Por que Hitler declarou guerra aos EUA?

Por que Hitler declarou guerra aos EUA?


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Já que não houve ofensivas lançadas por nenhum dos lados contra o outro, por que declarar guerra só porque o Japão atacou os EUA?


Houve um discurso de 88 minutos feito por Hitler ao Reichstag em 11 de dezembro de 1941, quatro dias após os ataques japoneses a Pearl Harbor, onde ele declarou oficialmente que a Alemanha se juntaria ao Japão na guerra contra os EUA. Nesse discurso, ele mencionou algumas de suas razões pessoais para essa decisão. A decisão de declarar guerra foi entregue aos americanos duas horas antes do discurso de seu ministro das Relações Exteriores.

Cerca de duas horas antes de Hitler começar seu discurso ao Reichstag, a Alemanha declarou formalmente guerra contra os Estados Unidos quando o Ministro das Relações Exteriores do Reich Joachim von Ribbentrop entregou uma nota diplomática ao encarregado de negócios americano em Berlim, Leland B. Morris.

Acho que seria uma leitura interessante a respeito dessa questão, e há uma tradução do Sr. Mark Weber no site do Institute of Historical Review

AVISO

O Institute of Historical Review é considerado por muitos uma instituição revisionista que nega o Holocausto, com ligações a organizações neonazistas. A tradução do discurso de Hitler pode ter sido manipulada para fins de propaganda.


Os Estados Unidos já estavam em uma guerra naval com a Alemanha (e não indo muito bem), forneciam todos os tipos de armas, suprimentos e até navios de guerra para a Grã-Bretanha e violavam flagrantemente as leis de guerra aplicáveis ​​aos neutros. Hitler esperava a guerra em algum momento no futuro próximo e decidiu declará-la primeiro.

Hitler também contava com a Marinha Japonesa para pelo menos neutralizar a Marinha dos Estados Unidos e considerava os Estados Unidos uma nação racialmente mista e, portanto, fraca.


Durante a Segunda Guerra Mundial, a ajuda americana aos Aliados caiu em três categorias:

  1. Empréstimo e arrendamento de ajuda para a Grã-Bretanha e a Rússia, em um montante aproximadamente igual a toda a produção de guerra alemã,
  2. Lutando contra o Japão, o maior aliado da Alemanha, e
  3. a introdução de tropas terrestres na Europa Ocidental.

Os esforços americanos de "Lend Lease" incomodaram Hitler e seus almirantes durante todo o ano de 1941. Isso foi particularmente verdadeiro depois que as forças americanas ocuparam a Islândia e os Estados Unidos ampliaram sua zona de proteção para aquele extremo leste, o que significa que a Grã-Bretanha teria que "cobrir" um período relativamente curto parte da rota do Atlântico Norte por conta própria. Hitler mal conseguiu impedir que seus almirantes atacassem os navios dos EUA.

Basicamente, Hitler não poderia vencer a guerra sem a ajuda do Japão, porque a Alemanha não era forte o suficiente para lutar sozinha contra a Grã-Bretanha e a União Soviética (pelo menos não depois que esta recebeu a ajuda do Lend Lease). Hitler poderia vencer se o Japão pudesse quebrar a espinha da Grã-Bretanha (na Índia) ou da União Soviética (na Sibéria). E pareceu a Hitler que o Japão havia, de fato, feito isso para os Estados Unidos com sua impressionante (embora incompleta) vitória em Pearl Harbor. O jornalista William L. S.hirer relatou em "A Ascensão e Queda do Terceiro Reich" que Hitler exultou: "Não podemos perder esta guerra, pois temos um aliado que não foi derrotado em 350 anos."

Hitler acreditava que os japoneses haviam iniciado o processo de destruição da marinha dos EUA e que seus submarinos poderiam terminar o trabalho. Com os EUA supostamente desamparados, a Alemanha e o Japão poderiam dividir o hemisfério oriental antes de encerrar suas negociações com as Américas.

Por outro lado, se os Estados Unidos lutassem contra o Japão, aquele país não seria capaz de ajudar Hitler a acabar com a Grã-Bretanha e a União Soviética. Se os Estados Unidos derrotassem o Japão e se aliassem com a China e / ou Índia, Hitler não poderia vencer a guerra, mesmo que conquistasse a Grã-Bretanha e a União Soviética. A "melhor chance" de Hitler era ajudar o Japão a conter os Estados Unidos em troca da ajuda do Japão no hemisfério oriental.


Porque Alemanha, Itália e Japão eram aliados, e lutar juntos contra inimigos comuns é exatamente o que significa uma aliança militar.

A propósito, os EUA na verdade procurado para se envolver na Segunda Guerra Mundial, porque eles realmente não gostavam de como a Alemanha estava conquistando a maior parte / toda a Europa. Pearl Harbor e a aliança Alemanha / Japão atuaram como o clássico Casus Belli.


Além das razões de empréstimo e arrendamento fornecidas por outros, o Japão declarou guerra à Grã-Bretanha ao mesmo tempo em que declarou guerra aos Estados Unidos. O Japão, incluindo o Império Britânico na declaração de guerra contra os Estados Unidos, teve de ser retribuído do lado alemão da aliança com uma declaração de guerra contra os Estados Unidos (uma vez que a Grã-Bretanha e a Alemanha já estavam em guerra desde 1939 naquela época). Com os ataques japoneses à Malásia e Cingapura, ameaçando a Austrália mais ao sul e a Índia a oeste, os navios britânicos e as tropas imperiais (principalmente da Austrália) tiveram de ser retirados do Mediterrâneo e do Norte da África e redistribuídos para o Pacífico. Continuou a pressão sobre as ligações da Grã-Bretanha com suas possessões e domínios imperiais no Oceano Índico e Pacífico, que tinha sido um dos principais objetivos da campanha do Norte da África (ou seja, cortar o Canal de Suez). Com o Império no Pacífico em grande parte desprotegido, a Alemanha pode ter esperado que o Japão fosse capaz de neutralizar rapidamente o Império Britânico na região da Ásia-Pacífico.

Ao mesmo tempo, no Atlântico, a Alemanha agora podia direcionar os navios americanos para a Grã-Bretanha de forma muito mais aberta. Se os japoneses pudessem obter vitórias rápidas no Pacífico e os EUA fossem mais lentos para reagir no Atlântico, as declarações de guerra "olho por olho" (Japão na Grã-Bretanha, Alemanha nos EUA) poderiam ter forçado a Grã-Bretanha a sair da guerra através do corte fora do Império e dos EUA. Com a Grã-Bretanha fora da guerra, teria sido muito mais difícil para os EUA realmente se envolver no teatro europeu e, quanto ao Pacífico - bem, esse sempre seria o problema do Japão de qualquer maneira.


Acho que você deve considerar a decisão de Hitler em conjunto com seu anti-semitismo e as questões com as quais ele estava lutando no início de dezembro de 1941.

  1. Hitler não acreditava que fosse do interesse da Grã-Bretanha lutar contra a Alemanha, e que figuras importantes do governo, como Churchill, eram apoiadas pelos "judeus" de Londres e pela manipulação do país. Da mesma forma, ele acreditava que os EUA eram escravos dos "judeus" de Nova York.

  2. Hitler também acreditava que "os judeus" estavam por trás do "bolchevismo" na União Soviética. O comunismo foi a vitória primordial do impulso dos "judeus" para a decomposição do estado. Considere que o propósito do Einsatzgruppen original era seguir a Wehrmacht e matar "comissários políticos", que também significava "judeus do sexo masculino" e logo também mulheres e crianças.

  3. Nesse espaço ideológico, havia um empurra-empurra direto entre as bombas caindo sobre Bremen, por exemplo, e a Frente Oriental. Ou ajuda Lend-Lease aos soviéticos, e assim por diante. O nexo desse "empurrar e puxar" era, para Hitler e muitos alemães, "os judeus".

  4. No período entre outubro e dezembro, Hitler e cia. estavam debatendo se lançariam a "Solução Final" o mais rápido possível ou "na primavera, após a guerra". Enquanto isso, eles estavam "pesquisando" as formas e meios de morte em massa em Auschwitz. Uma conferência foi agendada em Wannsee em 8 de dezembro para discutir a coordenação do esforço.

  5. Primeiro veio a contra-ofensiva soviética em Moscou em 5 de dezembro e depois Pearl Harbor em 7 de dezembro, ambas as quais foram uma surpresa para Hitler e lançaram Hitler em um certo atordoamento. Não se sabe se foi um atordoamento eufórico ou um atordoamento depressivo - diferentes historiadores conceituados afirmam que vai de qualquer maneira com argumentos igualmente convincentes. O historiador em que mais confio nesse assunto, Christopher Browning, está do lado euprórico. Isso soa verdadeiro com minhas próprias impressões de que os nazistas estavam otimistas sobre a guerra durante 1942, levaram um chute no estômago no início de fevereiro de 1943 e estavam taciturnos em agosto de 1943.

  6. Hitler emergiu deste atordoamento falando pela primeira vez de Weltkrieg (guerra mundial). Ele aceitou que a guerra duraria até 1942 e além. Ele declarou guerra aos EUA para que seus submarinos pudessem começar a trabalhar e deu seu sinal verde para iniciar a Solução Final da Questão Judaica enquanto o aspecto militar da guerra ainda estava em andamento. A Conferência de Wannsee foi reprogramada para 20 de janeiro de 1942, e o trabalho começou na construção dos campos de extermínio.

  7. Caso você esteja se perguntando como faz "sentido militar" para a Alemanha dedicar tantos recursos ao assassinato de milhões de judeus, lembre-se, para os nazistas, de todo o objetivo da guerra: "libertar" a Alemanha do "mundo judeu conspiração "e ganhar o Lebensraum necessário para garantir a sobrevivência nacional. Não foi um problema secundário - tudo se encaixa.


Hitler, não estando muito informado sobre a história ou cultura dos EUA, provavelmente sentiu que tal guerra era inevitável e, de fato, sentiu que os EUA multiculturais seriam de fato um oponente fraco, e que o principal objetivo da guerra alemã estaria concluído no momento em que eles realmente veio aos golpes.


Hitler pensava que, ao declarar guerra aos EUA, ele persuadiria o Japão a declarar guerra à URSS por sua vez. Isso não aconteceu, e é mais um erro estratégico de Hitler.


Hitler, embora tivesse uma visão e um objetivo, não planejou as coisas muito além; em vez disso, ele queria aproveitar as oportunidades. Ele viu o ataque a Pearl Harbor como um só. Esperando que a América se concentrasse no agressor mais direto, o Japão, ele declarou guerra à América.

Na guerra até esse ponto, Pres. Roosevelt queria ajudar a Grã-Bretanha e não queria vê-la derrotada. Houve vários tipos de ajuda, mas não muito envolvimento direto. Ele não poderia ir à guerra contra a Alemanha sem um bom motivo, que Hitler lhe entregou. O resto, como dizem, é história.


Hitler realmente acreditava que se seguisse em frente e enfrentasse os Estados Unidos agora que seu aliado (Japão) estava em guerra com eles, eles fariam o mesmo com seu inimigo, a União Soviética. Nesse ponto, ele precisava muito aliviar a pressão sobre suas linhas de frente soviéticas. No entanto, os líderes do Japão não foram tão precipitados e impulsivos (e devo dizer estúpidos) como Hitler. Eles não pretendiam fazer algo como declarar guerra a duas superpotências na mesma semana. Como seria de se esperar, a tática poderia ter funcionado.


Para eliminar a Polônia, Hitler se uniu ao país do outro lado e, assim, atacou seu alvo em sanduíche. Ele declarou guerra aos EUA porque pensava que o Japão então atacaria a Rússia, permitindo-lhe repetir sua tática anterior de sucesso.


Portanto, acho que o que é mais crítico para entender 7 de dezembro de 1941 é que o próprio Japão NÃO declarou guerra aos Estados Unidos, mas, em vez disso, lançou conscientemente um "ataque furtivo" contra a Marinha dos EUA e as Forças Aéreas do Exército naquele dia. Há mesmo aqueles que na época a coisa toda foi um "artifício" criado pela administração Roosevelt, mas o fato permanece como FDR apontou em seu discurso dramático que um "estado de guerra agora EXISTE" (grifo meu) "entre os Estados Unidos Estados Unidos e Japão. "

Isso deu uma pausa para o 3º Reich, pois, de fato, eles não tinham a obrigação de apoiar um "ataque furtivo" e, de fato, tinham muitos motivos para se opor a uma declaração de guerra direta aos EUA em tais circunstâncias.

Isso torna esta uma questão muito válida de um ponto de vista histórico relacionado a qualquer guerra, mas especialmente a 2ª Guerra Mundial. Não tenho certeza se há qualquer outra resposta além das declarações mútuas de guerra do 3º Reich e dos EUA contra cada um. outro ... que foi uma ótima notícia para a Rússia e a Grã-Bretanha ... ambos pareciam à beira da derrota no inverno de 1941.

Não houve nada que saiu durante os Julgamentos de Nuremberg que eu tenha conhecimento sobre esta questão ... embora o "Secretário de Estado" nazista Von Ribbentrop fosse um dos capturados e acusados ​​e foi diretamente questionado pelo jurista inglês sobre este assunto.

Discussão interessante.


Hitler fez de tudo para evitar a guerra com a América, até um limite. Efetivamente, os EUA já estavam em guerra com a Alemanha. Eles estenderam sua zona costeira de controle até a metade do oceano Atlântico. Os navios de guerra dos EUA interferiram nas ações do U boat. A posição dos barcos U foi transmitida em texto claro, para que os comboios pudessem agir sobre ela. Às vezes, isso leva a uma guerra aberta.

Quando o Japão atacou Pearl Harbor, Hitler provavelmente pensou que a guerra aberta era preferível à neutralidade armada dos Estados Unidos. Dada a eficácia da operação Drum beat, não é realmente uma má decisão.

https://en.wikipedia.org/wiki/Neutrality_Patrol

https://en.wikipedia.org/wiki/USS_Greer_(DD-145)


Por que Herr Adolf Hitler declarou guerra aos Estados Unidos da América?

A falta de documentação leva à especulação


Adolf Hitler mostrado na prisão de Landsberg após ser
condenado como resultado do Putsch de Munique.
Não tenho certeza se esta foto, como muitas outras
Fotos, patentes e invenções do período pré-guerra e do tempo de guerra do NAZI
e outros itens semelhantes, são nulos como resultado de serem considerados
& quotwar booty & quot e não são mais protegidos por patente
ou para fins de direitos autorais.

Um dos problemas em pesquisar a política NAZI da Segunda Guerra Mundial e as políticas resultantes que ocorreram na Alemanha durante os anos 1930 até o final da 2ª Guerra Mundial é que muitas das razões por trás das decisões nunca foram documentadas. Algumas pessoas de alto escalão no Terceiro Reich mantinham diários, Joseph Goebbels por exemplo, mas os escritores freqüentemente registravam o que acontecia, as decisões que eram tomadas, mas raramente as razões por trás das decisões que eram tomadas.

O estilo que Hitler usou para governar o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (NSDAP, também conhecido como NAZI the D significa Deutschland) e, portanto, a Alemanha, era o de declarar vagamente o que ele queria que fizesse a várias pessoas ou departamentos, então essas pessoas implementariam as políticas e aplicá-lo. Ele também costumava criar conjuntos duplicados de grupos governamentais para executar as mesmas políticas, criar programas, fiscalizar e fazer com que competissem entre si. Isso mantinha as pessoas fragmentadas e, portanto, ele o mantinha informado, já que quase tudo tinha que passar por ele para ser aprovado. Também significava que ele frequentemente ouvia os dois lados de uma posição, já que dois grupos diferentes geralmente recebiam a mesma tarefa. O carisma desse líder e seu acesso ao gabinete do chanceler ditariam o poder que o grupo tinha. Assim, se você fosse a favor de Hitler, teria prestígio ao falar em nome dele em seu departamento sobre quais regras escrever e, portanto, sua versão de uma política implementada da maneira que você queria, ou um contrato governamental. As notas das reuniões seriam escritas, mas o raciocínio por trás da decisão de Hitler sobre isso - documentos de política, materiais de apoio, nunca o foram. Apenas decisões sobre quem tinha permissão para fazer o quê.

Um bom ganho de fatos sem uma referência de contexto de material de fundo pode ser encontrado olhando os diários que as unidades de combate alemãs mantinham (as unidades aliadas também os mantinham). Para obter informações sobre a história militar dessa unidade, é ótimo, pois registrou confrontos, perdas e outros fatos. No entanto, assim como os diários pessoais, eles raramente registram as razões porque ações dos comandantes das unidades foram tomadas.


Por que Adolf Hitler declarou guerra aos EUA

Adolf Hitler não esperou muito para cometer seu primeiro erro estratégico (muito provavelmente o pior erro militar de toda a guerra). Em 11 de dezembro de 1941, quatro dias após o ataque japonês a Pearl Harbor e a declaração de guerra dos Estados Unidos contra o Império Japonês, ele declarou guerra aos Estados Unidos.

No dia 8 de dezembro, o embaixador japonês Oshima foi ao ministro das Relações Exteriores alemão von Ribbentrop para solicitar uma declaração formal de guerra contra a América. Von Ribbentrop ganhou tempo porque sabia que a Alemanha não tinha nenhuma obrigação de fazer isso sob os termos do Pacto Tripartido (uma aliança militar defensiva entre a Alemanha, a Itália e o Japão assinada em 27 de setembro de 1940).

Por um motivo muito simples - o referido Pacto (ver Apêndice) exigia que a Alemanha fornecesse assistência militar ao Japão apenas se o Japão fosse atacado, mas não se o Japão fosse o agressor (o que agora era o caso). E mesmo então não exigiu explicitamente que a Alemanha declarasse guerra à potência atacante, mas apenas que fornecesse “assistência militar” - um termo deliberadamente muito vago.

Von Ribbentrop (corretamente) temia que a adição de outro antagonista, os Estados Unidos, sobrecarregasse o esforço de guerra alemão. Mas Hitler pensava de outra forma.

Portanto, em 11 de dezembro de 1941, o Encarregado Americano d & # 8217Affaires Leland B. Morris, o diplomata americano mais graduado na Alemanha, foi convocado para o gabinete do Ministro das Relações Exteriores Joachim von Ribbentrop & # 8217s onde Ribbentrop leu a declaração formal de guerra de Morris (ver Apêndice).

Agora, por que diabos Adolf Hitler cometeria uma asneira tão enorme - a asneira que muito provavelmente deu uma contribuição decisiva para sua derrota na Segunda Guerra Mundial e, em última análise, levou ao fim de seu partido, de seu estado e ao suicídio no Führerbunker?

A razão mais importante foi a crença sincera (e incorreta) de Hitler de que em muito pouco tempo (possivelmente em questão de dias) os EUA declarariam guerra à Alemanha de qualquer maneira - e queriam começar a guerra aparentemente inevitável em seus próprios termos.

De fato, os EUA já estavam travando a guerra naval de fato com os EUA e os destróieres americanos # 8211 que escoltavam navios de abastecimento americanos com destino ao Reino Unido já estavam atacando os submarinos alemães.

Em 11 de setembro de 1941, Roosevelt declarou publicamente que havia ordenado que a Marinha e a Força Aérea americanas atirassem à vista em qualquer navio de guerra alemão. Em seu discurso de 27 de outubro de 1941, ele mais uma vez afirmou expressamente que esta ordem estava em vigor - e foi diligentemente cumprida.

O Acordo de Destroyers for Bases, o acordo de Lend-Lease (que no outono de 1941 foi estendido à União Soviética), a Carta do Atlântico, a transferência do controle militar da Islândia do Reino Unido para os Estados Unidos, a extensão de a Zona de Segurança Pan-americana, e muitos outros resultados do relacionamento especial entre os EUA e a Grã-Bretanha - tudo isso fez com que o grupo se formasse uma "sombra beligerante" envolvida na Segunda Guerra Mundial do lado britânico (e, portanto, um de-facto adversário da Alemanha nazista).

Hitler acreditava que tudo o que seus capitães de submarinos precisavam para cortar completamente as linhas de abastecimento britânicas (e assim forçar o governo de Sua Majestade a pedir a paz) era dar-lhes o máximo de liberdade operacional possível. E a declaração oficial de guerra aos Estados Unidos, obviamente, deu a eles essa liberdade.

Sua ignorância sobre a capacidade militar e industrial dos Estados Unidos - bem como sua determinação e força de vontade para lutar com sucesso na guerra em duas frentes também teve seu papel.

Aparentemente, ele nunca teve conhecimento da avaliação profética do ataque a Pearl Harbor por ninguém menos que Isoroku Yamamoto & # 8211 Marechal Almirante da Marinha Imperial Japonesa e o comandante-chefe da Frota Combinada (que planejou e comandou este ataque ):

Tudo o que fizemos foi acordar um gigante adormecido e enchê-lo com uma terrível determinação

Inacreditavelmente, nem Adolf Hitler nem outros nazistas importantes jamais consideraram a entrada americana na Grande Guerra o principal motivo para a derrota das Potências Centrais (e da Alemanha). Eles investiram muito na teoria da "punhalada pelas costas", que turvou severamente seu julgamento e levou a expectativas e previsões completamente erradas.

Finalmente, os preconceitos raciais profundamente arraigados de Hitler o fizeram ver os EUA como uma democracia burguesa decadente cheia de pessoas de raça mista, uma população fortemente sob a influência de judeus e & # 8220negroes & # 8221, sem história de disciplina autoritária para controlar e dirigi-los, interessados ​​apenas no luxo e em viver a & # 8220boa vida & # 8221 enquanto dançam, bebem e desfrutam de música decadente e imoral.

Tal país, na mente de Hitler & # 8217, nunca estaria disposto a fazer os sacrifícios econômicos e humanos necessários para dar uma contribuição significativa (quanto mais decisiva) aos esforços dos Aliados no campo de batalha.

Ele subestimou sistematicamente o poder americano e superestimou o japonês. Ele percebeu que o Japão era muito mais forte do que realmente era e os Estados Unidos muito mais fracos do que realmente eram.

E, finalmente, havia uma razão emocional poderosa (provavelmente, muito poderosa). A contra-ofensiva soviética totalmente inesperada pôs fim à blitzkrieg alemã e entregou a primeira e bastante dolorosa derrota (tanto do ponto de vista militar quanto psicológico) à Wehrmacht alemã e pessoalmente a Adolf Hitler.

Que ainda era maníaco-depressivo (o transtorno bipolar é uma condição vitalícia, mesmo se tratada adequadamente - e a de Hitler não). Conseqüentemente, isso imediatamente jogou o Führer no fundo de um poço de depressão muito profundo, muito escuro e muito doloroso. Para sair desse buraco, ele precisava desesperadamente de um choque emocional muito poderoso.

Como declarar guerra aos Estados Unidos.

Adolf Hitler estava errado em tudo suas percepções e previsões. Durante a Grande Guerra (lições que os nazistas aparentemente nunca aprenderam), os americanos provaram ser soldados corajosos, dedicados e bem treinados, liderados por comandantes altamente competentes e capazes.

Provando assim, sem qualquer dúvida razoável, que era a natureza, não a cultura de cultivo, não a raça e o “software”, não o “hardware” que contava. Americanos de todas as raças e nacionalidades demonstraram habilidades idênticas, coragem, espírito de luta e competência, repudiando poderosamente a “teoria racial” cientificamente errada e genuinamente insana dos nazistas.

Esta cultura comum (e superior) uniu toda a nação e concentrou toda a sua energia, intelecto, enormes recursos humanos e materiais, capacidade industrial e agrícola, criatividade & # 8211 tudo diretamente em um único objetivo - ganhando a guerra. E assim derrotando (e destruindo) todos os seus inimigos - os alemães, os japoneses, os italianos, todos.

Os americanos provaram ser não apenas soldados, oficiais e generais corajosos, habilidosos e eficientes, mas também empresários, trabalhadores e gerentes não menos eficientes, criativos e dedicados - tanto nos negócios quanto no governo.

Em tempo recorde, eles projetaram, testaram e implantaram armas e equipamentos militares superiores aos de seus homólogos alemães (aviões de bombardeio e caça, automóveis, rifles, metralhadoras, etc.) ou bons o suficiente para fazer o trabalho (tanque Sherman, pessoal blindado operadoras, etc.). Em outras palavras, para obter vitórias no campo de batalha - e, finalmente, em toda a guerra.

Em um tempo recorde, eles transformaram sua economia em um complexo militar-industrial extremamente poderoso, tornando-se assim um genuíno “arsenal de democracia” (ou seja, dos Aliados na “coalizão anti-Hitler”).

Os Estados Unidos produziram armas, munições, alimentos, roupas e equipamento militar (e navios mercantes para transportá-los) em tais quantidades que, mesmo sem oposição, os submarinos alemães poderiam afundar apenas uma parte insignificante deles.

Mas eles se opuseram. Oposição implacável e habilidosa. Os navios de escolta (especialmente os porta-aviões de escolta) e as aeronaves anti-submarinas de longo alcance finalmente venceram a Batalha do Atlântico (altamente superestimada em seu impacto na Segunda Guerra Mundial, mas ainda uma longa e cruel guerra marítima).

A destruição da infraestrutura alemã por bombardeiros estratégicos americanos (escoltados por caças de longo alcance) foi uma contribuição importante - e provavelmente decisiva - para a vitória dos Aliados na Segunda Guerra Mundial.

Assim como, obviamente, as tropas e armas americanas que desempenharam o papel dominante na Operação Overlord e na subsequente libertação genuína da Europa Ocidental.

E tudo isso não teria acontecido se Hitler não tivesse declarado guerra aos Estados Unidos. Ao contrário de sua crença profunda e sincera, a maioria dos americanos estava tão firmemente contra entrar na guerra na Europa que mesmo um falcão como Roosevelt não teria sido capaz de convencê-los do contrário.

Por uma razão muito simples - em termos de perda de vidas de soldados americanos (que sempre foi e ainda é um fator decisivo para o público americano) foi um esforço muito, muito mais sangrento do que a guerra no Pacífico.

John Kenneth Galbraith (então economista do serviço do governo federal e um dos conselheiros econômicos de Roosevelt) lembrou:

Quando Pearl Harbor aconteceu, estávamos desesperados. & # 8230 Estávamos todos em agonia. O humor do povo americano era óbvio - eles estavam determinados a que os japoneses fossem punidos. Poderíamos ter sido forçados a concentrar todos os nossos esforços no Pacífico, incapazes de dar mais do que ajuda puramente periférica à Grã-Bretanha. Foi realmente espantoso quando Hitler declarou guerra contra nós três dias depois [e assim resolveu todos os nossos problemas para nós]. Eu não posso dizer a vocês nossos sentimentos de triunfo. Foi uma coisa totalmente irracional para ele fazer, e acho que salvou a Europa.”

E, finalmente, lutar contra os submarinos alemães e enviar suprimentos de empréstimo e arrendamento (mesmo em grandes quantidades) é muito diferente em escopo e impacto do que um envolvimento em grande escala na guerra europeia.

A declaração de guerra de Hitler & # 8217 foi um grande alívio para o primeiro-ministro britânico Winston Churchill, que temia a possibilidade de duas guerras paralelas, mas desconexas - o Reino Unido e a União Soviética contra a Alemanha na Europa, e os EUA e o Império Britânico contra o Japão no Extremo Oriente e Pacífico.

Com a declaração da Alemanha nazista & # 8217 contra os Estados Unidos em vigor, a assistência americana para a Grã-Bretanha em ambos os teatros de guerra como um aliado total foi assegurada. Também simplificou radicalmente as coisas para o governo americano (já que lutar a guerra de jure é muito mais conveniente do que fazê-la apenas de fato).

Portanto, sim, declarar guerra aos Estados Unidos (feita por Adolf Hitler, aparentemente de improviso, quase sem consultar ninguém) foi um erro estratégico colossal. Não o primeiro e definitivamente não o último. Mais estavam por vir. Muito mais.


Ordens Roosevelt e rsquos para atirar em navios e submarinos alemães

O próximo movimento de Roosevelt em direção à guerra foi a emissão de ordens secretas em 25 de agosto de 1941 para a Frota do Atlântico atacar e destruir as forças hostis alemãs e italianas. a Greer, e um submarino alemão. [10] Roosevelt afirmou falsamente em um bate-papo ao lado da lareira para o público americano em 11 de setembro de 1941, que o submarino alemão havia disparado primeiro.

A realidade é que o Greer havia rastreado o submarino alemão por três horas e transmitido a localização do submarino para o benefício de quaisquer aviões e contratorpedeiros britânicos que pudessem estar nas proximidades. O submarino alemão disparou contra o Greer somente depois que um avião britânico lançou quatro cargas de profundidade que erraram seu alvo. Durante essa conversa ao pé da lareira, Roosevelt finalmente admitiu que, sem consultar o Congresso ou obter sanção do Congresso, ele ordenou uma campanha de tiro à vista contra os submarinos do Eixo. [11]

Em 13 de setembro de 1941, Roosevelt ordenou que a Frota do Atlântico escoltasse comboios nos quais não havia embarcações americanas. [12] Essa política aumentaria a probabilidade de provocar futuros incidentes entre navios americanos e alemães. Roosevelt também concordou, nessa época, em fornecer à Grã-Bretanha "nossos melhores navios de transporte". Estes incluíam 12 transatlânticos e 20 navios de carga tripulados por tripulações americanas para transportar duas divisões britânicas para o Oriente Médio. [13]

Incidentes mais sérios aconteceram no Atlântico. Em 17 de outubro de 1941, um destróier americano, o Kearny, lançou cargas de profundidade em um submarino alemão. O submarino alemão retaliou e atingiu o Kearny com um torpedo, resultando na perda de 11 vidas. Um destruidor americano mais antigo, o Reuben James, foi afundada com uma lista de vítimas de 115 membros de sua tripulação. [14] Alguns de seus marinheiros estavam convencidos de que Reuben James já havia afundado pelo menos um submarino antes de ser torpedeado pelo submarino alemão. [15]

Em 27 de outubro de 1941, Roosevelt transmitiu pela rádio nacional seu discurso do Dia da Marinha. Roosevelt começou seu discurso no Dia da Marinha declarando que submarinos alemães torpedearam os destróieres dos EUA Greer e Kearny. Roosevelt caracterizou esses incidentes como atos de agressão não provocados contra todos os americanos, e essa "história registrará quem deu o primeiro tiro".

O que Roosevelt deixou de mencionar em sua transmissão é que em todos os casos os destróieres americanos estiveram envolvidos em operações de ataque contra os submarinos alemães, que dispararam em legítima defesa apenas como último recurso. Hitler queria evitar a guerra com os Estados Unidos a todo custo e ordenou expressamente que os submarinos alemães evitassem conflitos com os navios de guerra dos EUA, exceto para evitar a destruição iminente. Foram as ordens de tiro à vista de Roosevelt e rsquos para os navios da Marinha dos EUA que foram projetadas para tornar inevitáveis ​​incidentes como os que Roosevelt condenou. [16]

Apesar das provocações de Roosevelt e rsquos, o público americano ainda era contra a entrada na guerra. No final de outubro de 1941, Roosevelt não tinha mais ideias de como entrar em uma guerra formal e declarada: [17]

& ldquo & hellipHe disse tudo & lsquoshort de guerra & rsquo que poderia ser dito. Ele não tinha mais truques. O chapéu de onde tirou tantos coelhos estava vazio. & Rdquo

Mesmo anúncios de página inteira intitulados & ldquoStop Hitler Now & rdquo inseridos nos principais jornais americanos por apoiadores de Roosevelt & rsquos não conseguiram convencer o público americano. Os anúncios advertiam o povo americano de que uma Europa dominada por Hitler era uma ameaça à democracia americana e ao hemisfério ocidental. Os anúncios perguntavam: & ldquoOs nazistas esperarão com consideração até que estejamos prontos para combatê-los? Qualquer um que argumentar que eles vão esperar é um imbecil ou um traidor. & Rdquo Roosevelt endossou os anúncios, dizendo que eles eram & ldquoa grande obra de arte & rdquo [18]

No entanto, o povo americano ainda era fortemente contra a guerra.


Por que Hitler declarou guerra aos Estados Unidos?

“Mas Hitler pensava de outra forma. Ele estava convencido de que os Estados Unidos logo o teriam derrotado e declarado guerra à Alemanha. A Marinha dos EUA já estava atacando submarinos alemães e Hitler desprezava Roosevelt por seus repetidos ataques verbais contra sua ideologia nazista. Ele também acreditava que o Japão era muito mais forte do que era, que, uma vez que derrotasse os Estados Unidos, viraria e ajudaria a Alemanha a derrotar a Rússia. Então, às 15h30 (Horário de Berlim) em 11 de dezembro, a acusação alemã d & amp # 8217affaires em Washington entregou ao secretário de Estado americano Cordell Hull uma cópia da declaração de guerra. & Quot

OpanaPointer

Martin76

OpanaPointer

Eu fiz um artigo sobre por que a Alemanha declarou guerra aos Estados Unidos nas duas guerras mundiais. O resultado final era que eles achavam que poderiam vencer antes que os Estados Unidos tivessem qualquer efeito sério em suas chances de vitória.

Marque a caixa & quotestratégia & quot.

Hitler disse “Grandes estados declaram guerra, eles não são declarados”. Ele sabia que era inevitável que os EUA entrassem na guerra do lado britânico, então ele simplesmente roubou uma marcha sobre FDR com seu pensamento.

Marque a caixa & quotpolítico & quot e outra na caixa & quotego & quot.

Declarar guerra aos EUA permitiu que os submarinos operassem livremente contra o transporte marítimo nas águas dos EUA. O massacre que se seguiu deve ter sido gratificante para Hitler.

Marque a caixa & quotactical & quot e outra na caixa & quotestrategia & quot.

Hitler really didn't understand the US any better than the Japanese. On some level he must have known that the US be able to launch a ship ten days after it was laid down, but he just refused to allow that fearsome knowledge to affect his planning.

Put a tick in the "failure to understand opponent" box and one in "I heard that, but I didn't ouvir that" box.


Closing Thoughts on Hitler’s Declaration of War Against the United States

No nation has ever been led into war with as many soothing promises of peace as the American public received from President Roosevelt. Most of the American public felt that the United States had entered the First World War under false pretenses. Polls consistently showed that the American public did not favor entry into a second war in Europe. Roosevelt assuaged these fears with statements such as “…I have passed unnumbered hours, I shall pass unnumbered hours, thinking and planning how war may be kept from this nation.”[37]

The truth is that Roosevelt did everything in his power to plunge the United States into war against Germany. Roosevelt eventually went so far as to order American vessels to shoot-on- sight German and Italian vessels—a flagrant act of war. However, Hitler wanted to avoid war with the United States at all costs. Hitler expressly ordered German submarines to avoid conflicts with U.S. warships, except to prevent imminent destruction. It appeared that Hitler’s efforts would be successful in keeping the United States out of the war against Germany.

Hitler declared war on the United States only after the leaked Rainbow Five plan convinced him that war with the United States was inevitable. The extraordinary cunning of leaking Rainbow Five at the very time he knew a Japanese attack was pending enabled Roosevelt to overcome the American public’s resistance to entering the war. It allowed the entry of the United States into World War Two in such a way as to make it appear that Germany and Japan were the aggressor nations.[38]


Why Did Hitler Declare War on the United States?

On December 11, 1941, Nazi Germany declared war on the United States.

The interesting thing about this decision is that they didn’t have to do it. In fact, it would have been far better had they not done it.

This decision has been one of the biggest mysteries of World War II.

Learn more about why Hitler declared war on the United States on this episode of Everything Everywhere Daily.

The United States did everything in its power to stay out of the Second World War.

The war is usually dated as beginning on September 1, 1939, when Germany invaded Poland.

For over two years, the United States kept its distance.

Hitler conquered all of western Europe and was on the outskirts of Moscow in late 1941.

Roosevelt desperately wanted to enter the war. His administration provided support in the form of money and equipment to the British and other allies, but that was the limit of American involvement. They didn’t partake in any combat.

Here I have to zoom out to give an overview of what the relative strengths of the United States and Germany were at the time.

Germany had a population of 86 million people in 1939. The United States had a population of 146 million people. That is a substantial difference of 60 million people.

In 1941, the United States had the largest economy in the world with a GDP of 1.1 trillion dollars. The GDP of Germany was only 412 billion dollars.

The economy of the United States was almost three times larger. Moreover, even before the Americans ramped up production to a wartime economy, they were one of the world’s largest manufacturers of aircraft and automobiles.

To be fair, the US military wasn’t anything to brag about. The number of full-time standing soldiers in the army at the outbreak of war was only around 17,000, with another 220,000 in the various National Guards.

In 1941 the German army had over 3,000,000 men, most of whom had seen combat, and a correspondingly large amount of military equipment.

The only real bright spot in the US military was its navy, which had built up its fleet before the start of the war.

After Pearl Harbor, the hawks in the Roosevelt administration thought they had their casus beli, aka their excuse to go to war.

Unfortunately, it wasn’t the war they were looking for. They were much more focused on what was happening in Europe, especially to their allies in Britain and France.

Here you might be thinking that Hitler had to declare war with the United States due to the Tripartite Pact that Germany signed with Japan and Italy.

This is not true, and the Tripartite Pact was not invoked when Germany declared war. The Tripartite Pact was a defensive treaty that only obligated the other parties to declare war if one of them was attacked.

As Japan was the aggressor against the United States, Germany was under no obligation to declare war.

Moreover, it wasn’t like the Axis Powers were a real alliance in the same way that the Allies were. They never planed anything jointly and they never really worked together.

The Japanese never gave advance notification to the Germans that they were going to launch a surprise attack on the Americans. The Germans suspected that something was going to happen, but they were not privy to information regarding when or where.

So it came as a great surprise to everyone when on December 11, Hitler declared war on the United States. The Americans returned the favor within hours.

The Roosevelt administration, which spent two years wanting to get into the fight, but lacking the excuse to do so, suddenly had it dropped into their lap.

Germany picked an unnecessary fight with a country 50% larger in population, three times larger economically, and moreover, located on the other side of the world where their industrial and manufacturing couldn’t be touched.

Moreover, because Germany never managed to invade Britain, the Americans had a way to attack German economic targets.

Hitler could have just done nothing.

Even if war with the Americans was inevitable, not declaring war immediately might have held it off for a year or two.

That would have given the Germans valuable time to focus their attention and devote all of their resources to their invasion of the Soviet Union.

The North African and Italian theaters would have been postponed or perhaps never have happened, as well as the invasion of Normandy, without the addition of American troops and resources.

There were several strategically dumb things that were done during World War II. The Japanese attack on Pearl Harbor and the German invasion of the Soviet Union were two big ones.

However, at least for those two, each country had some sort of reason for doing what they did, even if the reason turned out to be wrong. The Japanese thought they could take out the Americans in a preemptive attack, and the Germans thought they could overwhelm the Soviets quickly and conquer an enormous swath of land.

With the declaration of war on the Americans, there wasn’t even a pretense for any possible gain. It wasn’t as if he was in any position to try to invade North America.

For starters, it isn’t clear that anyone else in the German high command wanted to do this.

When the Japanese ambassador came to see the German foreign minister, Joachim von Ribbentrop, the day after Peral Harbor, von Ribbentrop stalled. He knew that the Japanese wanted Germany to declare war on the Americans, and he knew that this was something that they didn’t need on their plate at that time.

After the war, interviews were conducted with Nazi officials who were present when the decision was made.

It turned out that Hitler made the decision without consulting anyone. It was a totally unilateral decision that surprised many in the upper echelon of the German government.

There were a host of reasons why Hitler took this unnecessary move.

First, he assumed that an American declaration of war was imminent. If there was to be war, then he would rather be the one to initiate it.

Second, he never really thought strategically about the United States. In the early German war planning conducted in 1937, the United States never even came up. He was far too focused on the map of Europe didn’t see the US as a strategic threat.

Third, he viewed the US as weak and decadent. He saw a multiracial democracy, which was the antithesis of everything Hitler stood for. He didn’t see how a country that produced jazz music and motion pictures could possibly be a threat.

Fourth, he overestimated the power of the Japanese. He thought that the Japanese would easily defeat the Americans for the above reasons and that the Americans would probably never even get to Europe.

Fifth, Hitler had some enormous blind spots and some profound ignorance. He never traveled much and was woefully ignorant about the United States. His decisions were made through his prejudices and racial theories, not through any actual data and intelligence.

Finally, Hitler just hated Roosevelt. He was the leader of a bourgeois, decedent country, and he had jews in his cabinet and as friends. He called out Roosevelt in his address to the Reichstag in his declaration of war when he noted:

I will pass over the insulting attacks made by this so-called President against me. That he calls me a gangster is uninteresting. After all, this expression was not coined in Europe but in America, no doubt because such gangsters are lacking here. Apart from this, I cannot be insulted by Roosevelt for I consider him mad just as Wilson was. I don’t need to mention what this man has done for years in the same way against Japan. First, he incites war then falsifies the causes, then odiously wraps himself in a cloak of Christian hypocrisy and slowly but surely leads mankind to war, not without calling God to witness the honesty of his attack-in the approved manner of an old Freemason.

Hitler had some respect for Stalin and Churchill, but he had none for Roosevelt.

So long story short, there really wasn’t a good reason for Hitler to declare war against the United States.

Was war inevitable? Provavelmente. Would delaying the war have changed the outcome? Pode ser.

Ultimately, it was ideology trumping strategy, and theory superseding reality, and whenever that happens, reality always wins.

Everything Everywhere is also a podcast!


Why did Hitler declare war on the US after Pearl Harbor?

Contrary to popular belief, Hitler had não obligation to declare war on the US following Japan's attack on Pearl Harbor.

The Axis powers were only obliged to help each other when one of their members was attacked by a foreign power, not if they initiate. This is why Japan didn't join the German war against the Soviet Union.

Moreover, Japan never even informed the Germans that they were planning to attack Pearl Harbor. Hitler found out the same time the rest of the world did.

Lastly, the Germans didn't ask Japan to join the war against the Soviets as a pre-condition to their declaration of war against the US.

The most common explanation I hear is that Hitler believed FDR was going to declare war anyway, so he figured he might as well do the honors himself.

I personally don't buy this theory. Hitler was not a stupid man, especially not in 1941. There was nothing to be gained from Germany declaring war before the US did.

Germany's DOW against the US wasn't followed by any substantial escalation in the war in Atlantic either. It doesn't seem like the Germans weren't planning to gain anything from taking the gloves off against the US.

Of all the major decisions of WWII, this is the one I simply don't understand the rationale behind.

Hitler greatly underestimated / was ignorant of the industrial strength of the United States, and he expected the Japanese to easily defeat the Americans in the Pacific. He hoped that by helping Japan, he could count on Japanese support against the Soviet Union once the Americans had been beaten. He estimated that half of Americas fleet had been destroyed at Pearl Harbor and with the fifty destroyers America had just sold to the British, Hitler thought America didn't have much of a navy left. And of course America didn't have much of an air force or army in 1940-41 either.

As it turned out once America got going it was able to build the equivalent of the entire Japanese navy every year, with enough to spare for the Atlantic navy, three armies, two air forces, and still be able to substantially supply the British and the Soviets.

American lend-lease and financial aid to the British had been going on for some time at that point, and Hitler thought that by declaring war and starting unlimited submarine warfare in the Atlantic in conjunction with Japans Pacific campaign Germany would be able to sink a significant amount of Allied shipping and so stop supplies from reaching Britain.

There was a substantial escalation of the war in the Atlantic, but Germany had only five U-boats operational that could reach America at that time.

In the very short Hitler didn't think going to war with America would be that big of a deal compared to going to war with the Soviet Union, Great Britain, or France for that matter.

Mais informações: Hitler, Vol 2: 1936-1945 Nemesis by Ian Kershaw.

Smart people can do stupid things, stupid people can do smart things, the one does not exclude the other.


Mais comentários:

Amelia Kristina Hilborn - 3/27/2010

Quite obvious that its an extreemly vauge source and a lot of speculations. That America would have been ever considered a threat to Germany is more childish and after constructed than what any man living of that age would have ever even speculated about. Germany was by the strongest military power and Hitler developed long range V2 missles to blast America, that was as far he was concerned what level America was, some kind of pathetic enemy that could be sueing for peace when being bombarded by these long distance missles while the americans themselves were unable to return the fire. However Hitler made a smililar scheme on England and failed there so, maybe he was misstakening, but at any rate he never speculated in pre war time about US navy being too big since then why the heck would he challange the British navy which was quite more deadly even if perhaps not more up to date. Last of all speaking of large populations. USA had rougly twice the German population at that time. The Soviet, UK & France had altogether almost 5 times the German population, once again a lame excuse to believe Hitler would have considered America a threat. As also proved in battle the Americans were highly uneffective agienst the germans and most people can agree on that the german mp40 was superior to the American Thompson all from day 1. Since then however Germany had invented many newer and better guns such as STG44 / Mp44 along with highly advanced tanks the Americans were totally unable to break (as of the Tiger) However the Americans won by cheer numbers and by that only. However it's not strange because even if most Americans seems to believe that the WW2 was between US & Nazi Germany and US & Japan the WW2 was actually mainly a war between Japan and England & Soviet and Nazi Germany. I could go on forever, but I doubt anyone will read it so ill just quit.

Randll Reese Besch - 9/4/2009

Hitler wanted war with the USA so soon? I was under the impression that the attack on Pearl Harbor caught him off guard and he was furious that it was done so soon. That he didn't want the USA involved for a long time. The Japanese saw their chance and did it. Too bad their code had been broken and the four most important ships set sail days before their scouts arrived. In the end it cost them the war.