Harry E. Hubbard DD- 748 - História

Harry E. Hubbard DD- 748 - História

Harry E. Hubbard DD- 748

Harry E. Hubbard

Harry Enson Hubbard nasceu em 18 de março de 1903 em Baltimore, Maryland. Ele se formou na Academia Naval em junho de 1925, serviu 3 anos no encouraçado Maryland, depois se qualificou em submarinos em New London, Connecticut. Depois de trabalhar no submarino S-4, ele completou Trabalho de pós-graduação da Academia Naval, então serviu em licitação de submarino

Holland, e, foi oficial executivo do contratorpedeiro Twiggs. Ele serviu na Naval Torpedo Station em Newport, então comandou o contratorpedeiro Roper de 1939 a 1940, antes de ser designado oficial de artilharia para contratorpedeiros no Atlântico. Este último dever terminou em 1 de março de 1942, quando Hubbard assumiu o comando do contratorpedeiro Meredith (DD-434)

No comando de Meredith, Hubbard ajudou a rastrear o transportador Hornet ao largo do Japão para os famosos bombardeios Doolittle em Tóquio em 18 de abril de 1942. Depois disso, ele enganou seu contratorpedeiro em árdua patrulha e escolta do Havaí às ilhas Samoana, Fiji e Salomão. Seu contratorpedeiro ajudou a cobrir os reforços de desembarque de transportes na disputada Guadalcanal 18 de setembro de 1942

Durante os dias mais sombrios da Campanha das Salomão, Hubbard juntou-se à manutenção da linha de vida de suprimentos para os homens que lutavam em Guadalcanal. Em 15 de outubro de 1942, ele lutou com seu navio contra aviões de reconhecimento baseados em porta-aviões japoneses, depois lutou contra 18 bombardeiros de mergulho inimigos e 12 aviões torpedeiros lançados pelo porta-aviões japonês Zuikaku. Seus artilheiros abateram cinco dos atacantes, todos os destróieres seguindo o exemplo de Hubbard, que continuou a luta, embora cego pelas queimaduras em seu rosto. Quando seus homens passaram pela ponte, ele abandonou o afundamento Meredith momentos antes de ela dar seu mergulho final. Ele morreu em um bote salva-vidas no mar na manhã de 16 de outubro de 1942. A posição heróica do Comandante Hubbard e seu contratorpedeiro afastou a aeronave inimiga dos navios que chegaram a Guadalcanal com munições e suprimentos desesperadamente necessários.

(DD 748: dp. 2.200, 1. 376'5 "; b. 41'4"; dr. 15'8 "; s. 34 k .; cpl 336: a. 6 5", 11 20 mm., 10 21 "tt .; cl. Allen M. Summer)

Harry E. Hubbard (DD-748) foi lançado em 24 de março de 1944 pela Bethlehem Steel Co., Staten Island, N.Y .; patrocinado pela Srta. Jean Hubbard, filha; e comissionado em 22 de julho de 1944, Comdr. Leonard W. Bailey no comando.

Nau capitânia do Destroyer Squadron 64, Harry E. Hubbard treinou tripulações de pré-comissionamento destinadas a navios de guerra recém-construídos até a viagem para o Havaí em 16 de janeiro de 1945. Ela serviu como navio de treinamento fora de Pearl Harbor até 17 de abril, depois partiu para o combate. Ela chegou ao largo de Okinawa em 8 de maio de 1945 para servir como contratorpedeiro, protegendo-se das ondas diurnas e noturnas de ataques aéreos japoneses e ataques suicidas de aviões kamikaze. Embora a frota americana tenha sofrido perdas e danos, ela veio para ficar. Como com todas as armas japonesas anteriores, até mesmo os kamikazes suicidas foram derrotados em sua tentativa de salvar este último "trampolim" para o próprio Japão. Por quase 2 meses, Harry E. Hubbard lutou contra os invasores selvagens, abatendo quatro aviões suicidas que tentaram derrubá-la várias vezes.

Quando os contratorpedeiros Evans e Hugh W. Hadley foram seriamente danificados em sua resistência contra cerca de 50 aviões suicidas em 11 de maio de 1945, Harry 17. Hubbard, o primeiro a chegar ao local, foi ao lado de Evans para prestar assistência médica, controle de danos e combate a incêndios . Ela deu assistência semelhante ao contratorpedeiro Barry de 24 a 25 de maio, abatendo dois aviões suicidas enquanto escoltava Barry da estação de piquete para Kerama Retto. Um avião inimigo foi desintegrado pelos artilheiros de Harry E. Hubbard a apenas 50 metros do navio.

Harry E. Hubbard permaneceu fora de Okinawa até 24 de julho de 1945, então escoltou as tropas de ocupação para Jinsen, Coréia, e carregou o Comandante do Esquadrão Destruidor 64 para Chinkai, Coréia, para supervisionar a desmilitarização da antiga base naval japonesa lá. Ela voltou para Jinsen em 7 de novembro de 1945, então baseada em Tsingtao, China. Ela prestou serviço de escolta, correio e comunicação para a Força de Ocupação do Norte da China até a partida em 16 de março de 1946, para o litoral da Califórnia. Ela chegou a São Francisco em 28 de março de 1944, passou por uma revisão de desmobilização em Oakland, depois descomissionou em San Diego em 15 de janeiro de 1947. Ela permaneceu na Frota da Reserva do Pacífico até ser reativado em 14 de maio de 1949, mas desativado em 12 de dezembro sem ter ido para o mar.

Após a invasão da Coreia do Sul, Harray 13. Hubbard foi recomissionado em 27 de outubro de 1950, Comdr. Burres D. Hood no comando. Após o shakedown inicial ao longo da costa da Califórnia, ela partiu de San Diego em 2 de janeiro de 1951 para dois meses de treinamento em águas havaianas. Ela então viajou para ajudar as Forças da ONU na Coréia. Além de ajudar a proteger a força-tarefa de porta-aviões que fazia repetidos ataques aéreos contra o inimigo, ela frequentemente participava de missões de ataque de armas para bombardear ferrovias costeiras e centros de comunicação e atuava como artilharia marítima para apoiar o avanço das tropas de empréstimo. Suas missões de bombardeio foram conduzidas contra alvos em Yangtze Gap Wonson, Songjin, Chingjim, Kyoto, Chako, Bokoko Chuminjin e outras fortalezas inimigas de suprimento e reforço. Quando o contratorpedeiro Walke (DD-723) foi fortemente danificado pela explosão subaquática ao largo de Wonson em 11 de junho de 1951, Harry 13. Hubbard, com a mesma habilidade que ao largo de Okinawa em 1945, avançou para prestar assistência médica eficaz e controle de danos. Ela retornou à costa da Califórnia em outubro de 1951 para uma revisão e completou uma missão semelhante com a 7ª Frota da Coreia de julho a dezembro de 1952. Ela retornou a San Diego em janeiro de 1953, mas novamente partiu em 11 de julho para proteger grupos-tarefa de porta-aviões rápidos. a trégua incômoda na Coréia. Interveio por uma patrulha no Estreito de Taiwan, esta tarefa continuou até 13 de janeiro de 1954. Ela voltou a San Diego para revisão e treinamento de atualização ao longo da costa oeste.

Harry E. Hubbard partiu de San Diego em 11 de agosto de 1964 na primeira de nove viagens adicionais ao Extremo Oriente com a 7ª Frota, que foram concluídas no final de 1966. Durante este serviço, ela se juntou à 7ª Frota itinerante de 6 a 13 de fevereiro de 1956 em n ~ oving In sob as defesas da artilharia comunista chinesa para cobrir a evacuação de nacionalistas chineses de posições insustentáveis ​​nas ilhas Aachen. Em outubro a novembro de 1956, ela desviou da Austrália para o "Dewline" no Pacífico Norte para servir na patrulha de piquete durante a crise de Suez. Em seguida, ela se juntou a exercícios de guerra combinados com as nações do Tratado SEATO para melhorar a prontidão na defesa da liberdade naquela parte do mundo. De vez em quando, ela patrulhava o Estreito de Taiwan para garantir que Taiwan não fosse ameaçada pelo continente comunista da China. Ela estava fora de Guam em junho de 1960, duas vezes guardando o vôo da aeronave do presidente Eisenhower durante sua visita ao Extremo Oriente.

Quando os torpedeiros comunistas norte-vietnamitas cometeram ataques não provocados contra destróieres americanos que patrulhavam o Golfo de Tonkin de 2 a 5 de agosto de 1964, Harry E. Hubbard estava próximo ao transportador de triagem do Mar da China Meridional Ticonderoga (CVA-14). O grupo-tarefa do porta-aviões revidou com a rapidez da luz para destruir os torpedeiros norte-vietnamitas e suas instalações de apoio. Ao conceder a Comenda de Unidade da Marinha a Ticonderoga e sua tela, o Secretário da Marinha Paul Nitze afirmou que eles "demonstraram a firme intenção dos Estados Unidos de manter a liberdade dos mares e de tomar todas as medidas necessárias em defesa da Paz no Sudeste Asiático . "

Harry 11. Hubbard voltou a San Diego em 28 de outubro de 1964 para um ano de operações de prontidão de guerra ao longo da costa oeste. Em outubro, ela partiu para a costa do Vietnã do Sul. Em companhia com Valley Forge LPH-8 em novembro e dezembro de 1968, ela forneceu suporte de tiroteio para dois desembarques anfíbios da Marinha. Nos meses seguintes, ela atuou como escolta para Kitty Hawk (CVA 63) e Hancock (CVA-19) durante suas operações de ataque no Mar da China Meridional, atuou como navio de defesa do porto em Danang e gerou mais de 1.000 tiros de explosão de 5 polegadas bombardeios contra fortalezas vietcongues ao longo da costa sul-vietnamita. Ela voltou para Long Beach, Califórnia, em 7 de abril de 1966. O destruidor atraiu a atenção nacional em 10 de março de 1966, quando a ABC Television Network incluiu cenas de um de seus bombardeios ao longo da costa do Vietnã do Sul. A destreza e a precisão dela. por um comentário de observadores: “Hubbard é o navio de tiro mais rápido e um dos 'mais precisos que já vi.” Harry E. Hubbard rumou para o Pacífico Ocidental na primavera de 1967, onde mais ação contra agressores no Sudeste Asiático o aguardava.

Harry E. Hubbard compartilhou a Comenda da Unidade da Marinha concedida ao Grupo de Tarefa 77.5 para operações de apoio na Gaivota de Tonkin de 2 a 5 de agosto de 1964. Ela também recebeu seis estrelas de batalha pela Segunda Guerra Mundial e pelo serviço na Coréia.


USS Harry E. Hubbard

Harry Enson Hubbard nasceu em 18 de março de 1903 em Baltimore, Maryland. Ele se formou na Academia Naval dos Estados Unidos em junho de 1925, serviu 3 anos no navio de guerra USS Maryland, então qualificado em submarinos em New London, Connecticut. Seguindo o dever no submarino USS S-34, ele completou o trabalho de pós-graduação da Naval Academy e, em seguida, serviu no submarino USS Holanda, e era um oficial executivo do contratorpedeiro USS Twiggs. Ele serviu na Naval Torpedo Station em Newport, Rhode Island, em seguida, comandou o contratorpedeiro USS Roper de 1939 a 1940, antes da atribuição como oficial de artilharia de contratorpedeiros no Atlântico. Este último dever terminou em 1 de março de 1942, quando Hubbard assumiu o comando do Gleaves- destruidor de classe USS Meredith.

Meredith ajudou a rastrear o porta-aviões USS Hornet ao largo do Japão durante o Doolittle Raid em Tóquio em 18 de abril de 1942. Posteriormente, conduziu patrulha e escolta do Havaí para Samoan, Fiji e as Ilhas Salomão e ajudou a cobrir os transportes que desembarcaram reforços em Guadalcanal em 18 de setembro de 1942. Em 15 de outubro de 1942, Meredith lutou contra aviões de reconhecimento baseados em porta-aviões da Marinha Imperial Japonesa, depois lutou contra 18 bombardeiros de mergulho japoneses e 12 aviões torpedeiros lançados pelo porta-aviões Zuikaku. Os artilheiros do navio abateram cinco dos atacantes e Hubbard continuou a luta, embora cego pelas queimaduras no rosto. Quando seus homens passaram pela ponte, eles abandonaram o naufrágio Meredith momentos antes de afundar. Ele morreu em um bote salva-vidas no mar na manhã de 16 de outubro de 1942.

Harry E. Hubbard foi lançado em 24 de março de 1944 pela Bethlehem Steel Co., Staten Island, Nova York, patrocinado pela Srta. Jean Hubbard, filha e comissionado em 22 de julho de 1944, comandante do Comandante Leonard W. Bailey.

Edição da Segunda Guerra Mundial

Como nau capitânia do Destroyer Squadron 64, Harry E. Hubbard Tripulações de pré-comissionamento treinadas destinadas a navios de guerra recém-construídos até navegar para o Havaí em 16 de janeiro de 1945. Ela serviu como um navio de treinamento fora de Pearl Harbor até 17 de abril, depois partiu para o combate. Ela chegou ao largo de Okinawa em 8 de maio de 1945 para servir como destruidora de piquetes, protegendo contra as ondas diurnas e noturnas de ataques aéreos japoneses e corridas de Kamikazes. Embora a frota americana tenha sofrido perdas e danos, ela veio para ficar. Tal como acontece com todas as armas japonesas anteriores, até mesmo o Kamikazes foram derrotados em sua tentativa de salvar este último "trampolim" para o próprio Japão. Por quase dois meses, Harry E. Hubbard lutou contra os invasores selvagens, abatendo quatro Kamikazes que tentou colidir com ela várias vezes.

Quando Evans e Hugh W. Hadley foram gravemente danificados em sua posição contra cerca de 50 Kamikazes em 11 de maio de 1945, Harry E. Hubbard, primeiro a chegar em cena, foi ao lado Evans para prestar serviços de combate a incêndio, controle de avarias e assistência médica. Ela deu assistência semelhante para Barry em 24-25 de maio, derrubando dois Kamikazes enquanto ela escoltava Barry da estação de piquete em Kerama Retto. Um avião inimigo foi desintegrado por Harry E. Hubbard os artilheiros a apenas 50 jardas (46 m) do navio.

Harry E. Hubbard permaneceu fora de Okinawa até 24 de julho de 1945, depois escoltou as tropas de ocupação para Jinsen, Coréia, e carregou o Comandante do Esquadrão de Destruidores 64 (DesRon 64) para Chinkai, Coréia, para supervisionar a desmilitarização da antiga base naval japonesa lá. Ela voltou para Jin-sen em 7 de novembro de 1945, então baseada em Tsingtao, China. Ela prestou serviço de escolta, correio e comunicação para a Força de Ocupação do Norte da China até sua partida em 16 de março de 1946, para o litoral da Califórnia. Ela chegou a San Francisco em 28 de março de 1946, passou por uma revisão de desmobilização em Oakland, depois descomissionou em San Diego em 15 de janeiro de 1947. Ela permaneceu na Frota da Reserva do Pacífico até ser recomissionada em 14 de maio de 1949, mas descomissionou em 12 de dezembro sem ter ido para o mar.

Guerra da Coréia Editar

Após a invasão da Coreia do Sul, Harry E. Hubbard recomissionado em 27 de outubro de 1950, comandante Burres D. Wood no comando. Após o shakedown inicial ao longo da costa da Califórnia, ela partiu de San Diego em 2 de janeiro de 1951 para dois meses de treinamento em águas havaianas. Ela então partiu para ajudar as Forças das Nações Unidas na Coréia. Além de ajudar a proteger a força-tarefa de porta-aviões que fazia repetidos ataques aéreos contra o inimigo, ela freqüentemente participava de missões de ataque de armas para bombardear ferrovias costeiras e centros de comunicação e atuava como artilharia marítima para apoiar o avanço das tropas terrestres. Suas missões de bombardeio foram conduzidas contra alvos em Yongdae Gap, Wonsan, Songjin, Chingjin, Kyoto, Ohako, Bokuko, Chuminjin e outras fortalezas inimigas de suprimento e reforço. Quando Walke foi fortemente danificado por uma explosão subaquática ao largo de Wonson 11 de junho de 1951, Harry E. Hubbard, com a mesma habilidade que fora de Okinawa em 1945, mudou-se para prestar assistência médica eficaz e controle de danos. Ela retornou à costa da Califórnia em outubro de 1951 para uma revisão e completou uma viagem de serviço semelhante com a 7ª Frota da Coreia de julho a dezembro de 1952. Ela retornou a San Diego em janeiro de 1953, mas novamente partiu em 11 de julho para proteger grupos-tarefa de porta-aviões de patrulhamento depois que o Acordo de Armistício foi assinado na Coréia. Interveio pela patrulha no Estreito de Taiwan, esta tarefa continuou até 13 de janeiro de 1954. Ela voltou a San Diego para revisão e treinamento de atualização ao longo da costa oeste.

Harry E. Hubbard partiu de San Diego em 11 de agosto de 1954 na primeira de nove viagens adicionais ao Extremo Oriente com a 7ª Frota, que foram concluídas no final de 1966. Durante este serviço, ela se juntou à 7ª Frota itinerante de 6 a 13 de fevereiro de 1955 ao se mover sob a artilharia comunista chinesa defesas para cobrir a evacuação de nacionalistas chineses de posições insustentáveis ​​nas ilhas Tachen. Em maio de 1955, ela participou da "Operação WIGWAM", um teste nuclear subaquático a aproximadamente 500 milhas a sudoeste de San Diego, Califórnia. Em outubro a novembro de 1956, ela desviou da Austrália para o "Dewline" no Pacífico Norte para servir na patrulha de piquete durante a Crise de Suez. Em seguida, ela se juntou a exercícios de guerra combinados com as nações do Tratado SEATO para melhorar a prontidão na defesa da liberdade naquela parte do mundo. De vez em quando, ela patrulhava o Estreito de Taiwan para garantir que Taiwan não fosse ameaçada pelo continente comunista da China. Ela estava fora de Guam em junho de 1960, duas vezes guardando o vôo da aeronave do presidente Dwight D. Eisenhower durante sua visita ao Extremo Oriente.

Guerra do Vietnã Editar

Durante o incidente do Golfo de Tonkin de agosto de 1964, Harry E. Hubbard estava perto na triagem do Mar da China Meridional Ticonderoga. O grupo de trabalho do porta-aviões atacou para destruir os torpedeiros norte-vietnamitas e suas instalações de apoio. Ao conceder a Comenda de Unidade da Marinha a Ticonderoga e sua tela, o secretário da Marinha, Paul Nitze, afirmou que eles "demonstraram a firme intenção dos Estados Unidos de manter a liberdade dos mares e de tomar todas as medidas necessárias em defesa da paz no Sudeste Asiático".

Harry E. Hubbard voltou a Long Beach em 28 de outubro de 1964 para um ano de operações de prontidão de guerra ao longo da costa oeste. Em outubro de 1965, ela partiu para a costa do Vietnã do Sul. Na companhia de Valley Forge em novembro e dezembro de 1965, ela forneceu suporte de tiroteio para dois desembarques anfíbios da Marinha. Nos meses seguintes, ela atuou como acompanhante para Kitty Hawk e Hancock durante suas operações de ataque no Mar da China Meridional, atuando como navio de defesa do porto em Da Nang e disparou mais de 1.000 tiros de projéteis explosivos de 5 polegadas em fortalezas vietcongues ao longo da costa sul-vietnamita. Ela retornou a Long Beach, Califórnia, em 7 de abril de 1966. O destruidor atraiu a atenção nacional em 10 de março de 1966, quando a ABC Television Network incluiu cenas de um de seus bombardeios ao longo da costa sul vietnamita.

Harry E. Hubbard serviu mais duas viagens no Vietnã de abril a agosto de 1967 e de agosto de 1968 a janeiro de 1969.

Harry E. Hubbard foi desativado e atingido em 17 de outubro de 1969.


HARRY E HUBBARD DD 748

Esta seção lista os nomes e designações que o navio teve durante sua vida útil. A lista está em ordem cronológica.

    Destruidor da classe Allen M. Sumner
    Keel lançado em 30 de outubro de 1943 - lançado em 24 de março de 1944

Capas navais

Esta seção lista links ativos para as páginas que exibem capas associadas ao navio. Deve haver um conjunto separado de páginas para cada nome do navio (por exemplo, Bushnell AG-32 / Sumner AGS-5 são nomes diferentes para o mesmo navio, então deve haver um conjunto de páginas para Bushnell e um conjunto para Sumner) . As capas devem ser apresentadas em ordem cronológica (ou da melhor forma possível).

Como um navio pode ter muitas capas, elas podem ser divididas em várias páginas para que não demore para carregar as páginas. Cada link de página deve ser acompanhado por um intervalo de datas para as capas dessa página.

Carimbos

Esta seção lista exemplos de carimbos postais usados ​​pelo navio. Deve haver um conjunto separado de carimbos postais para cada nome e / ou período de comissionamento. Dentro de cada conjunto, os carimbos postais devem ser listados em ordem de seu tipo de classificação. Se mais de um carimbo postal tiver a mesma classificação, eles devem ser posteriormente classificados pela data de uso mais antigo conhecido.

O carimbo postal não deve ser incluído, a menos que seja acompanhado por uma imagem em close-up e / ou a imagem de uma capa mostrando esse carimbo. Os intervalos de datas DEVEM ser baseados SOMENTE NAS CAPAS NO MUSEU e devem mudar à medida que mais capas são adicionadas.
 
& gt & gt & gt Se você tiver um exemplo melhor para qualquer um dos carimbos postais, sinta-se à vontade para substituir o exemplo existente.

Tipo de carimbo postal
---
Killer Bar Text

1º Comissionamento de 22 de julho de 1944 a 15 de janeiro de 1947

3º Comissionamento de 27 de outubro de 1950 a 17 de outubro de 1969

O USCS Postmark Catalog declara "Os cancelamentos T-2 anteriores a 23 de janeiro de 1951 estão retroativos"

Outra informação

HARRY E. HUBBARD recebeu 6 estrelas de batalha pela Segunda Guerra Mundial e serviço na Coréia

HARRY E. HUBBARD compartilhou da Comenda da Unidade da Marinha concedida a
Grupo de Tarefa 77.5 para operações de apoio na Gaivota de Tonkin de 2 a 5 de agosto de 1964

HOMÔNIMO - Harry Enson Hubbard USN (18 de março de 1903 - 16 de outubro de 1942)
Hubbard se formou na Academia Naval em junho de 1925, serviu 3 anos no encouraçado USS MARYLAND BB-46, depois se qualificou em submarinos em New London, Connecticut. Seguindo o dever no Submarino S-34, ele completou o trabalho de pós-graduação na Academia Naval, depois serviu no Submarino Concurso USS HOLLAND AS-3, e, foi Diretor Executivo do Destroyer USS TWIGGS DD-127. Ele serviu na Naval Torpedo Station em Newport, então comandou o Destroyer USS ROPER DD-147 de 1939 a 1940, antes de ser designado como oficial de artilharia para contratorpedeiros no Atlântico. O último dever terminou em 1 de março de 1942 quando Hubbard assumiu o comando do Destroyer USS MEREDITH DD-434. No comando de MEREDITH, Hubbard ajudou a selecionar o transportador USS HORNET CV-8 ao largo do Japão para os famosos bombardeios do Doolittle em Tóquio em 18 de abril de 1942. Posteriormente, ele enganou seu contratorpedeiro em árdua patrulha e escolta do Havaí às ilhas Samoa, Fiji e Salomão . Seu contratorpedeiro ajudou a cobrir os transportes que desembarcaram reforços na disputada Guadalcanal em 18 de setembro de 1942. Durante os dias mais sombrios da Campanha das Salomão, Hubbard juntou-se à manutenção da linha de vida de suprimentos para os combatentes em Guadalcanal. Em 15 de outubro de 1942, ele lutou com seu navio contra aviões de reconhecimento baseados em porta-aviões japoneses, depois lutou contra 18 bombardeiros de mergulho inimigos e 12 aviões torpedeiros lançados pelo porta-aviões japonês ZUIKAKU. Seus artilheiros abateram cinco dos atacantes, todos os destróieres seguindo o exemplo de Hubbard, que continuou a luta, embora cego pelas queimaduras em seu rosto. Quando seus homens passaram pela ponte, ele abandonou o MEREDITH afundando poucos momentos antes de ela dar seu mergulho final. Ele morreu em um bote salva-vidas no mar na manhã de 16 de outubro de 1942. A posição heróica do Comandante Hubbard e seu contratorpedeiro afastou a aeronave inimiga dos navios que chegaram a Guadalcanal com munições e suprimentos desesperadamente necessários

Se você tiver imagens ou informações para adicionar a esta página, entre em contato com o Curador ou edite esta página e adicione-a. Consulte Editando as páginas do navio para obter informações detalhadas sobre a edição desta página.


Descrição

Estamos felizes em oferecer um estilo clássico com 5 painéis personalizado do destróier da Marinha dos EUA DD 748 USS Harry E Hubbard chapéu bordado.

Por uma taxa adicional (e opcional) de US $ 7,00, nossos chapéus podem ser personalizados com até 2 linhas de texto de 14 caracteres cada (incluindo espaços), como o sobrenome de um veterano & # 8217s e classificação e classificação na primeira linha, e anos de serviço na segunda linha.

Nosso boné bordado DD 748 USS Harry E Hubbard vem em dois estilos para sua escolha. Um tradicional & # 8220 perfil alto & # 8221 bico liso estilo back snap back (com um verde autêntico sob a pala na parte inferior da nota plana), ou um moderno & # 8220 perfil médio & # 8221 curvo bill velcro back & # 8220 baseball boné & # 8221 style. Ambos os estilos são & # 8220 um tamanho serve para todos & # 8221. Nossos chapéus são feitos de 100% algodão durável para respirabilidade e conforto.

Dada a alta demanda de bordados nesses chapéus & # 8220fabricados sob encomenda & # 8221, aguarde 4 semanas para o envio.

Se você tiver alguma dúvida sobre nossas ofertas de chapéus, entre em contato conosco pelo telefone 904-425-1204 ou envie um e-mail para [email & # 160protected], e teremos o maior prazer em falar com você!


USS Harry E. Hubbard (DD 748)

Desativado em 1969.
Stricken, 17 de outubro de 1969.
Vendido em julho de 1970 e quebrado para sucata.

Comandos listados para USS Harry E. Hubbard (DD 748)

Observe que ainda estamos trabalhando nesta seção.

ComandanteA partir dePara
1Lcmdr Leonard Scott Bailey, USNR22 de julho de 194411 de janeiro de 1945
2T / Cdr. Arthur Montgomery Purdy, USN11 de janeiro de 194515 de janeiro de 1946

Você pode ajudar a melhorar nossa seção de comandos
Clique aqui para enviar eventos / comentários / atualizações para esta embarcação.
Por favor, use isto se você detectar erros ou quiser melhorar esta página de navios.

Os eventos notáveis ​​envolvendo Harry E. Hubbard incluem:

16 de janeiro de 1945
O USS Harry E. Hubbard (Cdr Arthur Montgomery Purdy) partiu de Norfolk com destino ao Pacífico.

24 de janeiro de 1945
O USS Harry E. Hubbard (Cdr A. M. Purdy) transita pelo Canal do Panamá.

4 de fevereiro de 1945
USS Hubbard (Cdr A.W. Purdy) chegou a San Diego.

7 de fevereiro de 1945
O USS Hubbard (Cdr A.W. Purdy) partiu de San Diego com destino a Pearl Harbor.

15 de fevereiro de 1945
O USS Harry E. Hubbard (Cdr A.W. Purdy) chegou a Pearl Harbor.

17 de abril de 1945
O USS Harry E. Hubbard (Cdr A.W. Purdy) partiu de Pearl Harbor com destino a Ulithi.

28 de abril de 1945
O USS Harry E. Hubbard (Cdr A.W. Purdy) chegou a Ulithi.

8 de maio de 1945
O USS Harry E. Hubbard (Cdr A.W. Purdy) chegou ao largo de Okinawa.

Links de mídia


Harry E. Hubbard DD- 748 - História

Este modelo de navio de guerra é todo feito à mão em madeira dura com pranchas na estrutura e pintado como o navio real. Não há plástico e este modelo está pronto para ser exibido. O modelo vem com uma placa de identificação de latão na base.

O USS Harry E. Hubbard (DD-748), um contratorpedeiro da classe Allen M. Sumner, é o único navio da Marinha dos Estados Unidos a ser nomeado em homenagem ao Comandante Harry Hubbard (1903 a 1942), que era o capitão do Meredith quando foi afundado durante a campanha de Guadalcanal.

Harry E. Hubbard foi lançado em 24 de março de 1944 pela Bethlehem Steel Co., Staten Island, Nova York patrocinado pela Srta. Jean Hubbard, filha e comissionado em 22 de julho de 1944, Comandante Leonard W. Bailey no comando.
Segunda Guerra Mundial

Nau capitânia do Destroyer Squadron 64, Harry E. Hubbard treinou tripulações de pré-comissionamento destinadas a navios de guerra recém-construídos até navegar para o Havaí em 16 de janeiro de 1945. Ela serviu como navio de treinamento fora de Pearl Harbor até 17 de abril, depois partiu para o combate. Ela chegou de Okinawa em 8 de maio de 1945 para servir como um piquete, protegendo contra as ondas diurnas e noturnas de ataques aéreos japoneses e corridas suicidas de kamikazes. Embora a frota americana tenha sofrido perdas e danos, ela veio para ficar. Como com todas as armas japonesas anteriores, até mesmo os kamikazes foram derrotados em sua tentativa de salvar esta última & quotstepping stone & quot para o próprio Japão. Por quase dois meses, Hubbard lutou contra os invasores selvagens, abatendo quatro aviões suicidas que tentaram derrubá-la várias vezes.

Quando Evans e Hugh W. Hadley foram seriamente danificados em sua posição contra cerca de 50 kamikazes em 11 de maio de 1945, Hubbard, o primeiro a chegar ao local, foi ao lado de Evans para prestar assistência médica, controle de danos e combate a incêndios. Ela deu assistência semelhante a Barry em 24 e 25 de maio, abatendo duas kamikazesas que escoltou Barry da estação de piquete até Kerama Retto. Um avião inimigo foi desintegrado pelos artilheiros de Hubbard a apenas 50 metros do navio.

Hubbard permaneceu fora de Okinawa até 24 de julho de 1945, então escoltou as tropas de ocupação para Jinsen, Coréia, e carregou o Comandante do Esquadrão Destruidor 64 (DesRon 64) para Chinkai, Coréia, para supervisionar a desmilitarização da antiga base naval japonesa lá. Ela voltou para Jin-sen em 7 de novembro de 1945, então baseada em Tsingtao, China. Ela prestou serviço de escolta, correio e comunicação para a Força de Ocupação do Norte da China até sua partida em 16 de março de 1946, para o litoral da Califórnia. Ela chegou a San Francisco em 28 de março de 1946, passou por uma revisão de desmobilização em Oakland, depois descomissionou em San Diego em 15 de janeiro de 1947. Ela permaneceu na Frota da Reserva do Pacífico até ser recomissionada em 14 de maio de 1949, mas descomissionou em 12 de dezembro sem ter ido para o mar.

Após a invasão da Coreia do Sul, Harry E. Hubbard voltou a comissionar em 27 de outubro de 1950, o Comandante Burres D. Wood no comando. Após o shakedown inicial ao longo da costa da Califórnia, ela partiu de San Diego em 2 de janeiro de 1951 para dois meses de treinamento em águas havaianas. Ela então viajou para ajudar as Forças da ONU na Coréia. Além de ajudar a proteger a força-tarefa de porta-aviões que fazia repetidos ataques aéreos contra o inimigo, ela freqüentemente participava de missões de ataque de armas para bombardear ferrovias costeiras e centros de comunicação e atuava como artilharia marítima para apoiar o avanço das tropas terrestres. Suas missões de bombardeio foram conduzidas contra alvos em Yongdae Gap, Wonsan, Songjin, Chingjin, Kyoto, Ohako, Bokuko, Chuminjin e outras fortalezas inimigas de suprimento e reforço. Quando Walke foi seriamente danificado por uma explosão subaquática ao largo de Wonson em 11 de junho de 1951, Hubbard, com a mesma habilidade de Okinawa em 1945, avançou para prestar assistência médica eficaz e controle de danos. Ela retornou à costa da Califórnia em outubro de 1951 para uma revisão e completou uma viagem de serviço semelhante com a 7ª Frota da Coreia de julho a dezembro de 1952. Ela retornou a San Diego em janeiro de 1953, mas novamente partiu em 11 de julho para proteger grupos-tarefa de porta-aviões de patrulhamento depois que o Acordo de Armistício foi assinado na Coréia. Interveio pela patrulha no Estreito de Taiwan, esta tarefa continuou até 13 de janeiro de 1954. Ela voltou a San Diego para revisão e treinamento de atualização ao longo da costa oeste.

Harry E. Hubbard partiu de San Diego em 11 de agosto de 1954 na primeira de nove viagens adicionais ao Extremo Oriente com a 7ª Frota, que foram concluídas no final de 1966. Durante este serviço, ela se juntou à 7ª Frota itinerante de 6 a 13 de fevereiro de 1955 ao se mudar sob as defesas da artilharia comunista chinesa para cobrir a evacuação de nacionalistas chineses de posições insustentáveis ​​nas ilhas Tachen. Em maio de 1955, ela participou do & quotOperation WIGWAM & quot, um teste nuclear subaquático a aproximadamente 500 milhas a sudoeste de San Diego, Califórnia. De outubro a novembro de 1956, ela desviou da Austrália para a & quotDewline & quot no Pacífico Norte para servir na patrulha de piquete durante a Crise de Suez. Em seguida, ela se juntou a exercícios de guerra combinados com as nações do Tratado SEATO para melhorar a prontidão na defesa da liberdade naquela parte do mundo. De vez em quando, ela patrulhava o Estreito de Taiwan para garantir que Taiwan não fosse ameaçada pelo continente comunista da China. Ela estava fora de Guam em junho de 1960, duas vezes guardando o vôo da aeronave do presidente Dwight D. Eisenhower durante sua visita ao Extremo Oriente.

Durante o incidente do Golfo de Tonkin em agosto de 1964, Harry E. Hubbard estava próximo ao Mar da China Meridional, examinando Ticonderoga. O grupo de trabalho do porta-aviões atacou para destruir os torpedeiros norte-vietnamitas e suas instalações de apoio. Ao conceder a Comenda de Unidade da Marinha a Ticonderoga e sua tela, o Secretário da Marinha Paul Nitze afirmou que eles haviam & quot demonstrado a firme intenção dos Estados Unidos de manter a liberdade dos mares e de tomar todas as medidas necessárias em defesa da paz no Sudeste Asiático. & quot

Hubbard voltou a Long Beach em 28 de outubro de 1964 para um ano de operações de prontidão de guerra ao longo da costa oeste. Em outubro de 1965, ela partiu para a costa do Vietnã do Sul. Em companhia com Valley Forge em novembro e dezembro de 1965, ela forneceu suporte de tiroteio para dois desembarques anfíbios da Marinha. Nos meses seguintes, ela atuou como escolta para Kitty Hawk e Hancock durante suas operações de ataque no Mar da China Meridional, atuando como navio de defesa do porto em Danang e disparou mais de 1.000 tiros de projéteis explosivos de 5 polegadas em fortalezas vietcongues ao longo do sul Costa vietnamita. Ela voltou a Long Beach, Califórnia, em 7 de abril de 1966. O destruidor atraiu a atenção nacional em 10 de março de 1966, quando a ABC Television Network incluiu cenas de um de seus bombardeios ao longo da costa sul vietnamita.

Prêmios
Harry E. Hubbard compartilhou a Comenda da Unidade da Marinha atribuída ao Grupo de Tarefa 77.5 para operações de apoio no Golfo de Tonkin, de 2 a 5 de agosto de 1964. Ela também recebeu seis estrelas de batalha pela Segunda Guerra Mundial e serviço na Coréia


USS Shangri-La (CV 38)

O USS SHANGRI-LA foi um dos porta-aviões da classe ESSEX e o primeiro navio a levar o nome. O nome "SHANGRI-LA" foi tirado de um discurso do presidente Roosevelt sobre o Doolittle Raid - o primeiro ataque aéreo americano contra a pátria japonesa - em 1942. Em seu discurso, o presidente Roosevelt se referiu à origem do ataque a Tóquio apenas como " SHANGRI-LA ". Reclassificado como porta-aviões de ataque CVA 38 em 1 de outubro de 1952 e porta-aviões de guerra anti-submarino CVS 38 em 30 de junho de 1969, o SHANGRI-LA foi desativado em 30 de julho de 1971 e posteriormente colocado na Frota de Reserva do Atlântico atracada na Filadélfia. SHANGRI-LA permaneceu lá pelos 11 anos seguintes, e foi excluído da lista da Marinha em 15 de julho de 1982. Em 9 de agosto de 1988, ela foi eliminada pela Administração da Marinha.

Características gerais: Concedido: 1942
Quilha colocada: 15 de janeiro de 1943
Lançado: 24 de fevereiro de 1944
Comissionado: 15 de setembro de 1944
Desativado: 7 de novembro de 1947
Recomissionado: 10 de maio de 1951
Desativado: 30 de julho de 1971
Construtor: Estaleiro Naval de Norfolk, Norfolk, Va.
Sistema de propulsão: 8 caldeiras
Hélices: quatro
Elevadores de aeronaves: três
Prendendo cabos de engrenagem: quatro
Catapultas: duas
Comprimento: 894,4 pés (272,6 metros)
Largura do convés de voo: 192,9 pés (58,5 metros)
Feixe: 101 pés (30,8 metros)
Calado: 30,8 pés (9,4 metros)
Deslocamento: aprox. 44.700 toneladas de carga completa
Velocidade: 33 nós
Aviões: 80-100 aviões
Tripulação: aprox. 3448
Armamento: veja abaixo

Esta seção contém os nomes dos marinheiros que serviram a bordo do USS SHANGRI-LA. Não é uma lista oficial, mas contém os nomes dos marinheiros que enviaram suas informações.

Livros de cruzeiros USS SHANGRI-LA:

Sobre os diferentes armamentos:

  • 1945: 12 canhões de 5 polegadas (12,7 cm) 38 calibres, 44 canhões de 40 mm e 60 canhões de 20 mm
  • 1957: 8 armas de 5 polegadas (12,7 cm) de 38 calibres e 24 armas de 3 polegadas (7,6 cm) de 50 calibres
  • 1958: 8 armas de 5 polegadas (12,7 cm) de 38 calibres
  • 1969: 4 armas de 12,7 cm (5 polegadas) e 38 calibres

Acidentes a bordo do USS SHANGRI-LA:

Abaixo está um relatório sobre a colisão do livro de cruzeiros de 1965 de SHANGRI-LA.

O USS SHANGRI-LA foi estabelecido pelo Norfolk Navy Yard, em Portsmouth, Va., Em 15 de janeiro de 1943, lançado em 24 de fevereiro de 1944, patrocinado pela Sra. James H. Doolittle e encomendado em 15 de setembro de 1944, Capitão James D Barner no comando.

SHANGRI-LA completou os preparativos em Norfolk e fez seu cruzeiro de shakedown para Trinidad, B.W.I., entre 15 de setembro e 21 de dezembro de 1944, quando retornou a Norfolk. Em 17 de janeiro de 1945, ela saiu de Hampton Roads, formou-se com o grande cruzador USS GUAM (CB 2) e USS HARRY E. HUBBARD (DD 748), e navegou para o Panamá. Os três navios chegaram a Cristobal, C.Z., no dia 23 e transitaram pelo canal no dia 24. SHANGRI-LA partiu de Balboa, C.Z., em 25 de janeiro e chegou a San Diego, Califórnia, em 4 de fevereiro. Lá ela carregou passageiros, provisões e aviões extras para o trânsito para o Havaí e começou a embarcar em 7 de fevereiro. Após sua chegada a Pearl Harbor em 15 de fevereiro, ela começou dois meses de serviço, qualificando pilotos da Marinha baseados em terra em pousos de porta-aviões.

Em 10 de abril de 1945, ela levantou âncora para o Atol de Ulithi, onde chegou dez dias depois. Depois de uma pernoite na lagoa, SHANGRI-LA partiu de Ulithi na companhia de USS HAGGARD (DD 555) e USS STEMBEL (DD 644) para se apresentar para o serviço com o vice-almirante Marc A. Mitscher da Fast Carrier Task Force. Em 24 de abril, ela se juntou ao Grupo de Trabalho 58.4 enquanto realizava um encontro de abastecimento com o TG 50.8. No dia seguinte, SHANGRI-LA e seu grupo aéreo, CVG-85, lançaram seu primeiro ataque contra os japoneses. The target was Okino Daito Jima, a group of islands several hundred miles to the southeast of Okinawa. Her planes successfully destroyed radar and radio installations there and, upon their recovery, the task group sailed for Okinawa. SHANGRI-LA supplied combat air patrols for the task group and close air support for the 10th Army on Okinawa before returning to Ulithi on 14 May.

While at Ulithi, SHANGRI-LA became the flagship of the 2nd Carrier Task Force. Vice Adm. John S McCain hoisted his flag in SHANGRI-LA on 18 May 1945. Six days later, TG 58.4, with SHANGRI-LA in company, sortied from the lagoon. On 28 May, TG 58.4 became TG 38.4 and Vice Adm. McCain relieved Vice Adm. Mitscher as Commander, Task Force 38, retaining SHANGRI-LA as his flagship. On 2 and 3 June, the task force launched air strikes on the Japanese home islands - aimed particularly at Kyushu, the southernmost of the major islands. Facing the stiffest airborne resistance to date, SHANGRI-LA's airmen suffered their heaviest casualties.

On 4 and 5 June, she moved off to the northwest to avoid a typhoon then, on the 6th, her planes returned to close air support duty over Okinawa. On the 8th, her air group hit Kyushu again, and, on the following day, they came back to Okinawa. On 10 June 1945, the task force cleared Okinawa for Leyte, conducting drills en route. SHANGRI-LA entered Leyte Gulf and anchored in San Pedro Bay on 13 June. She remained at anchor there for the rest of June, engaged in upkeep and recreation. On 1 July, SHANGRI-LA got underway from Leyte to return to the combat zone. On 2 July, the oath of office of Assistant Secretary of the Navy for Air was administered to John L. Sullivan on board SHANGRI-LA, the first ceremony of its type ever undertaken in a combat zone. Eight days later, her air group commenced a series of air strikes against Japan which lasted until the capitulation on 15 August.

SHANGRI-LA's planes ranged the length of the island chain during these raids. On 10 July, they attacked Tokyo, the first raid there since the strikes of the previous February. On 14 and 15 July, they pounded Honshu and Hokkaido and, on the 18th, returned to Tokyo, also bombing battleship NAGATO, moored close to shore at Yokosuka. From 20 to 22 July, SHANGRI-LA joined the logistics group for fuel, replacement aircraft, and mail. By the 24th, her pilots were attacking shipping in the vicinity of Kure. They returned the next day for a repeat performance, before departing for a two-day replenishment period on the 26th and 27th. On the following day, SHANGRI-LA's aircraft damaged cruiser OYODA, and battleship HARUNA, the latter so badly that she beached and flooded. She later had to be abandoned. They pummeled Tokyo again on 30 July, then cleared the area to replenish on 31 July and 1 August.

SHANGRI-LA spent the next four days in the retirement area waiting for a typhoon to pass. On 9 August, after heavy fog had caused the cancellation of the previous day's missions, the carrier sent her planes aloft to bomb Honshu and Hokkaido once again. The next day, they raided Tokyo and central Honshu, then retired from the area for logistics. She evaded another typhoon on 11 and 12 August, then hit Tokyo again on the 13th. After replenishing on the 14th, she sent planes to strike the airfields around Tokyo on the morning of 15 August 1945. Soon thereafter, Japan's capitulation was announced and the fleet was ordered to cease hostilities. SHANGRI-LA steamed around in the strike area from 15 to 23 August, patrolling the Honshu area on the latter date. Between 23 August and 16 September, her planes sortied on missions of mercy, air-dropping supplies to Allied prisoners of war in Japan.

SHANGRI-LA entered Tokyo Bay on 16 September, almost two weeks after the surrender ceremony on board USS MISSOURI (BB 63), and remained there until 1 October. Departing Japan, she arrived at Okinawa on 4 October stayed until the 6th, and then headed for the United States in company with Task Unit 38.1.1. She sailed into San Pedro Bay, Calif., on 21 October and stayed at Long Beach for three weeks. On 5 November, she shifted to San Diego, departing that port a month later for Bremerton, Wash. She entered Puget Sound on 9 December, underwent availability until the 30th, and then returned to San Diego.

Upon her return, SHANGRI-LA began normal operations out of San Diego, primarily engaged in pilot carrier landing qualifications. In May 1946, she sailed for the Central Pacific to participate in Operation Crossroads, the atomic bomb tests conducted at Bikini Atoll. Following this, she made a brief training cruise to Pearl Harbor, then wintered at Puget Sound Naval Shipyard. In March 1947, she deployed again, calling at Pearl Harbor and Sydney, Australia. When she returned to the United States, SHANGRI-LA was decommissioned and placed in the Reserve Fleet at San Francisco on 7 November 1947.

SHANGRI-LA recommissioned on 10 May 1951, Capt. Francis L. Busey in command. For the next year, she conducted training and readiness operations out of Boston, Mass. Reclassified an attack aircraft carrier, CVA 38, in 1952, she returned to Puget Sound that fall and decommissioned again on 14 November, this time for modernization at Puget Sound Naval Shipyard.

During the next two years, she received an angled flight deck, twin steam catapults, and her aircraft elevators and arresting gear were overhauled. At a cost of approximately $7 million, she was virtually a new ship when she commissioned for the third time on 10 January 1955, Capt. Roscoe L. Newman commanding.

She conducted intensive fleet training for the remainder of 1955, then deployed to the Far East on 5 January 1956. On 2 September 1956, the second day of the National Air Show, Lt. (j.g.) R. Carson, flying an F3H-2N Demon of VF-124, captured the McDonnell Trophy with a non-stop, non-refueling flight from SHANGRI-LA off the coast of San Francisco to Oklahoma City. Lt.(j.g.) Carson covered the 1,436 miles in two hours 32 minutes 13.45 seconds for an average speed of 566.007 mph.

On 16 March 1960, she put to sea from San Diego en route to her new home port, Mayport, Fla. She entered Mayport after visits to Callao, Peru Valparaiso, Chile Port of Spain, Trinidad Bayonne, N.J. and Norfolk, Va.

After six weeks of underway training in the local operating area around Guantanamo Bay, Cuba, she embarked upon her first Atlantic deployment, a NATO exercise followed by liberty in Southampton, England. Almost immediately after her return to Mayport, SHANGRI-LA was ordered back to sea, this time to the Caribbean in response to trouble in Guatemala and Nicaragua. She returned to Mayport on 25 November 1960 and remained in port for more than two months.

Between 1961 and 1970, SHANGRI-LA alternated between deployments to the Mediterranean and operations in the western Atlantic, out of Mayport. She sailed east for her first tour of duty with the 6th Fleet on 2 February 1961. On 1 June 1961, SHANGRI-LA, along with USS INTREPID (CV 11) and USS RANDOLPH (CV 15), was ordered to stand by off southern Hispaniola when a general uprising seemed about to follow the assasination of President Trujillo of the Domincan Republic.

She returned to the United States that fall and entered the New York Naval Shipyard. Back in Mayport by the beginning of 1962, SHANGRI-LA stood out again for the Mediterranean on 7 February 1962. After about six months of cruising with the 6th Fleet, she departed the Mediterranean in mid-August and arrived in Mayport on the 28th.

Following a month's stay at her home port, the aircraft carrier headed for New York and a major overhaul. SHANGRI-LA was modified extensively during her stay in the yard. Four of her 5-inch mounts were removed, but she received a new air search and height finding radar and a new arrester system. In addition, much of her electrical and engineering equipment was renovated. After sea trials and visits to Bayonne, N.J., and Norfolk, Va., SHANGRI-LA returned to Mayport for a week in late March 1963 then put to sea for operations in the Caribbean. Eight months of similar duty followed before SHANGRI-LA weighed anchor for another deployment. On 1 October 1963, she headed back to the 6th Fleet for a seven-month tour.

SHANGRI-LA continued her 2nd and 6th Fleet assignments for the next six years. During the winter of 1964 and the spring of 1965, she underwent another extensive overhaul, this time at Philadelphia, then resumed operations as before. On 30 June 1969, she was redesignated an anti-submarine warfare aircraft carrier CVS 38.

In 1970, SHANGRI-LA returned to the western Pacific after an absence of ten years. She got underway from Mayport on 5 March, stopped at Rio de Janeiro, Brazil, from the 13th to the 16th, and headed east through the Atlantic and Indian oceans. She arrived in Subic Bay, R.P., on 4 April and, during the next seven months, launched combat sorties from Yankee station. Her tours of duty on Yankee station were punctuated by frequent logistics trips to Subic Bay, by visits to Manila, R.P., and Hong Kong, B.C.C., in October, and by 12 days in drydock at Yokosuka, Japan, in July.

On 9 November 1970, SHANGRI-LA stood out of Subic Bay to return home. En route to Mayport, she visited Sydney, Australia Wellington, N.Z. and Rio de Janeiro, Brazil. She arrived in Mayport on 16 December and began preparations for inactivation. After pre-inactivation overhaul at the Boston Naval Shipyard, South Annex, SHANGRI-LA decommissioned on 30 July 1971. She was placed in the Atlantic Reserve Fleet and berthed at Philadelphia.

SHANGRI-LA remained in the reserve fleet for the next 11 years, and was stricken from the Navy List on 15 July 1982. On 9 August 1988, she was disposed of by the Marine Administration.


EUA SHANGRI-LA A SHORT HISTORY.

On the morning of 18 April 1942, the aircraft carrier U.S.S. HORNET launched a spectacular bombing raid on Tokyo, Japan. When newsmen asked President Roosevelt to reveal the base from which the airmen had flown, he cited the name
‘SHANGRI-LA’, a mythical retreat from James Hilton’s novel ‘LOST HORIZONS’.
When the HORNET was lost in action, she needed a successor. On 15 January 1943, the keel was laid for this ESSEX-class carrier, U.S.S. SHANGRI-LA, in memory of the HORNET’S exploits.
Shangri-La, an aircraft carrier, was laid down by the Norfolk Navy Yard, at Portsmouth, Virginia on 15 January 1943,
launched on 24 February 1944, sponsored by Mrs. James H. Doolittle, and commissioned on 15 September 1944.
Captain James D. Barner in command. Shangri-La completed fitting out at Norfolk and took her shakedown cruise to Trinidad, British West Indies, between 15 September and 21 December 1944, at which time she returned to Norfolk.
On 17 January 1945, she stood out of Hampton Roads, formed up with Guam (CB-2) and Harry EZ. Hubbard (DD-748), and sailed for Panama. The three ships arrived at Cristobal, Canal Zone, on the 23rd and transited the canal on the 24th. Shangri-La departed from Balboa, Canal Zone, on 25 January and arrived at San Diego, California on 4 February.
There she loaded passengers, stores, and extra planes for transit to Hawaii and got underway on 7 February. Upon her arrival at Pearl Harbor on 15 February, she commenced two months of duty qualifying land based Navy pilots in carrier landings. On 10 April, she weighed anchor for Ulithi Atoll where she arrived ten days later. After an overnight stay in the lagoon, Shangri-La departed Ulithi in company with Hadgard (DD-555) and Stembel (DD-644) to report for duty with Vice Admiral Mare A. Mitscher’s Fast Carrier Task Force.
On 24 April, she joined Task Group 58.4 while it was conducting a fueling rendezvous with Task Group 50.8. No dia seguinte,
Shangri-La and her air group, CVG-85, launched their first strike against the Japanese. The target was Okino Daito Jima, a
group of islands several hundred miles to the southeast of Okinawa. Her planes successfully destroyed radar and radio
installations there and, upon their recovery, the task group sailed for Okinawa.
Shangri-La supplied combat air patrols for the task group and close air support for the 10th Army on Okinawa before returning to Ulithi on 14 May.
While at Ulithi, Shangri-La became the flagship of the 2nd Carrier Task Force.
Vice Admiral John S. McCain hoisted his flag in Shangri-La on 18 May. Six days later, Task Group 58.4, with Shangri-La in company, sortied from the lagoon. On 28 May, Task Group 58.4 became Task Group 38.4 and Vice Admiral McCain relieved Vice Admiral Mitscher as Commander, Task Force 38, retaining Shangri-La as his flagship. On 2 and 3 June, the task force launched air strikes on the Japanese home islands, aimed particularly at Kyushu, the southernmost of the major islands. Facing the stiffest airborne resistance to date, Shangri-La’s airmen suffered their heaviest casualties.
On 4 and 5 June, she moved off to the northwest to avoid a typhoon Then, on the 6th, her planes returned to close air support duty over Okinawa. On the 8th, her air group hit Kyushu again, and on the following day, they came back to Okinawa.
On the 10th, the task force cleared Okinawa for Leyte, conducting drills en route. Shangri-La entered Leyte Gulf and anchored in San Pedro Bay on 13 June. She remained there for the rest of June, engaged in upkeep and recreation. On 1 July, Shangri-La got underway from Leyte to return to the combat zone.
On the 2nd, the Oath of office of Assistant Secretary of the Navy for Air was administered to John L. Sullivan on-board Shangri-La, the first ceremony of itstype ever undertaken in a combat zone.
Eight days later, her air group commenced a series of air strikes against Japan which lasted until the capitulation on 15 August. Shangri-La’s planes ranged the length of the island chain during these raids. On the 10th, they attacked Tokyo, the first raid there since the strikes of the previous February.
On 14 and 15 July, they pounded Honshu and Hokkaido and on the 18th, returned to Tokyo, also bombing battleship Nagato, moored close to shore at Yokosuka. From 20 to 22 July, Shangri-La joined the logistics group for fuel, replacement aircraft, and mail. By the 24th, her pilots were attacking shipping in the vicinity of Kure. They returned the next day for a repeat performance, before departing for a two-day replenishment period on the 26th and 27th. On the following day, Shangri-La’s aircraft damaged cruiser, Ogoda, and battleship, Haruna, the latter so badly that she beached and flooded. She later had to be abandoned.
They pummeled Tokyo again on 30 July then cleared the area to replenish on 31 July and 1 August, Shangri-La spent the next four days in the retirement area waiting for a typhoon to pass. On 9 August, after heavy fog had caused the cancellation of the previous day’s missions, the carrier sent her planes aloft to bomb Honshu and Hokkaido. The next day, they raided Tokyo and central Honshu, then retired from the area for logistics. She evaded another typhoon on 11 and 12 August, then hit Tokyo again on the 13th. After replenishing on the 14th, she sent her planes to strike the airfields around Tokyo on the morning of 15 August 1945.
Soon thereafter, Japan’s capitulation was announced, and the fleet was ordered to cease hostilities. Shangri-La steamed around in the strike zone from 15 to 23 August, patrolling the Honshu area on the later date. Between 23 August and 16 September, her planes sortied on missions of mercy, air dropping supplies to Allied prisoners of war in Japan.
Shangri-La entered Tokyo Bay on 16 September, almost two weeks after the surrender ceremony on board USS Missouri, and remained there until 1 October. Departing Japan, she arrived at Okinawa on 4 October stayed until the 6th, and then headed for the United States in company with Task Unit 38.1.1. She sailed into San Pedro Bay, California on 21 October and stayed at Long Beach for three weeks.
On 5 November, she shifted to San Diego, departing that port a month later for Bremerton, Washington. She entered Puget Sound on 9 December, underwent availability until the 30th, and then returned to San Diego. Upon her return Shangri-La began normal operations out of San Diego, primarily engaged in pilot carrier landing qualifications. In May 1946, she sailed for the Central Pacific to participate in Operation “Crossroads,” the atomic bomb tests conducted at Bikini Atoll.
Following this, she made a brief training cruise to Pearl Harbor, then wintered at Puget Sound Naval Shipyard. In March 1947, she deployed again, calling at Pearl Harbor and Sydney, Australia. When she returned to the United States, Shangri-La was decommissioned and placed in the Reserve Fleet at San Francisco on November 1947.
Shangri-La recommissioned on 10 May 1951, Captain Francis L. Busey in command.
For the next year, she conducted training and readiness operations out of Boston, Mass. Reclassified an attack aircraft carrier CVA-38, in 1952, she returned to Puget Sound that fall and decommissioned again on 14 November, this time for modernization at Puget Sound Naval Shipyard. During the next two years, she received an angled flight deck, twin steam catapults, and her aircraft elevators and arresting gear were overhauled. At a cost of approximately $7 million, she was virtually a new ship when she commissioned for the third time on 10 January, 1955, Captain R.L. Newman commanding.
She conducted intensive fleet training for the remainder of 1955, then deployed to the Far East on 5 January 1956.
Until 1960, she alternated western Pacific cruises with operations out of San Diego. On 16 March 1960, she put to sea from San Diego en route to her new home port, Mayport, Florida. She entered Mayport after visits to Callao, Peru. Velpariso, Chile. Rio de Janeiro, Brazile. Port of Spain, Trinidad. Bayonne, New Jersey and Norfolk, Virginia.
After six weeks of underway training in the local operating area around Guantanamo Bay, Cuba she embarked upon her first Atlantic deployment, a NATO exercise followed by liberty in Southhampton, England.
Almost immediately after her return to Mayport, Shangri-La was ordered back to sea – this time to the Caribbean in response to trouble in Guatamala and Nicaragua. She returned to Mayport on 25 November 1960 and remained in port for more than two months.
Between 1961 and 1970, Shangri-La alternated deployments to the Mediterranean and operations in the western Atlantic, out of Mayport. She sailed east for her first tour of duty with the 6th Fleet on 2 February 1961.
She returned to the United States that fall and entered the New York Naval Shipyard.
Back in Mayport by the beginning of 1962, Shangri-La stood out again for the Mediterranean on 7 February. After about six months of cruising with the 6th Fleet, she departed the Mediterranean in mid August and arrived in Mayport on the 28th. Following a month’s stay at her home port, the aircraft carrier headed for New York and a major overhaul. Shangri-La was modified extensively during her stay in the yard. Four of her 5-inch gun mounts were removed, but she received a new air search and height finding radar and a new arrester system.
In addition much of her electrical and engineering equipment was renovated.
After sea trials and visits to Bayonne, N.J. and Norfolk, VA. Shangri-La returned to Mayport for a week in late March 1963, then put to sea for operations in the Caribbean.
Eight months of similar duty followed before Shangri-La weighed anchor for another deployment.
On 1 October 1963, she headed back to the 6th Fleet for a seven month tour.
ShangriLa continued her 2nd and 6th Fleet assignments for the next six years.
During the winter of 1965 and the spring of 1966, she underwent another extensive overhaul, this time in Philadelphia, then resumed operations as before.
On 30 June 1969, she was redesigned an antisubmarine warfare aircraft carrier CVS-38.
In 1970, Shangri-La returned to the western Pacific after an absence of ten years.
She got underway from Mayport on 5 March, stopped in Rio de Janiero, Brazil from the 13th to the 16th, and headed east through the Atlantic and Indian Oceans. She arrived in Subic Bay, Republic of Philippines on 4 April and during the next seven months, launched combat sorties from Yankee station off the coast of Viet Nam.
Her tours of duty on Yankee station were punctuated by frequent logistics trips to Subic Bay by visits to Manila, R.P. and Hong Kong, B.B.C., in October, and by twelve days in dry dock at Yokosuka, Japan in July.
On 9 November, Shangri-La stood out of Subic Bay to return home. En route to Mayport, she visited Sydney, Australia. Wellington, New Zealand and Rio de Janiero, Brazil. She arrived in Mayport on 16 December and began preparations for inactivation. After pre inactivation overhaul at the Boston Naval Shipyard South Annex, Shangri-La decommissioned on 30 July 1971.
She was placed in the Atlantic Reserve Fleet and berthed at Philadelphia , where she remained until she was finally sold for scrap and towed to Taiwan.

HERE IS ANOTHER RENDITION


Mục lục

Harry E. Hubbard được đặt lườn tại xưởng tàu của hãng Bethlehem Steel Co., ở Staten Island, New York vào ngày 30 tháng 10 năm 1943. Nó được hạ thủy vào ngày 24 tháng 3 năm 1944 được đỡ đầu bởi cô Jean Hubbard, con gái Trung tá Hubbard, và nhập biên chế vào ngày 22 tháng 7 năm 1944 dưới quyền chỉ huy của Trung tá Hải quân Leonard W. Bailey.

1944 - 1945 Sửa đổi

Trong vai trò soái hạm của Hải đội Khu trục 64, Harry E. Hubbard tiến hành huấn luyện cho thủy thủ đoàn của những con tàu mới, cho đến khi lên đường đi sang khu vực quần đảo Hawaii vào ngày 16 tháng 1 năm 1945. Nó tiếp tục đảm nhiệm vai trò tàu huấn luyện ngoài khơi Trân Châu Cảng cho đến ngày 17 tháng 4, khi nó đi sang vùng chiến sự, đi đến ngoài khơi Okinawa vào ngày 8 tháng 5, và đảm nhiệm vai trò cột mốc radar canh phòng nhằm cảnh báo sớm các đợt không kích tự sát bởi máy bay Kamikaze đối phương. Trong gần hai tháng làm công việc căng thẳng và nguy hiểm này, nó đã bắn rơi bốn máy bay đối phương.

Vào ngày 11 tháng 5, khi các tàu khu trục Evans (DD-552) và Hugh W. Hadley (DD-774) bị hư hại nặng do các cuộc tấn công tự sát của khoảng 50 máy bay Kamikaze, Harry E. Hubbard đã tiếp cận cặp bên mạn Evans để trợ giúp chữa cháy, kiểm soát hư hỏng và cứu chữa những người bị thương. Đến ngày 24-25 tháng 5, nó lại hỗ trợ tương tự cho tàu khu trục vận chuyển cao tốc Barry (APD-29), bắn rơi hai chiếc Kamikaze đang khi hộ tống cho Barry rút lui từ trạm canh phòng về Kerama Retto. Một máy bay Kamikaze chỉ bị hỏa lực phòng không con tàu bắn nổ tung khi chỉ còn cách nó 50 yd (46 m).

Harry E. Hubbard tiếp tục ở lại ngoài khơi Okinawa cho đến ngày 24 tháng 7. Sau khi Nhật Bản đầu hàng, nó hỗ trợ cho việc đổ bộ lực lượng chiếm đóng lên Jinsen, Triều Tiên, rồi đưa Tư lệnh Hải đội Khu trục 64 đến Chinkai, Triều Tiên để giám sát việc giải giáp căn cứ của Hải quân Đế quốc Nhật Bản tại đây. Nó quay trở lại Jinsen vào ngày 7 tháng 11, rồi đặt căn cứ tại Thanh Đảo, Trung Quốc để hỗ trợ cho hoạt động chiếm đóng phía Bắc Trung Quốc, làm nhiệm vụ vận chuyển nhân sự và thư tín giữa các cảng trong khu vực Hoàng Hải.

Harry E. Hubbard lên đường vào ngày 16 tháng 3, 1946 để quay trở về Hoa Kỳ, về đến San Francisco, California vào ngày 28 tháng 3. Con tàu được đại tu tại Oakland, California để chuẩn bị ngừng hoạt động, rồi được cho xuất biên chế tại San Diego, California vào ngày 15 tháng 1, 1947. Nó nằm trong thành phần Hạm đội Dự bị Thái Bình Dương cho đến khi được tái biên chế vào ngày 14 tháng 5, 1949, nhưng không hề ra khơi cho đến khi lại xuất biên chế vào ngày 12 tháng 12, 1949.

Chiến tranh Triều Tiên Sửa đổi

Sau khi Chiến tranh Triều Tiên nổ ra khiến Hải quân Hoa Kỳ thiếu hụt số tàu chiến sẵn sàng hoạt động, Harry E. Hubbard được cho nhập biên chế trở lại vào ngày 27 tháng 10, 1950 dưới quyền chỉ huy của Hạm trưởng, Trung tá Hải quân Burres D. Wood. Sau khi hoàn tất chạy thử máy dọc theo bờ biển California, nó rời San Diego vào ngày 2 tháng 1, 1951 để huấn luyện trong hai tháng tại vùng biển Hawaii, rồi lên đường hỗ trợ cho lực lượng Liên Hiệp Quốc đang chiến đấu tại Triều Tiên. Ngoài nhiệm vụ hộ tống bảo vệ các tàu sân bay nhanh trong hoạt động không kích các mục tiêu đối phương, nó còn trực tiếp bắn phá các tuyến đường tiếp liệu và đầu mối giao thông dọc bờ biển cũng như bắn hỏa lực hỗ trợ cho cuộc chiến trên bộ tại các khu vực Yongdae, Wonsan, Songjin, Chingjin, Kyoto, Ohako, Bokuko và Chuminjin. Khi Walke (DD-723) bị hư hại nặng do trúng thủy lôi ngoài khơi Wonsan vào ngày 11 tháng 6, nó đã tiếp cận để giúp khắc phục hư hỏng và trợ giúp y tế cho chiếc tàu khu trục chị em.

Harry E. Hubbard quay trở về vùng bờ biển California vào tháng 10 để đại tu, và sau khi hoàn tất nó thực hiện một lượt phục vụ khác cùng Đệ thất Hạm đội ngoài khơi Triều Tiên từ tháng 7 đến tháng 12, 1952. Nó quay trở về San Diego vào tháng 1, 1953, nhưng lại lên đường vào ngày 11 tháng 7, bảo vệ cho các tàu sân bay tuần tra tại Triều Tiên sau khi đạt được một thỏa thuận ngừng bắn giữa các phe tham chiến. Xen kẻ với một nhiệm vụ tuần tra tại eo biển Đài Loan, nhiệm vụ này hoàn tất vào ngày 13 tháng 1, 1954, khi nó lên đường quay trở về Hoa Kỳ. Con tàu được đại tu tại San Diego, rồi tiếp tục huấn luyện ôn tập dọc theo vùng bờ Tây.

Từ năm 1954 đến năm 1966, Harry E. Hubbard còn thực hiện thêm chín lượt biệt phái sang hoạt động tại khu vực Viễn Đông cùng Đệ thất Hạm đội. Nó rời San Diego cho lượt đầu tiên vào ngày 11 tháng 8, 1954, và từ ngày 6 đến ngày 13 tháng 2 đã tham gia hỗ trợ cho cuộc triệt thoái binh lính Trung Hoa dân quốc khỏi quần đảo Đại Trần dưới hỏa lực đạn pháo của lực lượng Trung Cộng. Vào tháng 5, 1955, nó tham gia Chiến dịch WIGWAM, một vụ thử nghiệm bom nguyên tử ngầm dưới nước cách 500 dặm (800 km) về phía Tây Nam San Diego, California. Trong tháng 10 và tháng 11, 1956, con tàu được cử sang tuần tra tại khu vực Bắc Thái Bình Dương vào lúc diễn ra vụ Khủng hoảng kênh đào Suez. Sau đó con tàu còn tham gia các cuộc tập trận phối hợp với các nước thành viên thuộc Khối SEATO, tuần tra eo biển Đài Loan, và tại Guam trong tháng 6, 1960 đã hai lần bảo vệ dọc tuyến đường bay nhân chuyến đi sang Viễn Đông của Tổng thống Dwight D. Eisenhower.

Chiến tranh Việt Nam Sửa đổi

Khi xảy ra Sự kiện vịnh Bắc Bộ vào ngày 2 tháng 8, 1964, Harry E. Hubbard đang có mặt tại biển Đông hộ tống cho tàu sân bay Ticonderoga (CV-14). Bốn máy bay tiêm kích F-8 Crusader đã được chiếc tàu sân bay phái đi hỗ trợ cho tàu khu trục USS Maddox trong vụ đụng độ với ba tàu phóng lôi của Hải quân Nhân dân Việt Nam.

Harry E. Hubbard quay trở về Long Beach vào ngày 28 tháng 10, 1964, trải qua một năm tiếp theo hoạt động dọc theo vùng bờ Tây. Nó khởi hành vào tháng 10, 1965 để hướng sang Việt Nam, và cùng với tàu tấn công đổ bộ Valley Forge (LPH-8) hỗ trợ cho hai cuộc đổ bộ của Thủy quân Lục chiến trong tháng 11 và tháng 12, 1965. Trong những tháng tiếp theo, nó hộ tống cho các tàu sân bay Kitty Hawk (CVA-63) và Hancock (CVA-19) tiến hành các phi vụ không kích xuống Bắc Việt Nam, hoạt động như tàu canh phòng cảng tại Đà Nẵng, và đã tiêu phí hơn 1.000 quả đạn pháo 5-inch xuống những mục tiêu đối phương dọc theo bờ biển Nam Việt Nam. Nó quay trở về Long Beach, California vào ngày 7 tháng 4, 1966.

Harry E. Hubbard còn tiếp tục phục vụ thêm hai lượt nữa trong Chiến tranh Việt Nam, từ tháng 4 đến tháng 8, 1967, và từ tháng 8, 1968 đến tháng 1, 1969. Nó được cho xuất biên chế vào ngày 17 tháng 10, 1969, và rút tên khỏi danh sách Đăng bạ Hải quân cùng ngày hôm đó. Con tàu bị tháo dỡ vào năm 1970.

Harry E. Hubbard được tặng thưởng một Ngôi sao Chiến trận do thành tích phục vụ trong Thế Chiến II, năm Ngôi sao Chiến trận khác trong Chiến tranh Triều Tiên, và thêm bảy Ngôi sao Chiến trận nữa trong Chiến tranh Việt Nam. Nó chia sẻ danh hiệu Đơn vị Tưởng thưởng Hải quân cùng Đội đặc nhiệm 77.5 khi hỗ trợ những hoạt động trong vịnh Bắc Bộ vào tháng 8 năm 1964.


Для показа рекламных объявлений Etsy по интересам используются технические решения стороннихих стороннихикой.

Мы привлекаем к этому партнеров по маркетингу и рекламе (которые могут располагать собркетингу и рекламе (которые могут располагать собримимиминий собимимиминий собимимиминийосполагать располагать. Отказ не означает прекращения демонстрации рекламы Etsy или изменений в алгоритмах персонализации Etsy, но может привести к тому, что реклама будет повторяться чаще и станет менее актуальной. Подробнее в нашей Политике в отношении файлов Cookie и схожих технологий.

В ближайшем будущем Etsy прекратит поддержку старых версий вашего браузера для обеспечения безопасности данных пользователей. Обновите до последней версии.


Assista o vídeo: 90 USS Harry E Yarnell 640x480