Cormorant AMS-122 - História

Cormorant AMS-122 - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Cormorant II
(AMS-122: dp. 290; 1. 144 ', b. 28', dr. 9 ', s. 13 k.
cpl. 39; uma. 2 20 mm .; cl. Pássaro azul)

O segundo Cormorant (AMS-122) foi lançado em 8 de junho de 1953 pelo Estaleiro Naval da Ilha Mare; patrocinado pela Sra. I. H. Whitthorne e comissionado em 14 de agosto de 1953, Tenente F. A. Mitchell, USNR, no comando. Ela foi reclassificada como MSC-122, em 7 de fevereiro de 1955.

Pelo resto do ano, Cormorant conduziu varredura de minas, escola de sonar e outras operações na costa oeste, exceto por um breve cruzeiro a Pearl Harbor para trabalhar no Centro de Treinamento da Reserva Naval.

Navegando para o Extremo Oriente, Cormorant chegou ao seu novo porto, Sasebo, em 22 de fevereiro. Ela permaneceu no oeste do Pacífico conduzindo exercícios de remoção de minas em águas coreanas e japonesas e viajando para Formosa, Okinawa e as Filipinas para treinamento até 1960.


Pesca do corvo-marinho: uma tradição antiga para marcar cada novo verão

Omoshirōte
Yagate Kanashiki
Ubune ka na

Delicioso e ainda
Atualmente como é triste,
Os barcos corvos-marinhos.

(Matsuo Bashō, 1688. Tradução de Donald Keene, Mundo dentro das paredes.)

Enquanto a escuridão da noite cai sobre a cidade de Gifu, província de Gifu, a cerca de 30 quilômetros da cidade principal de Nagoya na província de Aichi, um único fogo de artifício surge acima da superfície do rio Nagara. Ao fundo, ergue-se o Castelo Gifu, no pico do que antes era chamado de Monte Inaba, agora chamado de Monte Kinka, a 329 metros acima do nível do mar. A luz sinaliza o início da pesca noturna do corvo marinho.


HMCS Corvo-marinho (2º do nome) (20) / Embarcação de Apoio ao Mergulho

Emblema do HMCS Corvo-marinho

Construído em 1965, HMCS Corvo-marinho era anteriormente a traineira de popa com bandeira italiana Aspa Quarto. Ela foi comprada para o Comando Marítimo em julho de 1975 e convertida, principalmente, na Davie Shipbuilding, Lauzon, Que., Para seu novo propósito. Ela serviu como navio-mãe para o SDL-1 (Submersible Diver Lockout), um mini-submarino capaz de atingir uma profundidade de 2.000 pés e que tem sido amplamente usado para mapear o fundo de um porto de Halifax.

Durante sua carreira, ela foi usada para uma variedade de fins, desde a recuperação de esconderijos de drogas ilegais que cobrem aberturas na barcaça afundada Irving Baleia para recuperar o sino do naufrágio do Edmund Fitzgerald. Cormorant teve entre seu complemento as primeiras mulheres a serem designadas para um navio da marinha canadense.


Quarta-feira, 29 de maio de 2002

Jornais on-line de pássaros e outras referências - Número 14

Ornitologia marinha: An International Journal of Seabird Science and Conservation. Ornitologia Marinha é publicada semestralmente por meio de parceria entre os Grupo Africano de Aves Marinhas e a Grupo de Aves Marinhas do Pacífico. Ornitologia Marinha é uma continuação do Corvo-marinho, uma publicação fundada pelo African Seabird Group em 1976. Que eu saiba, Ornitologia Marinha é o primeiro periódico de aves de qualquer tamanho a disponibilizar on-line todo o conteúdo da revista em formato PDF, embora cópias impressas da revista ainda estejam disponíveis por assinatura. Os artigos de todas as edições anteriores serão disponibilizados no site, mas os únicos artigos atualmente disponíveis são do Volume 28 (2000). A revista atualmente exibe um forte viés do hemisfério sul - um subproduto inevitável de sua longa história como Corvo-marinho–Mas espera-se que isso mude. De particular interesse para os norte-americanos é um artigo recente de Robert H. Day et al. sobre o uso de habitat no mar pelo Murrelet de Kittlitz em Prince William Sound, Alasca. O site eventualmente incluirá um recurso de pesquisa.

Loucura de Espécies Invasivas - O Eucalipto

Ted Williams escreve na edição de janeiro-fevereiro da revista Audubon sobre "A maior erva daninha da América", o eucalipto. Há muito que sei que a costa da Califórnia é famosa por seus eucaliptos odoríferos, mas só depois de ler este artigo é que percebi que a Califórnia abriga não apenas uma única espécie de eucalipto, mas nada menos que 100 - todos não nativos! A maioria das espécies de pássaros nativos não usa bosques de eucalipto, onde a diversidade de espécies cai 70 por cento. Os pássaros que são atraídos para se alimentar dos insetos atraídos pelas flores do eucalipto costumam encontrar a goma pegajosa produzida pelas árvores. A gengiva entope bicos, rostos e narinas, fazendo com que os pássaros sufoquem ou morram de fome. Mas apesar de todas as suas qualidades negativas - você terá que ler o artigo para aprender sobre os outros - o eucalipto tem seus admiradores e defensores, por mais equivocados que sejam. No município de Santa Cruz, por exemplo, os eucaliptos são protegidos por uma Portaria de Árvores Patrimônio. É crime, punível com multa não inferior a US $ 500, cortar qualquer árvore de eucalipto com tronco de 16 ou mais polegadas de diâmetro.


História - Bowen Island Water Taxi

O Cormorant Marine começou em 1978 com a compra do Cabrini, um barco da tripulação de fibra de vidro construído em 1965. (foto) Em 1981, o navio de 18 passageiros Kildonan Hustler foi comprado da Ilha de Vancouver. Renomeado Bowen Arrow, este barco era movido por dois 330cv 454 cu. pol. motores a gás. Passou por tudo no Sound (exceto a doca de combustível!)

Em 1986, com a EXPO 86 em mente, compramos um navio de 38 passageiros de B.C. Forest Products Ltd. Originalmente chamado de Alvin Queen, o barco se tornou excedente para as necessidades deles com uma desaceleração na indústria florestal. Renomeamos o barco de Apodaca, que era o nome original em espanhol da Ilha Bowen.

Em 1987, após alguns momentos difíceis, tivemos que vender com relutância o Cabrini, que voltou para as águas de sua casa no Queen Charlottes. O Bowen Arrow foi para o Yukon para passeios no Lago Bennett.

Em 1992, o aumento dos negócios tornou possível a encomenda de um novo navio de 12 passageiros da Daigle Welding em Campbell River. O Cormorant 1 foi uma adição bem-vinda.

Em 2001, o navio de 40 passageiros Kinbasket Queen foi colocado em serviço. Embora construído em

1981 para uso na costa nunca sentiu a salsicha por 20 anos. Foi derrubado por um trailer do Lago Kinbasket (formado pela Represa Mica Creek).


یواس‌اس باکلان (ای‌ام‌اس -۱۲۲)

یواس‌اس باکلان (ای‌ام‌اس -۱۲۲) (به انگلیسی: USS Cormorant (AMS-122)) یک کشتی بود که طول آن ۱۴۴ ف فوت (۴۴ متر) بود. این کشتی در سال ۱۹۵۳ ساخته شد.

یواس‌اس باکلان (ای‌ام‌اس -۱۲۲)
پیشینه
مالک
آغاز کار: ۸ ژوئن ۱۹۵۳
اعزام: ۱۴ اوت ۱۹۵۳
مشخصات اصلی
وزن: ۳۲۰ tonelada longa (۳۲۵ تن)
درازا: ۱۴۴ فوت (۴۴ متر)
پهنا: ۲۸ فوت (۸ ٫ ۵ متر)
آبخور: ۸ فوت ۴ اینچ (۲ ٫ ۵۴ متر)
سرعت: ۱۴ گره (۲۶ کیلومتر بر ساعت ؛ ۱۶ مایل بر ساعت)

این یک مقالهٔ خرد کشتی یا قایق است. می‌توانید با گسترش آن به ویکی‌پدیا کمک کنید.


Para matar um corvo-marinho

Estou obcecado por corvos-marinhos há vários anos, desde que escrevi minha tese de mestrado interdisciplinar sobre aves marinhas. Meus estudos me levaram por toda a América do Norte, por quatro outros continentes e quase ao tribunal de falências, tentando financiar todas as viagens e pesquisas. Agora, além da viagem ocasional de barco para observar uma colônia local, meu envolvimento se limita a um alerta de notícias do Google definido com a palavra-chave "cormorão". Quase todas as manhãs recebo um link para um artigo de jornal ou revista escrito por ou a respeito de alguém, em algum lugar da América do Norte, discutindo amargamente sobre o que fazer com o pássaro.

Caso você não tenha notado a confusão, deixe-me resumir para você. Nos últimos trinta anos ou mais, as populações de cormorões de crista dupla (Phalacrocorax auritus) têm florescido em muitas partes da América do Norte. Embora muitas pessoas anunciem o boom dos corvos-marinhos como um sucesso - um indicador de melhoria da saúde ambiental - todo tipo de gente está nervosa com isso. Por exemplo, perto da minha cidade de Mystic, Connecticut, pessoas amantes da natureza querem expulsar cormorões da Ilha South Dumpling, uma colina desabitada de três acres no leste de Long Island Sound. Cerca de 500 corvos-marinhos vivem lá agora, tendo apenas se mudado (ou talvez de volta) menos de dez anos atrás. Membros da Avalonia Land Conservancy, dona da South Dumpling, observam que as fezes dos pássaros estão matando lentamente as árvores e a cobertura do solo, e temem que a erosão do solo ocorra em breve. Eles também estão preocupados que os corvos-marinhos estejam empurrando outras aves, como a garça-branca, para fora da ilha. Anne H. Nalwalk, que recentemente deixou o cargo de presidente após liderar a Conservancy por 22 anos, disse uma vez: “Preferimos ver garças do que um pássaro que está destruindo toda a vegetação”.

A unidade de conservação trabalha com um grupo educacional de ciências marinhas local chamado Projeto Oceanologia, que nos últimos quatro anos colocou instrutores e alunos em South Dumpling para testar vários meios de dissuasão de corvos-marinhos. Eles tentaram tapetes anti-erosão, cercas de neve e redes penduradas sobre as árvores. Suas ações são apoiadas, informalmente, por pelo menos um pescador comercial local, que aprova qualquer medida para reduzir o número de corvos-marinhos no estreito de Long Island porque culpa as aves pela queda nos estoques de anchova e linguado.

Em todos os Estados Unidos e Canadá, grupos de cidadãos querem reduzir as populações de corvos-marinhos que consideram superabundantes, pelos mesmos motivos: destruição da vegetação, competição injusta com espécies mais valiosas e excesso de peixes. Ocasionalmente, há alegações de que os corvos-marinhos afetam negativamente a qualidade da água ou a saúde pública, ou apenas que seu guano tem um cheiro desagradável. Mas as reclamações mais veementes são sobre peixes - principalmente de pescadores de água doce e piscicultores. Em 1998, um bando de pescadores contratados transformados em vigilantes invadiram Little Galloo Island, no leste do Lago Ontário, pisoteando e atirando em cerca de 2.000 corvos-marinhos, em violação à lei federal. (É um crime matar pássaros migratórios sem permissão.) Eles acabaram sendo levados à justiça, mas outro grupo que matou mais de 500 corvos-marinhos dois anos depois na Ilha Little Charity em Saginaw Bay, Michigan, nunca o foi.

Tão grande foi o clamor público contra as aves que o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA (USFWS) se sentiu compelido a esboçar um novo plano de manejo dos corvos-marinhos. Durante o período exaustivo de análise e comentários públicos de vários anos que se seguiu, muitas vozes pressionaram por uma gestão rigorosa para reduzir o número de corvos-marinhos. Alguns queriam estabelecer temporadas de caça - embora ninguém coma corvos-marinhos. Outros, incluindo a National Audubon Society e a Humane Society dos Estados Unidos, se uniram em defesa dos corvos-marinhos, citando a falta de evidências científicas de que os corvos-marinhos realmente prejudicam peixes ou populações de animais selvagens. Em 2003, o USFWS decidiu expandir os direitos dos cidadãos e gestores de lidar com cormorões, transferindo a maior parte da tomada de decisões para agências locais selecionadas. (O serviço tomou uma rota semelhante em 2006 para restringir o manejo dos gansos do Canadá, os únicos pássaros que provocam tanta irritação quanto os corvos-marinhos por sujarem gramados e parques.) Hoje, em treze estados, os produtores de aquicultura podem matar corvos-marinhos para se alimentarem em seus lagos privados, e eles podem chamar gestores de vida selvagem do governo para atirar em pássaros em poleiros próximos. Gestores locais em vinte e quatro estados podem sufocar ovos de corvo-marinho com óleo, destruir seus ninhos ou matar corvos-marinhos que ameaçam recursos públicos, como peixes selvagens, plantas e áreas de nidificação de outras aves.

Corvos-marinhos podem ser vistos empoleirados durante a noite em um intervalo de ciprestes no Delta do Mississippi. Uma das técnicas de assédio mais comuns usadas contra corvos-marinhos é a dispersão de poleiros.

Segundo as novas regras, indivíduos e estados têm permissão para matar um total de 160.000 corvos-marinhos a cada ano. Uma média de cerca de 40.000 corvos-marinhos são relatados mortos a cada ano - talvez 2 por cento da população da América do Norte. Esse número não inclui dezenas de milhares de ovos oleados anualmente. Os biólogos não concordam com o efeito ecológico a longo prazo do abate. Alguns apontaram que os gerentes que entram nos locais de nidificação para abater ou óleo de ovos geralmente acabam causando mais danos a outras espécies de pássaros do que os corvos-marinhos em nidificação. Linda R. Wires, bióloga conservacionista e especialista em corvos-marinhos da Universidade de Minnesota em St. Paul, que esteve profundamente envolvida nas investigações do USFWS, disse-me: “No cerne desta questão está a tolerância quase zero para corvos-marinhos. É uma caça às bruxas. "

Dependendo da taxonomia escolhida, existem entre 27 e 38 espécies existentes de cormorões, todos intimamente relacionados com pelicanos, fragatas e anhingas. Eles vivem em todo o mundo em colônias que fazem fronteira com água doce e salgada.

Há o corvo-marinho que não voa das Ilhas Galápagos e o corvo-marinho-pigmeu da Europa oriental. O grande cormorão de óculos quase que não voa do oeste das Ilhas Aleutas foi extinguido em meados do século XIX por nativos e exploradores, que comeram a carne das aves marinhas e colheram seus ovos. Algumas espécies de corvos-marinhos são chamadas de shags, prestando-se a todos os tipos de trocadilhos sexuais. Depois, há o grande corvo-marinho. Como o cormorão de crista dupla na América do Norte, ele fez um grande retorno na Europa Ocidental, provocando protestos familiares de pescadores e proprietários que o apelidaram de "a peste negra".

Como grupo, os corvos-marinhos comem principalmente peixes, mas também comem crustáceos, moluscos e pequenos anfíbios. A maioria das espécies prefere caçar em águas rasas costeiras, mas muitas podem mergulhar a mais de 30 metros de profundidade. (O shag Crozet do Oceano Antártico foi registrado na impressionante profundidade de 120 metros.) Usando seus bicos para coletar gravetos, algas marinhas, linha de pesca, fitas e outros itens aleatórios, os cormorões constroem seus ninhos em árvores ou nas rochas, sujeira ou areia. Os adultos não cantam ou chamam, apenas um chiado ou um grunhido de porco, algo como o ranger de uma velha dobradiça de porta. Os filhotes no ninho emitem um grito estridente e estridente por comida.


Cormorant AMS-122 - História

O surto do vírus COVID-19 e as mudanças nas diretrizes de segurança pública emitidas por organizações governamentais de saúde estão evoluindo rapidamente.

O Cormorant Utility Services Group of Companies está trabalhando duro para garantir a saúde, a segurança e o meio ambiente de nossos funcionários, clientes e público em geral, ao mesmo tempo em que trabalha diligentemente nos serviços e produtos que oferecemos.

Serviços de utilidade do Cormorant agora mudou para estágio dois em todos os nossos negócios e aplicamos todas as soluções exigidas pela província para manter a segurança de nossa equipe no local de trabalho. Desde o início desta pandemia, nossa equipe foi declarada um Serviço Essencial, pois trabalhamos no setor de Utilities. Isso colocou nossa equipe na linha de frente para manter o fluxo de energia elétrica em Ontário e nas províncias marítimas.

Implementamos precauções antecipadas, mantendo nossa equipe em casa com segurança, trabalhando dentro de sua capacidade, usando tecnologias de TI remotas. Para o pessoal necessário em campo, fornecemos Educação, EPI e apoio para que realizem seu trabalho com a máxima segurança em todos os momentos.

À medida que avançamos para estágio dois (Ontário) estamos agora em um lugar onde estamos trazendo todos os funcionários de volta aos nossos escritórios e aplicando o Melhor na turma proteções em controles de barreira, saneamento, distanciamento físico e Equipamentos de Proteção Individual. Todos devem fazer sua parte para mantermos uns aos outros, nossas famílias e nossas comunidades seguras.

CServiços utilitários ormorant segue esses princípios básicos adotados em todo o Canadá.


Características de famílias e classes comuns de aço inoxidável

Ao combinar uma família e uma classe, você obtém uma boa indicação do que esperar de uma liga de aço inoxidável específica.

Você pode aprender sobre tudo, desde magnetismo e tenacidade até resistência à corrosão e resistência ao calor.

Embora existam muitos tipos para listar individualmente, essas classificações gerais fornecem uma ideia do que esperar em cada família, bem como as notas comuns solicitadas.

Austenítico

Esta família é a mais popular e amplamente utilizada em todo o mundo.

Geralmente inclui cromo e níquel. Alguns graus também incluem manganês e molibdênio.

Embora o aço inoxidável austenítico não seja magnético quando recozido com uma solução, certos graus trabalhados a frio são magnéticos. O endurecimento à base de calor não funcionará com esses tipos de aço.

No entanto, eles oferecem excelente resistência à corrosão e resistência à fluência, enquanto permanecem ótimos para soldagem.

Os graus populares de aço inoxidável austenítico incluem os graus 303, 304, 316, 310 e 321.

Ferrítico

Devido ao seu baixo teor de níquel, esta é uma das famílias mais econômicas disponíveis.

Embora com baixo teor de níquel, essas ligas geralmente cromo, molibdênio, nióbio e / ou titânio para melhorar a tenacidade e a resistência à fluência.

A maioria é magnética e oferece boa resistência à corrosão e soldabilidade.

Popular em aplicações internas, como utensílios de cozinha, ou aplicações fora da vista, como escapamento, essas ligas são adequadas para situações em que o apelo visual não é tão importante quanto custo e desempenho.

Os graus comuns de aço inoxidável ferrítico incluem os graus 409 e 430.

Duplex

Esta família inclui muitas das ligas patenteadas mais recentes criadas.

Muitos tipos duplex oferecem uma combinação de propriedades dos aços inoxidáveis ​​austeníticos e ferríticos.

As características dependem da liga, pois muitas são criadas para atender a interesses industriais específicos, como peso, tenacidade e maior resistência à tração. A maioria oferece boa soldabilidade e conformabilidade em comparação com outras famílias de aço.

Alguns oferecem maior resistência à corrosão. Os aços inoxidáveis ​​resistentes ao cloreto são especialmente populares no uso offshore.

As ligas duplex comuns incluem 318L, LDX 2101, LDX 2304, 2507 e 4501 (também conhecido como 25CR superduplex).

Endurecimento martensítico e por precipitação

Embora sejam os menos comuns das quatro principais famílias de aços inoxidáveis, os aços martensíticos e de endurecimento por precipitação são populares em aplicações que requerem uma aresta precisa e endurecida.

O temperamento e o endurecimento são possíveis devido ao carbono adicionado, tornando esta família uma escolha líder para facas, tesouras, lâminas de barbear e ferramentas médicas.

Essas ligas de aço inoxidável oferecem resistência à corrosão de moderada a boa e permanecem magnéticas após o endurecimento.

Os graus comuns de aços martensíticos e de endurecimento por precipitação incluem os graus 410 e 420.

Grupo Liga Resposta Magnética Taxa de Endurecimento de Trabalho Resistência à corrosão Endurecível Ductilidade Resistência a alta temperatura Resistência a baixa temperatura Soldabilidade
Austenítico Geralmente não Muito alto Alto Por Trabalho Frio Muito alto Muito alto Muito alto Muito alto
Duplex sim Médio Muito alto Não Médio Baixo Médio Alto
Ferrítico sim Médio Médio Não Médio Alto Baixo Baixo
Martensítico sim Médio Médio Resfriar e temperar Baixo Baixo Baixo Baixo
Endurecimento por precipitação sim Médio Médio Age Harden Médio Baixo Baixo Alto

USS Cormorant (MHC-57)

Morrer USS Cormorant (MHC-57) ist ein Minenabwehrschiff der Osprey-Klasse der United States Navy.

Am 4. Juni 1993 erfolgte die Kiellegung und die Indienststellung am 12. April 1997. Ab dem 11. Januar 1998 gehörte das Schiff zur Força de Reserva Naval und wurde für das Training von Reservisten verwendet. Am 1. Dezembro 2007 wurde das Schiff als eines der vier letzten seiner Klasse außer Dienst gestellt. Em setembro de 2010, genehmigte der Senat den Verkauf der Cormorant zusammen mit der Kingfisher an die indische Marine. [1]

Morrer USS Cormorant (MHC-57) ist bereits das dritte Schiff mit diesem Namen:

Die erste USS Cormorant (AM-40, später ATO-133) guerra de 1919 a 1946 em Dienst und wurde im Zweiten Weltkrieg bei der Minenräumung in der Nordsee eingesetzt.

Die zweite USS Cormorant (AMS-122) war von 1953 bis 1970 em Dienst.


Assista o vídeo: Честный обзор шин Kormoran. All Season, Road Terrain, HP