Eutidemos I

Eutidemos I


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Estudos recentes na história parta

Como a revisão editorial da Parte II do meu artigo (veja a edição de janeiro do Celator) estava quase concluída, um importante tetradracma parta (Fig. 1) apareceu como lote no. 326 no catálogo de venda do Triton IV (5 de dezembro de 2000). Este foi considerado como um tipo Sellwood 18.1 overstruck em um tetradrachm do rei bactriano Euthydemos I (ca. 230 / 225-200). No entanto, tornou-se imediatamente claro que o subtipo não poderia ser senão um tetradrachma do rebelde governante caraceniano, Hyspaosines. Ele havia sido proclamado rei na Babilônia durante junho de 128 a 127 de maio e muito provavelmente controlava Selêucia também. Ele pode até ter anexado temporariamente a Babilônia em março-junho de 126 e emitido uma série de moedas na casa da moeda real de Selêucia. Finalmente, ele teve que dar lugar a um novo rei parta que governou por apenas 7 a 8 meses.

Isso me levou a primeiro incluir um adendo no final da Parte II, destacando a importância histórica da moeda em questão, e então considerar uma outra publicação inteiramente dedicada à sua breve discussão envolvendo outras evidências relacionadas.

Como no caso da Parte II, todas as datas aqui são em aC e Selêucia se refere à cidade real selêucida no Tigre, a menos que indicado de outra forma.

O Novo Rei Parta

Ao rejeitar Sellwood tipo 18 como uma questão inter-reinado, supostamente autorizado pelos funcionários da casa da moeda em Seleucia em ca. 127, eu provisoriamente atribuí a cunhagem a Bagasis. Ele era irmão de Mithradates I (ca. 171-138) e nomeado sátrapa da Média-Atropatena quando essa província caiu nas mãos dos partas em ca. 148/7 (ver Parte II). A única base para esta atribuição foi uma referência superficial a um kking Arsaces no período após a morte de Fraates II em meados de março de 126 e antes da ascensão de Artabano I no último trimestre desse mesmo ano. Esta evidência única está contida em uma tabuinha cuneiforme babilônica compilada em 245 SE (abril de 67 março de 66) como um tipo especial de texto astronômico não tabular denominado Texto do Ano-Go pelo falecido Professor A. J. Sachs (J. of Cuneiform Studies, 2 (1948), pp. 282-285).

Figura 1 Tetradrachm de Bagasis (S18.1) overstruck em Hyspaosines tetradrachm de Seleucia no Tigre (traços da legenda e desenho no reverso identificaram o subtipo). (Venda Triton IV, 5 de dezembro de 2000, Lote 326. Foto gentilmente cedida pelo CNG).

A seção alocada a certos dados planetários em Saturno nesta tabuinha precede a data do colofão em 59 anos e abre com [ano 170] +16, Ársaces (sendo) rei, mês IV, até por volta do dia 14 . . Devo enfatizar que, embora o número do ano neste parágrafo específico seja preservado apenas parcialmente, ele pode ser restaurado com segurança com a ajuda de outras datas no mesmo texto. No entanto, a precisão disso e de uma série de citações semelhantes sempre permaneceram em aberto para questionar, uma vez que os tablets correspondentes não são contemporâneos.

Felizmente, a incerteza sobre o valor de breves declarações históricas nesta classe particular de textos astronômicos foi recentemente removida. Ao analisar os textos do colofão de várias tabuinhas cuneiformes diferentes da Babilônia e Uruk, mostrei que os escribas tiveram o devido cuidado ao registrar tais notificações e, portanto, podem ser tratados com confiança. As omissões e deslizes nestes não são mais graves do que aqueles detectados em muitos tablets contemporâneos.

Tendo restaurado a confiabilidade do texto acima, podemos agora considerar o material numismático disponível. Infelizmente, nunca houve uma análise abrangente das moedas partas no período ca. 138-123 (após a morte de Mithradates I até a ascensão de Mithradates II) em associação com outros registros relacionados. Isso levou, em alguns casos, a atribuições conflitantes e hipóteses insustentáveis. No entanto, acredito que uma consideração cuidadosa das evidências existentes pode levar a conclusões mais plausíveis, embora a verdadeira identidade de alguns dos reis neste período ainda possa permanecer ilusória.

Conforme já apresentado na Parte II, parece que a produção de moedas na casa da moeda de Selêucia foi interrompida com a ausência de reis partas dessa cidade. Vimos que os últimos tetradracmas (S13.5) e dracmas (S13.10) de Mithradates I, datados DOR no cálculo seleuco-macedônio, foram cunhadas durante o período de outubro de 139 agosto de 138. Depois disso, como resultado direto da preocupação de Fraates com as incursões nômades hostis no norte, a casa da moeda deixou de emitir mais moedas até os tetradracmas S17 celebrando sua vitória sobre Antíoco VII no início do verão 129. Uma situação semelhante surgiu no governo de Artabano I. Com a reafirmação da autoridade parta no sul da Mesopotâmia durante novembro de 125 a janeiro de 124, o rei parta agiu para repelir os invasores saca no nordeste. Na sua ausência, a Casa da Moeda da Selêucia encerrou seus tetradracmas S21 e só voltou a golpear com a ascensão de Mitradates II em 123. Daí a ausência de moedas datadas QPR (189 S.E. = 124/3) deste período.

A consideração deste fato por si só exclui a possibilidade de uma cunhagem póstuma ou inter-régio a mando dos magistrados da casa da moeda em Selêucia durante o período em questão. Soma-se a isso a inscrição reversa e a qualidade inaugural-comemorativa dos tetradracmas S18. O primeiro diz BASILEWS ARSAKOU, implicando (a moeda do) rei Ársaces, enquanto o último é acentuado pelo motivo reverso representando uma divindade sentada segurando uma coroa de flores Nike voadora. No entanto, nossa pista final e decisiva, conectando a questão com um rei parta real, em vez de fictício, é derivada do golpe excessivo mencionado acima.

Que o subtipo para esta peça importante é um tetradrachma de Hyspaosines e não o de Euthydemos não há dúvida. Tive a oportunidade de examinar a moeda, que gentilmente foi disponibilizada no CNG Offices em Londres. Embora seu reverso retenha apenas vestígios minúsculos da inscrição da moeda original, isso é suficiente para confirmar a leitura USPAOSINOU no campo esquerdo em vez de EUQUDHMOU. Ao mesmo tempo, o que resta do Hércules sentado do subtipo fecha a discussão.

Conforme ilustrado na Fig. 2, no verso desta classe de tetradracmas de Eutidemos é normalmente representado um Hércules nu sentado sobre um pedaço de rocha (ou uma bigorna?) Coberto com pele de leão. Ele também segura em sua mão direita uma clava que fica em sua coxa direita. Muitas vezes é possível discernir, em exemplos relativamente bem preservados, a cabeça e as patas dianteiras do leão penduradas no lado direito da rocha.

Figura 2 Tetradracma de Eutidemos I mostrando o Hércules sentado no reverso e a ausência de cauda de leão estendida. (Venda Triton IV, 5 de dezembro de 2000, Lote 340. Foto gentilmente cedida pelo CNG).

Como modelo para essa questão, os cortadores de moldes bactrianos presumivelmente tomaram certos tetradracmas do governante selêucida Antíoco I, Sóter (281-261) ou, muito provavelmente, os de seu filho e sucessor Antíoco II, Teos (261-246). Os reversos desses protótipos selêucidas têm um motivo apenas ligeiramente diferente daquele encontrado nos tetradracmas de Eutidemos.

Voltando-se para as questões de Hyspaosines de ambas as balas Charax-Spasinu e Seleucia (Figs. 3 e amp 4), alguém sem hesitar notaria uma semelhança notável entre seus temas reversos e o de Eutidemos . Mas, embora à primeira vista os Hércules sentados nas duas classes de tetradracmas de Hyspaosines possam parecer análogos, eles certamente exibem sutis diferenças estilísticas e iconográficas.

O que imediatamente diferencia esses dois exemplos é a cauda de leão no exemplo de Seleucia. Ele se estende sobre a coxa direita de Hércules e, em seguida, cai com sua extremidade tufada apoiada no chão entre suas pernas. Um molde de gesso da moeda mostra essa característica mais claramente (Fig. 5).

Tendo examinado uma série de tetradracmas caracenianos do tesouro recente e várias ilustrações de outros exemplos, posso agora confirmar que a característica acima é uma característica única da cunhagem de Hyspaosines emitida em Seleucia. Da mesma forma, os muitos tetradrachms de Euthydemos I, retratados em diferentes publicações e catálogos de venda, revelam a ausência de cauda de leão em seus desenhos reversos, embora estes permaneçam virtualmente idênticos aos encontrados nos exemplos de Charax-Spasinu.

Uma tabuinha cuneiforme parcialmente preservada datada do mês I em 186 SE (março-abril 126) dá relatórios incompletos das atividades de Hyspaosines em 185 SE e também pilhagem pelos invasores árabes na Babilônia. A morte de Fraates II e o massacre do exército parta pelos Sakae parecem ter oferecido ao primeiro a oportunidade de mais uma vez exercer seu poder, possivelmente até Selêucia. No entanto, ele não é denominado king neste texto em particular enquanto o era durante 13.III.184 24.II.185 SE (27/8 de junho de 128 28/9 de maio de 127). Isso sugere que talvez tenhamos de atribuir sua cunhagem de Selêucia ao período anterior, supondo, é claro, que ele então ocupasse a cidade real.

Figura 3 Tetradracma de Hyspaosines atingido na casa da moeda de Charax-Spasinu em 184 SE (129/8 AC), mostrando a ausência de cauda de leão estendida. (Da coleção do autor)

O presente overstrike não apenas exibe em seus traços reversos do nome Hyspaosines , mas os restos de Herakles sentado e a cauda do leão ligam o undertype com seu exemplo único de Seleucia. Agora pode haver pouca dúvida sobre a identidade da moeda original, um tetradrachm de Hyspaosines de Seleucia que foi deliberadamente obliterado e utilizado para golpear tetradrachms S18.

A evidência cuneiforme e numismática combinada implica, bastante fortemente, que embora Hyspaosines controlasse provisoriamente Selêucia na ausência de Fraates e talvez mesmo depois do fiasco parta no norte, ele foi eventualmente suplantado e sua cunhagem suprimida por um governante arsácida. Acredito que não haja valor real em supor que, sob o governo caraceniano, o pessoal da casa da moeda poderia ter iniciado uma edição separada com a efígie de um rei parta que morrera mais de uma década antes. Em primeiro lugar, se isso aconteceu, por que o retrato de Fraates (como encontrado em sua moeda S17) foi substituído pelo de seu pai morto, Mitradates I? Em segundo lugar, e mais importante, quem foi o responsável por expulsar Hyspaosines de Seleucia, suprimindo seus tetradrachms e, em seguida, ultrapassar a questão em nome de king Arsaces ? A única possibilidade pode ser Himerus, um jovem hircaniano provavelmente de ascendência grega e não relacionado à família arsácida. Justino (Livro 42.1.3) escreve que depois de sua vitória sobre Antíoco VII, o rei parta deixou “o comando de seu reino para um certo Himerus que, na flor da juventude, fora seu amante”. No entanto, em uma passagem anterior sobre a expedição selêucida fracassada (Livro 38.8.10), ele afirma que Fraates deu a ele (Antíoco) um funeral digno de um rei e tomou como esposa a filha de Demétrio (II), que Antíoco trouxera com ele, e por quem ele (Fraates) se apaixonou . Considerando o fato de que, ao subir ao trono, Fraates tinha apenas quatorze anos, as declarações de Justino deixam a ligação do rei parta com Himerus aberta a especulações.

De acordo com Trogus Pompeius (Prólogo do Livro 42), Himerus travou uma guerra contra Mesene (Characene) e tratou os habitantes da Babilônia e Selêucia com brutalidade. Mas, de acordo com os registros contemporâneos, as hispaosinas parecem ter prevalecido vitoriosas e permaneceram no controle da Babilônia durante junho de 128 a maio de 127. Ao mesmo tempo, a variedade recentemente descoberta de tetradracmas S18 datava de ZPR (187 SE, começando em 19/20 de setembro de 126) provam que Himerus não poderia ter sido o responsável por esse problema. Os poucos avisos históricos sobreviventes da Babilônia silenciam sobre ele depois de maio-junho de 130 (ver Parte II). Uma passagem datada do mês VIII de 185 SE (30/31 de outubro 29 / 30 de novembro de 127) sugere que um certo Indupano (sátrapa da Babilônia?) Pode ter estado no controle da Babilônia, Borsippa e Selêucia.

Figura 4 Tetradracma de Hyspaosines atingido na casa da moeda de Seleucia no Tigre (possivelmente durante 27/8 de junho de 128 28 / 9 de maio de 127 aC), mostrando a presença da cauda de leão estendida. (Da coleção do autor)
Figura 5 Uma moldagem de gesso do reverso do tetradracma de Hyspaosines na Fig. 4 mostrando a cauda do leão estendida nesta moeda (ausente no tetradrachm de Euthydemos na Fig. 2). (Da coleção do autor)

Conforme discutido na Parte II, Bagasis (o sátrapa de Media-Atropateno) possivelmente sobreviveu a seu irmão Mithradates I e seu sobrinho Phraates II. Embora não seja mencionado na última tabuinha mencionada acima, ele provavelmente despachou um exército sob o comando de um certo Timarchus para reforçar o contingente parta na Babilônia. As linhas correspondentes diziam: Naquele mês, dia 4, Timarkusu que anteriormente do lado do rei Ársaces foi nomeado comandante da guarda e que no mês IV havia escapado de Aspasino, veio do lado de Indupano com tropas da Média entraram na Babilônia .

Após a provisão de sacrifícios de um touro e três ovelhas no dia 6, eles foram para Borsipa. No dia 8, eles saíram de Borsipa e foram para o lado de Indupano até a região de Selêucia que fica no Tigre .

Cerca de cinco meses depois, em março de 126 e após a morte de Fraates II, um verdadeiro rei parta subiu ao trono, reinou por cerca de 7 a 8 meses e foi sucedido por Artabano I. Se ele expulsou pessoalmente Hyspaosines ou isso já havia sido feito antes permanece incerto. O que está claro, no entanto, é que sob ele os tetradrachms de Hyspaosines de Seleucia foram descontinuados, retirados de circulação e destruídos por golpe excessivo com matrizes S18.

Eu identifiquei este rei com Bagasis, mas ele pode ter sido um príncipe parta cujo nome ainda permanece desconhecido para nós.


Euthydemos I - História

O crédito da descoberta de Indo-grego moedas que uma vez foram cunhadas na Índia vão para Coronel Tod , em 1824. Provavelmente nenhuma classe de moedas indianas atraiu toda a atenção do que o indo-grego, que marcou a primeira mistura cultural do Ocidente e do Oriente. É bom esboçar um esboço dos eventos ocorridos no norte da Índia e nos países vizinhos desde a época de Alexandre até o primeiro século DC.

Alexandre era filho de Philips , Rei da Macedônia, um pequeno estado no sudeste da Europa. Um homem de notável energia tornou-se rei em 336 aC e em um período de dois anos, ele formou um exército de 3.000 soldados a pé e 5.000 cavaleiros para conquistar o antigo império persa. Em seguida, ele ocupou a Ásia Menor, Síria, Egito, Kandahar e, finalmente, em 328 aC, também o Afeganistão. Em 327 AC, ele ocupou BACTRIA e guarneceu uma série de fortes na área como um marco da conquista da Índia. A luta que ocorreu entre Poros e Alexandre foi notável e a mais difícil que ele já experimentou.

Impressionado com a bravura de seu inimigo Poros, Alexandre o tratou com generosidade e o restaurou ao trono. Tão grande foi a confiança que Poros inspirou que Alexandre o deixou no comando de todos os seus domínios da Índia quando ele partiu. Alexandre então invadiu estados insignificantes nas vizinhanças e Sangla, a capital do Kathaioi (perto da moderna Panjab), foi capturada. Finalmente, quando Alexandre alcançou a margem do rio Beyas, além da qual Nandas tinha seu enorme império, os soldados de Alexandre se recusaram a ir longe. Já fazia muito tempo que eles haviam saído de casa. Alexandre finalmente começou seu retiro em 323 aC.

Para comemorar suas vitórias, ele ganhou uma medalha quase ao mesmo tempo que um príncipe indiano, Sophytes (saubhuti), cunhou uma moeda de prata no estilo grego. Provavelmente, Alexandre não deixou nenhum vestígio de sua retirada além dessas duas exceções. Em 323 aC, o rei em sua juventude teve uma febre irrecuperável e morreu prematuramente na Babilônia. Os generais de Alexandre lutaram como cães para herdar o que Alexandre havia deixado para trás, e o império se dividiu em vários reinos, quatro grandes - Selúcida, Ptolomaico, Lisimáquida e Antigonídeo e muitos outros menores.

Cerca de 250 AC, Diodotos-I , Sátrapa da Báctria proclamou a independência dos selúcidas e assumiu o título de rei. Foi Diodotos-I quem fundou a nova dinastia agora chamada pelos historiadores de indo-bactriana ou indo-grega. Diodotos-II , o filho do primeiro foi derrubado por Eutidemos-I que fundou uma nova dinastia reconquistando Báctria e se tornou o rei. Assim, o quarto Rei Bactriano Demetrios-I (200 - 190 aC), o filho de Eutidemos-I assumiu o trono e estendeu seu reino até Panjab, já que o poder de Maurya estava declinando. Logo depois que Demetrios assumiu o título de "Rei dos índios", ele se tornou o herói popular indiano chamado 'Dharma-Mithra' por causa de sua campanha de sucesso. Eventualmente, o trono foi passado para seus filhos que governavam o reino em conjunto e expandiram suas fronteiras para incluir o moderno Panjab (parte do norte da Índia e Paquistão).

Em 170 AC, o rival Eukratides-I (177 - 135 aC) derrubou Demetrios-II e Antimachus-II em nome dos selúcidas e governava o Reino. Assim, Bactria e uma parte de Gandhara foram perdidas para Eukratides-I. Daí em diante, havia duas dinastias gregas rivais, a casa de Eukratides e Eutidemos. A casa de Eukratides incluiu Heliokles , Antialkidas , e Hermaious . Eles governaram principalmente Gandara, Cabul e Kandahar. A casa de Eutidemos tinha Appollodotos , Menandro , Strato-I , Zoilos e Hippostratos , governando o leste de Gandhara e o moderno Panjab. Em 145 aC, Eukratides-I foi assassinado por seu filho Eukratides-II .

Menandro (chamada Milinda, 155 - 135 aC) foi um general grego nascido na Índia. Ele é considerado um contemporâneo de Pushyamitra . Sua capital, Sagala, tornou-se um importante centro de aprendizagem e arte. Patanjali foi tudo elogio para esta grande cidade de comércio como a de Pataliputra - antiga. Suas campanhas foram tão grandes que ele poderia ser comparado a Alexandre. A diferença entre Alexandre o Grande e Menandro é que Alexandre começou sua retirada apenas porque seu exército se amotinou, mas Menandro parou porque se tornou budista e cedeu os territórios conquistados aos governantes indianos. o Milinda Panha (Perguntas de Milinda) narra a história da conversão de Menandro ao budismo após uma longa discussão com Nagasen. Como Gautama Buda, as cinzas de Milinda foram divididas entre os representantes de vários estados e estupas foram erguidas sobre elas. Entre seus sucessores, o mais conhecido foi Antialkidas de Taxila.

Por volta de 70 aC, os grupos tribais eram primordiais: Sakas a leste do Cáspio (frequentemente chamados de citas), o Sai (mais Sakas do alto rio Ili) e Yueh-Chihs. Yueh-Chihs sob pressão da confederação Hsiung Nu vagou para o alto Ili em 175-160 aC empurrando os Sakas para o sul para a Caxemira e Swat. Em 70 AC, Hermaios foi derrotado. Heliokles foi expulso do país pelos citas em 40 aC e finalmente em 10 aC, o último governante indo-grego Strato-II desapareceu do Panjab, o domínio dos gregos sobre os distritos do noroeste da Índia cedeu.


Mục lục

Hai nhà sử học cổ đại là Strabo [2] và Polybios [3] đã ghi lại rằng Euthydemos sinh ra ở Magnésia (nơi ông sinh ra vẫn chưa được xác định rõ) và là con trai của một ng Apollodotos, Euthydemos sau này đã cưới con gái của vua Diodotos I. Ngoài Demetrios I, Euthydemos còn có thể có những người con khác chẳng hạn như là Antimachos I, Apollodotos I và.

Cuộc chiến với nhà Seleukos Sửa đổi

Chúng ta không biết được nhiều điều về triều đại của Ethydemos cho tới khi Antiochos III Đại đế đem quân tấn công ông vào năm 208 TCN. Mặc dù có trong tay 10.000 thiết kỵ, Euthydemos ban đầu đã bại trận khi giao chiến bên bờ sông Arius [3] và buộc phải rút quân. Sau Djo NHO vào thành Bactra CUC kỳ Kiên Co, Ông đã Chong TRA thành công cuộc Vay Ham kéo dài Toi ba năm cho toi khi Antiochos Quyết định công nhận Trieu đại của Ông và GA một người con gai cho người con trai của Euthydemos tên là Demetrios vào năm 206 TCN. [3] Theo hiệp ước hòa bình này, Ethydemos đã phải giao lại đội voi chiến Ấn Độ của mình cho Antiochos. [4]

Về phần mình, Euthydemos vốn sinh ra ở Magnesia và lúc này đang tự mình biện bạch với Teleas, ông tuyên bố rằng Antiochos vẫn chưa biện minh cho lý do tại sao lạihân mn bn, ông tuyên bố rằng Antiochos vẫn chưa biện minh cho lý do tại sao lạihân muốn ki do tại sao lại hân mn bn ì ván muốn bn ì thi i mn bn ông chưa bao giờ nổi loạn chống lại nhà vua, ông đã tự mình giành được ngai vàng của Bactria nhờ vào việc diệt trừ hậu duệ của những kẻ đã nổci. (.) Euthydemos cuối cùng đã phái người con trai Demetrios của mình tới để thông qua hiệp ước. Sau khi tiếp đón và ấn tượng bởi diện mạo, cách đàm luận, tác phong vương giả của chàng trai trẻ, Antiochos trước tiên đã hứa gả cho vị hoàng tử mộtười t ca chàng trai trẻ cha. (Políbio, 11,34, 2 [1])

Theo nhung GHI CHEP trong Các tác Pham co đại, Euthydemos đã Thương lượng Hoa Binh Antiochos III Bằng cách nói rằng Ông xứng Đặng được GHI nhận Vì đã lat djo Trieu đại NOI empréstimo của Diodotos và NHO vào nhung Nenhuma Luc phòng thủ của Ông mà khu vực Trung Á đã thoát khỏi các cuộc xâm lược của những người du mục:

". nếu như ông ta không chấp nhận lời đề nghị này, cả hai người bọn họ sẽ không thể được yên ổn: bởi vì những bộ tộc du mục lớn đ tới hni rất ln đ tới rất và nếu như họ để cho những kẻ đó tiến vào khu vực này, nó chắc chắn sẽ bị tàn phá hoàn toàn. " (Políbio, 11,34).

Cuộc chiến này đã kéo dài tới tận 3 năm và sau khi quân Seleukos triệt thoái, vương quốc Hy Lạp-Bactria dường như đã nhanh chóng khôi phục. Euthydemos được cho là đã qua đời vào khoảng năm 200 TCN hoặc có lẽ là năm 195 TCN, có thể vương quốc Hy Lạp-Bactria đã bắt đầu bành trướng tới khu vực miềnia Bn n n n vc miền Bc tri Ấn Độn c miềnia Bn tri Ấn vực miềnia Bn.

Trên những đồng tiền còn tồn tại cho tới ngày nay, chân dung của Euthydemos được khắc họa ở giai đoạn thanh niên, trung niên và già cả. Ông cũng xuất hiện trên các đồng tiền xu kỷ niệm của các vị vua như Agátocles, Antimachos I và trên một phiên bản vô danh khác. [5] Các bộ lạc du mục ở khu vực Trung Á cũng đã đúc những đồng tiền xu mô phỏng theo tiền xu của ông hàng thập kỷ sau khi ông qua đời, những đồàng ng tiền xu mô phỏng theo tiền xu của ông hàng thập kỷ sau khi ông qua đời, những đồà ​​rong ng xu nng xu 'gong bởi vì chúng có kiểu dáng thô kệch.

Bản khắc Kuliab Sửa đổi

Trong một bản khắc đá được tìm thấy ở khu vực Kuliab thuộc Tadjikistan và có niên đại là thuộc vào khoảng năm 200–195 TCN, [6] một người Hy Lạp tên và mnotos ca Tadjikistão ht ngợi Euthydemos là vị vua vĩ đại nhất trong số các vị vua, người con trai Demetrios I của ông được ca ngợi là "Demetrios Kalinikos", "Demetrios người chinh phục vinh quang": [7] [6]

"Heliodotos dâng tặng bệ thờ thơm ngát được làm từ những cây cối tươi tốt trong khu rừng của thần Zeus lên cho thần Hestia, vị nữ thần tôn kính, lung lẫy th act rong sốn hong khu rừng của thần Zeus lên cho thần Hestia, vị nữ thần tôn kính, lung lẫy th áct rong trong sốc thuc Hien Te DJE VI Vua VI đại Nhat trong số các VI Vua Euthydemos Cung người con trai của Ngai Demetrios Vinh Quang, chiến Thắng và lỗi Lạc được thoat Khoi moi Noi đầu Djon NHO sự giúp Djo của que Tyche Bằng Nhung ý Nghi Sieu Pham . "

τόνδε σοι βωμὸν θυώδη, πρέσβα κυδίστη θεῶν

Ἑστία, Διὸς κ (α) τ᾽ ἄλσος καλλίδενδρον ἔκτισεν
καὶ κλυταῖς ἤσκησε λοιβαῖς ἐμπύροις Ἡλιόδοτος
ὄφρα τὸμ πάντων μέγιστον Εὐθύδημον βασιλέων
τοῦ τε παῖδα καλλίνικον ἐκπρεπῆ Δημήτριον
πρευμενὴς σώιζηις ἐκηδεῖ (ς) σὺν τύχαι θεόφρον [ι]


Eutidemo era supostamente um nativo da Magnésia (embora o local exato seja desconhecido), filho do general grego Apolódoto, nascido em c. 295 AC, que pode ter sido filho de Sophytes, e por seu casamento com uma irmã de Diodotus II e filha de Diodotus I, nascida c. 250 AC, foi o pai de Demetrius I de acordo com Strabo [2] e Polybius [3] ele poderia ter tido outros descendentes reais, como os filhos Antimachus I, Apollodotus I e Pantaleon.

Pois o próprio Eutidemo era natural da Magnésia, e ele agora, ao se defender em Teleas, disse que Antíoco não tinha justificativa para tentar privá-lo de seu reino, pois ele mesmo nunca se revoltou contra o rei, mas depois que outros se revoltaram, ele havia se apossado do trono de Bactria ao destruir seus descendentes. (.) finalmente Eutidemo mandou seu filho Demétrio para ratificar o acordo. Antíoco, ao receber o jovem e julgá-lo por sua aparência, conversação e dignidade de porte para ser digno de posição real, em primeiro lugar prometeu dar-lhe uma de suas filhas em casamento e a seguir deu permissão a seu pai para estilizar próprio rei. (Políbio, 11,34, 2 [1])

Guerra com o Império Selêucida Editar

Pouco se sabe sobre seu reinado até 208 aC, quando foi atacado por Antíoco III, o Grande, a quem tentou em vão resistir nas margens do rio Ário (Batalha do Ário), o moderno Herirud. Embora comandasse 10.000 cavaleiros, Eutidemo inicialmente perdeu uma batalha no Ário [3] e teve que recuar. Ele então resistiu com sucesso a um cerco de três anos na cidade fortificada de Bactra, antes que Antíoco finalmente decidisse reconhecer o novo governante e oferecer uma de suas filhas ao filho de Eutidemo, Demétrio, por volta de 206 aC. [3] Como parte do tratado de paz, Antíoco recebeu elefantes de guerra indianos de Eutidemo. [4]

Os relatos clássicos também relatam que Eutidemo negociou a paz com Antíoco III, sugerindo que ele merecia crédito por derrubar os descendentes do rebelde original Diodoto, e que ele estava protegendo a Ásia Central de invasões nômades graças a seus esforços defensivos:

". pois se ele não cedesse a esta exigência, nenhum deles estaria seguro: visto que grandes hordas de nômades estavam por perto, que eram um perigo para ambos e que se eles os admitissem no país, certamente seria totalmente barbarizado. " (Políbio, 11,34).

A guerra durou três anos e depois que o exército selêucida partiu, o reino parece ter se recuperado rapidamente do ataque. A morte de Eutidemo foi estimada aproximadamente em 200 aC ou talvez 195 aC, e os últimos anos de seu reinado provavelmente viram o início das incursões bactrianas no norte da Índia.

Edição de moeda

Existem muitas moedas de Eutidemo, retratando-o como um homem jovem, de meia-idade e velho. Ele também é apresentado em nada menos que três edições comemorativas de reis posteriores, Agátocles, Antímaco I e uma série anônima. [5] Ele foi sucedido por Demetrius, que invadiu as regiões do noroeste do sul da Ásia. Suas moedas foram imitadas pelas tribos nômades da Ásia Central durante décadas após sua morte, essas imitações são chamadas de "bárbaras" por causa de seu estilo rude.

Inscrição de Kuliab Editar

Em uma inscrição encontrada na área de Kuliab do Tadjiquistão, no oeste da Greco-Báctria, e datada de 200-195 aC, [6] um grego chamado Heliodotos, dedicando um altar de fogo a Héstia, menciona Eutidemo como o maior de todos reis, e seu filho Demetrius I como "Demetrios Kalinikos" "Demetrius, o Glorioso Conquistador": [7] [6]

"Heliodotos dedicou este altar perfumado a Héstia, venerável deusa, ilustre entre todas, no bosque de Zeus, com belas árvores fez libações e sacrifícios para que o maior de todos os reis Eutidemos, assim como seu filho, o glorioso, vitorioso e notável Demetrios, seja preservado de todas as dores, com a ajuda de Tyche com pensamentos divinos. " [8] [9]

τόνδε σοι βωμὸν θυώδη, πρέσβα κυδίστη θεῶν
Ἑστία, Διὸς κ (α) τ᾽ ἄλσος καλλίδενδρον ἔκτισεν
καὶ κλυταῖς ἤσκησε λοιβαῖς ἐμπύροις Ἡλιόδοτος
ὄφρα τὸμ πάντων μέγιστον Εὐθύδημον βασιλέων
τοῦ τε παῖδα καλλίνικον ἐκπρεπῆ Δημήτριον
πρευμενὴς σώιζηις ἐκηδεῖ (ς) σὺν τύχαι θεόφρον [ι]


Coleção de moedas indianas antigas

Menandro (chamada Milinda, 155 - 135 aC) foi um general grego nascido na Índia. Ele é considerado um contemporâneo de Pushyamitra . Sua capital, Sagala, tornou-se um importante centro de aprendizagem e arte. Patanjali foi tudo elogio para esta grande cidade de comércio como a de Pataliputra - antiga. Suas campanhas foram tão grandes que ele poderia ser comparado a Alexandre. A diferença entre Alexandre o Grande e Menandro é que Alexandre começou sua retirada apenas porque seu exército se amotinou, mas Menandro parou porque se tornou budista e cedeu os territórios conquistados aos governantes indianos. o Milinda Panha (Perguntas de Milinda) narra a história da conversão de Menandro ao budismo após uma longa discussão com Nagasen. Como Gautama Buda, as cinzas de Milinda foram divididas entre os representantes de vários estados e estupas foram erguidas sobre elas. Entre seus sucessores, o mais conhecido foi Antialkidas de Taxila.

S buscar o realismo na modelagem escultural, movimento e expressão tornou-se a principal força motivadora Helenístico arte. Talvez houvesse o desejo de impressionar os súditos do reino com a verdadeira aparência de seu monarca legítimo, o que levou a gravar os retratos nas moedas de gregos bactrianos e selúcidas. Alexandre foi o primeiro imperador a colocar seu retrato em suas moedas e a prática foi herdada por seus sucessores na Índia. O realismo extraordinário de seus retratos e o caráter praxiteliano das imagens de corpo inteiro de divindades no verso eram os principais atributos de sua moeda. Embora não esteja claro se o próprio Alexandre emitiu moedas em seu nome durante sua estada na Índia. Mas é fato que suas moedas são uma grande raridade na Índia e parece que suas moedas vieram da Báctria.

The gold and silver coins with fabulous portraits, which circulated in Bactria were never current in India as they fall under Greek coinage category. The coins with the portrait head and bilingual fall under Indian coinage. The selucid king Antiochus I (293-280 BC) is shown on his coins with all the paths of humanity, the divine power is clearly reflected in Selucus's coins. Demeterios - I was the first ruler to strike square copper coins in bilingual format, Kharoshti on the reverse and Greek on the obverse. Silver coins underwent radical change upon the movement of government to south of Hindu Kush, and the coins were called Didrachm and Hemidrachms. Generally, coins are circular, exceptions are the few square ones of Appollodotos and Philoxenos. The portraits of early Indo Greek rulers such as Euthydemos-I, Demetrios-I (wearing elephant's scalp) and Antimachus (wearing Kausia - a flat shaped cap and with a smily face) are so realistic in appearance that the coin portrait seems to represent the ruler faithfully. The coins of Demetrious-II, Euthydemos-II, Pantaleon, Agathocles, Menander and Strato-I also be assigned to the same class as they express powerful features and every intricate personal details. The portrait of Eucradites-I and the bust of members of the house of Eucradites-I is so realistic that their coins indicate rigid majesty, tendency for idealization and the taste for symbolic ornamentation when compared to the coins of house of Euthedemos. Some of the coins of this house carried the image of the king on horseback. Notably, the Dioskouri, the Greek heroes featured in Eukratides's coins exhibits the horsemanship and prowess in battle through the raised spears. The coins of Appollophanes, Philoxenos and Theophilos are extremely rare and hence leads to suspect that they were the pretenders. Perhaps all the Indo Greek coins may have been the products of a single school of engravers, the realism makes us to believe that they were familiar with the Hellenestic school of Pergamon. Indo-Greeks were excellent coin smiths and the fabric far exceeded than the true Greek coins. Indo-Greeks did not like abstract shapes and so they modified Greek Gods to look like an Indian. Upon the arrivals of Greeks, the sculptural techniques had their influence. Indo-Greek remained very Greek which could be witnessed by the bilingual legends they carried on their coins. Perhaps they spoke Sanskrit than the Greek and India saw a revolution in art and culture. The Gods for whom the Indo-Greek artists laboured had hardly changed for many generations : APOLLO an intellectual God of Arts and Music, ZEUS the King and HERA the consort of Zeus, ARTEMIS a virgin huntress, muscular HERACLES the God of strength, ATHENA of wisdom, APHRODYTES a God of sexuality, DIONYSUS vitality and winged deities NIKE e EROS. HELIOS, POSEIDON, DEMETERARTEMIS, a DIOSKOURI e TYCHE are the other Greek divinities which could be seen in their coinage. Many of these images iconographically influenced Indian pantheon later stage. The vitality of Hellenistic art school is reflected in the coins the Indo Greek engravers engraved. Bold reliefs were employed on large flans to impart three dimensional effect of images and legends The marginal borders and the legends along with the borders set the boundary. Clearly formed cheeks, broad smooth forehead, deep furrows which divides hair and beard, muscular bare body with every minute anatomical details reflect in their coinage. Though drapery is so thick, the movement is exhibited by the position of the limbs or partial torsion of the body. The figures formulated in a magnificent style that the light and shadow highlights the liveliness of image. On the reverse of Eukratides's copper has the figure of seated Zeus along with the legend in Kharoshti 'The city deity of Kapisa'. The later kings Strato-I and Hermois struck coins with debased silver and even in lead. One of the copper coins of Hermois, the legend Kujula Kadphises appears on the reverse. Probably this could be assumed that the dynasty was succeed by the Kushanas, which is dealt in the next chapter .


Euthydemus I

Euthydemus I (Greek: Εὐθύδημος Α΄ c. 260 BC-200/195 BC) was a Greco-Bactrian king in about 230 or 223 BC according to Polybius he is thought to have originally been a satrap of Sogdiana, who overturned the dynasty of Diodotus of Bactria and became a Greco-Bactrian king. Strabo, on the other hand, correlates his accession with internal Seleucid wars in 223� BC. His kingdom seems to have been substantial, including probably Sogdiana to the north, and Margiana and Ariana to the south or east of Bactria.

Euthydemus was allegedly a native of Magnesia (though the exact site is unknown), son of the Greek General Apollodotus, born c. 295 BC, who might have been son of Sophytes, and by his marriage to a sister of Diodotus II and daughter of Diodotus I, born c. 250 BC, was the father of Demetrius I according to Strabo and Polybius he could possibly have had other royal descendants, such as sons Antimachus I, Apollodotus I and Pantaleon.

Little is known of his reign until 208 BC when he was attacked by Antiochus III the Great, whom he tried in vain to resist on the shores of the river Arius (Battle of the Arius), the modern Herirud. Although he commanded 10,000 horsemen, Euthydemus initially lost a battle on the Arius and had to retreat. He then successfully resisted a three-year siege in the fortified city of Bactra, before Antiochus finally decided to recognize the new ruler, and to offer one of his daughters to Euthydemus's son Demetrius around 206 BC.

Classical accounts also relate that Euthydemus negotiated peace with Antiochus III by suggesting that he deserved credit for overthrowing the descendants of the original rebel Diodotus, and that he was protecting Central Asia from nomadic invasions thanks to his defensive efforts:

& quot. for if he did not yield to this demand, neither of them would be safe: seeing that great hords of Nomads were close at hand, who were a danger to both and that if they admitted them into the country, it would certainly be utterly barbarised." (Polybius, 11.34).

The war lasted altogether three years and after the Seleucid army left, the kingdom seems to have recovered quickly from the assault. The death of Euthydemus has been roughly estimated to 200 BC-195 BC, and the last years of his reign probably saw the beginning of the Bactrian invasion of South Asia.

There exist many coins of Euthydemus, portraying him as a young, middle-aged and old man. He is also featured on no less than three commemorative issues by later kings, Agathocles, Antimachus I and one anonymous series. He was succeeded by Demetrius, who went on to invade northwestern regions of South Asia. His coins were imitated by the nomadic tribes of Central Asia for decades after his death these imitations are called "barbaric" because of their crude style.


Platonin teosten joukossa Euthydemos kuuluu tämän varhaisvaiheen dialogeihin, toisin sanoen se on kirjoitettu suhteellisen pian Sokrateen kuoleman jälkeen. [4] Tarkemmin dialogi on ajoitettu noin vuoteen 375 eaa. Holger Thesleff katsoo, että Platon olisi kirjoittanut teoksen hieman Faidonin jälkeen. [5]

Diogenes Laertioksen esittämässä, Thrasylloksen tekemässä Platonin teosten jaottelussa dialogi kuuluu VI tetralogiaan yhdessä dialogien Protágoras, Górgias ja Menon kanssa. Aiheensa puolesta Thrasyllos luki dialogin Platonin kumoavien (anatreptikos) teosten joukkoon. [1]

Dialogin henkilöt ovat Sokrates, Kriton, Kleinias, Euthydemos, Dionysodoros ja Ktesippos, ja sen tapahtumapaikkana on Lykeion. Sokrates kuvaa dialogissa ystävälleen Kritonille, kuinka hän kävi eräiden nuorten kanssa kahden khioslaisen sofistin, Euthydemoksen ja Dionysodoroksen luona. Nämä olivat muuttaneet Thurioihin, mistä heidät oli ajettu pois, ja siksi he olivat olleet Ateenassa. [6] Monien sokraattisten dialogien tavoin kummatkin sofistit ovat todellisia henkilöitä. Euthydemos oli dialogin kirjoittamisaikaan ainakin jossain määrin kuuluisa sofisti, jonka mainitsee Platonin lisäksi esimerkiksi Aristoteles. [7] Dionysodoroksen puolestaan mainitsee Ksenofon. [8]

Euthydemos asettaa sokraattisen menetelmän ja siitä seuraavan opetustavan sofistien käyttämiä menetelmiä vastaan sofistien tappioksi. Euthydemos ja Dionysodoros yrittävät läpi dialogin saada Sokrateen ansaan petollisina ja merkityksettöminä esitetyillä argumenteillaan, joiden tarkoituksena olisi heidän oman filosofisen ylivoimaisuutensa osoittaminen. Platon kuvaa Euthydemoksen ja Dionysodoroksen argumentaatiotavan eristisenä eli ”riidanhaluisena”, [3] [9] mikä on peräisin kreikan sanasta eris, ”riita”. [10] Eristinen argumentti on suunniteltu niin, että kaikki sen kumoamisyritykset epäonnistuvat. Lopputuloksena syntyvät päätelmät ovat kuitenkin erikoisia. Euthydemos esimerkiksi yrittää osoittaa valehtelemisen mahdottomaksi seuraavalla tavalla:

»- Olematonta kai ei ole olemassa? [. ]

- Ei.
- Olematon ei siis voi olla olemassa missään?
- Ei voi.
- Onko kenenkään mahdollista tehdä sellaista, mitä missään ei ole?
- Ei minun ymmärtääkseni.
- Entä puhujat? Eivätkö he toimita mitään, kun he pitävät puheita?
- Toimittavat tietenkin.
- Kun he toimittavat, he siis tekevät jotakin?
- Niin.
- Ja puhuminen on jonkin toimittamista ja tekemistä, niinkö?
- On.
- Sittenhän kukaan ei voi puhua sellaista, mitä ei ole. Hänhän tekee silloin jotain ja sinä myönsit, ettei olematonta voi tehdä. Sinun omien sanojesi mukaan ei siis kukaan voi valehdella [. ] [11]

»

Thesleff kutsuu dialogia sen tyylin puolesta jopa ”farssiksi” ja ”komediaksi”. [5]


Efeito

Socrates was so impressed by the reputation of the two brothers that he saw them as a worthwhile object of his " midwifery " and subjected their doctrine of virtue and their understanding of justice to a critical examination. In his dialogue with Euthydemos, Plato reports one of these meetings also Xenophon mentions in his "Memories of Socrates" ( "Memorabilia", Book III, 1) the Sophists Dionysodorus the brother of Euthydemus. It becomes clear that both can only imperfectly fulfill the promises they make.

The Euthydemos mentioned several times in the "Memorabilia" is about another person of the same name, a young student of Socrates.


Assista o vídeo: Ancient Greek State in Afghanistan


Comentários:

  1. Tekazahn

    Peço desculpas, gostaria de oferecer outra decisão.

  2. Xenos

    Mil obrigado.

  3. Voodoojinn

    Eu imploro seu perdão que interveio ... eu entendo essa pergunta. Vamos considerar.



Escreve uma mensagem