Traje de Armadura Bayard

Traje de Armadura Bayard


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Sistemas modernos de armadura corporal

Na década de 1980, o Exército dos EUA desenvolveu o Sistema de Armadura de Pessoal para Tropas Terrestres (PASGT), que era composto por um capacete de Kevlar recém-projetado e um colete de Kevlar. Embora o colete pesasse 9 libras (4 kg), um pouco mais do que o colete M-1969 que ele substituiu, fornecia proteção superior contra fragmentos de conchas. Em 2003, coincidindo com o início da Guerra do Iraque, o exército substituiu o PASGT pelo Interceptor Body Armor, ou IBA, sistema. O IBA consiste em um "colete tático externo" feito de Kevlar em camadas, que fornece proteção contra fragmentos de projéteis e a maioria das balas de armas de até 9 mm, e duas "inserções protetoras de armas pequenas" de cerâmica, ou placas SAPI, que podem ser inseridas em o colete para fornecer proteção adicional. Ao todo, o sistema completo pesa cerca de 7,25 kg, mas oferece proteção contra balas de rifle de jaqueta de metal de 7,62 mm - um nível de proteção que as versões anteriores de coletes à prova de balas não podiam oferecer.

O sistema básico de IBA protege os órgãos mais vitais do corpo contra lesões, e o capacete Kevlar protege a cabeça. Os componentes adicionais incluem um protetor de virilha, um protetor de garganta e proteção de braço. Para combater uma ameaça crescente de dispositivos explosivos improvisados ​​e balas perfurantes, os militares dos EUA produziram placas SAPI aprimoradas, inserções balísticas laterais aprimoradas e protetores deltóide e axilar para o colete tático externo, proporcionando assim uma área maior de cobertura corporal e proteção contra projéteis mais potentes.

Nas forças armadas britânicas, os coletes à prova de balas passaram por uma evolução semelhante. Os capacetes de aço, que eram padrão desde a Primeira Guerra Mundial, foram substituídos na década de 1980 pelo primeiro de uma série de capacetes de náilon. No final da década de 1980, foi lançada uma leve Combat Body Armor (CBA), que consiste em um colete com enchimento balístico macio capaz de proteger contra fragmentos e projéteis de pistola de 9 mm. A versão Enhanced Body Armor (EBA) pode ser reforçada com placas de cerâmica para maior proteção contra projéteis de alta velocidade. Em resposta às condições de combate na Guerra do Afeganistão, onde as tropas se viram lutando com mais freqüência a pé do que em veículos blindados, o sistema de armadura corporal Osprey Assault foi introduzido. Esse sistema avançado usava placas de cerâmica mais finas e deveria ser usado com um novo design de capacete que permitisse uma maior amplitude de movimento em posições de tiro de bruços.

O uso de sistemas do tipo IBA e Osprey reduziu significativamente os ferimentos no torso e salvou muitas vidas em combate, mas a proteção veio ao custo de diminuição da mobilidade e aumento do peso (e, portanto, diminuição do conforto e resistência) para soldados individuais. Um conjunto completo de IBA aprimorado com todas as inserções e componentes adicionais pesa mais de 33 libras (15 kg), e o kit Osprey Assault pesa apenas um pouco menos, quase 28 libras (12,5 kg) - talvez aceitável para o motorista de uma carga caminhão, mas um fardo considerável para um soldado de infantaria patrulhando a pé no calor extremo de um verão do Oriente Médio ou do sul da Ásia. Alguns soldados de infantaria reclamam que o excesso de armadura é prejudicial ao combate a guerrilheiros com armas leves e móveis. No entanto, os benefícios na maioria dos casos superam as desvantagens, de modo que a armadura corporal provavelmente continuará a fazer parte do kit do soldado no futuro próximo.


Quando as mulheres lutaram

Quando falamos sobre a Europa na Idade Média, estamos falando de várias culturas, nações e tradições mudando e mudando ao longo dos séculos. E os papéis das mulheres - incluindo seus lugares no campo de batalha - mudaram com elas. E, assim como seus colegas masculinos, havia mulheres que lutavam sem o benefício de armaduras caras e mulheres que usavam armaduras na qualidade de comandantes militares e estrategistas que não desferiam um único golpe no campo de batalha.

Um exemplo particularmente incomum de mulheres lutando na Idade Média vem da Catalunha do século 12. Em 1149, as mulheres da cidade de Tortosa se vestiram com roupas masculinas e usaram tudo o que estava disponível para lutar contra os invasores mouros. Diz-se que Raymond Berenger IV ficou tão impressionado com a bravura dessas mulheres que estabeleceu a Ordem da Machadinha, dando a essas mulheres certos privilégios semelhantes aos dos cavaleiros que pertenciam à ordem eram isentos de impostos e tinham precedência antes de alguns homens em assembleias públicas.

Mas o caso da Ordem da Machadinha dificilmente é a norma para mulheres que participam de conflitos marciais. Megan McLaughlin, em seu ensaio, & quotThe Woman Warrior: Gender, Warfare and Society in Medieval Europe & quot, observa que a situação muito mais comum era que as mulheres se engajassem na guerra em situações de emergência, participando de cercos e comandando as tropas na ausência de maridos e pais. Existem algumas mulheres guerreiras e comandantes de carreira entre as classes nobres durante a Alta Idade Média: Aethelflaed, a filha viúva de Alfredo, o Grande de Wessex, que se juntou a seu irmão Eduardo em sua campanha para expulsar os escandinavos do norte da Inglaterra Sichelgaita, uma princesa da Lombardia, que vestiu uma armadura e reuniu as tropas no cerco de Durazzo em 1081 (dizem que ela os perseguiu e os ameaçou com sua lança) Petronilla de Grandmesnil, que participou da rebelião de Henrique, o Jovem Rei, contra o rei Henrique II ao lado de seu marido, Robert de Beaumont.

No entanto, à medida que avançamos na Alta Idade Média e no final da Idade Média, a guerra se torna um assunto mais organizado, envolvendo exércitos treinados e ordens de cavalaria (e, eventualmente, aquelas icônicas armaduras de malha). McLaughlin observa que as referências esparsas às mulheres participando da guerra tornaram-se ainda mais esparsas durante os tempos medievais posteriores e sugere que esse aumento da organização militar deu às mulheres menos oportunidades de participar da batalha como comandantes ou combatentes. Isso não significa que as mulheres não apareçam em relatos de batalhas posteriores. Notoriamente, a Guerra dos Cem Anos & # x27 nos deu mulheres como Joana d'Arc e Joana de Penthièvre, que apareceram no campo de batalha (um relato coloca a última em armadura). Christine de Pizan & # x27s 1405 livro Le Livre de la Cité des Dames admoestou as mulheres a terem conhecimento da guerra caso precisassem defender suas propriedades. E J.M. Blythe aponta em & quotWomen in the Military: Scholastic Arguments and Medieval Images of Female Warriors & quot que mesmo mulheres de classes mais baixas podiam ser encontradas morrendo nas fileiras em levantes e rebeliões, como fizeram durante as revoltas do século 14 em Flandres.

Mas mesmo durante a época em que as mulheres pegavam em armas, a guerra era considerada uma ocupação firmemente masculina, e isso influenciava tanto o que as mulheres usavam para lutar quanto como suas roupas eram retratadas na mídia popular - às vezes de maneiras muito diferentes.


Armadura kiribati

A República de Kiribati é um grupo de trinta e três atóis e recifes de coral espalhados por 3,5 milhões de quilômetros quadrados no Oceano Pacífico. Ele está localizado na Micronésia, uma região do Pacífico Ocidental. Isolados como um grupo de ilhas, os ilhéus usam os recursos limitados de que dispõem para produzir sua cultura material.

Um dos alunos mais antigos da escola de treinamento de Rongorongo, Beru, vestindo uma armadura Kiribati, antes de 1925 (Foto: George Hubert Eastman, © Museu de Arqueologia e Antropologia, Universidade de Cambridge)

Historicamente, o I-Kiribati produziu objetos extraordinários, como armaduras feitas de fibra de coco. A armadura fornecia proteção contra espadas, lanças e adagas com pontas de dentes de tubarão perigosas carregadas pelos guerreiros da ilha. Cada traje é composto por um conjunto de macacão e mangas feitas de fibra de coco, com uma couraça de fibra de coco usada por cima. As distintas couraças têm escudos altos para proteger do ataque por trás e costumam ser usados ​​com cintos grossos feitos de fibra de coco ou pele de raia seca para proteger os órgãos vitais. As couraças são geralmente decoradas com cabelo humano, penas ou conchas.

Os guerreiros às vezes usavam armadura de mão também feita de fibra de coco, incrustada com dentes de tubarão ao longo dos nós dos dedos. Os guerreiros também usavam capacetes de aparência assustadora feitos de pele de porco-espinho, que secava fortemente ao sol e fornecia outra camada de proteção para a cabeça. Esses capacetes normalmente teriam sido usados ​​sobre uma fibra de coco ou um gorro de folha de pandano trançado.

Não se sabe onde e quando este tipo de armadura foi desenvolvido nas ilhas, mas tornou-se exclusivamente Kiribati, com sua influência também se espalhando para as ilhas vizinhas de Nauru e Tuvalu.

Fazendo a armadura

Couraça de fibra de coco com struts, decorada com cabelo humano, com capacete de porco-espinho (foto: Josh Murfitt, Museu de Arqueologia e Antropologia, Universidade de Cambridge)

O fio de fibra de coco, material ainda hoje produzido e utilizado, é o principal material da armadura, escolhido não apenas por sua disponibilidade, mas também por sua resistência e flexibilidade. As fibras vêm da casca do coco, encontrada entre a casca interna e a casca externa. Essas fibras são embebidas na água da lagoa por dois a três meses, depois enxaguadas e secas. Várias fibras são enroladas em pequenos fios, que são enrolados juntos para criar longos cordões.

Muitas das couraças apresentam desenhos em forma de losango ou geométricos feitos de cabelo humano, às vezes essas formas de diamante são desenvolvidas para se tornarem peixes ou tartarugas. Cabelo é algo muito especial e precioso, mas também de fácil acesso. O motivo de diamante tecido visto aqui é provavelmente o cabelo de mulher. Muitas vezes combinado com fibra de coco, o cabelo também era usado para amarrar os dentes do tubarão a espadas e ainda hoje é usado em cintos de dança.

O processo de fabricação da armadura teria sido associado a um ritual poderoso, incutindo na armadura o poder e a força das matérias-primas usadas para fazê-la. Os guerreiros também passariam por um ritual antes de ir para a batalha.

Vestindo a armadura

A armadura teria sido usada na resolução de conflitos entre indivíduos ou grupos de pessoas. Geralmente, a luta estaria relacionada a reivindicações de terras ou retribuição. Em todas as lutas, o objetivo era ferir o adversário, não matá-lo, pois um ferimento seria a retribuição adequada. Se alguém morreu durante a batalha, o pagamento à parte injustiçada teria de ser feito por meio da doação de um terreno.

Guerreiros em armadura carregariam uma lança de dente de tubarão com uma ponta de arraia na ponta. Eles nunca teriam lutado sozinhos, mas teriam sido cercados por um número de pessoas que não usavam armadura completa, carregando lanças ramificadas, porretes e pequenas adagas. Em casos de guerra entre aldeias ou ilhas, cada lado marcharia em três grupos, com os guerreiros principais no centro cercados por suas tropas de apoio. Quando os dois lados se enfrentassem, o resultado geral dependeria do resultado dos desafios individuais feitos pelos guerreiros.

As ilhas Gilbert, as ilhas Phoenix, as ilhas Line e Banaba constituem a República de Kiribati (mapa © Mark Gunning, 2017)

Encontros com ocidentais

Pedro Fernandes de Queiros foi o primeiro europeu a avistar as Ilhas Gilbert (o principal grupo de ilhas do que hoje é a República de Kiribati) em 1606. Os exploradores britânicos John Byron, Thomas Gilbert e John Marshall passaram todos pelos dezesseis atóis sem desembarque entre 1764 e 1788. As ilhas foram chamadas de Ilhas Gilbert pelo general russo Adam Johann von Krusenstern, que também cruzou sem pousar em 1820. O capitão francês Louis Duperrey então mapeou totalmente as ilhas em 1824.

Existem registros de armadura Kiribati em coleções europeias já em 1824 [1], mas não há descrições conhecidas dela em registros históricos até 1844, quando a Expedição Exploradora dos Estados Unidos publicou um relato de sua chegada em Tabiteuea (um atol no Ilhas Gilbert). Baleeiros e melros da Austrália, Estados Unidos e Europa também visitaram as ilhas durante os anos 1800, muitas vezes se estabelecendo ali por períodos e levando para casa a armadura que adquiriram.

O rápido declínio na produção desse tipo de armadura é geralmente atribuído à influência dos missionários, que chegaram da França em 1888, e dos britânicos, que chegaram em 1892, os quais introduziram novas leis e tentaram pacificar as ilhas. I-Kiribati normalmente não faz nada que não seja necessário - a falta de necessidade da armadura é provavelmente uma das razões pelas quais esses objetos foram oferecidos a turistas, oficiais do governo, exploradores, baleeiros e outros visitantes, e por que tantos são agora encontrado em museus de todo o mundo.

Armadura Kiribati feita por Kaetaeta Watson, Chris Charteris e Lizzy Leckie, 2016 (2017.14.1-3, Copyright Museum of Archaeology and Anthropology, University of Cambridge)

Armadura Kiribati hoje

Pequenas adagas decorativas com dentes de tubarão ainda são produzidas para turistas. No entanto, as armaduras não são mais feitas para uso. Hoje, armaduras históricas podem ser encontradas em Kiribati em exposição no Te Umwanibong, o Museu e Centro de Cultura de Kiribati no atol de Tarawa, mas não se sabe se outras existem nas ilhas.

Em 2016, o projeto Pacific Presences, sediado no Museu de Arqueologia e Antropologia da Universidade de Cambridge, contratou os artistas neozelandeses Chris Charteris, Lizzy Leckie e Kaetaeta Watson para fazer uma nova armadura. Esta armadura, chamada Kautan Rabakau, hoje faz parte do acervo permanente do Museu de Arqueologia e Antropologia.

Kiribati tornou-se uma nação independente em 1979 e, desde então, a imagem do “guerreiro” ressurgiu e pode ser vista em roupas e como mascotes de equipes esportivas - um símbolo de força e orgulho. Também foi reaproveitado pela fé Mórmon Moroni High School em Tarawa, que se vêem lutando em uma guerra espiritual e física no mundo moderno.

Enquanto as batalhas que exigiam essa armadura terminaram, Kiribati agora enfrenta os novos desafios das mudanças climáticas e os efeitos da ocidentalização na vida e cultura tradicionais.

A pesquisa para esta inscrição foi produzida durante o projeto financiado pelo Conselho Europeu de Pesquisa: 'Presenças do Pacífico: Arte Oceânica e Museus Europeus', no âmbito do Sétimo Programa-Quadro da União Europeia & # 8217s (FP7 / 2007-2013) / Acordo de subvenção ERC n ° [324146 ] 11.

[1] Uma espada com dentes de tubarão foi doada à Biblioteca Diocesana em Linkoping, Suécia, em 1824, e macacões de fibra de coco foram doados ao Museu Whitby em 1834.

Recursos adicionais:

Gerd Koch, A Cultura Material de Kiribati (Suva: University of the South Pacific, 1986).

Irmã Alaima Talu, Aspectos da História de Kiribati (Suva: University of the South Pacific, 1979).

Chris Charteris e Jeff Smith, Tungaru: o Projeto Kiribati (Auckland, McCollams Print, 2014).


Armadura medieval: o Brigandine

O bandido era um grande protetor de torso. Os lados interno e externo eram de couro, mas ensanduichados entre as camadas de couro tinham placas de roubo de aproximadamente 2 "por 2" rebitadas lado a lado em fileiras. Isso tornou o conserto desse tipo de armadura muito mais barato do que full plate, bem como muito, muito mais manobrável para o usuário, ao mesmo tempo que oferece uma quantidade enorme de proteção. É verdade que a armadura completa tinha mais proteção, mas o homem comum não tinha dinheiro para isso, e também era mais difícil mover-se com a armadura completa.

História do bandido

O brigandine é considerado um refinamento da armadura de brasão de placas anterior do século XII. O próprio brigandine entrou em uso no início do século XIV e foi amplamente utilizado durante o século XV e até o século XVI.

Este tipo de armadura foi feito como uma alternativa mais barata à armadura e uma alternativa apenas à cota de malha.

Como o brigandine foi usado

Geralmente não usado por cavaleiros montados ou cavalaria, era amplamente usado por lacaios e homens mais pobres. Portanto, isso não seria o que a imaginação de uma criança evocaria quando ela pensasse em um "cavaleiro de armadura brilhante".

O brigandine era usado, de uma forma ou de outra, por quase todas as principais culturas medievais. Ingleses, escoceses, irlandeses, romanos, todos usaram o bandoleiro na era medieval. Até os chineses e mongóis usaram uma forma de bandido em sua história.

Um gambeson pode ser usado por baixo do bandoleiro ou da cota de malha. Pode ser usado com bandeirolas ou sem. Basicamente, o brigandine poderia ser usado para se ajustar a qualquer estilo ditado pela cultura do usuário.

Onde você pode ter visto um exemplo

Muitos filmes apresentam um bandido. O mais famoso teria que ser o filme Coração Valente. O próprio Wallace (Mel Gibson) usou um brigandine neste filme, embora o seu fosse de couro marrom e faltassem grandes partes da concha de couro externa.

Houve também cenas em que alguns dos soldados ingleses usavam armaduras de placas rebitadas. Há uma cena em uma batalha em que Wallace corta as pernas de um homem de armas inglês. Lembre-se de que este é um filme e não seria tão fácil cortar completamente uma perna blindada. Mas isso dá uma ideia do que está acontecendo dentro do couro de um bandido.


ARMADURA DE PLACA LANDSKNECHT, SÉC. XVI

Kit de armadura Landsknecht, século XVI Olhe e não diga que não viu! Admire e não diga que não ofereceu! Compre e não diga que está atrasado! Luxuoso e deslumbrante. Rico e único. Brilhante e confiável. A análise de vídeo deste kit está aqui: https://www.youtube.com/watch?v=X72kct7p0QQ Veja, toque, experimente, aproveite - armadura de landsknecht do século XVI, o kit de armadura autêntico baseado no Museu Nacional Suíço, Zurique e Germanisches Nationalmuseum , Coleções de Nuremberg. Uma defesa deslumbrante como o kit de armadura de landsknecht era uma armadura incompleta usada pelos soldados de infantaria mais eficazes do mundo - piquemanos mercenários alemães do final do século XV e início do século XVI.


O auge tecnológico da guerra medieval

Mesmo um rápido exame da armadura de placa de ferro põe em fuga a noção de que os séculos 15 e 16 foram tecnologicamente pouco sofisticados. A blindagem de placas exigia uma quantidade enorme de conhecimento de mineração e metalurgia, além de habilidades organizacionais, treinamento industrial e fábricas de forja para a manufatura.

Os metalúrgicos buscavam os melhores minérios e os empresários organizavam os mineiros para conduzi-los. Engenheiros construíram altos-fornos para reduzir o minério a ferro. Eles criaram foles mecanizados e martelos de pressão, movidos principalmente por rodas d'água. Eles cortam placas de ferro com grandes tesouras de cementação. Suas fábricas deviam ser locais barulhentos, cheios de fumaça e infernais. Os estágios duraram até sete anos. Os artesãos devem ter passado toda a vida trabalhando nesses lugares. Mas os arsenais não eram para pessoas rudes ou produção rudimentar, como atesta a beleza sobrevivente de algumas armaduras.


Traje de armadura

A armadura entrou em uso no início do século XV. A armadura era usada sobre roupas de baixo regulares e era presa ao usuário por meio de tiras de couro e fivelas. A cota de malha era usada para proteger áreas que não podiam ser protegidas com armadura de placas. A armadura geralmente consiste em elmo, peitoral e placa traseira (couraça com faulds e borlas frequentemente anexados), manoplas, bengalas (ou espáduas), braçadeiras, couters, sabatons (armadura de pé), torresmos (para proteger as canelas) e gorjeta, às vezes chamado de guarda-pescoço. O custo da armadura variou de acordo com os períodos históricos, cobertura fornecida e articulação. Geralmente era oferecida apenas pela nobreza ou soldados profissionais, já que o custo de uma armadura completa poderia ser igual ao custo de uma pequena fazenda. Soldados de patente inferior geralmente usavam menos armadura de placa e mais cota de malha. Uma boa armadura era comparável ao tanque de hoje. Um cavaleiro vestindo uma armadura era praticamente resistente a ataques de espada, flechas e outras armas. As espadas não podiam penetrar nem mesmo em uma armadura fina. Apenas flechas ou setas de arcos ou bestas eram capazes de penetrar placas de armaduras às vezes e somente se disparadas de muito perto. Mais tarde, o avanço na produção de armaduras tornou até mesmo essa façanha muito difícil. A única maneira de derrotar um cavaleiro era usar armas como alabardas ou espadas. Armas como martelos de guerra ou maças também eram usadas contra cavaleiros em armaduras, pois essas armas podiam transferir força através da armadura e causar vários ferimentos, como ossos quebrados, sangramento de órgãos internos ou concussões e outros ferimentos na cabeça. A outra maneira de atacar um cavaleiro em uma armadura era mirar nos pontos fracos, especialmente nas articulações e quaisquer outras pequenas aberturas de armadura.

As armaduras tinham vários usos. Eles foram usados ​​em batalhas, desfiles e torneios. As armaduras usadas em batalha eram o negócio real, enquanto as armaduras usadas nos desfiles eram mais leves e adornadas com ornamentos. Trajes de torneio (ou armadura esportiva) diferiam em sua forma (especialmente couraças e capacetes) para desviar lanças, lanças e armas de apoio. Eles também eram muito mais grossos e pesados. Cavaleiros vestindo armaduras os treinavam desde a adolescência para desenvolver técnicas e resistência. O peso da armadura era comparável ao peso do equipamento carregado pelos soldados de hoje. Enquanto uma armadura parece pesada, os cavaleiros vestindo armaduras eram capazes de montar ou desmontar facilmente um cavalo, correr, pular e rastejar. Uma armadura bem feita feita de aço temperado pesava apenas 45 libras.

As armaduras eram verdadeiras obras-primas. Os projetos mais famosos vieram da Alemanha, Itália, Inglaterra e Sérvia e cada projeto tinha seu próprio estilo que variava dos outros. No século 15 a maioria das armaduras eram simples, entretanto, no século 16, com a introdução do estilo Maximiliano, a armadura tornou-se mais articulada e decorada com estrias e gravuras. No mesmo período, o uso de capacetes fechados era mais prevalente em comparação com os designs abertos anteriores, como barbas e sallets.

Com o desenvolvimento de armas de fogo, o uso de armadura diminuiu, pois não era tão útil contra balas, especialmente se disparadas de perto. Mais tarde, apenas couraças, capacetes e manoplas mais pesadas ainda estavam em uso. Alguns soldados de infantaria e mercenários usavam a chamada armadura de munição, que consistia em camadas de aço temperado para proteção contra balas.


Os 25 melhores conjuntos de armadura em jogos

Quem não gostaria de usar essa roupa assustadora? Big Daddies são um dos personagens inimigos em BioShock, humanos que foram transplantados para enormes trajes de mergulho - completos com uma furadeira pesada em vez de um braço direito (é muito mais útil), ou uma espingarda de rebite, lançador de foguetes ou íon laser. Big Daddies têm contrapartes nas Little Sisters, meninas que colhem células-tronco de cadáveres. Cada Big Daddy tem o juramento de proteger uma garota e não vai parar por nada para mantê-la segura. Se você não ameaçar as Little Sisters, ele é apenas um grande ursinho de pelúcia. Se você quiser o ADAM extraído que cada menina pega para você, o Big Daddy terá algo a dizer sobre isso.

Sua armadura protetora volumosa é uma excelente contra-medida à sua ganância. O traje pode levar dezenas de rodadas, poderes de Plasmid e golpes de chave antes de finalmente ceder aos seus ataques de força bruta. A armadura é responsável por um dos personagens mais resistentes do jogo - um traço apropriado, de fato, considerando seu objetivo singular de proteger a criança.

Irmandade + de + Aço + Poder + Armadura + - + Fallout + 3

A Brotherhood of Steel é um grupo de facções tecnologicamente avançado que quer matar todos os mutantes. Eles desconfiam das massas sujas e acreditam que não podem confiar neles a tecnologia bacana que inventam, preferindo mantê-la para si mesmos. No entanto, como o Vault Dweller, você terá a chance de entrar em contato com algumas de suas tecnologias, incluindo sua armadura de energia.

A armadura de poder da Irmandade de Aço é um dos itens mais legais que você pode obter no Fallout 3. Você precisará de um treinamento especial para usá-la, no entanto, o que significa que você tem que completar uma boa parte do enredo principal antes de ter a chance de experimente para ver o tamanho. Vale a pena o esforço. Basta olhar para isso. A única coisa mais intimidante é o apocalipse, e se você quiser ficar mais blindado, precisa usar um tanque.

Escorpião + Fato + - + Morto + Espaço

Todas as armaduras em Dead Space parecem intimidantes, mas a Scorpion Level Engineering RIG, com seu soldador vermelho brilhante e máscara # x27s, é provavelmente a mais assustadora. Também há um escorpião amarelo estampado na parte de trás do capacete. Ele dá a você uma taxa de resistência a danos de 25% e tem um total de 25 slots de inventário. Embora o traje militar forneça um pouco mais de proteção contra danos, o traje de escorpião parece muito melhor. Se os mortos-vivos pudessem estar com medo, isso causaria medo neles.

ARS + Suit + - + Vanquish

O traje de reação aumentada foi desenhado e criado pelo principal protagonista do jogo, o pesquisador Sam Gideon. Dentro do traje, Sam se transforma de nerd da ciência em super soldado.

O ARS Suit é feito de titânio de alto grau e um tecido de liga de nanotubo de carbono, que é resistente como o aço, extremamente leve e pode se regenerar quando danificado. O sistema de computador dentro do traje se conecta diretamente ao cérebro e faz com que Sam & # x27s mire com mais precisão e reduz o recuo. Depois, há os reforços, que são fixados nos braços e nas pernas, o que permite que Sam se mova rapidamente por qualquer área.

Como muitos outros macacões, o ARS também aumenta a força do usuário. Outro bônus é a capacidade de escanear qualquer arma encontrada em soldados inimigos e carregá-la na memória para ser recriada pelo sistema BLADE (Battlefield Logic ADaptable Electronic Weapons) e usada posteriormente. Sam pode armazenar até três armas na memória a qualquer momento, incluindo uma metralhadora pesada, uma espingarda e um lançador de foguetes.

Nanosuit + - + Crysis

Os Nanosuits usados ​​pelos soldados em Crysis são projetados para permitir que eles sobrevivam em ambientes extremamente hostis e dar a eles uma vantagem na batalha. Os trajes processam coisas como calor, sol e radiação, junto com a regeneração da saúde, mantendo o usuário seguro enquanto ele estiver dentro.

Além disso, os músculos artificiais do traje & quotCryFibril & quot & # x27s também oferecem ao usuário uma variedade de bônus, como torná-los invisíveis, mais fortes ou endurecidos para protegê-los da força.

Os trajes têm quatro modos ativos diferentes: armadura, força, velocidade ou capa, cada um dos quais concentra a energia naquele atributo específico.

Em 2020, o Nanosuit está no auge da tecnologia humana e, portanto, para evitar que essa tecnologia caia nas mãos do inimigo, ele pode ser vaporizado por um oficial comandante de um local remoto. Isso tem o infeliz efeito colateral de também vaporizar a pessoa que está dentro dele.

HEV + Fato + - + Meia-Vida

Gordon Freeman usa o icônico Hazardous Environment Suit, que foi projetado para cientistas trabalhadores da Black Mesa. O traje não apenas os protege de qualquer radiação, descargas de energia e, er, traumas por força brusca que eles possam encontrar em sua vida diária de trabalho, também tem uma lanterna embutida, contador Geiger, rádio e, o mais importante, um administrador de morfina .

O computador do traje & # x27s monitora continuamente a saúde e as estatísticas vitais de seu usuário e faz anúncios em uma voz feminina simulada e suave, para suavizar os sons de & quotEmergency! A morte do usuário é iminente. & Quot O traje HEV permite que Gordon sobreviva a muitas situações que, de outra forma, significariam o fim do jogo. Também existe a opção de atualizá-lo com o Módulo de salto em distância, que permite que ele pule mais se instalado nas costas.

Tanooki + Terno + - + Super + Mario + Bros. + 3

Recebendo pontos de bônus por ser provavelmente a armadura mais fofa sempre, Mario & # x27s Tanooki suit é um item raro encontrado em Super Mario Bros. 3. É semelhante ao Raccoon Suit (que dá a Mario a habilidade de voar) e também vem com um bônus adicional: Mario pode se transformar em uma estátua, tornando-o invisível para os inimigos por um curto período de tempo. Crianças espertas descobriram que, ao se posicionar sobre um inimigo e depois se tornar uma estátua, a estátua cairia sobre a criatura desavisada e a achataria.

O traje Tanooki foi batizado em homenagem aos tanukis, um cão guaxinim que, de acordo com o folclore japonês, são criaturas travessas que têm a capacidade de mudar de forma.

Phazon + Suit + - + Metroid + Prime

A heroína da série Metroid, Samus Aran tem alguns ternos lindos. Há muito por onde escolher, incluindo o Varia Suit, o Gravity Suit, o Light Suit e o Dark Suit. Mas o Phazon Suit está entre os melhores.

Phazon é uma substância radioativa que também exibe sinais de sensibilidade. O Phazon Suit protege Samus do Blue Phazon normal, além de dar a ela a habilidade de atirar Phazon líquido em inimigos com seu canhão de braço. O traje é principalmente preto, com um torso e detalhes vermelhos e um pescoço e capacete prateados, e parece incrível. No entanto, isso não a protege do Phazon Vermelho, mais potente, e nenhuma explicação adequada é dada sobre por que ela precisa ter ombreiras tão grandes. Bem, nada é perfeito.

MJOLNIR + VI + - + Halo + 3

Master Chief é um dos personagens de videogame mais reconhecidos de todos os tempos, e o homem é inseparável de seu terno.

A terceira e (supostamente) atualização final para a armadura MJOLNIR que ele usa é a Mark VI. A palavra Mjolnir vem do nome do deus nórdico dos relâmpagos Thor & # x27s martelo mágico. Projetados pela renomada cientista Dra. Catherine Halsey para os soldados espartanos geneticamente modificados, os trajes são considerados super caros, cada um custando tanto quanto uma "pequena nave estelar". O traje atua parte como armadura e parte como traje espacial, protegendo os espartanos contra PEM e radiação e filtrando o ar para remover bactérias e toxinas desagradáveis.

Os humanos normais não podem usar o traje sem se machucar. Apenas os espartanos estão devidamente condicionados para eles. Alguns dos bônus incluem o dobro da capacidade de levantamento e aumento drástico do tempo de reação.

Se você olhar com atenção, a armadura mostrada nos anúncios de Halo 4 mostra um traje que parece ser diferente da série MJOLNIR VI. Mais para vir sobre esse.

Helghast + - + Killzone

Os cidadãos do Império Helghan, também conhecidos como Helghast, são uma raça de descendentes humanos que colonizou o planeta Helghan. Eles acreditam que são superiores à humanidade em todos os sentidos e podem estar certos. Afinal, eles são muito mais fortes e mais rápidos do que nós. Eles vivem sob um regime fascista e passam por uma lavagem cerebral para seguir ordens cegamente e para serem obedientes e leais acima de tudo.

Embora alguns corpos de Helghast tenham sofrido mutação para permitir que eles respirem a atmosfera do planeta alienígena, a maioria ainda precisa usar máscaras de respiração para sobreviver. Assim, a maioria de seus soldados está escondida atrás de máscaras de gás aterrorizantes, completas com óculos de proteção vermelhos brilhantes. É um visual que lhe dará pesadelos.

Há uma variedade de uniformes militares diferentes, incluindo aqueles para soldados leves, soldados, soldados de elite e atiradores. They're all terrifying. You can play as the Helghast in multiplayer, and while some players feel doing so gives them a definite advantage, others find their glowing red goggles make them an easy target.

Armor+of+Altair+-+Assassin's+Creed+II

All of Ezio's armor sets look worthy of a hero (although, arguably, a little too flashy for a stealthy assassin that needs to blend into a crowd), but the Armor of Altair is the best a man can get, and of course, also the hardest to get your hands on.

To get it, the player must have in their possession all of the six assassin's seals which are gained by completing the optional side quests of exploring and pillaging the ancient assassin's tombs located across Italy. Once all the seals are obtained, you can use them to open the locked gate in the Villa Auditore where the armor is waiting for you, tantalizingly just out of reach.

Altair, the assassin from the first game, created the armor from the mystical artifact the Apple of Eden. It gives the biggest health bonus of any of the armor in the game and doesn't ever need to be repaired.

OctoCamo+-+Metal+Gear+Solid+4

Solid Snake's OctoCamo is so named because it mimics the abilities of an octopus to disguise itself by changing color to match its surroundings. Snake simply has to sidle up to an object and stay still for a short time to become effectively camouflaged against his surroundings. His suit therefore doesn't just look cool or add some vague bonuses, it becomes an integral part of gameplay as he sneaks and hides his way through various hostile locales.

Since by the time Metal Gear Solid 4 rolls around, Snake's no longer a spring chicken, the fact that the suit also makes him stronger and counteracts the fact that he's become weakened with premature age is a bonus.

Snake's not the only one with OctoCamo technology though. Beautiful boss Laughing Octopus has a more advanced version including FaceCamo that allows her to disguise herself as mannequins, medical equipment and even other people.

Flaming+Recon+Armor+-+Halo+Reach

Originally the Flaming Recon Armor was only available to Bungie employees, so it was easy to tell who they were when they were playing Halo 3…they were the ones with their heads on fire. Of course, everyone wanted one, a wish that was granted in Halo: Reach, to those who shelled out for the Legendary Edition. Such is the price of fiery beauty (with no other bonuses whatsoever, but hey, it's awesome).

Madness+Armor:+The+Elder+Scrolls+IV:+Shivering+Isles

The Madness Armor is a heavy armor set that you get through taking on the Antipodean Hammer quest. Once you have enough Madness Ore bring it to Cutter at Cutter's Weapons in Bliss and she will make you a piece of the armor. Boots cost two pieces of ore, as do the helmet, shield and gauntlets. The greaves need three to be crafted, and the cuirass five.

The Madness Armor not only adds scarily good bonuses to your character it also looks, well, mad. There's a face with sharp teeth engraved into the breastplate, mini faces on the knees and a multi-eyed, pointy tooth face on the shield.

Hair+-+Bayonetta

Sexy witch Bayonetta's skin-tight cat suit is not, as it would appear, made out of shiny, shiny leather but her own. cabelo. Her magical raven tresses also form the basis of her powerful special attacks, meaning that there's no clothing on her body while her hair punches, kicks and savages her enemies. Strategically placed strands preserve her modesty. Having a skin tight outfit made out of your own hair at least means that she doesn't have the bother of having to squeeze herself in and out of the costume.

Bringing the slightly creepy term "hair moves" into video gaming vernacular for the first time, Bayonetta's armor looks fantastic and is completely unique. Because she's worth it.

Combat+Suit+-+Starcraft+2

The armor that StarCraft 2's Terran Marines wear out to play is otherwise known as a CMC Powered Combat Suit and it's essentially an armored exoskeleton.

Everything about this armor set is over the top, from the massive shoulder pads, gorilla-like gloves and of course, the oversized codpiece. As you would suspect, it takes a while for soldiers to get into the suit, although those with lots of practice can manage it in only one minute. Later models are a little easier to get on and off.

There are various bonuses to being strapped into the Combat Suit including ammunition stored in those massive shoulder pads, immunity to most small arms fire and a life support system.

The armor may also be the first to make it into a song: Terran Up the Night, performed by Blizzard employees during the end credits to StarCraft II: Wings of Liberty, goes like this, "Strapped into powered armor, I got the ladies always looking at me. They can't believe the size of my over-engineered codpiece."

Tier+5+Warlock+Armor+-+World+of+Warcraft

Truth be told, there isn't a really rubbish-looking armor set within World of Warcraft. However, one set stands out from the rest: the Tier 5 Warlock Armor, Corrupter Raiment.

Items from this set are sold by Kelara and Veynna Dawnstar in Shattrath City. To purchase the five different items in the set, you'll need a Token of the Vanquished Hero for each. These are dropped by a series of badass bosses, and you'll have to defeat all five. The armor's stats are impressive (including increases to healing and damage using magic and an improved critical strike chance with spells) but it's how it looks that really makes it stand out. It glows with an eerie red light, and the shoulders are covered with spikes with skulls on them. Nice.

Templar+Armor+-+Hellgate+London

Templar Defender Armor is really, really tough. Only available to the Templar classes, the Defender set is for the tanks in the tank Guardians. Since the Guardians are the ones who are going to take the greatest amount of damage, it makes sense that their armor provides the greatest protection. There's always a downside, and the one for the Templar Defender Armor is that it comes without shields or standard elemental defenses. It's also the heaviest armor you'll wear, which means it's good for your defense but it'll slow you down considerably.

The set comes in black with glowing blue underneath, and the faceplate has only a sliver in the shape of a cross to see out of. It also has a hidden buff called Physical Thorns, which is only visible when you examine the armor. When you're hit in melee, thorns activate and reflect damage back on the bad guys that are attacking you. Serves them right.

NCR+Ranger+Combat+Armor+-+Fallout:+New+Vegas

A new Fallout brought with it a new highly desirable armor: the NCR Ranger Combat armor. Originally made for the L.A.P.D. for use when dealing with riot squads, it is also referred to as 'the Black Armor'.

It comes with built-in low light optics to help you see, a combination IR/white light and a gas mask, just for that added creep factor.

There are two ways of getting the armor. If your reputation's high enough with the NCR, Colonel James Hsu will give you a key to a safe house where there's a whole host of nice loot items waiting for you including the armor set. Alternatively, you can kill NCR Veteran Rangers and steal it from them.

Hilde+-+SoulCalibur+IV

Finally, some sensible armor for women! Hilde, who first appeared in Soulcalibur IV, was made by the Project Soul team with the idea of creating a sexy but fully-clothed female character for the series. Unlike many other women in games, Hilde's armor might just stand a chance of actually doing the job of protecting her in battle.

The feisty redhead wears her family wolf head emblem on her right shoulder, with a small flowing cape attached to her left shoulder. Her silver armor has flashes of red and black material underneath. Hilde is also sensibly proportioned and her breasts are neither falling out of her armor or the size of a small country.

According to Soulcalibur IV director Katsutoshi Sasaki, in interviews, as more women get into games we're likely to see more female characters that look like Hilde. That can't be a bad thing.

Judge+Gabranth+-+Dissidia+Final+Fantasy

Judge Gabranth was a non-playable character in Final Fantasy XII and the main antagonist in the game. A loyal soldier of the Empire, he rose through the military ranks to become bestowed with the highest title possible -- a Judge. Judge Gabranth's armor includes a horned helmet and a long black cape emblazoned with the symbol of the Archadian Empire. Because he's constantly wearing his helmet he's got the whole Darth Vader voice thing going on and has often been compared to the Star Wars villain. Despite being part of the game's logo he wasn't ever a playable character. However, he did become playable in a later game, Dissidia Final Fantasy for the PSP. In the action-RPG he's an extra character you can add to your team who possesses extremely powerful attacks.

COG+Armor+-+Gears+of+War

The Coalition of Ordered Governments' armor is made up of a mysterious alloy found on the planet of Sera. The chest plates are held together with two seals that look a little like a bug's head. The standard issue armor has a magnetic holster on the back which allows soldiers to carry two weapons and it is designed to protect the vital organs whilst not sacrificing mobility. It's pretty impractical since it, uh, doesn't cover much else, but the brutish metal gives the Gears guys an empowering look along with some solid protection. The major downside? It won't stop a chainsaw from chewing it to pieces. So it goes.

Fran's+Armor+-+Final+Fantasy+XII

Honestly, warrior woman Fran's outfit in real-life would be particularly useless. Not only does it leave almost every vital organ unprotected, it has to be pretty cold and uncomfortable walking around in such scant protective clothing. (As a woman I should probably hate Fran's outfit and sputter about how it objectifies women, but truth be told, I secretly think she looks fantastic.)

Fran is a Viera, a kind of cross between a human and a rabbit, highly sensitive creatures with incredibly long life spans. They're blessed with supermodel proportions and walk on the soles of their feet, making them elegant and graceful. The Viera usually live hidden in remote villages and do not concern themselves with the happenings of the outside world. Fran's a rebel -- she donned her armor and went to find out what life outside the village was like.

Abyssal+Armor+-+Darksiders

War's Abyssal Armor is much stronger than run of the mill, regular armor, and recovers some of your health with every attack you make. It's broken up into ten pieces that have been scattered in chests across the land and getting your hands on them all is something of a challenge.

Not only is the armor lots of help in bringing on the apocalypse (in fact some people believe it makes the game too easy and don't wear it) it also looks amazing. Not that one of the four horsemen of the apocalypse really needs to look any more frightening.

Collector+Armor+-+Mass+Effect+2

There are some nice armor sets in Mass Effect 2, but the Collector set turns Shepard into a monster, using the alien's technology for yourself. Available as DLC, if you choose to buy either the Collectors' Weapon and Armor or the Recon Operations packs, you'll receive an email from the Illusive Man letting you know that his researchers have come up with a prototype armor suit based on Collector technology.

The suit adds 10% to your health regeneration rate, 10% to storm speed and increases health by 20%. This is handy if you find yourself taking a lot of damage during battles.

The armor's non customizable and wearing it will make cut scenes seem a little strange. It also, disappointingly, only has one set of eyeholes. We know Shepard, being human, only has one set of eyes, but that's not the point.


7. Coconut Armor

The vast expanse of the Pacific was home to many islands and unique cultures. The central foci of these island cultures were the mighty coconut from which virtually everything was made, from food to materials for boats, and in case of the islands of Kiribati and Gilbert, even body armor!

Made with dense coconut fiber matting, the armor afforded a reasonable degree of protection but was reported to be rather cumbersome, with the wearer needing an assistant with him to help keep him upright during duels. The armor was usually decorated with myriad designs made with stitched human hair. A helmet made up of dried pufferfish completed the set.


Assista o vídeo: Secretos y Trucos de Zelda Breath of the Wild #27. Como conseguir la Armadura de Barbaro Completa


Comentários:

  1. Coughlan

    Peço desculpas, mas na minha opinião você admite o erro. Eu posso provar.

  2. Ariss

    Não, sua empresa!

  3. Macfarlane

    Não importa o quanto tentemos, ainda será como o universo pretendia. Enquanto eu estava lendo meu cérebro morreu.

  4. Dimitrie

    Este é apenas um tópico incomparável :)

  5. Franklin

    Esse pensamento muito bom será útil.

  6. Gulrajas

    Um pensamento muito valioso



Escreve uma mensagem