all the holes of his body, and identified so closely with Lord Visnu in consciousness that when he stopped breathing, the total universal breathing became choked up and all the big demigods of the universe felt suffocated. The technical explanation of this is given as follows. When a hundred people are sitting in an airplane, even though each person is an individual, each individual shares in the total force of the airplane, which runs at a speed of hundreds of miles an hour so, when the unit energy is identified with the total energy in service, the unit energy becomes as powerful as the total energy. Thus when Dhruva suspended his breathing, the breathing of the entire universe was suspended. Moreover, he also assumed the total weight of the universe, and as a result, when he pressed down his toe he pressed down the whole earth, just as an elephant enters a boat on the water and tilts it. This is the difference between ordinary consciousness and Krsna consciousness in ordinary consciousness a king's son might be refused something by his father but when the same person becomes a fully Krsna conscious personality, he can even tilt the earth with the pressure of his toe!

The demigods, the powerful administrators of the universe, turned to Lord Visnu in fear, reporting that all breathing in the universe had been stopped. The Supreme Lord assured them that they need not worry. "These calamities are due to the severe austerities and full determination of the son of King Uttanapada," He said, "who is fully absorbed in thoughts of Me and who has obstructed the universal breathing process. You can return to your respective homes safely I shall stop this boy from his severe acts of austerity." Lord Visnu is ultimately independent of the austerities practiced by His devotees, but because Dhruva so much desired to see Him, Lord Visnu went to speak with him.

As Dhruva engaged in his meditation, the form of the Lord in his heart in which he was fully absorbed all of a sudden disappeared, just like electric lightning. Being perturbed, Dhruva broke his meditation, opened his eyes, and saw before him the Supreme Personality of Godhead the very form on which he was meditating. When the vision in his heart disappeared, he thought that he had lost Him but now he saw Lord Visnu standing before him, and Dhruva fell flat before the Lord.

Dhruva wanted to offer prayers and profound respects, but because he was a small boy he could not adjust himself properly, nor could he even speak. The Lord, however, being situated within everyone's heart, could understand Dhruva's emotions, and out of His mercy He touched His conchshell to Dhruva's head. The artists in the Krsna consciousness movement have painted a picture of this moment which is like a window opening wide to the spiritual sky. The Lord appeared in a four-armed form, His effulgent, brilliantly ornamented body full of eternity, bliss and knowledge. He is seen touching the forehead of Dhruva as they stand in the transcendental light of the forest. Dhruva is a small boy wearing only a loincloth and submissively standing before the Lord with folded hands. That same picture is exactly described in literary form in the scripture Srimad-Bhagavatam.

As a plucky young warrior child, Dhruva was looking for land in revenge for being pushed off the lap of his father. His cause was originally childish because he was asking God to become his order supplier. But the Supreme Lord is so kind that if one approaches Him even for land, he eventually gets the greatest opportunity the chance to become a lover of God. Upon being touched by the Lord's conchshell, Dhruva could finally pray, and he expressed his transcendental sentiments, which are cherished by all devotees. Since he could only speak when given the intelligence directly by the touch of the Lord's conchshell, it can be understood that what he said was dictated by the Lord from within. This is transcendental inspiration. To glorify or offer prayers to the Supreme, one needs the Lord's mercy. One cannot write or speak to glorify God unless one is endowed with His causeless mercy. Such glorification of God as the prayers of Dhruva or the Hare Krsna mantra does not consist of ordinary vibrations, although the ordinary letter combinations may be used, for these sounds can cleanse the heart of one who hears them submissively. Dhruva prayed, "My dear Lord, You are all-powerful, and by entering within me You have enlivened all my sleeping senses. Foolish persons such as me worship You for the sense gratification of the body, which is merely a bag of skin. Although You are a desire tree and cause liberation from birth and death, I am praying for things which are available even in a hellish condition."

Dhruva prayed in a repentant spirit, for he was sorry that he had sought the Lord for such insignificant things as land and power. One who does not know what to ask of the Lord is considered to be bereft of all knowledge, and such was Dhruva's original disposition. Dhruva Maharaja prayed, "Please, Lord, bless me with the association of great devotees who engage in Your transcendental loving service. I am becoming mad to hear about Your transcendental qualities and pastimes, which are eternally existent."

It is significant that after overcoming his material desires Dhruva prayed in this way. We can understand from this that the topmost asset is the association of devotees. Such association is essential. In this connection, His Divine Grace A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada writes: "Anyone who is trying to be aloof from the Krsna Consciousness Society and yet engage in Krsna consciousness is living in a great hallucination, for it is not possible."

Dhruva's demands before seeing the Lord were materialistic, but upon seeing the Lord he offered his prayers in the mood of pure devotional service. On hearing such sentiments from His pure devotee, the Supreme Personality of Godhead answered, "My dear Dhruva, I know your desires and your ambitions, and I shall fulfill them all." Actually, Dhruva was very much afraid that his material desires would hamper him in attaining love of God, but the Lord assured him that he would not deviate from love of God and that his desires would also be fulfilled. "I shall award you the glowing planet known as the Pole Star," the Lord said, "which will continue to exist even after the dissolution of the universe at the end of the millennium. No one has ever ruled over this planet, which is surrounded by all the solar systems, planets and stars." The demands that Dhruva made in the beginning were childish, yet as a father fulfills the demands of his child, the Lord offered this unique imperishable planet to Dhruva. In asking material things from the Supreme Personality of Godhead, Dhruva compares himself to a person who wins the favor of a very rich man and is offered whatever he would like but foolishly asks for only a few grains of rice. Dhruva most beautifully expresses his position when he says, "I came into this forest just looking for pieces of broken glass, but instead I have found a great jewel in You, my dear Lord, and now I am completely satisfied and don't want anything." Dhruva finally desired simply to be a servant of Krsna, but for His part the Lord wished Dhruva to take a spiritual planet within this universe and be its ruler.

Meanwhile, King Uttanapada heard from Narada that his son was alive and that he had become a perfected being and was coming back home, but he doubted that it was true. He considered himself most wretched for having forced his small boy to leave for the forest, and he didn't think that it was possible for him to obtain the good fortune of seeing his son again. He thought that his son had been eaten by foxes in the woods or had lain down in the jungle and been killed. But because he was told the wonderful news by Narada, he took faith, and he prepared a great procession with chariots bedecked with golden filigree to meet his son. Upon their meeting among the citizens and family members, Dhruva's father ran to embrace his son and saw to his wonder that he was not the same, for he had been completely sanctified by Krsna consciousness. After offering obeisances to his father, Dhruva Maharaja next threw himself at the feet of his stepmother, who raised him in her arms saying, "Long may you live!" Shortly later, King Uttanapada enthroned Dhruva Maharaja as the emperor of the planet, and he himself left for the forest for his own spiritual realization.

Dhruva ruled the earth as its king for 36,000 years and displayed all godly qualities. He was especially dear to the devotees and kind to the poor and innocent, and he protected religious principles. As promised by the Lord, his senses never became old, and after 36,000 years he handed over charge of the earth to his son, left his kingdom, wife, children and comfortable palace life and again went to the forest to perform the process of meditation on the form of the Lord that he had practiced in his childhood. As he meditated upon Krsna in a trance of devotional service, symptoms of ecstasy became manifest in his body, and as tears flowed from his eyes, his heart melted, and there was shivering all over his body. In that devotional trance he completely forgot his bodily existence and became liberated from material bondage.

As soon as the symptoms of liberation were manifest, Dhruva Maharaja saw a very beautiful airplane coming down from the sky, as if the brilliant full moon were coming down, illuminating all directions. Dhruva saw in the airplane two associates of Lord Visnu who possessed the same bodily features as Visnu, with four hands and a blackish bodily luster. The two associates of Visnu told Dhruva, "This unique airplane has been sent by the Supreme Personality of Godhead. Because of your unalloyed devotional service in Krsna consciousness, you are quite ready to board this plane." After hearing the words of the associates of the Lord, Dhruva Maharaja offered his respectful obeisances to the sages in the forest and to the associates of Lord Visnu and prepared to board the plane. In the meantime, his body became completely spiritualized and was now as brilliant and illuminating as molten gold.

As Dhruva Maharaja prepared to board the plane, he saw death personified approaching him. However, unafraid, he took the arrival of death as an opportunity to put his feet on death's head and thus step into the plane. At that time, drums and kettledrums sounded from the sky, voices began to sing, and the demigods showered flowers upon Dhruva Maharaja.

The plane was just about to start, with Dhruva inside, when Dhruva thought to himself, "How can I go alone to the spiritual world and leave behind my poor mother?" However, the associates of Visnu understood his mind, and they assured him that his mother was also simultaneously going to Vaikuntha in another plane. Thus it is understood that the greatest asset in a family is a child who is a devotee and can liberate even his family members.

As Dhruva was passing through space, he saw all the planets of the solar system, and he also saw all the demigods in their airplanes showering flowers upon him like rain. Dhruva Maharaja surpassed all the planetary systems and ultimately attained the Pole Star, which is an eternal spiritual planet where he now resides eternally.

The rapid sanctification by which Dhruva became a great spiritual personality in only six months was possible by the mercy of Dhruva's spiritual master and by the boy's determination to follow hisguru's instructions. Hearing of the incidents of his life is valuable for all humanity. As expressed by Dhruva at the height of his awareness, "Association with devotees is the most valuable asset." The best way to begin spiritual life is to chant the Hare Krsna mantra, associate with devotees and hear topics about Krsna, such as this history of Dhruva Maharaja, who was Krsna's devotee. The Vedic literature is full of philosophy and stories, and the more one hears, the more he will feel transcendental pleasure and grow determined to reach Krsna.


Assista o vídeo: História de. History of Narada - Como sustentar o coração aberto? How to keep an open heart?