Cochise

Cochise

Pouco se sabe sobre o início da vida do chefe Apache Cochise (? -1874), mas ele foi um líder proeminente dos Chiricahuas e temido por seus ataques aos assentamentos durante os anos 1800. Ele foi preso e acusado de sequestrar o filho de um fazendeiro em 1861, gerando conflito entre seu povo e o governo dos Estados Unidos. Na década seguinte, Cochise conduziu mais ataques e lutou com soldados dos EUA, evitando a captura ao se retirar para as Montanhas Dragão. Ele aceitou a oferta do governo de mover os Chiricahuas para uma grande reserva no sudeste do Arizona perto do fim de sua vida.

Em meados do século 19, ele se tornou um líder proeminente do bando Chiricahua de índios Apache que viviam no sul do Arizona e no norte do México. Como muitos outros Chiricahua Apache, Cochise se ressentia da invasão de colonos mexicanos e americanos em suas terras tradicionais. Cochise liderou numerosos ataques aos colonos que viviam em ambos os lados da fronteira, e mexicanos e americanos começaram a pedir proteção militar e retribuição.

A guerra entre os EUA e Cochise, no entanto, resultou de um mal-entendido. Em outubro de 1860, um bando de Apache atacou o rancho de um irlandês-americano chamado John Ward e sequestrou seu filho adotivo, Felix Tellez. Embora Ward estivesse ausente na época do ataque, ele acreditava que Cochise era o líder do Apache invasor. Ward exigiu que o Exército dos EUA resgatasse o menino sequestrado e levasse Cochise à justiça. Os militares obedeceram enviando uma força sob o comando do tenente George Bascom. Sem saber que estavam em perigo, Cochise e muitos de seus principais homens responderam ao convite de Bascom para se juntar a ele para uma noite de entretenimento em uma estação de palco próxima. Quando o Apache chegou, os soldados de Bascom os prenderam.

Cochise disse a Bascom que ele não tinha sido responsável pelo sequestro de Felix Tellez, mas o tenente se recusou a acreditar nele. Ele ordenou que Cochise fosse mantida como refém até que o menino fosse devolvido. Cochise não toleraria ser preso injustamente. Ele usou sua faca para abrir um buraco na barraca em que estava preso e escapou.

Durante a próxima década, Cochise e seus guerreiros aumentaram seus ataques aos assentamentos americanos e lutaram em escaramuças ocasionais com soldados. Colonos em pânico abandonaram suas casas, e os ataques Apache tiraram centenas de vidas e causaram centenas de milhares de dólares em danos materiais. Em 1872, os EUA estavam ansiosos por paz, e o governo ofereceu a Cochise e seu povo uma enorme reserva no canto sudeste do Território do Arizona se eles cessassem as hostilidades. Cochise concordou, dizendo: “O homem branco e o índio devem beber da mesma água, comer do mesmo pão e ficar em paz”.

O grande chefe não teve o privilégio de desfrutar por muito tempo sua paz conquistada a duras penas. Em 1874, ele ficou gravemente doente, possivelmente com câncer de estômago. Ele morreu neste dia em 1874. Naquela noite, seus guerreiros pintaram seu corpo de amarelo, preto e vermelhão, e o levaram para as montanhas Dragoon. Eles baixaram seu corpo e armas em uma fenda rochosa, cuja localização exata permanece desconhecida. Hoje, no entanto, essa seção das Montanhas Dragão é conhecida como Fortaleza de Cochise.

Cerca de uma década após a morte de Cochise, Felix Tellez - o garoto cujo sequestro havia iniciado a guerra - ressurgiu como um batedor de língua Apache para o Exército dos EUA. Ele relatou que um grupo de Apaches ocidentais, não Cochise, o sequestrou.


Os apaches Chiricahua

Mangas Coloradas

Por gerações, os apaches resistiram à colonização branca de sua terra natal no sudoeste (atualmente Novo México e Arizona) por espanhóis e norte-americanos. Em 1848, quando o ouro foi descoberto na Califórnia, os apaches foram ainda mais ameaçados por incursões de caçadores de fortuna brancos a caminho dos campos de ouro.

Em um incidente em um campo de mineração, Mangas Coloradas, chefe do Mimbre & ntildeo Chiricahua, foi chicoteado, um ato que resultou em sua inimizade permanente contra os homens brancos. Embora seu genro Cochise tenha resistido por muito tempo aos combates contra os americanos, em 1861 ele também foi traído por homens brancos e se voltou contra eles.

Juntos, Mangas Coloradas e Cochise devastaram grande parte do sul do Novo México e Arizona, até que Mangas foi ferido em 1862 e capturado e morto em janeiro de 1863, supostamente enquanto tentava escapar de Fort McLane, Novo México. Após a morte de seu tio, Cochise se tornou o chefe principal dos apaches. Mais em Mangas Coloradas.

Cochise

Cochise havia trabalhado por muito tempo como lenhador na estação de diligências do Passo Apache da linha Butterfield Overland até 1861, quando um grupo de assalto expulsou o gado pertencente a um fazendeiro branco e sequestrou o filho de um trabalhador do rancho. Um inexperiente oficial do Exército, o tenente George Bascom, chegou e ordenou que Cochise e cinco outros apaches comparecessem para interrogatório. Quando eles negaram culpa ou cumplicidade, Bascom ordenou que seus homens prendessem e prendessem os apaches. (Suas alegações de inocência foram posteriormente comprovadas.)

Na luta que se seguiu, os soldados mataram um Apache e subjugaram outros quatro, mas Cochise, sofrendo três ferimentos de bala, escapou cortando a lateral de uma tenda. Ele logo sequestrou vários brancos para trocá-los pelos cativos apaches, mas Bascom retaliou enforcando seis apaches, incluindo parentes de Cochise. Essa sequência de eventos é geralmente conhecida como & quotO caso Bascom. & Quot.

Vingando essas mortes, Cochise partiu para a guerra com seu tio, Mangas Coloradas. Durante o ano seguinte, a guerra de bandos apaches foi tão violenta que tropas, colonos e comerciantes retiraram-se da região. E com o recall das forças do exército para lutar na Guerra Civil dos Estados Unidos em 1861, o Arizona foi praticamente abandonado aos apaches.

Em 1862, um exército de 3.000 voluntários da Califórnia sob o comando do general James Carleton marchou para o Passo Apache para evitar ataques dos confederados e colocar os apaches em fuga com seus obuses. Embora Mangas Coloradas tenha sido capturado e morto no ano seguinte, Cochise e 200 seguidores escaparam da captura por mais de 10 anos se escondendo nas Montanhas Dragão do Arizona, de onde continuaram seus ataques, sempre desaparecendo em suas fortalezas nas montanhas.

Em 1871, o comando do Departamento do Arizona foi assumido pelo general George Crook, que conseguiu ganhar a lealdade de vários apaches como batedores e trazer muitos outros para as reservas. Cochise se rendeu em setembro, mas, resistindo à transferência de seu povo para a Reserva Tularosa no Novo México, escapou na primavera de 1872. Ele se rendeu novamente quando a Reserva Chiricahua foi estabelecida naquele verão, e lá ele morreu em 8 de junho de 1874. Hoje , o condado mais ao sudeste do Arizona leva seu nome, inclui Tombstone, Douglas e Bisbee, a sede do condado. Mais em Cochise.

Geronimo

Geronimo, um líder Bedonkohe Apache do Chiricahua Apache, liderou a defesa de seu povo de sua terra natal contra os militares dos EUA após a morte de Cochise.

No início da década de 1870, o tenente-coronel George F. Crook, comandante do Departamento do Arizona, conseguiu estabelecer uma paz relativa no território. A gestão de seus sucessores, no entanto, foi desastrosa. Em 1874, cerca de 4.000 apaches foram transferidos à força pelas autoridades dos EUA para uma reserva em San Carlos, um deserto árido no centro-leste do Arizona.

Privados dos direitos tribais tradicionais, com poucas rações e saudades de casa, eles se revoltaram. Estimulados por Geronimo, centenas de apaches partiram a reserva para retomar a guerra contra os brancos.

Em 1882, Crook foi chamado de volta ao Arizona para conduzir uma campanha contra os apaches. Geronimo se rendeu em janeiro de 1884, mas fugiu da reserva de San Carlos em maio de 1885, acompanhado por 35 homens, 8 meninos e 101 mulheres.

Crook, junto com os batedores Al Sieber, Tom Horn e Mickey Free (a criança branca que Cochise foi falsamente acusada de sequestrar) saiu em perseguição e, 10 meses depois, em 27 de março de 1886, Geronimo se rendeu em Ca & ntildeon de Los Embudos em Sonora, México. Perto da fronteira, no entanto, temendo que fossem assassinados assim que cruzassem o território dos EUA, Geronimo e um pequeno bando fugiram. Como resultado, o Brigadeiro General Nelson A. Miles substituiu Crook como comandante em 2 de abril.


Durante esta campanha final, pelo menos 5.000 soldados brancos e 500 auxiliares indianos foram empregados em vários momentos na captura do pequeno bando de Geronimo. Cinco meses e 1.645 milhas depois, Geronimo foi rastreado até seu acampamento nas montanhas Sonora, no México.

Em uma conferência em 3 de setembro de 1886, em Skeleton Canyon, no Arizona, Miles induziu Geronimo a se render mais uma vez, prometendo-lhe que, após um exílio indefinido na Flórida, ele e seus seguidores teriam permissão para retornar ao Arizona.

A promessa nunca foi cumprida. Geronimo e seus companheiros de prisão foram submetidos a trabalhos forçados, e só em maio de 1887 ele viu sua família. Mudou-se para Fort Sill no Território de Oklahoma em 1894, ele primeiro tentou "pegar o caminho do homem branco".

Ele cultivou e se juntou à Igreja Reformada Holandesa, que o expulsou por causa de sua incapacidade de resistir ao jogo. Ele nunca mais viu o Arizona novamente, mas com permissão especial do Departamento de Guerra, ele foi autorizado a vender fotos de si mesmo e de sua obra em exposições. Antes de morrer em Fort Sill, Oklahoma, em 17 de fevereiro de 1909, ele ditou a S.S. Barrett sua autobiografia, & quotGeronimo: His Own Story. & Quot. Para obter mais detalhes, consulte Último Hurrah de Geronimo.

Geronimo: sua própria história - A autobiografia de um Grande Guerreiro Patriota


Condado de Cochise, História do Arizona

O Condado de Cochise foi separado do Condado de Pima e organizado em 1881, e foi nomeado em homenagem ao famoso chefe Apache, Cochise, que, com um bando de Chiricahuas, fez sua fortaleza na cordilheira de montanhas Dragoon e, como um barão ladrão europeu da Idade Média, atacou aqueles que passavam nas planícies abaixo e roubaram e assassinaram sem misericórdia. Ele foi tão ousado em suas depredações, e tal terror inspirou no peito de todos, que ninguém finalmente ousou se aventurar a uma curta distância dos ataques desse terrível bandido da montanha. Na verdade, foi só quando ele foi expulso de sua fortaleza pela fome e felizmente enforcado, que qualquer coisa parecida com uma tentativa foi feita para colonizar o condado, agora chamado por seu nome, ou para desenvolver seus variados e valiosos recursos.

Pouco foi feito nesta seção do Território antes da Guerra Civil, exceto alguns assentamentos no San Pedro e em pontos menores. Portanto, pode-se dizer que a história própria deste condado começou com a descoberta das minas no distrito de Tombstone em 1878, antecipando a organização do condado pelo espaço de três anos.

Antes de 1878, o país além do San Pedro foi entregue ao domínio dos apaches fora da estrada de carroças percorrida para o leste. As planícies relvadas e as colinas estavam desprovidas de gado, e seus tesouros minerais estavam apenas na imaginação dos curiosos. Em fevereiro de 1878, Ed Scheffelin, um garimpeiro, que percorreu grande parte do território em vão, tropeçou nos excrementos do que agora é conhecido como a mina Toughnut e localizou várias reivindicações na saliência. Foi mais ou menos na época em que Comstocks e Bodie estavam mostrando sinais de colapso, e os mineiros da costa reuniram-se às centenas para a nova descoberta. Uma cidade de tendas surgiu e em junho de 1879 um moinho de selos estava em operação. As minas não foram superestimadas: eram verdadeiras bonanças. e (atraindo sua temporada de atividades produziram mais de $ 25.000.000, cerca de $ 5.000.000 dos quais tomaram a forma de dividendos aos acionistas. Total de $ 7.000.000 a mais foram gastos em plantas de içamento e máquinas de moagem. Até 1885 foi o período agitado, quando a queima do as obras de içamento da mina Grand Central lançaram uma escuridão sobre o acampamento, e a água ganhou sobre os mineiros, e as propriedades principais foram fechadas por uma longa temporada de inatividade. O minério nos níveis mais baixos é de alto grau, e ainda lá permanecem grandes quantidades dele. Mas, para chegar ao minério, seria necessário inaugurar uma usina de bombeamento combinada que custaria cerca de US $ 1.000.000, e essa despesa os proprietários da mina não estão dispostos a assumir até que tenham certeza do futuro da prata Com uma combinação de capital, as minas ainda terão água limpa e as operações serão retomadas em uma escala tão grande quanto antes.

O Sr. John Montgomery, um dos primeiros correspondentes do & # 8220Citizen, & # 8221 escrevendo de San Pedro, AT, 7 de fevereiro de 1871, dá a seguinte descrição do assentamento e crescimento subsequente do vale de San Pedro, e as aflições eles sofreram nas mãos dos apaches implacáveis ​​até então. Será apreciado por muitos dos veteranos:

& # 8220As terras aqui foram localizadas pela primeira vez em 15 de dezembro de 1865, por Mark Aldrich, John H. Archibald, F. Burthold, Jarvis Jackson, John Montgomery e H. Brown. de Tucson. Uma safra de trigo e cevada foi plantada. Em fevereiro de 1866, foram iniciadas as obras da vala para o escoamento de água para o terreno. Em 25 de abril, todos estavam prontos para plantar uma safra de milho. Casas foram construídas e terreno garantido. O destacamento de soldados que nos foi prometido ficar permanentemente estacionados aqui tinha


Bem-vindo à Sociedade Histórica do Condado de Cochise!

A Sociedade Histórica do Condado de Cochise foi formada para promover o estudo da história no Condado de Cochise para reunir e proteger fatos sobre o passado para publicar ou disponibilizar as informações obtidas pela sociedade e para manter e operar um centro de pesquisa.

A Cochise County Historical Society foi fundada em 1966 e foi constituída segundo as leis do Estado do Arizona em 13 de setembro de 1968. Seu status de isenção de impostos é 501 (c) 3 do Internal Revenue Service e foi concedido em 17 de dezembro, 1971.

O condado de Cochise foi criado em 1º de fevereiro de 1881, quando foi anexado na parte oriental do condado de Pima. Seu nome vem do lendário chefe Chiricahua Apache Cochise e é o único condado do Arizona com o nome de um índio. A primeira sede de condado foi Tombstone até 1929, quando foi transferida para Bisbee. O condado de Cochise consiste em 6.219 milhas quadradas.

Dizer que o condado de Cochise é rico em história é um eufemismo. Dos Paleo-índios aos exploradores espanhóis, dos colonos mexicanos aos Chiricahua Apaches, dos primeiros pioneiros Anglo aos vibrantes cidadãos de hoje, a história do Condado de Cochise tem algo de interesse para todos. Além de Cochise, nomes como Wyatt Earp, Geronimo, Doc Holliday, Naiche, John Slaughter, Rex Allen, Billy Fourr, Nellie Cashman, Tom Jeffords e muitos outros dão cor ao nosso famoso condado.

The Cochise County Historical Society: “To Preserve the Past for the Future.”

Este é o novo site oficial da Sociedade Histórica do Condado de Cochise. Ele substitui qualquer outro site que afirme representar a Sociedade Histórica do Condado de Cochise. Não somos afiliados a nenhum outro site que use nosso nome.


Cochise Zen Center

O Cochise Zen Center foi fundado em 2003 por Suzanne e Joel Carp, em afiliação à Zen Desert Sangha em Tucson. Durante os primeiros 14 anos, o grupo foi conhecido como Bisbee Lotus Sangha. Éramos autossustentáveis, sem um professor, e dependíamos da prática constante do Zen para fazer seu trabalho.

Em 2017, um professor autorizado da Escola de Zen Kwan Um, Barry Briggs JDPSN, aposentou-se em Bisbee e começou a praticar com a comunidade. Em 2018, pedimos a Barry PSN para servir como professor orientador. Nós evoluímos nossa prática semanal para as formas da Escola Kwan Um e seguimos a orientação de Barry PSN em questões de ensino.

Servimos a região fronteiriça do sudeste do Arizona com prática semanal de meditação, workshops, grupos de discussão e retiros.

O centro Zen é uma organização sem fins lucrativos constituída no Arizona e é reconhecida como uma organização isenta de impostos pelo Internal Revenue Service. Somos dirigidos por um conselho de administração composto por profissionais seniores.

O Cochise Zen Center é uma organização sem fins lucrativos e isenta de impostos, afiliada à Escola de Zen Kwan Um. Servimos a região fronteiriça do sudeste do Arizona com prática de meditação, workshops e retiros.


Chefe Cochise, do Apache White Mountain

Cochise nasceu por volta de 1810, no sudeste do Arizona ou no noroeste de Sonora, no México. Ele estava destinado à liderança: seu pai, provavelmente um homem chamado Pisago Cabez & # x00f3n, era o chefe do bando Chokonen, um dos quatro bandos da tribo Apache.

Cochise tinha pelo menos dois irmãos mais novos, Juan e Coyuntura (ou Kin-o-Tera), e uma irmã mais nova.

Cochise c.1800-1874 Chefe da Tribo Chiricahua Apache. As hostilidades com as tropas dos EUA começaram com o caso & # x201cCut-through-the-tent & # x201d (1860). Quando a reserva Chiricahua foi estabelecida (1872), ele veio para ficar. Morreu lá em junho de 1874. A esposa principal de Cochise era Dos-teh-seh, uma Mimbreno Apache, filha de Mangus Coloradas. Com ela teve filhos Taza e Naiche (Natchez). De outra esposa, de sangue Chiricahua, nome não lembrado, ele teve as filhas Dash-den-zhoos e Naithlotonz (Naiche-dos). Com sua morte, Cochise foi sucedido como chefe dos Chiricahuas por seu filho mais velho, Taza, e com a morte deste último em Washington em 1876, o filho mais novo Naiche o sucedeu. Naiche, sua mãe Dos-teh-seh e suas duas meias-irmãs viveram 27 anos como prisioneiros de guerra e terminaram seus dias em Mescalero. Dash-den-zhoos se tornou a esposa de Kay-dah-zinne e mãe de Lena Morgan. Naithlotonz era esposa de Fred Gokliz e depois de sua morte casou-se com Chiricahua Tom. Enterradas em Fort Sill estão duas noras de Cochise (esposas de Naiche), 6 netos (filhos de Naiche), 2 netas (filhas de Naiche), um sobrinho neto e uma sobrinha neta (filhos de Hugh Chee) e outros mais parentes distantes. Numerosos descendentes de Cochise sobrevivem hoje através dos filhos de seu filho Naiche e sua filha Dash-den-zhoos.


Cultura cochise

Nossos editores irão revisar o que você enviou e determinar se o artigo deve ser revisado.

Cultura cochise, uma antiga cultura indígena norte-americana que existiu talvez de 9.000 a 2.000 anos atrás, conhecida em locais no Arizona e no oeste do Novo México e batizada em homenagem ao antigo Lago Cochise, agora uma bacia desértica seca chamada Willcox Playa, perto da qual importantes achados foram feitos. A Cochise era uma cultura do deserto, contrastando com as culturas de caça grossa do leste (Vejo Clovis complex Folsom complex), e enfatizou a coleta e coleta de alimentos vegetais selvagens em vez da caça em estágios posteriores, há evidências de agricultura incipiente.

A cultura Cochise costuma ser dividida em três períodos de desenvolvimento. O estágio mais inicial, Sulphur Spring, data de 6.000 ou 7.000 aC a cerca de 4.000 aC e é caracterizado por pedras de moagem para moer sementes silvestres e por vários raspadores, mas sem facas, lâminas ou pontas de projétil, embora restos de animais comestíveis, ambos extinto e moderno, indica que alguma caça foi feita. Durante o segundo estágio, Chiricahua, durando de 4.000 a talvez 500 aC, o aparecimento de pontas de projéteis parece indicar um aumento do interesse pela caça, e os restos de uma forma primitiva de milho sugerem que o início da agricultura e coleta de alimentos ainda era importante , Contudo. Na etapa final ou de San Pedro, de 500 aC até mais ou menos a época de Cristo, as pedras de moagem foram substituídas por almofarizes e pilões, e surgiram as fossas (casas de postes e terra construída sobre fossas). Durante a etapa de San Pedro, a cerâmica apareceu na área dos índios Mogollon (Vejo Cultura Mogollon). A tradição Cochise pode ser considerada a base para desenvolvimentos culturais subsequentes entre vários índios no sudoeste.


Condado de Cochise, Arizona

A área do condado de Cochise é de 6.972 milhas, sendo aproximadamente o tamanho das áreas combinadas de Rhode Island e Connecticut. Este condado é limitado a leste pelo Novo México, ao sul pela linha norte do estado mexicano de Sonora, a oeste pelo condado de Pima, do qual foi tomado inteiro, e ao norte pelo condado de Graham. Pelo censo de 1900, a população deste condado era de 9.251. Tombstone, a sede do condado, pelo mesmo censo tinha uma população de 646, embora, em seus dias de palmeira, orgulhava-se de uma população de mais de 7.000 nos últimos meses, reviveu um pouco e uma ferrovia está em construção, que passará pelo local que atinge a estrada Arizona e Sonora em Fairbanks, sobre o Rio San Pedro.

Este condado tem três grandes vales quase inteiramente dentro de seus limites, que incluem uma vasta extensão de belas terras agrícolas. Dois desses vales atravessam diretamente todo o condado de sudeste a noroeste, a saber, o de San Pedro e as nascentes de enxofre, enquanto o vale do Rio de Sauz, ou, como mais conhecido, San Simon, cruza o canto nordeste. Esses vales com suas laterais abrangem uma grande quantidade de excelentes terras agrícolas. O que é necessário em todos esses vales para torná-los grandes produtores de produtos agrícolas é o desenvolvimento de água para irrigação. No San Pedro, a cerca de 11 quilômetros ao sul de onde a Southern Pacific Railroad cruza aquele riacho, a colônia de mórmons trabalhadores e enérgicos em St. Davids começou a perfurar um poço artesiano e conseguiu em cinquenta lugares completos trazer um bom fluxo para a superfície outros, vendo o que esses homens empreendedores realizaram, começaram a trabalhar e agora, por mais de sessenta milhas ao longo deste riacho, há poços fluindo em diferentes pontos.

Existem duas cadeias montanhosas distintas que percorrem toda a distância em todo o condado com a tendência dos vales, ou seja, de sudeste para cerca de noroeste, a grande cordilheira Chiricahua é a mais oriental e há minerais em muitos pontos e em ambos os lados do esta grande reviravolta. Da vizinhança do que é conhecido como Railroad Pass, onde o Pacífico Sul passa através da faixa do Vale de Sulphur Springs ao de San Simon, e um pouco além, o que é conhecido como Apache Pass, pode ser chamado de ouro formação, visto que é o mineral predominante. Esta parte da cordilheira é freqüentemente chamada de Cordilheira Dos Cabezas, embora faça parte da Cordilheira Chiricahua. Nesta seção, há muitas reivindicações de ouro valiosas, tanto em saliências quanto em lavagens de superfície. A grande desvantagem para o desenvolvimento total de escavações de superfície é a escassez de água na maior parte do ano, mas se a perfuração agora em andamento for um sucesso, essa dificuldade será evitada. Prosseguindo ao longo da cordilheira a sudeste do Passo Apache, prata, cobre e chumbo são encontrados em muitos lugares, e existem alguns depósitos valiosos de cobre a cerca de quinze milhas quase a leste do Passo Apache, em uma grande extensão do país na encosta de San Simon da cordilheira, é uma bela exibição de carvão, mas não foi feito trabalho suficiente para realmente mostrá-lo.

Em colinas isoladas cerca de sete milhas ao sul de Sulphur Springs está a grande mina Pearse, que produziu em cerca de oito anos um lucro líquido para os afortunados proprietários em ouro e prata, e ainda está em operação bem-sucedida, administrando uma fábrica de oitenta selos. capacidade após ter rendido em dividendos algo mais de $ 15.000.000. Cerca de trinta milhas a oeste de Chiricahuas é a Cordilheira Dragoon de montanhas na qual estão muitas minas de grande valor e na continuação ao sul, às vezes chamada de Montanhas Mula.

“O grande acampamento de cobre de Bisbee fica na porção sul deste condado, a cerca de 13 quilômetros da linha divisória de Sonora, no México, e uma ferrovia do campo entra em Sonora na cidade de Naco e já está em operação. Foi retirado das minas desta empresa, em cerca de vinte anos de operações, um vasto tesouro de mais de $ 20.000.000 foi pago em dividendos, e todas as melhorias, no valor de muitos outros milhões, foram pagas. Um item de melhoria é uma ferrovia de sessenta milhas, construída pela empresa para se conectar com a Southern Pacific Railroad em Benson no cruzamento do San Pedro.

Tombstone é um grande produtor de mineração de prata e rendeu nas várias minas US $ 15 milhões. A grande greve dos mineiros de 1884 causou uma suspensão do trabalho por um tempo, e antes que estivessem prontos para retomar, a prata havia se desvalorizado tanto em valor nos mercados mundiais que foi considerada uma retomada seria uma política ruim, e eles permaneceram praticamente inativos desde então, embora nos últimos meses muito trabalho esteja sendo feito, e novas máquinas entrando em processo de retomada total. A leste de Tombstone, cerca de dezesseis milhas, está um campo florescente chamado Turquoise, que deve vir a ser um grande produtor. Existe a próspera cidade de Douglas, estabelecida em Blackwater, na linha divisória que existe há apenas alguns meses e que está prestes a se tornar um lugar de grande importância comercial em muito pouco tempo.

Pelas indicações atuais, parece que o condado de Cochise deve permanecer bem na frente como produtor por muitos anos, embora o Arizona em suas colinas e montanhas seja tão repleto de veios minerais que é difícil dizer qual parte acabará por provar a mais valor, mas o condado de Cochise nos próximos anos surpreenderá o mundo.

Além das grandes minas, há muitas outras sendo trabalhadas de forma tranquila fazendo com que a mina pague todas as despesas, e os proprietários estão, sem ostentação, economizando fortunas confortáveis.

O censo escolar mostra que há 2.122 crianças em idade escolar e uma frequência média de 1.826 escolas públicas, e quarenta e dois professores que se comparam favoravelmente com qualquer corpo de professores em qualquer um dos antigos Estados. O período escolar médio é de pouco mais de seis meses em cada ano.

Quase todas as cidades têm suas igrejas denominacionais diferentes, e todas são bem sustentadas. Tombstone tem católicos, metodistas, episcopais e batistas. Bisbee, Episcopal (às custas da mineradora), Católica, Metodista, Presbiteriana, Congregacionalista, Batista. St. Davids, uma igreja dos Santos dos Últimos Dias (Mórmons) Benson, Católica, Metodista e Episcopal. Willcox, católico, metodista, batista, & # 8212 então pode ser dito, nenhum homem precisa sofrer por falta de alimento espiritual, embora nem sempre de digestão fácil.

Em Tombstone é publicado o Prospector e em Bisbee também há dois jornais, a cidade nascente de Douglass, embora com apenas alguns meses de existência, tem dois jornais lutando por patrocínio. Willcox tem um jornal, o Range News, portanto Cochise pode ser considerado bem abastecido de jornais.

Fonte: A história do Arizona: desde os primeiros tempos conhecidos pelo povo de. Por Sidney Randolph De Long, Arizona Pioneers 'Historical Society

Cochise County
Por Joseph H. Gray, Secretário do Clube Comercial do Distrito de Warren.

Com uma extensão de 6147 milhas quadradas, igual à área de Connecticut e Rhode Island combinada com cadeias de montanhas acidentadas que são os depósitos de riqueza mineral inestimável com vales amplos e extensos, onde há cadeias que percorrem milhares de gado, e que são pontilhada por um número cada vez maior de fazendas, no canto sudeste do Arizona, fica o condado de Cochise, que lidera o estado em riqueza e disputa com o condado de Maricopa o primeiro em população. Na avaliação avaliada, ele contém um quinto da riqueza de todo o estado, enquanto sua população, que em 1910 era de 35.591, é agora conservadoramente estimada em mais de 40.000. Sua avaliação avaliada de $ 38.000.000 dá uma riqueza per capita de $ 950 para cada homem, mulher e criança dentro de seus limites.

Enquanto o Arizona lidera o país na produção de cobre, o Condado de Cochise lidera o Arizona, produzindo metade da produção total desse metal, enquanto o Distrito de Warren sozinho produz mais de um terço da produção do estado. Embora a mineração seja a principal e maior indústria, a pecuária é de grande importância e a agricultura está fazendo avanços tão grandes que promete, em um futuro próximo, ficar atrás apenas da mineração. Os colonos estão ocupando rapidamente todas as terras do governo disponíveis e, com o desenvolvimento de suprimentos de wrater subterrâneos e a prática da agricultura intensiva, estão transformando as ricas terras férteis do condado em jardins, construindo casas substanciais e se reunindo em comunidades agrícolas ao redor do a indústria ainda está engatinhando. Onde antes tudo era um país de vacas, agora existem centenas de casas de fazenda que vão desde as mais modestas às residências substanciais com grandes edifícios anexos e equipamentos agrícolas modernos, de modo que as terras baixas do condado de Cochise estão em um período de transição. Como as colinas foram apenas arranhadas na busca de minerais, também os vales foram pouco mais do que tocados para provar suas possibilidades para a agricultura e, ainda assim, os resultados prometem tanto para um quanto para o outro quando um desenvolvimento igual for alcançado.

Topograficamente, o condado de Cochise é dividido de sul a norte por três sistemas montanhosos que separam três grandes vales. O sistema montanhoso ocidental é composto por três cordilheiras, Whetstone, Huachucas e Mules, estando o grande distrito de Warren situado nesta última cordilheira, circundando Bisbee, a metrópole do condado. Mais a leste estão os Dragoons e ainda mais a leste os Swisshelms e os Chiricahuas. Nas montanhas do condado, nos primeiros dias, estavam as fortalezas dos apaches ferozes e sanguinários e, a partir deles, Geronimo e seus bravos travaram uma guerra implacável contra os pioneiros até que eles próprios foram caçados por funcionários regulares do governo e voluntários entre os primeiros colonizadores.

Os três vales são San Pedro no oeste, Sulphur Springs no centro e San Simon no leste. Em San Simon, em San Simon e em San Pedro at Land, fluxos artesianos de água já foram desenvolvidos, enquanto experimentos nessa direção estão em andamento no Vale de Sulphur Springs, que está se assentando mais rapidamente do que qualquer outra seção . Em todos estes vales o clima é insuperável, a terra é muito fértil e o toque mágico da água é tudo o que é necessário para os fazer florescer e produzir. A abertura de poços, a construção de moinhos de vento e usinas de bombeamento em todas as direções estão causando isso.

No sopé estão crescimentos luxuosos de gramíneas nutritivas durante a maior parte dos meses do ano e aqui e nos vales vagam os rebanhos de gado pertencentes a indivíduos, empresas e corporações, gerando receitas de milhões a cada ano. Esses contrafortes também são suscetíveis de cultivo em vinhedos e pomares, produzindo uvas e pêssegos finos que superam quaisquer outros cultivados no oeste.

É nas Montanhas Mula que os maiores recursos minerais do Condado de Cochise foram desenvolvidos. Do Warren Mining District estão sendo despachados diariamente para redução de 6.000 toneladas de minério por três empresas, a Copper Queen, a Calumet e o Arizona, e as Shattuck Arizona Companies, a primeira tendo sido uma produtora ativa desde o início dos anos oitenta do século passado . In this district there are hundreds of miles of underground workings and yet the extent of the ore deposits remain undetermined beyond the fact that they still contain vastly more metal than has been extracted within the past thirty years and that even then the end is not in sight.

For many years copper was the only metal to receive attention in the Warren District but recently important deposits of rich leadsilver ore have been developed and are now being mined and shipped for reduction. The importance of these mines as well as the porphyry deposits is now manifest and these wr ill from now on receive deserved attention. In addition to this there is a large placer area at the southerly end of the district which contains 60 cents in gold to the cubic yard and this requires only the solution of a cheap method of extraction to become an added source of available wrealth.

Although there are but three actively producing mining companies in the district there are many mining claims on which development work has progressed sufficiently to indicate valuable deposits and to warrant assertion that further development is all that is necessary to bring them to production.

The Johnson-Dragoon District is another important mineralized section of Cochise County situated in the same general mountain system but in the northwesterly corner of the county. Here there are now half a dozen producing properties with more than a dozen others in well advanced stages of development and scores of claims that have undergone only preliminary exploration and work.

Pearce, Courtland and Gleeson are located in the central mountain system, and are all producers. At the first mentioned is located the Commonwealth, which has given up $38,000,000 in silver and is being further developed with every indication that millions remain to be extracted. Courtland and Gleeson both have their producing mines, making large shipments to the smelters. Courtland is a copper camp and Gleeson produces silver as well.

In the Chiricahuas and the Swisshelms, the easterly system of mountains, are producing and partially developed mining properties as well. There are numbers of these in the vicinity of Paradise especially. Dos Cabezas promises to become prominent in copper production in the near future.

Bisbee, the largest and most important city of Cochise County, has a population of 13,000 and with its suburbs, all connected with it by electric street railroads, the population is more than 18,000. This city with its unincorporated suburbs forms the Warren District and pays one-third of the taxes of the county. It is essentially a mining community but at the same time affords the facilities, improvements and advantages of the modern city. It is the most populous area of the same size in Arizona as well as the most wealthy. Its monthly payroll amounts to $750,000 and its business and trade importance is commensurate. Here the underground worker's lowest wage is $3.75 per day and other labor, as well as clerical work, is proportionately rewarded. No Mexican labor is employed underground and American labor predominates throughout the district. The chief foreign element to be found in the district is Slavonian and this labor is as well paid as is the American for the same class of work.

In its early days Bisbee was known as Mule Gulch and first attained notice about thirty years ago when it was merely a prospectors' camp of a few shacks and tents. Here, up among the rugged mountains the Copper Queen company developed a mine, and others followed until there grew up a great mining center. On the only level streets business houses were built, warehouses constructed, office buildings erected, while the residential districts spread up the hills and climbed to points along the mountain sides, reached sometimes by roads, more often by trails and at other times by flights of steps. The result is a city that in appearance is unique. Shacks gave place to handsome buildings of brick and stone, charming homes replaced the miners' cabins, dives and rookeries made way for churches, libraries, lodge buildings, Y. M. C. A. buildings, a Y. W. C. A., school houses and other public improvements. Water was piped and pumped from Naco, nine miles away, instead of being packed in skins on burro back. The railroad entered and supplanted the pack train. The smelter was moved to Douglas, 35 miles away, and smoke and sulphur fumes were thus eliminated. Electric lights and gas supplanted candles and smoky oil lamps, paved streets appeared, a subway system carried off the flood waters of the rainy season and devastation which had before been not infrequent was made impossible. After several destructive fires one of the best fire departments in Arizona resulted from improvements and a city water supply for fire purposes was created. For these municipal improvements hundreds of thousands of dollars were expended and permanent benefits therefrom were obtained.

At an altitude of 5300 feet at the railroad station Bisbee enjoys a cooler climate in summer than do the cities of the valleys, while the surrounding mountains in close proximity effectually shelter it from the cold blasts of winter as well as from dust storms. The average mean temperature for the past twenty years has been 60.1 degrees, the average coldest month, January, is 45.3, and the average month of July, the warmest of the year, is 75.3, while the precipitation in the same period has been 17.96 annually. The result is a climate of singular health giving properties and despite the fact that accidents in mines are at times unavoidable the death rate in the Warren District is lower than in any other section of the state. Despite this fact Bisbee has been too busy with mining and with business affairs to enter the ranks of health resorts and today it takes pride in the fact that its pre-eminence is as a copper producing center.

In culture, education and socially the city is at the forefront. There is a larger proportion of college bred men in its limit than can be found outside of college cities of the same population. All churches are represented, all lodges also, and the Elks, Masons, Moose and Knights of Columbus all own their homes, as do the Woman's Club and the Country Club. A fine library and reading rooms, open to all of the public, is supported by the Copper Queen company. Both the Copper Queen and the Calumet and Arizona companies have their medical corps, their dispensaries and their hospitals, where the most modern equipment is to be found. Of the lodges it is a notable fact that the Elks built a new home on the site of the one that had been destroyed by fire and paid off $34,000 of indebtedness in two and one half years.

Lowell is the nearest and the largest suburb of Bisbee, ten minutes distant by street railway, situated to the south, and in a more open location. Here are the two hospitals, handsome business houses, and it has its own bank and theater. Lowell is closer to more mine shafts than Bisbee, and through its independence avoids the payment of municipal taxes.

Warren is the residential suburb of Bisbee. Here, on a gradually sloping plateau, commanding a view of mountains on the one side and valley on the other, are handsome homes, surrounded by lawns, shrubben", trees and flowers and in reach of Bisbee in twenty minutes byelectric railway wr ith half hour service. Here are the offices of the Calumet and Arizona company, charming Vista Park, and close by the Country Club with its spacious home, its nine hole golf course, tennis courts, rifle range and traps for the shotgun experts. At Warren water and electric light are both furnished by the mining company. It has, as has Lowell also, its own school building, all of the district being in the Bisbee School District for which there is now being erected an $80,000 high school building.

Tombstone, replete with historic interest, picturesquely located with a magnificent outlook, is the county seat of Cochise County. It was discovered in 1878, before there was a Cochise County, by Edward Scheffelin, and was long known as one of the most famous mining camps of the country. Millions of dollars of wealth it produced until the problem of unwatering the workings caused a shut down by the operating company which must continue until that problem has been solved.

Willcox is the largest town in the north of the county on the Southern Pacific Railroad, and is the center of a growing agricultural district as well as an important cattle shipping point. Other towns of the north are Dos Cabezas, Cochise and Bowie of the south Naco, important as being the gateway to the Cananea District in Mexico and railroad junction for the El Paso and Southwestern Railroad and the Cananea Railroad Benson on the Southern Pacific and Southwestern Railroads and important as an agricultural and possible oil center and Fort Huachuca, the government military post. Up the Sulphur Springs Valley is Courtland, important for its mines and surrounding ranches, while numerous smaller settlements are rapidly growing up in its eighty miles of length and twenty miles of breadth with the spread of agriculture.

In addition to its natural wrealth and possibilities, Cochise boasts of its good roads and its school system. There are more miles of good roads than can be traversed at all seasons of the year than in any other county of the state, and these systems are being each year extended. It is traversed by the state highway and by two of the proposed National Highways, these passing through Douglas, Bisbee and Tombstone, and being connected up with other points.

The public schools of Cochise County, in the 65 school districts, are supported by an annual expenditure of over $200,000, and rank with the best in the land. There are in attendance 4500 scholars who are instructed by 200 teachers, the average salary for men being $111.75, and for women $83.81. As fast as occasion requires new school districts are created, new buildings erected and more teachers engaged so that the progress of education keeps pace with the growth of population in all parts of the county.
Source: Who's Who In Arizona


Cochise County Corral of the Westerners

The Cochise County Corral of the Westerners is dedicated to having fun while preserving both the history and legendary history of the American Frontier and the Wild West. The Corral meets at historic Scheiffelin Hall, built in 1881 as a theater, in Tombstone, the Town Too Tough to Die. We try to be welcoming and accept m

The Cochise County Corral of the Westerners is dedicated to having fun while preserving both the history and legendary history of the American Frontier and the Wild West. The Corral meets at historic Scheiffelin Hall, built in 1881 as a theater, in Tombstone, the Town Too Tough to Die. We try to be welcoming and accept members of the Earp posse and the Cowboy posse as long as they promise not to shoot inside the Hall.

Westerners International is committed to fun and scholarship in and about the American West. Add great company, exciting programs and publications, fellowship opportunities for young people, and the still wide-open Western landscape, and you’ll know what we’re about. As historian Ray Allen Billington put it: “Westerners share a dislike for stuffed-shirtism, over-seriousness, shiftless thinking, and above all ignorance.” We happily follow Billington’s trail!

Westerners was founded in 1944 and has over 60 corrals (or chapters) in the US, and 20 corrals abroad, with over 4,000 members around the globe. Corrals generally meet monthly for camaraderie and interesting programs on all aspects of Western history.

A Club Like No Other

A Club Like No Other

A Club Like No Other

We don't have a president or chairman. The person in charge is our Sheriff. He's assisted by a Recorder of Marks and Brands and a Keeper of the Chips, who handles our finances. The Ink Slinger handles our web page and publications.

Fogueiras (monthly meetings) all held in Schieffelin Hall at 7 p.m. on the first Thursday of each month. T

We don't have a president or chairman. The person in charge is our Sheriff. He's assisted by a Recorder of Marks and Brands and a Keeper of the Chips, who handles our finances. The Ink Slinger handles our web page and publications.

Fogueiras (monthly meetings) all held in Schieffelin Hall at 7 p.m. on the first Thursday of each month. The public is welcome to come and enjoy a bit of Cowboy poetry, reviews of books and articles, announcement of coming events and most important an hour immersed in a presentation of Western history.

Trail Rides (visits to historic sites) are usually conducted four times per year without horses. We do everything from intimate, not-open-to-the-public guided tours of museums to sharing fun with Living Historians at events like the Empire Ranch Annual Festival. We also visit backcountry sites, often unknown to the public, where history was made.


In Their Own Words: Cochise & The People Who Knew Him!

Naiche, youngest known son of Chief Cochise. Many who knew both men said that Naiche looked a lot like his father.

Unlike the many images we have of Geronimo today, no photograph of Cochise exists. We only know what he looked like from contemporary written accounts mostly American and Mexican. These we owe to the very few people of European descent who lived to tell about their close encounter with the great Chiricahua Apache chief.

He was born about 1810 in the Chiricahua Mountains of present-day Arizona when the United States was a small, weak republic on the East Coast of North America 2,000 miles and, given the transportation of the day, a galaxy away.

His life spanned the era of American expansion across a huge continent that was then populated by hundreds of Native American tribes. For decades, Cochise fought the invaders of his homeland with everything he had. In 1874, he died in the Dragoon Mountains, located about an hour and a half east of Tucson at a place now called Cochise Stronghold. Ironically, in the end he was at peace with the United States.

Many said that his youngest known son, Naiche, most closely resembled Cochise physically. But we also have written descriptions that tell us not only about his appearance but, more importantly, about his personality, his attitudes, and his extraordinary fighting and leadership skills.

Physical Appearance

Most record his height between 5’10” and 6’0”. According to Lt. Joseph Sladen who, as aid to General Oliver Howard, spent 10 days in Cochise’s camp in 1872, he “looked more than his height on account of his somewhat slender build, and his straight physique.” Consulte Mais informação.

Neighbor Roy & Ms. Karen at Council Rocks.

Captain Joseph Haskell was among General Howard's party during 1872 peace negotiations at Council Rocks in the Dragoon Mountains. Later he wrote:

"The reports that we have had of Cochise have always given us the understanding that he is old, used up, crippled from wounds and exposure, and of no account whatever as a leader or a chief. How mistaken we were. We met Cochise and 13 of his captains, and Cochise is as different from the others of his tribe, as far as we saw, as black is from white. When standing straight he is said to be exactly six feet tall. I took a good look at him and made up my mind that he was only five feet ten inches. He is powerful, exceedingly well built, bright, intelligent countenance, and as fine an Indian as I ever laid my eyes on."

At the time of the peace conference, Cochise would have been about 62 old age in the 19th century. At 5’10’’, he would have been 5 inches taller than the average Apache warrior.

Of his persona, General Howard, who negotiated the 1872 peace agreement, wrote that Cochise’s “countenance was pleasant, and made me feel how strange it is that such a man could be the notorious robber and cold-blooded murderer.”

Fort Bowie in 1886. In the last years of his life, Cochise was at peace with the Americans and often traded here. Etching by Granger.

In the two years following the 1872 peace agreement, Cochise was a frequent customer of Al Williamson, a trader at Fort Bowie, who wrote, “Cochise never smiled. He was severe and grave of aspect.”

Perhaps Cochise was not totally humorless. After he agreed to end his war on the Americans and settle down on the huge, newly-created Chiricahua Reservation, his warriors continued to raid across the International Border in Chihuahua and Sonora. Once when asked what is warriors were doing in Mexico, he answered euphemistically, "making a living."

Tom Jeffords, who led General Howard to Cochise.

To his enemies, the Americans and Mexicans, Cochise was a thief. But unlike his enemies, he was not a lying thief. He told Tom Jeffords, his friend and only agent of the short-lived Chiricahua Reservation, “A man should never lie. If a man asks you or I a question we do not wish to answer, we could say, I don’t want to talk about that.”

Fred Hughes, who worked for agent Jeffords on the reservation, said of Cochise’s peace accord with General Howard, “He kept his word till the day of his death.” In Cochise’s barbaric, merciless world, this was a very high standard for honesty.

A Surprising Discovery: Apaches Are Actually Human

In 1896, almost a quarter century after the fact, Sladen recalled his stay in the Chiricahua camp that resulted in his change of heart toward the Chiricahuas. It came as a surprise to him that the Apaches were actually human, like himself. He wrote that the Indians were “always cheerful, demonstratively happy, and talkative … brim full of fun and joking, and ready to laugh heartily over the most trivial matters. They were especially fond of playing practical jokes of a harmless nature upon each other.”

Fear And Respect

Among his own people, Cochise was sometimes as much feared as respected. Apaches would go out of their way to avoid incurring his wrath, particularly when he was drunk.

Sladen wrote that once he “heard screams from Cochise’s wife and sister. I saw them fleeing in terror from his bivouac. He was striking and scolding them.”

“It may have been during such a binge that his spunky younger wife twice bit him severely.”

Dragoon Mountains east of Tombstone where you can hike to Cochise Stronghold West and Council Rocks.

Fred Hughes wrote, “It was astonishing also to see what power he had over this brutal tribe, for while they idolized him and also worshipped him, no man was ever held in greater fear, his glance being enough to squelch the more obstreperous Chiricahua of the tribe.”

Another American recalled in a 1890’s article, “A private soldier would as soon think of disobeying a direct order of the President as would a Chiricahua Apache a command of Cochise.”

In the mid-1900’s, Asa (Ace) Daklugie, son of Juh (pronounced Hó) told ethnographer Eve Ball that as a child he was warned not to even look at Cochise’s wickiup because it might be considered disrespectful.

Power and Influence

Victorio, chief of the Warm Springs (NM) Apaches

Cochise was chief because his followers wanted and needed his leadership at a time when their world was being invaded and their very existence threatened. At the height of his power, late 1850's to mid-1860’s, Cochise exercised almost absolute rule over several thousand Chiricahuas. He could bring together his own Chokonens and other bands to organize war parties of more than 500 well-armed, well-mounted, and well-led warriors. No other Apache chief not Mangas Coloradas, not Victorio, not Juh, nor Nana nor Loco, had this much sway over so many Apaches. In the 1860’s, Cochise’s word was law to a people who largely controlled and raided over a 20,000 square mile area of the American Southwest and Northern Mexico.

Most Apache chiefs were war leaders who were skilled in the art of raiding stock from the Americans and Mexicans generous in sharing their loot with their people, and adroit in trading their excess booty for guns, ammunition, blankets, clothes, and whiskey.

Being a war leader required extraordinary close-combat fighting skills. Cochise was well-known for his skill with knife and lance. But Captain Cremony of the California Volunteers who fought Cochise at the Battle of Apache Pass, later wrote, “… no Apache warrior can draw an arrow to the head, and send it farther, with more ease than he.” It should be noted here that most Apache warriors were more deadly with bow and arrow than a rifle.

Cochise could be relentlessly bitter and unforgiving. In the 1860’s, Cochise’s hatred for the Mexicans was surpassed by his hatred of the Americans, who had needlessly hung several of his male relatives at Fort Bowie. About the U.S. Army’s treachery at Apache Pass in 1861, Cochise said, “I was at peace with the Whites, until they tried to kill me for what other Indians did now I live and die at war with them.”

His capacity for cruelty knew no bounds. Cochise could be lovingly compassionate and generous to his own people, particularly his relatives, but toward his enemies he showed no mercy. His captives were often tortured to death in the slowest, most painful, and humiliating ways.

Chiricahuas under the leadership of Cochise ambush soldiers at Apache Pass. Painting by Joe Beeler. The Apaches scattered when the troops opened fire with their two howitzers. The Chiricahuas had never seen such a devastating weapon in the field.

When the Americans or Mexicans killed his people whether in ambush, set battles, or the massacre of Apache women and children Cochise retaliated with all the power at his command. In the 1860’s, his Chiricahuas mostly warred for revenge against the Americans and Mexicans. Raiding for cattle, horses, mules and other usable items was still important for survival, but “an eye for an eye” became their primary motivation. In this sense, the Chiricahuas had a keen sense of Old Testament morality.

Above all, Cochise was a superb leader. In battle, he led by example. Edward Sweeney, who penned the most authoritative biography of Cochise wrote, “Cochise did not establish political alliances like those conceived and molded by Mangas Coloradas, his father-in-law, who was the dominant Eastern Chiricahua leader for some twenty years before his death (or execution) at the hands of white soldiers in 1863. Nor did Cochise evince Victorio’s skills in the art of guerrilla warfare. His fame was not based on a single whirlwind raid as was that of Nana, Victorio’s lieutenant, and he did not possess the military genius of Juh (Whoa). Yet each of these men was Cochise’s ally at one time or another, and although they were not of the same band, each willingly fought under Cochise or at his side. All respected his leadership ability his fierce, uncompromising hatred toward his legion of enemies and above all, his courage in battle and his wisdom in counsel.”

By 1870, if the Americans and the Mexicans were going to stop the Apache raids that were slaughtering their citizens and ruining their economies, they knew they had to either kill Cochise or make peace with him.

In the end, the United States government at the highest level decided that it would be faster and cheaper to make peace: a peace they agreed to in October 1872, then completely violated only 4 years later in 1876.

Geronimo: "The worst Indian who ever lived." Geronimo was a war leader, but never a chief.

The Chiricahua Apache's War with the United States during the late 1850's and all of the 1860's is called Cochise’s War. Cochise died in 1874. In the late 1870's and early 1880's, their war against the United States became known as Geronimo’s War.

Following the 1876 closing of the Chiricahua Reservation, the raiding and killing on both sides of the International Border continued for another decade. In 1886, Geronimo surrendered for the fourth and final time. The once mighty Chiricahuas were never to return to their Southern Arizona homeland that Cochise had so ably defended against overwhelming forces, both American and Mexican. Today, ironically, more than 6,000 square miles of Cochise's former homeland in Southeastern Arizona is named in his honor: Cochise County.

For more information on the Apaches and the history surrounding the Apache Wars, see our page on the Local History of the Apaches.


Assista o vídeo: Cochise - Tell Em feat. $NOT Official Visualizer