Alboin

Alboin


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Alboin (r. 560-572 EC) foi um rei dos lombardos que liderou seu povo para a Itália e fundou o Reino dos Lombardos, que durou de 568-774 EC. Seu pai era Audoin, rei dos lombardos, e sua mãe, a rainha Rodelinda. Ele provavelmente nasceu c. 530 EC na Panônia, cresceu com treinamento militar e lutou contra as tribos avar e gepid antes de liderar seu povo para a Itália. Depois que sua primeira esposa, Chlothsind, morreu, ele se casou com Rosamund, a filha do rei Gepid Cunimund, que Alboin matou em batalha.

Apesar de suas vitórias militares e reinado bem-sucedido, ele veio a ser conhecido pelas gerações posteriores principalmente por meio de seu assassinato por sua esposa, que serviu de base para pinturas de vários artistas e obras como a ópera Rosamunda por Giovanni Rucellai (1525 CE) e o drama em verso Rosamund por Algernon Charles Swinburne (1860 CE). Ambos os artistas se basearam fortemente no trabalho principal em Alboin: o século VIII dC de Paulo, o Diácono História dos lombardos. Paul registra que, em 572 EC, depois que Alboin governou a Itália por quase quatro anos, Rosamund o assassinou para vingar o assassinato de seu pai. A natureza dramática do assassinato e o tratamento que Alboin dispensou a Rosamund em seu casamento se prestou a obras imaginativas em que Alboin ou Rosamund são retratados como uma figura trágica que sofre injustamente. De acordo com as fontes primárias, entretanto (especialmente a de Paulo, o Diácono), Alboin foi um senhor da guerra tribal que estabeleceu uma pátria para seu povo e tratou sua esposa cativa como faria com qualquer outro prêmio de guerra; ele pagou com a vida por um tratamento tão cruel.

Vitórias militares e reinado na Panônia

Nada se sabe sobre os primeiros anos ou a criação de Alboin. Suas façanhas posteriores sugerem que ele teve treinamento militar e, como filho do rei, provavelmente foi instruído na política. Paulo, o diácono, registra pela primeira vez que sucedeu a seu pai, Audoin, em 560 EC. Audoin havia se aliado ao Império Bizantino, mas ele ou Alboin decidiram ampliar sua base de poder aliando-se também aos francos, que estavam crescendo em poder. C. 560 CE, portanto, Alboin casou-se com a filha do rei franco Clothar, Chlothsind, para garantir esta aliança. O historiador Francesco Borri escreve:

Alboin deve ter sido um homem muito poderoso, mesmo que as fontes contemporâneas que descrevem suas atividades políticas e militares sejam escassas ... O fato de Alboin ter sido capaz de se casar com uma princesa franca, o que nenhum rei lombardo depois dele foi capaz de fazer, confirma sua importância no cenário da Europa romana tardia (223-224).

Os lombardos podem ter sido convidados para a Panônia pelo Império Bizantino para lidar com a ameaça das tribos Gépidas na região ou podem ter vindo por conta própria. De qualquer forma, os conflitos entre os lombardos e os gepids eram rotineiros, e os lombardos aliaram-se a outra tribo, os avares, para finalmente esmagar os gepids. Os ávaros também tinham vindo para a Panônia a convite do imperador Justino II ou por iniciativa própria. O rei Avar Bayan I (r. 562 / 565-602 CE) negociou um acordo com Alboin concordando que, se sua aliança derrotasse os Gepids, os Avars receberiam as terras do Gepid. De acordo com Paulo, o Diácono, em 567 EC os Gepids, agora sob o governo de seu rei Cunimund, atacaram os lombardos (embora outras fontes afirmem que Alboin e Bayan I instigaram as hostilidades). As datas precisas das alianças entre o Império Bizantino, os lombardos, os ávaros e os gépidas são confundidas devido a constantes contradições nas fontes primárias, mas parece que, nessa época, os lombardos e ávaros eram aliados estreitos dos gépidas com o apoio do Império Bizantino. A aliança esmagou os Gépidas e Alboin matou Cunimund decapitando-o em batalha. Ele pegou a cabeça do rei como um troféu e mais tarde fez com que fosse transformada em uma taça de vinho que ele usava em seu cinto. Outras fontes, porém, afirmam que foi Bayan I quem matou Cunimund, decapitou-o e deu a caveira a Alboin para comemorar sua vitória conjunta.

Com a derrota dos Gepids, Alboin consolidou seu domínio e marcou os limites de seu território. Os ávaros, no entanto, conseguiram ocupar mais região do que os Gépidas antes deles, devido ao acordo que Alboin havia feito antes da batalha, e eles ameaçaram os territórios lombardos. Alboin então se casou com Rosamund, filha de Cunimund, para formar uma aliança com os Gépidas contra os Avares, mas era tarde demais. Os ávaros sob o comando de Bayan I eram muito poderosos agora, e as forças Gepid estavam muito enfraquecidas pela guerra anterior para se mostrarem muito úteis. Alboin percebeu que o curso de ação mais prudente era deixar a Panônia, mas não sabia para onde conduzir seu povo. Um grande número de tropas lombardas serviu nas forças imperiais sob o general bizantino Narses na Itália, tendo um desempenho particularmente bom no combate na Batalha de Taginae em 552 dC, onde Narses derrotou o rei ostrogodo Totila e recuperou a Itália para o império. Esses soldados ainda se lembravam da Itália como uma terra fértil e, ou sugeriram uma migração para Alboin, ou, de acordo com outras fontes, o próprio Narses os convidou para a Itália (esta última afirmação é contestada rotineiramente). Qualquer que seja sua motivação, em abril de 568 EC, Alboin conduziu os lombardos para fora da Panônia e para o norte da Itália.

Migração para a Itália e Reino

O Império Bizantino estava em guerra com os ostrogodos da Itália desde a morte de Teodorico, o Grande em 526 EC até a vitória de Narses sobre os Godos na Batalha de Mons Lactarius em 555 EC. Em 568 EC, a Itália era, portanto, uma parte do Império Bizantino, mas era escassamente fortificada ou defendida. Tantos recursos foram gastos para recuperá-lo dos godos ao longo de tantos anos que agora o império parecia confiante, por algum motivo, de que a região poderia se defender se necessário. Alboin e seu povo entraram na Itália pelo norte e tomaram a cidade de Forum Iulii sem lutar. Dali, ele marchou sobre Aquileia e, com aquela cidade segura, continuou sua conquista da região até que, por volta de 569 EC, tomou Milão e controlou o norte da Itália sem se envolver em nenhum conflito militar sério. Entre 569-572 DC, Alboin conquistou a maior parte do resto do país (embora algumas partes ainda fossem controladas pelo Império Bizantino, como Roma), estabelecendo sua capital em Verona enquanto sitiava Pavia, a única cidade que resistiu ao Invasão lombarda em qualquer grau significativo. Demorou três anos de cerco para tomar a cidade e, enquanto isso ocorria, Alboin começou a estabelecer seu reino de seu palácio em Verona.

História de amor?

Inscreva-se para receber nosso boletim informativo semanal gratuito por e-mail!

Ele dividiu o país em 36 territórios conhecidos como "ducados", presididos por um duque que era responsável por se reportar diretamente ao rei. Embora isso contribuísse para um governo eficiente do ponto de vista burocrático, deixava muito poder nas mãos de cada duque e, portanto, as regiões prosperavam ou sofriam dependendo da qualidade de seu duque em particular. Alboin governou efetivamente em Verona, mas, como estava mais preocupado em proteger suas fronteiras contra os francos e em rechaçar os esforços do império oriental para desalojá-lo, ele deixou os assuntos de governo para esses subordinados, o que resultou na falta de coesão entre os territórios já que cada duque, naturalmente, queria o melhor para sua região particular. Esses duques, portanto, agiram de forma autônoma na conquista de regiões em direção ao sul da Itália que, afirmam os estudiosos, Alboin não tinha interesse em tomar do Império Bizantino.

As fontes sobre o reinado de Alboin são poucas. Paulo, o diácono, escreve como, sob o reinado de Alboin,

Havia este maravilhoso reino dos lombardos. Não houve violência, nenhuma armadilha de conspiração e nenhum outro oprimido injustamente. Ninguém saqueou e não houve furtos, não houve roubo; todos foram para onde quiseram, seguros e sem qualquer medo (História, III, 16).

Embora esta descrição seja considerada um exagero pelos estudiosos, parece que o reinado de Alboin trouxe estabilidade e prosperidade para a Itália, especialmente no norte, e ele foi um monarca eficaz, apesar das atividades dos duques individuais. Embora tenham agido em seus próprios interesses, os historiadores supõem (com base na reação geral à morte de Alboin e as consequências) que parecem ter acreditado que estavam seguindo um curso que Alboin teria aprovado.

Assassinato e consequências

O casamento de Alboin com Rosamund nunca foi feliz. Paulo, o diácono, afirma que Alboin costumava abusar de sua esposa e zombar dela. O casamento, como muitos que envolveram a nobreza ao longo dos tempos, foi simplesmente um artifício para garantir uma aliança. Além disso, Rosamund já era cativa de Alboin após a derrota e morte de Cunimund e, portanto, ela dificilmente teve uma escolha em se casar com o rei lombardo. Em junho de 572 EC, ela aparentemente atingiu o ponto em que não tolerava mais ser casada com o homem que matou seu pai e usava a caveira no cinto como copo. Paul escreve:

Quando ele [Alboin] estava mais cheio de vinho do que o apropriado em uma festa em Verona, ele pediu que o vinho fosse dado à rainha para beber na taça que ele havia feito com a cabeça de seu sogro Cunimundo. Ele a convidou para beber alegremente com seu pai ... Portanto, quando Rosamund descobriu sobre o assunto, ela concebeu uma dor profunda em seu coração que ela não foi capaz de suprimir. Ela queimou para vingar a morte de seu pai em seu marido (História, III, 18).

Rosamund convenceu o irmão adotivo de Alboin, Helmechis, a assassiná-lo. Outras fontes sobre o assassinato de Alboin (como Gregório de Tours ou Marius de Aventicum) fornecem detalhes diferentes, mas todos concordam que a trama foi iniciada por Rosamund que, talvez, se apaixonou por Helmechis ou, pelo menos, estava tendo um caso com ele. Rosamund e Helmechis alistaram a ajuda de um guarda-costas chamado Peredeo, que foi enganado pela conspiração por Rosamund que se disfarçou de criada, fez sexo com ele e, em seguida, essencialmente o chantageou para o serviço. Um dia, quando Alboin se retirou para seu quarto para descansar depois do almoço, Helmechis e Peredeo o atacaram. Rosamund ordenou que Peredeo amarrasse a espada de Alboin em sua cama para que o rei ficasse desarmado. Alboin lutou contra seus agressores com um banquinho, mas foi espancado e morto.

O casal, junto com a filha de Alboin de seu primeiro casamento, Peredeo, o tesouro real e um segmento do exército, fugiram de Verona para a cidade de Ravenna, controlada pelos bizantinos. Este curso de ação sugeriu a muitos historiadores que o assassinato foi realmente instigado pelo Império Bizantino e Rosamund foi manipulado por eles. Embora o império possa ter participado da morte de Alboin (e certamente teria sido aliviado por ela), todas as fontes primárias afirmam que o assassinato foi planejado e executado por Rosamund para vingar a morte de seu pai e punir seu marido por ter abusado dela. . Mesmo assim, o fato de que os conspiradores foram recebidos em Ravena e que, após suas mortes, o tesouro real e a filha de Alboin foram enviados a Constantinopla, argumenta a favor do envolvimento bizantino no assassinato de Alboin.

Helmechis e Rosamund se casaram em Ravenna e ele se proclamou rei. Os duques recusaram-se a reconhecê-lo, entretanto, e proclamaram seu próprio rei, Cleph, o duque de Pavia, cidade que finalmente caiu ao cerco. Rosamund, aparentemente, não achou Helmechis mais de seu agrado do que Alboin e envenenou sua taça de vinho. Helmechis, entretanto, suspeitando de sua traição, fez com que ela bebesse da xícara antes ou logo depois de ele ter feito isso e, dessa forma, os dois morreram nas mãos do outro.

Cleph reinou por 18 meses antes de ser assassinado por um de seus servos. Os duques individuais então lutaram entre si pelo controle do reino de 572-586 EC, quando o rei Authari foi eleito para lutar contra as incursões dos bizantinos e francos. O Reino da Lombardia na Itália manteve o controle da região, às vezes perdendo e às vezes ganhando território substancialmente, até 774 EC, quando foram conquistados por Carlos Magno dos Francos e absorvidos por seu império. Embora os reis lombardos posteriores, como Agilulf (reinou de 590-616 dC), Rothari (reinou de 636-652 dC) e, especialmente, Liutprand (reinou de 712-744 dC), fizeram maiores avanços na conquista e no governo do que Alboin, o primeiro lombardo o rei da Itália ainda é lembrado por conduzir seu povo a uma pátria segura e por estabelecer um reino que ele sentiu que poderia chamar de seu. Sua vida e realizações foram ofuscadas por sua morte e sua subsequente transformação em um personagem da tragédia literária, mas, enquanto viveu, ele parece ter sido um homem de considerável poder e visão para o futuro de seu povo.


História de Albion

O condado de Noble foi organizado em 1836 por um ato da legislatura de Indiana e nomeado em homenagem a James Noble, que serviu por dois mandatos no Senado dos EUA de 1816-1831.

Sua primeira sede de condado foi localizada na trilha Fort Wayne-Goshen (hoje, EUA 33), na época a principal via pública do condado. Por várias razões, a sede do condado foi posteriormente movida para o leste para pequenos assentamentos em Augusta (1843), Port Mitchell um ano depois e para uma casa permanente em Albion em uma estrutura modesta de dois andares em 1847.

Este edifício foi destruído por um incêndio em 1859 e substituído na mesma praça pública por um edifício de tijolo em 1860, que serviu até 1887, altura em que se tornou dilapidado e muito pequeno para servir as necessidades do crescente governo do condado. Em 1889, foi construído o atual edifício de estilo românico de Richardson, que hoje domina a praça. É a sede da justiça do condado, com diversos escritórios dentro e perto da cidade, que atualmente tem uma população de aproximadamente 2.000 habitantes.

A Old Jail, agora pertencente e mantida pela Noble County Historical Society, foi construída em 1876, um quarteirão a oeste do tribunal. Ocasionalmente, o deputado de um xerife gritava de uma janela aberta no segundo andar do tribunal para que alguém na prisão trouxesse "fulano de tal" para uma audiência no tribunal. Uma prisão moderna de Noble County está localizada na State Road 9, no lado leste da cidade.

Em 165 anos de existência, Albion experimentou um crescimento modesto da população. Em 1874, tornou-se uma parada na recém-instalada Baltimore & amp Ohil Railroad. Isso levou ao estabelecimento de um parque industrial cujos principais ocupantes foram uma fundição e uma fábrica de carrinhos, posteriormente seguida por uma serraria e elevadores de grãos.

O serviço B & amp O - passageiros e carga - praticamente cessou na década de 1950 e hoje a única lembrança desses tempos é o barulho de longas filas de carros a carvão CSX passando pela cidade.

Em seu pico, a Couthouse Square e os quarteirões ao redor ostentavam uma Opera House, escritórios de advocacia, uma grande variedade de lojas de varejo, estábulos de libré - sucedidos por postos de gasolina. Em um momento ou outro, a cidade ostentava um cinema, uma confeitaria, joalheria, farmácia, médicos e dentistas, sapataria, barbearia - só para citar alguns. Após alguns anos de declínio, Albion está passando por um renascimento, com a maioria dos edifícios ocupados no centro da cidade e os residentes aproveitando a praça para inúmeros eventos e festivais. A vila é ainda servida por uma loja de ferragens, vários restaurantes, lojas de souvenirs, escritórios, bancos, mercearia, médico, dentista, farmácia, geladaria e ginásio.

Albion, é claro, manteve o tribunal - que foi maravilhosamente mantido e ainda é uma atraente peça central do centro da cidade. Um quarteirão inteiro próximo ao tribunal está em construção para novos escritórios do condado. A estrela. Team (um membro do programa Indiana Main Street) trabalha para melhorar a atratividade e a viabilidade do centro da cidade, mais recentemente apoiando a adição de murais nas laterais dos edifícios e coordenando as atividades. O parque industrial da cidade está prosperando e a comunidade é atendida por um jornal semanal. Muitas dessas amenidades são consideradas exclusivas para uma cidade do tamanho de Albion, dando a ela um grande potencial para manter seu charme por muitos anos.
A narrativa escrita por Robert Gagen Jr. (atualizado em 2021)

& copiar Albion, em 211 East Park Drive, Albion, IN 46701

Os materiais postados neste site são apenas para uso pessoal e não comercial e podem ser baixados apenas para uso pessoal. A republicação, retransmissão ou reprodução de qualquer imagem é estritamente proibida.


Alboin - História

Localizada no nordeste do condado de Pushmataha, Albion está situada na rodovia norte-americana 271, cerca de duas milhas ao sul da linha do condado de Pushmataha-Latimer. A área estava originalmente na Nação Choctaw, Território Indiano. Um posto de correios foi estabelecido lá em 6 de dezembro de 1887. A Ferrovia de St. Louis e San Francisco construiu uma linha através da área em 1886-87. Durante a década de 1880, os Irmãos Shine operavam uma serraria. Outros negócios iniciais incluíram a Jerome Clayton Lumber Company e a Albion Mercantile. Quando a cidade foi planejada e incorporada em 1906, John T. Bailey a chamou de Albion, que é uma palavra romana / antiga para a Inglaterra. Naquele ano, o Sindicato dos Agricultores construiu uma descaroçadora de algodão.

A cidade servia a uma região agrícola que produzia algodão e feno, bem como gado, ovelhas e perus. Em 1911, R. L. Polk's Diário do Estado de Oklahoma e Diretório Comercial A população estimada de Albion era de trezentos. Naquela época, um banco, um hotel, três armazéns gerais, uma libré, um ferreiro, um sapateiro e uma confeitaria constituíam o distrito comercial. E. E. Lenhart publicou o Albion Advocate jornal. L. A. Reynolds era o dono do hotel e trabalhava como agente do correio. As primeiras igrejas incluíam a Metodista, a Batista e a Igreja de Cristo. Uma população de 301 pessoas em 1920 caiu para 161 em 1960 e 88 em 1990.

Por volta de 1913, Mato Kosyk (1853-1940), um ministro luterano que emigrou para os Estados Unidos de Werben, Baixa Lusatia, Alemanha Oriental, em 1883, retirou-se para uma fazenda perto de Albion. Poeta, é considerado um dos três grandes escritores sorábios (língua eslava). Portanto, os europeus reconheceram seu aniversário de cento e cinquenta anos em 2003.

Na virada do século XXI, Albion, com 143 residentes, servia como uma comunidade "dormitório". A população caiu para 106 no censo de 2010. A escola de Albion ofereceu educação desde o jardim de infância até a oitava série. Alunos do ensino médio frequentaram escolas Clayton. O Albion State Bank (NR 79002024) e a Mato Kosyk House (NR 79002025) foram listados no Registro Nacional de Locais Históricos.

Bibliografia

"Albion", Arquivo Vertical, Divisão de Pesquisa, Sociedade Histórica de Oklahoma, Cidade de Oklahoma.

Perfis da América, Vol. 2 (2d ed. Millerton, N.Y .: Gray House Publishing, 2003).

Dorothy Arnote West, Condado de Pushmataha: os primeiros anos (N.p .: Dorothy Arnote West, 2002).

Nenhuma parte deste site pode ser interpretada como de domínio público.

Direitos autorais de todos os artigos e outros conteúdos nas versões online e impressa do The Encyclopedia of Oklahoma History é realizada pela Oklahoma Historical Society (OHS). Isso inclui artigos individuais (direitos autorais para OHS por atribuição do autor) e corporativamente (como um corpo completo do trabalho), incluindo web design, gráficos, funções de pesquisa e métodos de listagem / navegação. Os direitos autorais de todos esses materiais são protegidos pelas leis dos Estados Unidos e internacionais.

Os usuários concordam em não baixar, copiar, modificar, vender, arrendar, alugar, reimprimir ou de outra forma distribuir esses materiais, ou conectar-se a esses materiais em outro site, sem autorização da Oklahoma Historical Society. Os usuários individuais devem determinar se o uso dos materiais se enquadra nas diretrizes de & quotFair Use & quot da lei de direitos autorais dos Estados Unidos e não infringe os direitos de propriedade da Oklahoma Historical Society como o detentor legal dos direitos autorais de The Encyclopedia of Oklahoma History e parte ou no todo.

Créditos das fotos: todas as fotografias apresentadas nas versões publicadas e online de The Encyclopedia of Oklahoma History and Culture são propriedade da Oklahoma Historical Society (salvo indicação em contrário).

Citação

O seguinte (de acordo com The Chicago Manual of Style, 17ª edição) é a citação preferida para artigos:
Linda D. Wilson, & ldquoAlbion & rdquo The Encyclopedia of Oklahoma History and Culture, https://www.okhistory.org/publications/enc/entry.php?entry=AL004.

& # 169 Oklahoma Historical Society.


Continuando a tradição de inovação de Albion

O avô de Mark, F. Karl Schneider comprou a Albion Engineering Company na Filadélfia em 1929. Na época, a empresa consistia em uma oficina mecânica que construía lavadoras de barris para a Cervejaria Schmidt e engrenagens elípticas para as fábricas de malharia locais. A oficina mecânica ficava no segundo andar de uma garagem de rodas de vagão, movida por eixos de transmissão suspensos.

No início dos anos 1930, F. Karl Schneider projetou uma pistola de aplicação de calafetagem para a Calbar Paint & amp Varnish Company, que fabricava tinta e massa na garagem do primeiro andar de propriedade de Albion. Em 1936, F. Karl Schneider obteve a patente da pistola de calafetagem com haste lisa. O desenvolvimento da primeira pistola de calafetagem com haste lisa lançou a Albion no mercado de ferramentas de distribuição. Em 1937, Albion patenteou uma pistola distribuidora de graxa acionada por gatilho, com recursos de design ainda em uso hoje.

Desde então, a empresa expandiu a linha de produtos de pistola distribuidora imensamente para modelos de pistola de calafetagem movida a ar e multicomponente, acessórios de pistola distribuidora e ferramentas especiais de pistola distribuidora, como o dispositivo de mistura de aço inoxidável da Albion. Mark Schneider recebeu várias patentes e tem várias outras pendentes no campo de pistolas de calafetagem de alto empuxo e potentes.

Hoje, a Albion Engineering Company tem quase 600 pistolas distribuidoras catalogadas, acessórios para pistolas de calafetagem e produtos especiais. Continuamos com o compromisso de fornecer a você soluções inovadoras e de ponta em pistolas de calafetagem para suas necessidades de distribuição. Contacte-nos para mais informações.


O Albion College atendia originalmente às necessidades educacionais dos filhos de nativos americanos e colonos da área. Em 1835, o Colégio foi premiado com uma carta constitutiva da Legislatura Territorial de Michigan, graças aos esforços dos Metodistas que foram os primeiros colonos no Território de Michigan.

Sempre na vanguarda, Albion se tornou uma das primeiras escolas no meio-oeste a introduzir a coeducação. Em 1850, o legislativo aprovou a fundação do Albion Female Collegiate Institute, que era então controlado por sua contraparte, a Wesleyan Seminary Corporation. Mas em 1857, as duas escolas se fundiram sob o nome de Seminário Wesleyano e Colégio Feminino em Albion. O Albion College foi totalmente autorizado pela legislatura estadual a conceder diplomas universitários de quatro anos para homens e mulheres em 25 de fevereiro de 1861.

Desde o momento em que a pedra fundamental foi lançada para o primeiro edifício permanente em 1840 até hoje, Albion College permaneceu no mesmo local, a parte original do qual agora é carinhosamente chamada de "Quad". Em 1861, havia apenas dois edifícios de salas de aula. Mas em 1901, Albion havia adicionado uma capela, um observatório, um ginásio, um prédio de química e uma biblioteca.

Hoje, Albion ocupa 225 acres com mais de 30 edifícios principais. Desde 2000, concluímos grandes acréscimos que vão do Edifício Administrativo Ferguson ao nosso Complexo Científico com certificação LEED. Os centros aquáticos, recreativos e de aprendizado são complementados por nossas instalações equestres de 340 acres e o Davis Athletic Complex. Em 2017, a inauguração do Ludington Centre estabeleceu oficialmente a presença do College no centro de Albion, proporcionando mais oportunidades de engajamento e colaboração com a cidade de Albion e a comunidade circundante.

O número de matrículas da faculdade aumentou de 500 alunos em 1901 para mais do que o triplo desse número hoje. O corpo docente em tempo integral atualmente totaliza 101, e a faculdade tem mais de 23.000 ex-alunos vivos.

Nosso crescimento e mudança são sinais de nosso sucesso, que acreditamos ser fundamentado nas coisas sobre Albion que sempre permaneceram as mesmas. Em primeiro lugar, nossa ênfase na excelência na educação em artes liberais é nossa marca registrada. Nosso compromisso com uma base ampla e rigorosa é complementado por nossa ética de trabalho. Colocamos os alunos no mundo real e pedimos que pesquisem, participem e liderem. Esperamos que eles façam isso bem, levem adiante e sejam mais. Porque Albion é onde você transforma o pensamento em ação. Onde você aprende a viver na vanguarda de quem você é. Onde você se torna o melhor de si, pronto para viver uma vida de impacto. E esse é o Albion College hoje.


História de Albion

O negócio Albion assumiu várias formas ao longo dos anos. O fundador e editor Seth Ross começou a planejar um negócio baseado na Internet a se chamar & quotAlbion & quot na primavera de 1989. Ele colocou um computador NeXT com o nome de host & quotalbion & quot em serviço para publicação online e de livros em maio de 1990.

Em janeiro de 1993, a Albion Books iniciou seus negócios com a publicação de Taking the Next Step: A Buyer's Guide to NeXTSTEP por Ross e co-autor Daniel Kehoe. Entre maio de 1994, quando a gerente de negócios Catherine Hubbard assumiu um papel crítico, e 7 de dezembro de 1995, Albion lançou três títulos de livros, cada um acompanhado por um serviço online: Netiquette TM de Virginia Shea, The Millennium Shows, um romance de Philip Baruth e The Newbie's Guide TM para The Microsoft Network por Michael Lehman.

Armado com a crença de que & quotinformation quer ser grátis & quot, Albion Cybercasting lançou sua primeira lista de mala direta eletrônica, Blake Online, em novembro de 1993 e tem servido a rede desde então. Trabalhando com o webmaster Daniel Kehoe, Albion lançou este site da World Wide Web em janeiro de 1995. Naquele mesmo mês, após vários meses de negociações, uma equipe central composta por Ross, Hubbard e o programador / autor Michael Lehman, começou a desenvolver um importante serviço online em A Microsoft Network se chama AlbionChannel SM.

O serviço Albion MSN era composto por quatro & quotprogramas & quot - Netiquette Center, Newbie Forum, BookExpo SM e The Doors of Cyberspace SM - que foram lançados atualmente com o Windows 95 em agosto de 1995. Nossos populares serviços MSN alcançaram centenas de milhares de Navegadores do MSN e começaram a atrair compromissos de patrocínio significativos. Claro, um sucesso como esse pode ser o beijo da morte. Embora o serviço fosse um sucesso entre os usuários, várias circunstâncias nos levaram a remover o AlbionChannel do MSN em julho de 1996.

Em janeiro de 1997, Albion começou a oferecer serviços de desenvolvimento web e Java para clientes corporativos. Em abril de 1997, Albion lançou o Netdictionary, um guia de referência em ordem alfabética para termos da Internet projetado para demonstrar nossos recursos de desenvolvimento Java e web.


Breve história

Em 1816, George Flowere Morris Birkbeck, ambos ingleses ricos, ficaram interessados ​​em emigrar da Inglaterra para a América e estabelecer uma colônia de seus conterrâneos.

Morris Birkbeck, que veio de uma família quaker abastada em Surrey, era um cavalheiro fazendeiro inglês bem-educado de uma propriedade alugada de 1.500 acres chamada Wanborough. Ele se ressentia de sua falta de franquia política na Inglaterra e de sua obrigação de apoiar a Igreja Anglicana, que ele desaprovava.

George Flower era filho de Richard Flower de Marden Hall, Hertfordshire, Inglaterra. Richard era um homem de considerável influência na Inglaterra, onde enriqueceu com o funcionamento de uma grande cervejaria. o Flor A família também tinha um forte desejo de independência, com tendências liberais, uma aversão às cidades e uma profunda simpatia pela classe trabalhadora, especialmente os agricultores. Richard Flower encarregou seu filho mais velho, George, então com quase trinta anos, de investigar as possibilidades de emigrar da Inglaterra.

Em abril de 1816, George Flower saiu de Liverpool para Nova York, uma travessia que durou 50 dias. Ele fez uma longa e tortuosa viagem a cavalo de Nova York à Filadélfia, Pittsburgh, Cincinnati, Lexington e Nashville, culminando em Monticello, Thomas Jefferson e sua casa na Virgínia, onde passou os meses de inverno. Durante esta viagem, ele visitou muitos homens intelectuais e influentes, avaliando assentamentos e estudando a América.

Na primavera, ele estava convencido de que o melhor lugar para o assentamento inglês não era no leste ou no sul, mas no oeste, nas pradarias americanas. Ele estava prestes a voltar para a Inglaterra quando soube que o Sr. Birkbeck e seu grupo havia chegado a Richmond, Virgínia, onde ele se apressou em se juntar a eles. o Birkbeckpartido consistia no Sr. Birkbeck, um viúvo de 54 anos, suas duas filhas de 19 e 16 anos e dois de seus filhos de 16 e 14 anos Srta. Eliza Julia Andrews, 25 Elias Pym Fordham, de 29 anos, sobrinho de Elizabeth (Fordham) Flor(Mãe de George & # 8217s) e dois servos.

Porque Birkbeck já havia conhecido Edward Coles, um diplomata americano, e através dele se interessou pelas pradarias de Illinois, Birkbeck e Flor estavam de acordo e decidiram partir imediatamente para o Ocidente. Depois de um árduo passeio de diligência até Pittsburgh, eles viajaram por terra a cavalo pela Pensilvânia até Chillicothe e Cincinnati, Ohio e por Indiana, terminando suas viagens em Vincennes no rio Wabash.

Enquanto em Vincennes, George Flower era casado com Eliza Julia Andrews, membro da Birkbeck & # 8217s Festa. No início da viagem, a Srta. Andrews também havia sido proposta pelo Sr. Birkbeck. Muitos historiadores acreditam que este casamento começou uma cisão entre Birkbeck e Flor que, em última análise, afetaria o acordo proposto. Deve-se notar que George Flower já era casado na época de seu casamento com Eliza Julia. Ele havia se casado na Inglaterra com sua prima Jane Dawson.

O partido se estabeleceu temporariamente em Princeton, Indiana, enquanto Birkbeck e Flor continuaram a caçar as pradarias que procuravam. Eles viajaram para Harmonie, no condado de Posey, Indiana, e para Shawneetown, no condado de Gallatin, Illinois, coletando informações, depois subiram o lado do rio de Illinois até chegarem a uma série de pradarias. Eles encontraram Boultinghouse Prairie, no condado de Edwards, e a escolheram como local para a proposta colônia de ingleses. A partir de então, ficou conhecido como “English Prairie”.

Foi acordado entre o Sr. Flor e o senhor Birkbeck aquele Sr. Flor deve retornar à Inglaterra para induzir a imigração ao local escolhido no condado de Edwards e ajudar no planejamento do transporte para os colonos interessados, enquanto o Sr. Birkbeck devia cuidar da aquisição das terras necessárias e, de outra forma, preparar-se para a recepção de seus compatriotas.

Permanecendo na pradaria, Birkbeckentrou nas concessões de terras necessárias de quase 10.000 acres a US $ 2 por acre. Birkbeck começou imediatamente a construir cabanas para sua família e acomodações temporárias para aqueles que mais tarde se uniriam ao assentamento. Ao mesmo tempo, Elias Pym Fordham inicia a construção do Flor casas.

Em março de 1818, o primeiro grupo de 88 imigrantes embarcou de Bristol, na Inglaterra. Neste grupo estavam 44 agricultores de Morris Birkbeck & # 8217sSurrey, área da Inglaterra, e o resto eram comerciantes e mecânicos de Londres e outras partes da Inglaterra. Solteiros habilidosos, Charles Trimmer e James Lawrence, os lideravam. Esta festa de imigrantes é conhecida como & # 8220Lawrence and Trimmer party & # 8221.

Um mês depois, em abril de 1818, uma segunda carga de mais de 60 imigrantes partiu de Liverpool, Inglaterra em um navio fretado. Este grupo incluiu o Richard Flower família Maria Fordham, irmã de Elias Pym Fordham, George Flower e seus dois filhos, a família John Woods e a família Shepherd de 4 pessoas, cuja família serviu à família Fordham-Flower por 3 gerações e que se recusou a ser deixada para trás.

A fenda que se desenvolveu entre Birkbeck e Flor, por alguma razão, dividiu os colonos em duas facções. Como resultado da fenda, dois assentamentos foram iniciados em 1818 com cerca de 2 milhas de distância um do outro. George Flower fundado Albion(o nome poético da Inglaterra), e Morris Birkbeck fundou Wanborough (o nome de sua antiga propriedade na Inglaterra) cerca de 2 milhas a oeste de Albion.

As duas aldeias e a área ao redor delas ficaram conhecidas como & # 8220Liquidação Inglesa& # 8220. Ao longo das décadas seguintes, imigrantes ingleses continuaram a chegar, muitos deles parentes daqueles que vieram antes, e escreveram para casa com seu sucesso na América. Um dos primeiros imigrantes, John Woods, publicou & # 8220Residência de 2 anos na Pradaria Inglesa & # 8221 em 1820, pretendia ser um guia para os imigrantes.

Wanborough como uma cidade, infelizmente, perdeu seu coração com a morte de Morris Birkbeck que se afogou em 4 de junho de 1825 enquanto cruzava o rio Fox voltando de New Harmony, Indiana. Ele e seu filho Bradford foram a New Harmony para entregar um pacote de cartas ao Sr. Owen, que as levaria para a Inglaterra. Today all that remains of Wanborough is a cemetery, the final resting place of many of the early pioneers of that settlement.

During the few short years that Birkbeck lived in the English settlement, he did much to promote its settlement to English immigrants by publishing two books in 1818, “Notes on a Journey in America, from the Coast of Virginia to the Territory of Illinois, with Proposals for the Establishment of a Colony of English”, and “letters from Illinois”. Both of these books were widely read both in England and America.

Birkbeck was also instrumental in the anti-slavery movement, writing essays under the pen name of Jonathan Freeman. He is largely credited for Illinois remaining a free state in the general election of August 2nd 1824 when the citizens were asked whether to call a state convention in which Illinois might scrap her old Constitution, based on the Northwest Ordinance of 1787 which declared that the Northwest Territory should be forever free from slavery.

Quanto ao Florfamily, they expended a considerable fortune in establishing and defending the settlement at Albion. Their home, Park House, was located due south of the courthouse and 1 mile south of Albion. At the time it was built, it was said to be the finest home west of the Allegheny Mountains. It was destroyed by fire in the 1860s.

In 1849, with most of the family fortune gone, George and Eliza Julia moved to New Harmony, Indiana and became innkeepers of “Flower House” in one of the former Rappite dormitories. They continued operating the inn until 1855 or earlier 1856 when they moved to Mt. Vernon, Indiana.

By 1861 their health was fading quickly. At the home of their daughter, Rosamond Agniel, on January 15th 1862, both George and Eliza Julia died in Grayville, she in the morning and he towards evening. They were laid to rest side by side at Oak Grove Cemetery at Grayville. They had wanted to be buried in Albion, but the January weather, and poor road conditions made that impossible.

Albion Public Library

Corner of 4th and main

Built in 1842 by Dr. Frank Thompson as his residence, office, and hospital, the building has housed the Albion public library since 1922. Established in April 1819, the Albion Public Library is the oldest public library in the state of Illinois.

St. John’s Episcopal Church

East Cherry Street between 4th and 5th streets

Early mention is made of church services held in log cabins in Wanborough using the service of the Church of England . As early as 1822 , mention is made of Church of England prayers being read in part of the Market House on the southwest corner of the public square in Albion .

After the Revolutionary War and Independence from England the Church of England became the Episcopal Church in the United States.

Built in 1842, this is the original building of St John’s Episcopal Church. It is the oldest Episcopal Church building in the Diocese of Springfield and was designed and constructed of handmade brick from the early brick yards of Albion. The bell tower contains the original bell that was hung there in 1844.

Edwards County Historical Society

212 West Main Street

The Edwards County Historical Society was organized on August 21st 1939. In 1941, the society purchased the birthplace of former Illinois governor Louis L. Emmerson (serving 1929 to 1933) and it became the Society’s permanent home. The front portion of this building is a log structure built in the mid-1850s. The original building was “two over two” with porches on the front and back. The second floor was accessed by stairs from these porches, there being no interior stairs .

The Edwards County Historical Society is opened Thursday evenings from 6:30 to 9:30 and other times by appointment.

Edwards County Courthouse

Courthouse Square

The 1st Court House of Edwards County was completed in 1825 at a cost $3000. In 1852 a contract for $3600 was let to build a new courthouse and the old one was sold with the provision that it be moved within nine months. In 1887 an attempt to build a new courthouse failed. After much wrangling and a threat to move the county seat to Browns, it was agreed that the courthouse be remodeled. The building could be remodeled by the county commissioners without the approval of the voters. The 1852 courthouse was completely razed except for a portion of the old wall on the west and a small section on the South, thus qualifying as “remodeling”. The present Edwards County Courthouse was erected in 1888.

Old Edwards County Jail

Future home of the Edwards County Historical Society library Courthouse Square

The historic Edwards County Jail is currently being restored by the Edwards County Historical Society. Once completed, the building will house the Society’s historical and genealogical library. It was built in 1859 by Elias Weaver. Mr. Weaver had come to the English Settlement at Albion from Rapp’s German settlement at Harmonie, Posey County, Indiana. In 1893 the North portion was added for the cell area and the original front part became the residence of the sheriff and his family. This standing-seam roof is original from the 1893 remodeling .

Washington Painter House

South 5th Street

The Washington Painter home at 223 South 5th Street in Albion was built in 1871 by Washington and Margaret (Wilson) Painter. That same year, Washington Painter became co-founder of the firm of Painter & Frankland in Albion, with his brother-in-law George Frankland. Painter and Frankland manufactured the Eureka Stump Plow, which was invented and patented by Washington Painter. The firm also manufactured the “Albion Wagon” in volume for the then flourishing wagon market. An original “Albion Wagon” is also on display at the residence. In later years, Painter & Frankland became predominately a hardware store .

Washington Painter, being a blacksmith, made the antique wrought iron fence, and gates, which border the front of the property. He also made a tin bathtub which remains in use in the house today.

Downtown Business Block

North 5th Street

Across the street from the pagoda are 5 business buildings that were erected in 1908. A disastrous fire in January of that year had destroyed all the buildings that had been located on these sites. The double brick wall of the Painter & Frankland hardware store building prevented the fire from spreading farther up the block. The Painter & Frankland (now Deja’Vu) building has an ornate Mesker stamped metal facade .

The original business is located in these five buildings for many years were: W. A. Schock men’s clothing store, Spillers clothing store, Curdling’s shoe store, B.F. Michel’s pharmacy, and Stewart & Emmerson Co., Bankers (later First National Bank). The bank vault was saved and rebuilt around. It is still in place today.

Congregational Church – Southern Collegiate Institute

129 East Main Street

First Methodist Church

This building has housed the Methodist Church since 1917, although the Methodist Church in Albion began with visits of circuit-riding preachers in 1821. The building was erected in the years 1896 to 1898 by the Congregational Church, which was organized in 1891 as the result of the Congregational Church establishing a college, the Southern Collegiate Institute, in Albion. This building was also used as the music department for the college (SCI). They operated the College in Albion for 25 years, from 1891 until financial difficulties forced them to close the college with the graduating class of 1916. The interior of the church was gutted by fire in November 1905 and rebuilt. The Methodist Church has maintained the facility with most of the original details intact.

First Presbyterian Church

Corner of 6th and Elm Street

According to the Edwards County History Book published in 1980, First Presbyterian Church Cumberland was formed in 1843, meeting in the Union Church House on the east side of the public square. The building of a frame church was followed by a brick structure before the current church home was constructed in 1910. Total building costs were less than $10,000. Notável Albion community leaders J.F. Stewart, Washington Painter, B.F. Michaels, George O. Green and George Bower made up the building committee. The church remains an active presence in the Albion Community .

Charles S. Stewart House

Corner of 6th and Elm Streets

Charles S. Stewart and Arabella J. Weed were married and moved into their newly built residence in the fall of 1865. Constructed by Elias Weaver, a well-known local builder, Mr. Weaver’s family came to America with the Rapp Society (Harmonie, Posey County, Indiana). Mr. Weaver later relocated to Albionand married Christina Stewart, an aunt of Charles S. Stewart .

The Stewart House exhibits many features of the Greek revival style, which was dominant in America from about 1820 to 1860. Its popularity led it to being called the National style. It borrows many of its features from ancient Greek temples.

The Stewart house is presently being restored and at least a portion of it is expected to be open for the 2011 Heritage Day Tour. The house is being nominated for listing on the National Register of Historic Places.

Courthouse Square

The southwest corner of the public square has a long history as a community gathering spot in Albion. The first structure located there was built in 1890 to give shelter to one of four wells commissioned in 1889 to provide drinking water to Passerby and horses. After completion, the wells soon gained notoriety for their health-giving mineral water and were visited by persons from places far and wide. They valued its properties as a cure for “rheumatism, kidney and urinary troubles, and derangements of the stomach and bowels and many other afflictions” .

The first pagoda was followed by a more substantial model in 1906. It also served as a bandstand and housed the town’s fire bell. The above photo was taken soon after, before the fire in 1908.

The current Pagoda, third on this site, is unusual in its octagonal shape, architectural flavor, and solid construction. It was constructed in 1914 with funds raised by the Albion Women’s Beautifying Club. The mineral well is no longer active but the upper floor serves as a stage for many community gatherings. Note that the fire bell was moved from the pagoda to the courthouse lawn.

Edwards County Memorial Arch

Southwest inside Corner of Courthouse Square

T he original Honor Roll Memorial Veterans Arch was dedicated on July 4th, 1943, before a crowd estimated at 7,500 people. This was the largest attendance for any event in Albion to that date. The current Veterans Memorial Arch was dedicated on May 26th, 1986 .

Marker for Morris Birkbeck

East Side of Inner Square on Courthouse Square

On the square across from the Albion Public Library is a memorial to Morris Birkbeck, co-founder of the “English settlement” in Edwards County. This memorial was erected in 1929 by the Department of Illinois Women’s Relief Corps Auxiliary to the Grand Army of the Republic “in respect and gratitude for the decided part he took against the introduction of slavery” in Illinois

Additional information about Morris Birkbeck can be found at the front of the publication.

Wanborough Cemetery

Approximately 1 1/2 Miles West Albion

West of Albion, Wanborough Cemetery stands as a reminder of the brave souls who weathered the tests of pioneers to begin the settlement of the new English Colony in America. The cemetery is all that remains of the community called Wanborough. It contains some interesting old headstones of the early residents. A historical marker was erected there in 2007.

Old Albion Cemetery

Between 4th and 5th Streets north of Pine Street

O velho Albion cemetery north of downtown is an interesting visit into the early days of Albion. The old stone carvings and ornamental ironwork also provide many possibilities for photography .

Lincoln Oak Grove

West Main Street

A monument was erected in 1956 to commemorate Abraham Lincoln’s speech in the presidential campaign of 1840. To an audience in General William Pickering’s Grove of oak trees, Lincoln was stumping southern Illinois as a Whig elector for the General William Henry Harrison in the “Tippecanoe & Tyler Too” campaign .

Lincoln made his second appearance in Albion in 1856, when he was campaigning for U.S. Representative and presidential elector. Again the meeting was held in the Pickering Grove with General Pickering acting as master of the ceremonies. Lincoln spent the night in Albion at the Bowman’s Tavern (hotel) which was located on what is now the northeast corner of the Borowiak’s IGA parking lot.

Brick Streets and the Brick Industry in Albion

The initial project of paving Albion’s streets with brick, dating to 1911, encompassed 21 blocks, “Paving District number 1”. The total cost of paving these 21 blocks was $83,432, and about 74 men, mostly local, provided the labor. Exclusively Albion Vitrified Paving blocks, and sandstone curbing were used throughout.

The manufacture of bricks in Albion has a long history. Reports as long ago as 1819 mention a brick kiln being built and the manufacturing of brick being undertaken in Albion. By 1850, the Basset & Sons yard was producing 400,000 handmade bricks per year.

On August 9th, 1900, the Albion Shale Brick Company was incorporated with a capital stock of $20,000, later increased to $200,000. It was located just south of the former Albion Depot at the south edge of Albion. In 1926, the Albion shale brick company purchased the West Salem Hollow Tile and Brick Company which had been organized in 1911.

The Albion vitrified brick company was incorporated in 1902. It used the long push-on type kiln, later supplemented by the Bee-hive type kiln. Very fine paving bricks were made there. They were made from a good quality of shale which was found nearby. Some of those bricks are to be found now in the streets of Albion as well as many other towns and cities across the country, including Mt. Carmel, Carmi, Mount Vernon, Carbondale, Centralia, East St. Louis, Chicago, Evansville, and New Albany, Indiana, St Louis Missouri, Memphis Tennessee and Louisville, Kentucky. The Albion Vitrified Brick Company was officially invited to make an exhibit at the St Louis World’s Fair in 1904. An article in the December 2nd, 1909 issue of the Albion Register states that since April 1st of that year, over 5 million paving blocks had been shipped from Albion to the different towns and cities. The quality of Albion paving bricks was known throughout the Midwest.

The two Albion yards (Albion Shale Brick Company and Albion Vitrified Brick Company) voted to consolidate November 8th, 1929 (The Great Depression had begun). Intermittently from then until 1975, when the last plant closed, the manufacture of brick furnished a living for many area families. The three whistles calling the workers to work, announcing noon hour, and closing time added an atmosphere to the town that is still missed today.

Albion citizens are rightfully proud of the brick streets. The century-old streets have withstood the test of time and have required virtually no maintenance. Realizing the historical value and pride the residents of Albion have for the brick streets the Albion City Council voted in July 2008 to begin their restoration. The specific restoration project that won the vote is for West Elm Street from 5th Street to 8th Street, including the intersection of 5th and Elm Streets.

Work will begin the spring of 2011 to restore Elm Street starting at the northeast corner of the 5th Street intersection.


June 5 marks 200 years since the founding of Bolton

Saturday June 5 th marks the 200 th anniversary of the purchase, by George Bolton, of a 200-acre mill site along the Humber River. He was 22 years old. The site’s potential had been identified by Provincial Land Surveyor James Chewett as he surveyed Albion Township in 1819 and was part of 2635 acres of land in Albion Township that Chewett received as payment for his services. George Bolton’s subsequent grist mill was the catalyst for our community. Here is what we know about him:

George Bolton was born in 1799 and grew up in Tannington, Suffolk England, not far from the Worlingworth church where his birth is registered. He was the youngest of six children born to James and Judith Bolton and he was educated, as were his siblings.

Although thought to be a bachelor, George had had a disagreement with his father over an unsanctioned marriage that, in the end, did not last. Written out of his father’s will, George left England and travelled to Jamaica where he acquired capital working in the indigo trade.

When George arrived in Canada in 1821, he was joining his brother, James Bolton, 18 years his senior and one of the first to settle in Albion Township. James’ 100-acre farm lay close to the Caledon King Town Line and Castlederg Sideroad. One of George’s first tasks was to build a house, later described as a frame, roughcast building. He also selected and started clearing a site for his grist mill on the south bank of the Humber. He was guided by James, a skilled millwright, who helped him build his mill and construct a dam across the river. The mill was grinding grain by 1824.

The economic value of the area surrounding George’s property had been recognized and the survey reserved the 200 acres to the south for the Clergy and the 200 acres to the west for the Crown. In addition, 1000 acres on the tableland, immediately north, were given, as an extraordinary land grant, to a high-ranking military officer, Robert Loring, who lived in Kingston. This created challenges for mill access since surrounding road allowances were not cleared or maintained by these ‘absentee’ landowners.

George was known to be very hospitable to the many farmers who brought grain to the mill. He must also have had strength, resilience and endurance. He persevered and was successful, thanks to the ever-growing demand for flour.

His closest neighbours were niece Harriet Bolton and her husband John Godbolt who settled on land George sold to them, north of the Humber, well east of what is now Humber Lea Road. By 1830, there were fewer than 10 people living in a one-kilometer radius of Bolton’s Mill.

Around 1830, George provided land and a log structure for a school and in 1831, built a store at the NE corner of what would be King Street East at Mill. The following year, the government appointed George as postmaster and he housed the post office, named ALBION, in his store. In the early 1830s, two of George and James’ sisters immigrated to Canada, also settling in Albion Township: Maria Bolton Fuller and her husband Samuel. Rachel Bolton Godbolt and her husband George. George Bolton did not take sides during the 1837 Mackenzie Rebellion unlike James who fled to the US in the aftermath because of his vocal and written support of the uprising.

In 1845, after 23 years as miller, George retired and sold the mill, house and other property to his assistant and nephew, James Bolton Jr. He died on November 16, 1869 in Glenville, near Newmarket, on the farm of James Bolton Jr. and his wife Ellen. Efforts to locate where he is buried have been unsuccessful.


Black History

Since recruiting Black men from the south to work in the city’s industries, Black families have come to settle in Albion. Now the small town’s population has grown to be home to approximately 30% African American residents.

During the last 100+ years, Albion has stood out for its strength as a hub for civil rights leaders and social justice activists. Its residents often compare the community to a big family – one that can disagree and still remain by each other’s side, particularly in times of need.

Albion was the home of three Tuskegee Airmen, a rare achievement for a city this size.

Strenuous challenges have impacted the city of Albion once a thriving industrial town, the closing of businesses, the local hospital, and the public school district have caused many residents to leave also.

Those who remain in Albion are concerned about the city’s future while many are still coming together to envision what is possible amidst such great loss, many others feel a sense of mistrust too great to risk further pain.

When considering a key component of Albion’s Black History, let us remember some of the most incredible leaders who have come and imparted their wisdom. Among many trailblazers who have given back to the community, Albion’s anchor institutions have hosted the following luminaries:

What is more, the graduates of Albion Public Schools have also gone on to achieve greatness in every arena you can imagine. As with all of the information on AlbionMich.net, the content of the Black History page will continue to grow to paint the more full and rich picture of Albion that it deserves.

The best information about Black History in Albion can be found on the new website: http://albionwestward.net/

For now, please see below the articles and webpages that Albion residents have created to tell vital stories that are far too often overlooked in American society.


Assista o vídeo: Gepida Alboin 200 CRS 28 trekking