Howard, John Eager - História

Howard, John Eager - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Howard, John Eager (1752-1827) Soldado, Governador de Maryland: Howard cresceu em uma casa rica e foi bem educado por tutores. Ele se juntou ao Exército Continental no início da Guerra Revolucionária, comandando uma companhia do acampamento voador sob o general Hugh Mercer na Batalha de White Plains em 1776. Quando seu corpo foi dissolvido em dezembro daquele ano, Howard foi nomeado major no 4º regimento de linha de Maryland, e assistiu à ação em Germantown e Monmouth. Em 1780, como tenente-coronel do 5º regimento de Maryland, ele lutou em Camden sob o comando do general Horatio Gates, e mais tarde se juntou ao exército sob o comando do general Nathanael Greene. Ele foi saudado por sua bravura na Batalha de Cowpens em 1781, e a carga de baioneta sob seu comando garantiu a vitória americana. Em um ponto durante a batalha, ele segurou as espadas de sete oficiais britânicos que se renderam a ele. Em homenagem ao seu serviço na Batalha de Cowpens, ele recebeu uma medalha do Congresso. Howard ajudou significativamente o general Greene a efetuar sua retirada no Tribunal de Guilford e na Batalha de Hobkirk's Hill em 1781. Howard sucedeu ao comando do 2º regimento de Maryland. Em Eutaw Springs, onde seu comando foi reduzido a trinta homens, e ele era o único oficial sobrevivente, ele fez um ataque final e foi gravemente ferido. Ele serviu como governador de Maryland de 1789 a 1792 e foi senador de 1796 a 1803. Depois de servir na Guerra de 1812, concorreu à vice-presidência, mas não ganhou as eleições. Em 1824, ele recebeu o Marquês de la Fayette em Belvidere, a casa de Howard.


Pesquisando a História da Alimentação - Culinária e Jantar

A rica e socialmente proeminente Jane Gilmor Howard, como Sra. B. C. Howard, escreveu o imensamente popular livro de receitas de arrecadação de fundos de 1873. Uma das receitas, & # 8220Belvidere Rice Pudding & # 8221 foi nomeada em homenagem a Belvidere, a grande sede do século 18 & # 8217 dos Howards, onde ela morava.

Jane Grant Gilmor (1801-1890) casou-se com Benjamin Chew Howard (1791-1872) em 1818. Ela deu à luz doze filhos, publicou o livro de receitas aos 72 anos (um ano após a morte do marido) e viveu até os 89 anos. Aos 65 anos, Jane Howard era presidente da Ladies 'Southern Relief Association de Maryland, que reuniu e distribuiu mais de $ 164.000 ($ 2,3 milhões hoje) coletados em sua feira em abril de 1866. [Relatório, 1866] Mais AQUI

Ambos eram de famílias ricas de Baltimore. Benjamin era um dos seis filhos e duas filhas nascidos do Coronel John Eager Howard da fama da Guerra Revolucionária e sua esposa Margaret (Peggy) Chew, filha do Chefe de Justiça da Pensilvânia Benjamin Chew de Cliveden na Filadélfia e cortejada pelo major britânico John Andre.


Governador John Eager Howard

JOHN EAGER HOWARD nasceu em & # 8220Belvedere & # 8221 no Condado de Baltimore, Maryland, em 4 de junho de 1752. Sua educação foi obtida por meio de professores particulares. Durante a Guerra Revolucionária, ele se juntou ao Exército Continental, servindo como capitão do 2º Batalhão de Maryland, Flying Camp. Ele lutou heroicamente nas batalhas de Germantown, Camden e Cowpens, pelas quais foi premiado com uma medalha de prata pelo Congresso, e ganhou o posto de major-general quando foi dispensado em 1795. Howard entrou na política em 1787, vencendo a eleição para o Congresso Continental. A legislatura de Maryland elegeu Howard governador em 24 de novembro de 1788. Ele foi reeleito em 1789 e novamente em 1790. Durante seu mandato, o estado cedeu terras ao governo nacional para o estabelecimento da capital nacional. Além disso, o Banco de Maryland foi fundado. O condado de Allegany foi formado e disposições foram formuladas para as eleições para o Congresso, bem como para a seleção de eleitores presidenciais. Depois de completar seu mandato, Howard deixou o cargo em 14 de novembro de 1791. Ele permaneceu politicamente ativo, servindo como Presidente do Senado Estadual de Maryland de 1791 a 1796. Ele também serviu como membro do Senado dos EUA de 1796 a 1803, e foi um Candidato federalista malsucedido à vice-presidência em 1816. O governador John Eager Howard faleceu em 12 de outubro de 1827 e foi enterrado no cemitério de St. Paul em Baltimore, Maryland.


Peggy Chew Howard

Margaret "Peggy" Oswald Chew nasceu em 16 de dezembro de 1760 em Cliveden, propriedade da família Chew, em Germantown, Filadélfia, Pensilvânia. [1] Seus pais eram Elizabeth (nascida Oswald) e Benjamin Chew, procurador-geral da Pensilvânia e presidente da Suprema Corte da Pensilvânia. [1] Ela cresceu na alta sociedade do início do século 18 na Filadélfia, e seus irmãos e ela foram tratados pelo general George Washington como "se fossem seus próprios filhos". [1]

Chew foi perseguido por vários pretendentes, incluindo o major John André. Ele a cortejou, convidando-a como sua escolta para The Mischianza, uma festa em 18 de maio de 1778 que ele ajudou a planejar em homenagem a Sir William Howe. [1] [2] Além disso, estava presente no The Mischianza sua amiga e posteriormente esposa de Benedict Arnold, Peggy Shippen. [2] André presenteou Peggy Chew com um manuscrito de lembrança da noite e poesia após sua partida da Filadélfia. Mais tarde, ele foi considerado culpado de espionagem ao lado de Benedict Arnold e foi enforcado em 2 de outubro de 1780. [1] Peggy Shippen usaria as cartas enviadas por Peggy Chew a André para "entrelaçar" mensagens secretas em tinta invisível que poderiam ser lidas por André na cidade de Nova York ocupada pelos britânicos. [3]

Chew então conheceu John Eager Howard em sua casa durante uma batalha da Guerra Revolucionária. Ele foi ferido durante a Batalha de Eutaw Springs e enviou cartas por meio de seu médico, Dr. Craik, para convencê-la a se comprometer. [1] [4] Em maio de 1787, ela se casou com John Eager Howard. [1] [4] George Washington anotou a cerimônia e recepção em seu diário. [1]

Peggy falava sobre como André a cortejou ao marido, John Eager Howard, o que o enfureceu. Mais tarde na vida, ele é citado como tendo dito "Ele era um espião maldito, senhor, nada além de um espião maldito", em referência ao ex-pretendente de sua esposa. [4] [5]

Juntos, Peggy e John Eager Howard tiveram 9 filhos: [1] [4]

  • John Eager Howard Jr. - serviu na Guerra de 1812 e teve um filho, John Eager Howard III que liderou a Batalha de Chapultepec durante a Guerra Mexicano-Americana [4] - seguiu os passos de seu pai e se tornou o 22º governador de Maryland. [1] - congressista norte-americano e serviu na Guerra de 1812 [4] - médico projetista da ferrovia Baltimore and Ohio, um dos primeiros americanos a chegar ao pico do Mont Blanc [4]
  • Charles Howard - presidente da Ferrovia Baltimore e Susquehanna
  • James Howard
  • Juliana elizabeth
  • Sophia Catherine
  • Mary anne

Um herói da Batalha de Cowpens, John Eager Howard foi escolhido para ocupar o cargo de governador de Maryland de 1788 a 1791. Durante esse tempo, eles viveram na Jennings House em Annapolis. [1]

Seu marido serviria então no Senado de Maryland e no Senado dos EUA. Eles se retiraram para sua casa, o Belvedere, na Calvert Street em Baltimore em 1816. [1] [6] Eles receberiam vários convidados ilustres no Belvedere, incluindo George Washington, Charles Carroll de Carrollton, Samuel Chase, Roger B. Taney, Marquês de Lafayette e Generals Gist, Smallwood e Williams. [4]

Peggy Howard morreu em 29 de maio de 1824 aos 63 anos. Ela deixou seu marido, que não morreu até 12 de outubro de 1827. [1]


John Eager HOWARD, Congresso, MD (1752-1827)

HOWARD John Eager, delegado e senador de Maryland nascido em 'Belvedere', perto de Baltimore, Maryland, em 4 de junho de 1752 foi instruído por tutores particulares servidos durante a Guerra Revolucionária, começando como capitão e mantendo o posto de coronel durante a paz foi declarado foi eleito uma medalha e os agradecimentos do Congresso pela bravura na Batalha de Cowpens 1781 Membro do Congresso Continental 1788 Governador de Maryland 1789-1791 membro, Senado estadual 1791-1795 eleito Federalista em 1796 para o Senado dos Estados Unidos preencher a vaga causada pela renúncia de Richard Potts reeleito em 9 de dezembro de 1796 e serviu de 21 de novembro de 1796 a 3 de março de 1803 serviu como Presidente pro tempore do Senado durante o Sexto Congresso ofereceu o cargo de Secretário de Guerra pelo Presidente George Washington, mas recusou, também recusou uma comissão como general de brigada na guerra esperada com a França em 1798 O candidato federalista malsucedido a vice-presidente em 1816 morreu em 'Belvedere', perto de Baltimo re, Md., 12 de outubro de 1827, sepultamento no Old St. Paul's Cemetery, Baltimore, Md.


História

O Lexington Market de Baltimore é o mercado mais antigo da América. Fundada em 1782 no local onde se encontra hoje, Lexington tem servido a Baltimore e comunidades vizinhas por mais de nove gerações. É tão antigo quanto a própria América.

Um Novo Mercado para a América

O general John Eager Howard, famoso pela Guerra da Independência, doou uma parte das pastagens de sua família para serem usadas como mercado. O terreno fica entre o que agora são as ruas Eutaw e Greene, estendendo-se até os locais atuais do Monumento a Washington de Baltimore e da estátua do General Howard. O local era originalmente conhecido como Western Precincts Market, mas logo foi renomeado em memória da Batalha de Lexington, a primeira batalha da Revolução Americana.

O mercado explodiu para a vida, com fazendeiros aparecendo com bens e produtos enquanto a terra não era nada além de terra e grama. Inúmeras viagens de e para o local criaram estradas desgastadas para a terra, por centenas de carroças Conestoga puxadas por cavalos transportando presuntos, manteiga, ovos, perus e vegetais. Muitos fazendeiros passariam a noite inteira fazendo as malas e viajando para chegar ao Lexington Market ao tocar o sino de abertura das 2 da manhã. Comerciantes mais ricos juntaram-se a esses produtores, trocando produtos essenciais como grãos, feno, equipamentos agrícolas e animais vivos. Em 1803, um grande galpão foi construído para dar abrigo e estrutura ao crescente mercado.

“Em meados do século XIX, era sem dúvida o maior e mais famoso mercado da Terra.”

“A Capital Gastronômica do Mundo”

O Lexington Market cresceu aos trancos e barrancos, estendendo-se pela Lexington Street a mais um quarteirão da Greene Street. Em meados do século XIX, era sem dúvida o maior e mais famoso mercado do planeta. Durante seus anos de crescimento, muitas das figuras mais importantes da América experimentaram o Lexington Market, os sinos das 2h e do meio-dia abrindo e fechando o dia, todas as terças, sextas e sábados.

George Washington e Thomas Jefferson passaram pela vizinhança enquanto cavalgavam de e para suas propriedades na Virgínia e na Filadélfia, a então capital da América.

O estadista Daniel Webster visitou o mercado em 1785, e Lexington foi escrito por artistas como o pintor James McNeill e o romancista William Thackeray. Quando Ralph Waldo Emerson visitou o Market, ele proclamou Baltimore a "capital gastronômica do mundo".

Mercado em crescimento, cidade em crescimento

Em 1817, Baltimore cresceu para abranger os limites do Mercado de Lexington, e a cidade assumiu suas operações. Cinco anos depois, The Market foi exaltado pelo procurador-geral dos Estados Unidos William Wirt, que escreveu entusiasmado para sua filha em Washington que: “Você pode conceber a vasta quantidade de provisões que devem ser trazidas a este mercado quando lhe dizem que 60.000 as pessoas retiram seus suprimentos diários, o que é mais do que o dobro de pessoas do que há em Washington, Georgetown, Alexandria e Richmond, tudo em um ”.

O crescimento da cidade de Baltimore ao longo de Howard e # 8217s Hill a tornou a segunda maior cidade do país. Rodovias ligavam Harrisburg e Richmond, com filas de vagões rondando de norte a sul até esta movimentada junção de baía, canal e rodovia. O Lexington Market era o centro. Da Pensilvânia, Cumberland e Virgínia, os conterrâneos viajaram três e quatro dias para vender sua manteiga, maçãs de inverno, meias tricotadas à mão, luvas de lã e presuntos.

Da Guerra Civil ao Século 20

Após a Guerra Civil e durante a virada do século 20, o Lexington Market foi um centro social reconhecido pelas tradições mais democráticas. Os líderes sociais trocaram fofocas sobre as notícias atuais e os preços dos produtos. Cantores de rua, músicos, cartomantes e evangelistas competiam com economistas de caixa de sabão pela atenção dos compradores. Os jantares gourmet aconteciam em mesas cobertas por oleado em meio a corredores lotados. À medida que novas ondas de imigração invadiam a cidade, o Lexington Market adquiria sangue novo, com novos donos de barracas oferecendo comidas exóticas em seus balcões.

Em 1925, havia mais de 1.000 barracas em galpões de 3 quarteirões. Havia a mesma quantidade de barracas e carrinhos do lado de fora, e o tráfego se tornou um problema. “O mercado de Lexington deve acabar”, declarou um exasperado prefeito Preston em 1912, “quer os inquilinos desejem ou não!” Mas o Lexington Market se recusou a ir, apesar de muitos ataques.

Embora as barracas de rua tenham sido proibidas pelo Comitê de Tráfego do prefeito Jackson e # 8217s em 1935. Elas não apenas sobreviveram, mas pareceram se multiplicar com a publicidade. Em 1937, houve um movimento para substituir os prédios antigos por algo novo e moderno, mas os planos permaneceram na prancheta até 1949. Então, o que os líderes cívicos pareciam incapazes de fazer em uma década aconteceu da noite para o dia. Um incêndio de seis alarmes atingiu os prédios principais, destruindo $ 2.000.000 em mercadorias e $ 500.000 em barracas e equipamentos.


John Eager Howard

John Eager Howard (4 de junho de 175212 de outubro de 1827) foi um soldado e político americano de Maryland. Ele foi eleito governador do estado em 1789, e cumpriu três mandatos de um ano. Ele também foi eleito para o Congresso Continental, o Congresso dos Estados Unidos e o Senado dos EUA. Ele nasceu e morreu no condado de Baltimore. Howard County, Maryland, foi batizado em sua homenagem.

Ele era filho de Cornelius Howard e Ruth (Eager) Howard, da elite dos fazendeiros de Maryland e nasceu em sua plantação & # 8220Belvedere & # 8221, que ele herdou após suas mortes. Howard cresceu em uma família anglicana de escravos. O anglicanismo foi a igreja estabelecida nas colônias da Baía de Chesapeake.

Howard se juntou à loja da Maçonaria de Baltimore e eventualmente se tornou um irmão.

Comissionado um capitão no início da Guerra Revolucionária Americana, Howard subiu em 1777 ao posto de coronel do Exército Continental, lutando na Batalha de White Plains e na Batalha de Monmouth. Ele foi premiado com uma medalha de prata pelo Congresso por sua liderança na Batalha de Cowpens de 1781, durante a qual comandou o 3º Regimento de Maryland, Exército Continental. Em setembro de 1781, ele foi ferido por uma carga de baioneta na Batalha de Eutaw Springs.

Após seu serviço militar, Howard ocupou vários cargos políticos eleitorais: eleito governador de Maryland para o Congresso Continental de 1788 por três mandatos de um ano, senador estadual de 1789 a 1791 de 1791 a 1795 e eleitor presidencial em 1792. Ele recusou a oferta do presidente George Washington em 1795 para ser Secretário da Guerra. Ele ingressou no Partido Federalista e foi eleito para o 4º Congresso de 30 de novembro de 1796 a 1797 como senador dos Estados Unidos pelo restante do mandato de Richard Potts, que renunciou. Ele foi eleito para um mandato de Senado próprio em 1797, que incluiu o 5º Congresso, o 6º Congresso de 1799-1801 durante o qual foi Presidente pro tempore, e o 7º Congresso, servindo até 3 de março de 1803.

Depois de 1803, Howard voltou a Baltimore, onde evitou cargos eletivos, mas continuou no serviço público e na filantropia como cidadão importante. Na eleição presidencial de 1816, ele recebeu 22 votos eleitorais para vice-presidente como companheiro de chapa do federalista Rufus King, perdendo para James Monroe e o governador Daniel Tompkins. Nenhuma nomeação federalista formal foi feita, e não está claro se Howard, que foi um dos vários federalistas que receberam votos eleitorais para vice-presidente, concorreu como candidato ao cargo.

Embora Howard tenha recebido uma oferta para ser nomeado Secretário da Guerra na administração do presidente George Washington, ele recusou. Da mesma forma, ele recusou uma comissão de 1798 como Brigadeiro-General durante os preparativos para a quase-guerra com a França.

John Eager Howard casou-se com Margaret (& # 8220Peggy & # 8221) Chew, filha do juiz da Pensilvânia Benjamin Chew. Seu primeiro filho, George Howard, nasceu em 21 de novembro de 1789 em Jennings House durante o mandato de Howard e # 8217 como governador.

Howard desenvolveu a propriedade & # 8220Waverley & # 8221 em Marriottsville, Maryland para George. George Howard tornou-se político e foi eleito governador quarenta anos após o mandato de seu pai e quatro anos após sua morte. Seu segundo filho, Benjamin Chew Howard, também foi um político proeminente em Maryland, eleito para quatro mandatos no Congresso dos EUA. Um neto, Francis Key Howard, foi uma figura notável em Maryland no início da Guerra Civil Americana.

John Eager Howard está enterrado no Old Saint Paul & # 8217s Cemetery, localizado entre West Lombard Street e a atual Martin Luther King Boulevard em Baltimore.

* Howard County, Maryland, formado a partir do oeste do condado de Anne Arundel e do sudeste do condado de Frederick em 1839 como o distrito de Howard e oficialmente como o condado de Howard em 1851, foi nomeado em sua homenagem.
* Em 1904, a cidade encomendou uma estátua equestre de Howard ao eminente escultor francês Emmanuel Frémiet e a instalou no círculo do Monumento a Washington voltado para o sul com vista para a Washington Place Square da North Charles Street, Baltimore.
* Howard é um dos vários homens notáveis ​​de Maryland mencionados na canção estadual & # 8220Maryland, My Maryland & # 8221 escrita em 1861 por James Ryder Randall como & # 8220Howard & # 8217s war-like thrust & # 8221.


John Eager Howard

John Eager Howard (4 de junho de 1752 e # x2013 12 de outubro de 1827) foi um soldado e político americano de Maryland. Ele foi eleito governador do estado em 1788 e cumpriu três mandatos de um ano. Ele também foi eleito para o Congresso Continental, o Congresso dos Estados Unidos e o Senado dos EUA. [2] Ele nasceu e morreu no condado de Baltimore. [2] [3] Howard County, Maryland, foi nomeado em sua homenagem. [3]

Ele era filho de Cornelius Howard e Ruth (Eager) Howard, da elite de plantadores de Maryland e nasceu na plantação deles & quotBelvedere & quot, que ele herdou após suas mortes. Howard cresceu em uma família anglicana de escravos. O anglicanismo foi a igreja estabelecida nas colônias da Baía de Chesapeake.

Howard se juntou à Loja da Maçonaria de Baltimore e eventualmente se tornou um Irmão. [3]

Comissionado como capitão no início da Guerra Revolucionária Americana, Howard subiu em 1777 ao posto de coronel do Exército Continental, [2] lutando na Batalha de White Plains e na Batalha de Monmouth. Ele foi premiado com uma medalha de prata pelo Congresso por sua liderança na Batalha de Cowpens de 1781, [2] durante a qual ele comandou o 2º Regimento de Maryland, Exército Continental. [4] Em setembro de 1781, ele foi ferido por uma carga de baioneta na Batalha de Eutaw Springs. [5]

Após o serviço militar, Howard ocupou vários cargos políticos eleitorais: eleito para o Congresso Continental de 1788, governador de Maryland por três mandatos de um ano, 1788 a 1791, senador estadual de 1791 a 1795 e eleitor presidencial em 1792. Ele recusou a oferta do presidente George Washington em 1795 para ser Secretário da Guerra. Ele ingressou no Partido Federalista e foi eleito para o 4º Congresso de 30 de novembro de 1796 a 1797 como senador dos Estados Unidos pelo restante do mandato de Richard Potts, que renunciou. Ele foi eleito para um mandato de Senado próprio em 1797, que incluiu o 5º Congresso, o 6º Congresso de 1799-1801 durante o qual foi Presidente pro tempore, e o 7º Congresso, servindo até 3 de março de 1803. [2]

Depois de 1803, Howard voltou a Baltimore, onde evitou cargos eletivos, mas continuou no serviço público e na filantropia como um cidadão importante. [6] Na eleição presidencial de 1816, ele recebeu 22 votos eleitorais para vice-presidente [3] como companheiro de chapa do federalista Rufus King, perdendo para James Monroe e o governador Daniel Tompkins. Nenhuma nomeação federalista formal foi feita, e não está claro se Howard, que foi um dos vários federalistas que receberam votos eleitorais para vice-presidente, concorreu como candidato ao cargo.

Embora Howard tenha recebido uma oferta para ser nomeado Secretário da Guerra na administração do presidente George Washington, ele recusou. Da mesma forma, ele recusou uma comissão de 1798 como Brigadeiro-General durante os preparativos para a quase-guerra com a França. [2]

John Eager Howard casou-se com Margaret (& quotPeggy & quot) Chew, filha do juiz da Pensilvânia Benjamin Chew. [3] O primeiro filho deles, George Howard, [3] nasceu em 21 de novembro de 1789 em Jennings House durante o mandato de Howard como governador.

Howard desenvolveu a propriedade & quotWaverley & quot em Marriottsville, Maryland para George. George Howard se tornou um político e foi eleito governador quarenta anos após a morte de seu pai, e quatro anos após sua morte. [carece de fontes?] Seu segundo filho, Benjamin Chew Howard, também foi um político proeminente em Maryland, eleito para quatro mandatos no Congresso dos EUA. [3] Um neto, Francis Key Howard, foi uma figura notável em Maryland no início da Guerra Civil Americana.

John Eager Howard está enterrado no cemitério de Old Saint Paul, localizado entre a West Lombard Street e a atual Martin Luther King Boulevard em Baltimore. [2]

  • Howard County, Maryland, formado a partir do oeste do condado de Anne Arundel e do sudeste do condado de Frederick em 1839 como o distrito de Howard e oficialmente como o condado de Howard em 1851, foi nomeado em sua homenagem. [3] [7]
  • Em 1904, a cidade encomendou uma estátua equestre de Howard ao eminente escultor francês Emmanuel Fr & # x00e9miet e instalou-a no círculo do Monumento a Washington voltado para o sul com vista para a Washington Place Square de North Charles Street, Baltimore. [3]
  • Howard é um dos vários homens notáveis ​​de Maryland mencionados na canção estadual & quotMaryland, My Maryland & quot, escrita em 1861 por James Ryder Randall, a frase & quotHoward's war-like thrust & quot se refere a ele.

Um Patriota da Revolução Americana por MARYLAND com a patente de CORONEL LIEUTENANT. DAR Ancestral # A058062

John Eager Howard

Após o serviço militar, ele ocupou vários cargos políticos: membro do Congresso Continental de 1788 Governador de Maryland por três mandatos de um ano, 1789 a 1791 senador estadual de 1791 a 1795 Eleitor presidencial em 1792 depois disso, ele se juntou ao Partido Federalista e serviu no 4º Congresso de 30 de novembro de 1796 até 1797 como Senador dos Estados Unidos pelo restante do mandato de Richard Potts, que renunciou e foi eleito para um mandato do Senado em 1797, que incluiu o 5º Congresso, o 6º Congresso de 1799-1801, durante o qual foi Presidente Pro Tempore, e 7º Congresso, exercendo funções até 3 de março de 1803. [2] Depois de 1803, ele retornou a Baltimore, onde evitou cargos eletivos, mas continuou no serviço público e na filantropia como um cidadão importante. [5] Na eleição presidencial de 1816, ele recebeu 22 votos eleitorais para vice-presidente [3] como companheiro de chapa do federalista Rufus King, perdendo para James Monroe e o governador Daniel Tompkins. Nenhuma nomeação federalista formal foi feita, e não está claro se Howard, que foi apenas um dos vários federalistas que receberam votos eleitorais para vice-presidente, concorreu ativamente para o cargo.

Embora tenha recebido a oferta do Secretário de Guerra na administração do presidente George Washington, ele recusou, bem como uma comissão de 1798 para o Brigadeiro-General durante os preparativos para a quase Guerra com a França.

Arquivos de Maryland (série biográfica)

John Eager Howard (1752-1827) MSA SC 3520-692 Governador de Maryland, 1788-1791 (Federalista)

Nascido: 4 de junho de 17.521 Pai: Cornelius Howard2 Mãe: Ruth (Eager) Howard3 Casamento: 18 de maio de 1787 com Margaret (Peggy) Oswald Chew4 Filhos: George, John Eager Jr., Benjamin Chew, Juliana Elizabeth, Charles, William, James, Sophia5 Educação: recebeu aulas particulares6 Filiação religiosa: Anglicano7 Serviço militar:

Morreu: 12 de outubro de 1827 em & quotBelvedere & quot em Baltimore10. Enterro: Cemitério de São Paulo, Baltimore11

O seguinte ensaio foi retirado de Frank F. White, Jr., The Governors of Maryland 1777-1970 (Annapolis: The Hall of Records Commission, 1970), 17-19.

& quotJOHN EAGER HOWARD, Maryland & # x2019s primeiro governador federalista, herói militar, político, patriota e servidor público, nasceu em 'The Forrest', no condado de Baltimore em 4 de junho de 1752, filho de Cornelius e Ruth (Eager) Howard. Seu ancestral, Joshua Howard, recebeu uma concessão de terras no Condado de Baltimore por volta de 1685, e sua família posteriormente acrescentou a essas propriedades. Seu pai era um homem de riqueza suficiente para permitir ao futuro governador garantir uma boa educação com professores particulares.

& quotQuando a Guerra Revolucionária começou, ele foi comissionado um capitão no 'Flying Camp.' Enquanto ele estava com esta organização, ele lutou em White Plains, após o que seu período de serviço expirou. Howard então se tornou um major no Quarto Regimento. Enquanto estava com aquela unidade, suas tropas tiveram um desempenho excelente na batalha de Germantown em outubro de 1777. Em 1778, ele foi promovido ao posto de tenente-coronel no Quinto Regimento e no ano seguinte ele foi transferido para o Segundo Regimento. Participando da luta em Camden, ele ganhou reputação por sua habilidade, enquanto por heroísmo em Cowpens, ele recebeu uma medalha de prata e os agradecimentos do Congresso. Em Guilford Court House e Hobkirk & # x2019s Hill, ele se distinguiu como um oficial notável, e em Eutaw Springs em 8 de setembro de 1781, foi gravemente ferido, após o que renunciou à sua comissão e voltou para casa, deixando sua marca como um excelente militar líder.

“Nesse ínterim, Howard começou a cortejar Peggy Oswald Chew, filha do presidente da Justiça, Benjamin Chew, da Pensilvânia. Eles se casaram em 18 de maio de 1787. O casal tinha uma grande família, todos os quais se destacaram nos negócios de Maryland. Um deles foi o futuro governador, George Howard, que nasceu na Casa do Governo em Annapolis durante o mandato de seu pai.

& quotApós a guerra, John Eager Howard entrou na política. Em 1785, ele se tornou juiz do Tribunal do Condado de Baltimore, ocupando o cargo por três anos. No ano seguinte, ele foi eleitor senatorial pelo condado de Baltimore e também juiz do Tribunal de Órfãos do condado de Baltimore e # x2019. Durante 1787 e 1788, ele representou Maryland no Congresso Continental.

[p.26] & quotEm 21 de novembro de 1788, foi eleito governador, sucedendo a William Smallwood. Até então, nenhum governador estadual havia pertencido a um partido político, então Howard tornou-se membro do Partido Federalista e, pelo resto da vida, seria um defensor firme e ferrenho de seus princípios. Durante seu primeiro mandato, a Constituição dos EUA entrou em vigor e os eleitores presidenciais de Maryland votaram em George Washington. Durante a sessão de novembro de 1788, o Estado cedeu uma extensão de terreno de dez milhas quadradas ao recém-formado governo nacional para o local de uma capital nacional. Outro ato da mesma sessão previa a concessão de terras generosas a oeste de Fort Cumberland aos ex-oficiais e soldados que serviram durante a Revolução.

& quotHoward foi reeleito para seu segundo mandato em 16 de novembro de 1789. Durante seu segundo ano no cargo, Maryland ratificou a Declaração de Direitos. Além disso, o condado de Allegany foi erguido fora do condado de Washington, enquanto outra lei previa o pagamento da dívida do Estado em seis anos.

“Ele foi reeleito para seu terceiro e último mandato em 8 de novembro de 1790, durante o qual a Assembleia Geral aprovou vários atos importantes. Um deles providenciou para que Samuel Smith e outros estabelecessem o Banco de Maryland. Outro concedeu permissão a Charles Ridgely Carnan para mudar seu nome para Charles Ridgely de acordo com o testamento do capitão Charles Ridgely. Um terceiro ato determinou o momento, o local e a maneira de realizar as eleições legislativas e a escolha dos eleitores presidenciais. Um ato final concedeu comissões aos juízes dos tribunais de comarca em cada distrito. Como resultado, quando George Plater sucedeu Howard como governador em 14 de novembro de 1791, ele viu o governo do estado firmemente operando sob a nova Constituição Federal.

“Howard, porém, não encerrou sua carreira política ao deixar o cargo de governador. Em setembro de 1791, quando seu mandato estava prestes a expirar, foi eleito membro do Senado Estadual e reeleito em 1796. Nesse período, foi eleito eleitor presidencial com seu voto em George Washington e John Adams em 1792. No ano seguinte, tornou-se comissário da cidade de Baltimore, cargo que envolvia o planejamento dos currais da cidade e a compra de terras para um mercado. Em 1795, George Washington ofereceu-lhe o posto de Secretário da Guerra, mas Howard sentiu que era seu dever recusar.

& quotEm 1796, Richard Potts renunciou a sua cadeira no Senado dos Estados Unidos, após o que a Assembleia Geral selecionou Howard para preencher o mandato não expirado de Potts & # x2019. No ano seguinte, foi eleito para um mandato completo, continuando no cargo até 1803, período durante o qual apoiou fielmente as políticas e programas do Partido Federalista. Durante as dificuldades com a França em 1798, Howard recebeu uma oferta de brigadeiro-general, mas como a crise havia passado, ele achou desnecessário aceitar a comissão.

“Após o término de seu mandato senatorial, ele preferiu a aposentadoria à vida privada. Mesmo assim, ele continuou ativo na vida pública. Em 1804, foi nomeado comissário da Penitenciária Estadual, cargo que incluía os preparativos [p. 27] ção de uma nova prisão. Ele foi nomeado mais três vezes para mandatos como governador, mas o Legislativo não o elegeu. Ele serviu no Comitê de Abastecimento de Baltimore durante a Guerra de 1812, auxiliando na arrecadação de dinheiro e suprimentos para a defesa. Howard permaneceu uma força na política do Partido Federalista até 1816, quando esse partido o nomeou como seu candidato a vice-presidente na chapa com Rufus King. Ambos foram fortemente derrotados, após o que os federalistas deixaram de ser uma força na política do Estado.

& quotApós sua última campanha política malsucedida, Howard retirou-se para sua casa em 'Belvedere', que havia construído em 1786, tornando-a um centro de hospitalidade, elegância e grandeza. Ele passou seus últimos anos como um estadista idoso aposentado, contribuindo com terras para a cidade de Baltimore para fins públicos. Howard viveu até 1827. No entanto, sua saúde vinha piorando há algum tempo. No início de outubro daquele ano, ele pegou um forte resfriado e morreu no dia 12. Muitos líderes proeminentes compareceram a seu funeral, incluindo o presidente John Quincy Adams, que acompanhou seu corpo ao enterro no antigo cemitério de St. Paul. De acordo com seu testamento, nenhum inventário foi feito de seus bens.1 Ele ainda desejava que seus bens pessoais e imóveis fossem vendidos por seus testamenteiros em uma venda pública ou privada, mas ele legou seus bens imóveis a seus filhos.

_______ 1. Baltimore County Wills 12, ff. 408-409.

http://msa.maryland.gov/megafile/msa/speccol/sc3500/sc3520/000600/0. This information resource of the Maryland State Archives is presented here for fair use in the public domain. Quando este material for usado, no todo ou em parte, a citação e o crédito apropriados devem ser atribuídos aos Arquivos do Estado de Maryland. PLEASE NOTE: Rights assessment for associated source material is the responsibility of the user. John Eager Howard was an American soldier and politician from Maryland. He was elected as governor of the state in 1788, and served three one-year terms. He also was elected to the Continental Congress, the Congress of the United States and the U.S. Senate. In the 1816 presidential election, Howard received 22 electoral votes for vice president on the Federalist Party ticket with Rufus King. The ticket lost in a landslide.

Howard County, Maryland, is named for him, along with Eager Street and Howard Street in Baltimore.

He was the son of Cornelius Howard and Ruth (Eager) Howard, of the Maryland planter elite and was born at their plantation "The Forest." Howard grew up in an Anglican slaveholding family. Anglicanism was the established church of the Chesapeake Bay colonies.

Howard joined the Baltimore lodge of Freemasonry and eventually became a Brother.

Commissioned a captain at the beginning of the American Revolutionary War, Howard rose in 1777 to the rank of colonel in the Continental Army, fighting in the Battle of White Plains and in the Battle of Monmouth. He was awarded a silver medal by Congress for his leadership at the 1781 Battle of Cowpens, during which he commanded the 2nd Maryland Regiment, Continental Army. In September 1781, he was wounded in a bayonet charge at the Battle of Eutaw Springs. Nathanael Greene wrote that Howard was "as good an officer as the world affords. He has great ability and the best disposition to promote the service. He deserves a statue of gold."

Following his army service, Howard held several electoral political positions: elected to the Continental Congress of 1788 Governor of Maryland for three one-year terms, 1788 through 1791 State Senator from 1791 through 1795 and Presidential Elector in 1792. He declined the offer from President George Washington in 1795 to be Secretary of War. He joined the Federalist Party and was elected to the 4th Congress from November 21, 1796, through 1797 as a United States Senator for the remainder of the term of Richard Potts, who had resigned. He was elected for a Senate term of his own in 1797, which included the 5th Congress, the 6th Congress of 1799� during which he was President pro tempore, and the 7th Congress, serving until March 3, 1803.

Although Howard was offered an appointment as the Secretary of War in the administration of President George Washington, he declined it. Similarly, he declined a 1798 commission as Brigadier General during the preparations for the coming Quasi-War with France.

After 1803, Howard returned to Baltimore, where he avoided elected office but continued in public service and philanthropy as a leading citizen. He was elected a member of the American Antiquarian Society in 1815. In the 1816 presidential election, he received 22 electoral votes for Vice President as the running mate of Federalist Rufus King, losing to James Monroe and Governor Daniel Tompkins. No formal Federalist nomination had been made, and it is not clear whether Howard, who was one of several Federalists who received electoral votes for Vice President, ran as a candidate for the office.

John Eager Howard married Margaret ("Peggy") Chew (1760�), daughter of the Pennsylvania justice Benjamin Chew, in 1787.


The Monumental City

Ask just about anyone on the streets of Baltimore what the city’s nickname is, and you would probably get a unanimous answer:

It sounds rather nice, yes? The letters almost glisten as they jump off of the page. A poster, a picturesque postcard—Charm City is a marketing campaign that practically writes itself.

Yet, this has not always been the case. If you were to step into a time machine and travel back to the Baltimore of days gone by, say, the early 20 th century, and ask the same question—you might get a different, unanimous answer.

Long before Baltimore was Charm City, it was the Monumental City. It has a certain gravitas—a reverence that its sparkling, present-day cousin does not.

A perusal of The Baltimore Sun’s digital archive reveals when the switch took place, once and for all: the 1970s. Which, honestly, is no surprise when thinking of 1960s-era Baltimore, “charming” is hardly the first adjective that springs to mind… Or the second, or the third. The sixties were a time of great civil unrest, nationwide. Locally, those tensions came to a culmination with the race riots of 1968. And, as any Baltimoreans who lived through that time will recall, those were nada but charming.

So, yes, while I do like the Charm City name, and modern Baltimore certainly does have a unique sense of charm—I prefer its older, more stately cousin. The Monumental City, naquela is a city for the ages! It bespeaks a community that has suffered great losses, and yet has also overcome them, conquering its foes along the way. The Monumental City is resilient. It will continue to stand, tall and proud, much like its weather-worn commander-in-chief, General Washington, aloft on his column in Mount Vernon Place.

If you could, indeed, plan a visit to bygone Baltimore, Tuesday, October 16 th 1827 would be an ideal place to start. That night, around thirty people gathered for a dinner which was, at least in part, to honor the memory of the recently-deceased Revolutionary War hero and Maryland Governor, John Eager Howard.

Sitting between Major General Samuel Smith (on his left) and the Collector of the Port of Baltimore, James H. McCulloch (on his right), the President of the United States, John Quincy Adams, presided over what must have been a thrilling, patriotic scene. The room was packed with war veterans: members of the Maryland Society of the Cincinnati, undoubtedly bedecked in their glittering, L’Enfant, eagle badges, intermixing with soldiers who had been wounded at the Battle of North Point, when America was in the midst of its second war for independence.

Adams—or JQA as I like to call him—had come to Baltimore on other business. His Philadelphia steamboat had docked at the basin’s wharf on October 14 th , and he had immediately retired to Barnum’s Hotel, only to be informed upon his awakening the next morning that Col. Howard had passed away. The family, of course, wished for the President to attend the funeral, and Adams obliged. On October 15 th , the city turned out in full “military array” for the funeral procession. The mood must have been somber and melancholy, but beneath the sadness on the faces of the Baltimoreans who lined the streets for the entire circuit, there was probably a sense of pride.

John Eager Howard was a genuine patriot, but more importantly, he was one of Baltimore’s own. Generally speaking, this was an exciting time in the city’s history, and Howard was a big part of that. Just seven-and-a-half months prior, he had met with other local, prominent citizens at his country estate, Belvidere, just north of town to discuss the city’s plans for a brand new mode of transportation. Out of those talks came the charter for the Baltimore and Ohio Railway Company of Baltimore City, Maryland’s answer to Stockton & Darlington in England. In fact, given his role in its creation, Howard may well have been the city’s choice to lay the “first stone” at the commencement of the Railroad, on the 4 th of July in 1828. That is, had he not died the previous October… Instead, Baltimoreans made do with a different, aged, Revolutionary-era patriot: Charles Carroll of Carrollton.

The day after the funeral, on October 16 th , President Adams rode out to North Point Battlefield with some of the Old Defenders to survey the grounds. Their 9-mile carriage ride brought them to the Aquila Randall monument, a small pyramidal structure that had been erected by the members of Randall’s company—the Baltimore Mechanical Volunteers—in honor of the fallen soldier. Which brings us back to that dinner scene…

Imagine the clinking of the silverware and glasses, the laughter of old stories among friends. And, finally, at the end of the night, the guest of honor, the president himself, rises to give a final toast: to “Baltimore, the Monumental City—may the days of her safety be as prosperous and happy as the days of her danger have been trying and triumphant!” How awe-inspiring that must have been!

Baltimore City was justly proud of its presidential seal of approval, and it still is. A quick Google search of “John Quincy Adams + Monumental City” fetches about 240,000 results. Many of those links lead directly to official government websites, and well-respected, area media outlets. They all seem to be in agreement with one another, that JQA is responsible for the “monumental” moniker. Yet, not surprisingly, none of them bother to include a source to back up that claim. The link that presents the strongest and most compelling case leads to an article that was written by a Baltimore-based author and historian, Christopher T. George. In it, George points out that Adams was alluding to the three monuments that he had seen on his visit. The first two are the usual suspects: the Washington Monument (which was still in its construction phase), and the Battle Monument (which had just recently been completed). The third, however, is the lesser-known Aquila Randall Monument, which Adams saw when he traveled out to North Point. Though he never gives a direct citation, complete with a page number, George comes the closest out of anyone to providing evidence that JQA was responsible for the Monumental City name.

Does JQA Have a Rightful Claim?

Whether stating it outright, or simply insinuating it, the popular opinion is that Adams was the first person to use it. In the absence of any explicit references proving the case one way or the other, I was determined to find out if he really was the originator that everyone seems to think that he was.

The first question, of course, was simple: did he actually make that toast? Luckily, the kind folks at the Massachusetts Historical Society have digitized all of Adams’s personal diaries. Turns out that the man was quite a writer. There are 51 volumes in total, and they span the years from 1779 to 1848. Thanks to some chronological indexing, they are relatively easy to search, especially when the specific date is known. With that, I typed in my destination: October 16 th 1827. In volume 37, which covers the years 1825 to 1828, on page 311, a little more than halfway down the page, I struck gold . The quote is there, verbatim no less. John Quincy Adams really did make that toast! Muito legal.

Now, for the second question: was there a reference that proved the nickname originated with Adams’s toast? Theoretically, if he was the first person to use it, the earliest references should have been in October of 1827, referring to both the dinner and the president. The next logical step was to search in a newspaper database.

Friends, I hate to say it, but John Quincy Adams is not responsible for the Monumental City nickname. The reference above, printed in the February 8 th 1823 edition of the Washington D.C. Daily National Intelligencer, ran four years before JQA’s toast—not to mention a full two years before Adams took office in the Executive Mansion. Baltimore, clearly, is referred to here as “the monumental city,” with italics for emphasis. The article is sort of humorous from a modern-day standpoint. Baltimore-area representatives to the Maryland Legislature were apparently opposed to the Potomac Canal, simply because it would have benefited the District of Columbia, never mind how much it would have also benefited Baltimore City. Talk about political stubbornness! No wonder the rivalry between Baltimore and D.C. football teams is so bitter…

After an unrestricted search of GenealogyBank yielded the above result, I set my sights on finding the earliest reference in Maryland-based newspapers. By restricting my search to the state of Maryland, I found the following article in the August 5 th 1824 edition of the Baltimore Patriot…Although less humorous than its 1823 counterpart, it mentions the failed escape of a Baltimore-based con man by the name of E. Bourne, who evidently traveled up and down the east coast in 1824 with an intent to swindle wherever he went. Note that, while printed in Baltimore, the news that it was transmitting came from New York. Thus, it was actually the New York paper which had called Baltimore “the monumental city.” This is important because it shows that the name had already entered the national lexicon. Therefore, I think we may well surmise that when JQA gave his toast in 1827, he was merely entrenching a term that he had already heard—sort of like the 19 th -century version of creating a trending topic on Twitter. Adams was by no means the first to call Baltimore the Monumental City, but he is the one who took an already-existing nickname and made it famous.

So, if Adams is not the originator, then where does the credit lie?

Well, until someone finds a more conclusive answer, maybe it really is with JQA.


John Eager Howard

Library locations The Miriam and Ira D. Wallach Division of Art, Prints and Photographs: Print Collection Shelf locator: MEZP Shelf locator: MEZP Topics Howard, John Eager, 1752-1827 Genres Prints Notes Content: Printmakers include Henry Bryan Hall, George R. Hall, Alexander Hay Ritchie and James Barton Longacre. Content: Title from Calendar of the Emmet Collection. Citation/reference: EM8626 Content: Silver Medal awarded to Colonel Howard. Statement of responsibility: E. Prud'homme Type of Resource Still image Identifiers RLIN/OCLC: NYPG96-F84 NYPL catalog ID (B-number): b12610189 Universal Unique Identifier (UUID): 93278a90-c60a-012f-0d22-58d385a7bc34 Rights Statement The New York Public Library believes that this item is in the public domain under the laws of the United States, but did not make a determination as to its copyright status under the copyright laws of other countries. This item may not be in the public domain under the laws of other countries. Though not required, if you want to credit us as the source, please use the following statement, "From The New York Public Library," and provide a link back to the item on our Digital Collections site. Doing so helps us track how our collection is used and helps justify freely releasing even more content in the future.


Assista o vídeo: Five Minute Histories: John Eager Howards Mt. Vernon